Home » Games » Entrevista » Alvanista, a nova rede social brasileira para gamers

Alvanista, a nova rede social brasileira para gamers

7 anos atrás

Qualquer pessoa que tenha uma boa quantidade de jogos e que queira ter um certo controle sobre sua coleção, sabe o quão complicado é encontrar um serviço que supra suas necessidades. Para realizar essa tarefa, eu já testei uma grande quantidade de opções, com nenhuma delas me agradando satisfatoriamente, até que desisti e resolvi gerenciar meus games através de uma planilha no Google Docs. A boa notícia é que agora um novo site surgiu e o melhor de tudo, feito aqui no Brasil.

Chamado Alvanista, a criação da empresa Astux é uma bela rede social onde podemos cadastrar quais jogos possuímos, quais estamos jogando no momento ou queremos adquirir, além de podermos cria listas personalizadas. No entanto, as possibilidades não param aí, já que temos a opção de dar nossa opinião sobre qualquer título, receber as atualizações das pessoas que seguimos ou mostrar ao mundo a quantidade de conquistas que já destravamos num determinado game, inclusive com rankings que comparam nosso desempenho com o de outros usuários.

Depois de cria minha conta (me adicionem lá) e fuçar um pouco no site, resolvi entrar em contato com os seus desenvolvedores e conversei um pouco com Bruno Cavalcante, idealizador do projeto. Aproveitei para tirar algumas dúvidas que acredito possam ser a de muitas pessoas e a seguir você ficará sabendo como é criar algo deste porte e como os envolvidos veem o futuro do site.

Meio Bit Games: Porque Alvanista? De onde surgiu o nome?
Bruno Cavalcante: Eu e o Kim Lima (co-fundadores), somos fãs de RPGs "low-tech", tipo Phantasy Star, Chrono Trigger e Secret of Mana, e quando decidimos pelo nome, queríamos homenagear esses jogos. Alvanista é o nome de uma cidade em um RPG chamado Tales of Phantasia, do SNES.

MBG: Quais foram as maiores dificuldades em desenvolver o Alvanista?
BC: A primeira e maior dificuldade foi conseguir encontrar um espaço de tempo na Astux em que tivéssemos condições de tocar esse projeto sem colocar a vida da empresa em risco, visto que somos uma empresa recente. Quando atingimos um certo patamar de estabilidade, em fevereiro deste ano, decidimos que ali era o momento para colocarmos o projeto da Alvanista em andamento. Outra dificuldade foi criar uma interface simples e amigável, quebrando o paradigma de interfaces escuras e carregadas tão comuns em sites relacionados a games. Buscamos muitas referências e testamos vários modelos até chegar à proposta atual e acreditamos que ainda temos muito a melhorar para atingir nosso objetivo de uma interface limpa, objetiva, amigável, bonita e que agrade a todos os perfis de jogadores.

dori_alv_22.06.12MBG: Vocês tiveram algum tipo de patrocínio ou apoio para desenvolver o site? Fale um pouco sobre a empresa de vocês, a Astux.
BC: Financeiro, nenhum… Tivemos apoio de amigos, que vinham constantemente visitar a empresa e opinar sobre as funcionalidades que estávamos implementando.

A Astux foi criada no ano passado (2011) por mim, o Kim Lima, Thiago Oliveira e Gil Magno. Somos uma empresa de desenvolvimento de software e temos como proposta, de tempos em tempos, trabalhar e investir nas ideias da equipe. Foi assim com a Alvanista, e espero que seja assim com outros projetos mais pra frente também.

MBG: Uma das coisas que os usuários mais devem se perguntar ao fazer o cadastro é: porque tenho que associar minha conta a do Facebook? Você poderia esclarecer isso?
BC: Nas versões iniciais, a rede permitia que houvessem cadastros sem o Facebook,mas o que observamos foi que esses usuários tinham uma taxa de abandono muito grande, pois não eram notificados quando novos amigos entravam na rede e assim ficavam sozinhos. Nossa ideia é fazer o login por outras redes que já possam nos dar informação de seus amigos, para que possamos sugerir pra você quando eles entrem na rede. Logo, logo colocamos o Twitter como opção também. Essa era a ideia, evitar que você fique "solitário" na rede.

MBG: Ainda nesta área, vocês não tem medo de serem taxados como "mais uma rede social"?
BC: Temos sim. Isso nos motiva a tentar expandir e buscar acrescentar algo na rede que realmente não pode ser encontrado em outros locais. Uma das nossas intenções é ser a maior e mais compreensiva database de jogos do mundo. Isso juntando com o aspecto social, tem um potencial enorme.

Tirar esse estigma vai ser difícil, mas vamos nos esforçar pra fazer valer o cadastro de cada usuário na rede com todas aquelas funcionalidades que todo mundo sempre quis em um canal específico para jogos.

MBG: Por falar na base de dados, como fazemos se um determinado jogo não estiver disponível no site?
BC: Lá no rodapé temos um link para reportar jogos inexistentes. A nossa ideia, com o tempo, é ter uma espécie de moderação da comunidade pra facilitar esse registro e nossa vantagem com relação às outras bases é exatamente essa, o input dos usuários.

Por exemplo, Disney's Magical Quest 3 Starring Mickey & Donald. Esse jogo não tem em muitas bases, pois ao que parece ele só teve um release japonês. Quando um usuário reportou como ausente e cadastramos, ele ficou no topo do nosso trending durante alguns bons dias.

Ficamos muito felizes com esse input dos usuários e temos recebido muitas solicitações de jogos ausentes – alguns inclusive bem raros. Às vezes demora um pouco, mas é porque procuramos tratar a capa do jogo e os screenshots com muito carinho

MBG: Eu percebi que o site também está disponível em inglês. A intenção de vocês é levar o Alvanista para usuários de outros países?
BC: É sim. Acho que podemos começar por aqui e ir coletando as sugestões dos usuários. Com o tempo teremos algumas funcionalidades e uma boa base de usuários para nos deixar mais fortes pra enfrentar o Raptr e o Playfire lá fora.

dori_alv_22.06.12-02MBG: Uma funcionalidade que achei muito interessante foi a possibilidade de informamos nossas contas da PSN, Steam e Xbox Live, sugerindo assim os games que já jogamos. No Raptr os jogos são adicionados à nossa conta automaticamente, algo que me fez desistir de usar o site. Vocês pretendem seguir este modelo?
BC: Não pretendemos não, até porque é bem comum mais de uma pessoa usar a mesma conta de PSN/Live/Steam. Vamos nos limitar a sugerir o jogo para que o usuário adicione à sua coleção.

MBG: Por um bom tempo usei o Playfire para gerenciar minha coleção, até que um certo dia eles mudaram completamente a estrutura do site e perdi todos os jogos que havia cadastrado lá. Será que com o Alvanista eu não corro o mesmo risco?
BC: Não tenho como prometer, pois imagino que o pessoal do Playfire também não pretendia fazer algo assim quando eles estavam começando. Algo deve ter acontecido para que eles tenham tomado essa decisão. Mas nós temos muita consideração pelos usuários e o perfil dele na rede, então eu sinceramente não consigo ver isso acontecendo.

MBG: Mas acredito que um site assim deva ter um custo alto para se manter, vocês esperam conseguir patrocínios para garantir a sua existência (e nós usuários não perdemos o cadastro de nossas coleções), ou isso não seria um problema?
BC:
Pretendemos evoluir muito ainda a Alvanista, inclusive com alguns serviços que seriam bem custosos para serem mantidos de graça, então estamos esperando fechar um bom plano de investimento para que consigamos expandir e escalar de uma maneira segura. Hoje nos vemos com menos de 30% das coisas que queremos ter ainda na Alvanista, então ainda vem muito por aí.

MBG: Por fim, você gostaria de deixar alguma mensagem ao leitor do Meio Bit Games ou falar sobre alguma coisa que eu não perguntei?
BC:
Bom, gostaria de "convocar" toda a comunidade gamer brasileira pra apoiar e usar a Alvanista. Temos o intuito de ser um serviço global e podemos ser uma referência para empreendedores brasileiros que é possível sim, criar um produto internacional de sucesso aqui no Brasil. Pra chegarmos lá, precisamos e contamos com o apoio de todos os brasileiros e prometemos não descansar até que tenhamos a melhor e maior rede de games do planeta.

------------------------------------------------------------------

Quero aproveitar para deixar aqui meu agradecimento ao Bruno Cavalcante e à toda equipe do Alvanista por terem sido tão prestativos e por nos trazer um serviço que já começou com o pé direito, com diversas funções legais e principalmente, bastante úteis. Que eles tenham toda a sorte do mundo e que o controle de nossas coleções esteja seguro em suas mãos =D

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários