Ciência
Ciência
Digital Drops Blog de Brinquedo

Microsoft Worldwide Telescope agora é Open Source

Por em 3 de julho de 2015 - 7 Comentários

wwt

Quando foi lançado lá em 2008 o Microsoft Worldwide Telescope fez Robert Scobble chorar. Com razão. É uma ferramenta agregadora de informações astronômicas, com dados de dezenas de missões, sondas, observatórios, satélites, tudo.

Você pode explorar o Universo, com imagens reais, em diversas faixas do espectro, acompanhar eventos históricos… é literalmente um universo a explorar.
continue lendo

emAstronomia Destaque Destaques Microsoft

Hal Jordan tinha razão, o F-35 é uma caca

Por em 2 de julho de 2015 - 109 Comentários

310071_418284738249923_325903782_n

Lembra do F-35, aquele caça que semana passada fez a 1ª decolagem de rampa, era pra ser barato e versátil mas já consumiu uma fortuna, não consegue detectar alvos voando em formação e cujo canhão só vai poder ser usado em 2019? Pois é, ele fez de novo, ou melhor, não fez.

No papel a idéia de uma aeronave multifunção é excelente, mas na prática ela se torna limitada. Ele é desnecessariamente gordo, pois na versão de decolagem vertical precisa ter lugar para o rotor e os sistemas de direcionamento de ar. O trem de pouso é mais pesado do que o necessário por causa da versão naval, e por aí vai. 
continue lendo

emDestaque Destaques Engenharia Hardware

Descanse em Paz, Dário Almeida da Costa

Por em 2 de julho de 2015 - 91 Comentários

Dário Almeida da Costa não era ninguém conhecido. Uma busca por seu nome retorna apenas duas páginas do Google, a maioria dos resultados um homônimo. Note, ele não era conhecido, não quer dizer que não fosse importante. Com 44 anos era o provedor de sua família, em Ribeirão das Neves, MG.

Dário trabalhava na Cerâmica Marbeth, uma empresa pequena porém limpinha. Não era nenhum executivo, coisa aliás que nem existe, a Cerâmica sequer tem site, mas é certificada pelo Inmetro. Nela nosso amigo fazia tijolos, e como uma tonelada deles, a tragédia se abateu sobre a Marbeth. 
continue lendo

emArtigo Destaque Destaques Robótica

Nikon P900 — dando uma olhadinha na Lua

Por em 1 de julho de 2015 - 48 Comentários

nikon_P900_ultrazoom

Todo mundo que me conhece sabe que eu sou absolutamente contra as câmeras ultrazoom. Principalmente as que apareceram nos últimos anos. Os fabricantes entraram em uma disputa maluca sobre quem fazia a câmera com mais distância focal e acabamos esquecendo que a quantidade exagerada de elementos óticos acabam afetando consideravelmente a qualidade da imagem, ainda mais quando sabemos que essas câmeras se utilizam dos menores sensores fabricados. Para quem está chegando agora fica o alerta, quanto menor o sensor, pior a qualidade de imagem.

A brincadeira chegou a um nível absurdo agora que a Nikon lançou a Coolpix P900. A câmera é equipada com um sensor CMOS de 16 megapixels e uma lente com distância focal equivalente a uma 24-2000mm com abertura máxima de diafragma em f/2,8-6,5. Fora a parte da qualidade da imagem, também temos a questão da estabilização. Mesmo com a tecnologia VR da Nikon que garante (segundo a empresa) um ganho de 5 f/stops, é quase impossível um ser humano segurar uma câmera dessas em zoom máximo sem a necessidade de um tripé ou monopé. Mas, existe público para esse tipo de equipamento, pois todos os fabricantes possuem uma câmera desta categoria.

Para termos ideia da potência da coisa temos um exemplo do uso da P900 em vídeo que correu a internet nesta semana. O usuário do YouTube Naturbeobachtungen von Lothar Lenz publicou um vídeo feito com a Nikon P900 onde é mostrado um pouco do alcance da câmera ao filmar a Lua. O vídeo já teve mais de 2 milhões de visualizações e mostra bem o movimento da Lua no céu. Em algumas partes tenho quase certeza que o vídeo foi cropado, pois a câmera também possuí um zoom digital bem forçado, mas mesmo assim é interessante. Notem que a câmera deve estar em um tripé, e mesmo assim ela não está totalmente estabilizada. Em certo momento temos uma rajada de vento e a imagem treme toda. Ou seja, qualquer coisa em 2.000 mm, mesmo a respiração do fotógrafo, pode tremer a foto.

Vejam abaixo e tirem suas conclusões.
continue lendo

emAstronomia Destaques Equipamentos Fotografia

Leap Second — hoje você ganhou um segundo a mais de vida, então aproveite enquanto pode!

Por em 30 de junho de 2015 - 25 Comentários
Laguna_Doctor_Who_Leap_Second

Aproveite seu segundo extra de vida (crédito: Doctor Who Official)

Hoje, dia de 30 de junho, um segundo intercalar será adicionado ao fim do dia. Por causa da rotação mais lenta do planeta em relação ao tempo atômico internacional, segundos adicionais têm sido introduzidos com o passar dos anos ao fuso horário de referência, também chamado de tempo civil, o Coordinated Universal Time (UTC).

Isso quer dizer que o último minuto de hoje terá 61 segundos, ou seja: em vez de o relógio atômico do UTC passar do último segundo do dia 30 de junho (23:59:59) para o primeiro segundo (00:00:00) do dia 1º de julho, haverá entre eles o segundo 23:59:60. Ele é também chamado de Leap Second.
continue lendo

emAstronomia Destaque Destaques Indústria

Robô-pedreiro constrói uma casa em 2 dias. Péssima idéia.

Por em 30 de junho de 2015 - 158 Comentários

robopeao.00

Longe de mim pagar de Ludita. Não tenho a ilusão de que tecnologia por si só vai salvar o mundo, mas nem por isso deixo de amar máquinas, e esse robô Hadrian 105, da Fast Brick Robotics é uma delas. A proposta, que está no estágio de demonstração tecnológica é construir casas em tempo recorde. Uma Unidade Hadrian é capaz de erguer as paredes de uma casa de tamanho razoável em dois dias.

O vídeo por enquanto é CGI, até apararem todas as arestas da complicadíssima tarefa de interagir com o mundo real.
continue lendo

emDestaque Destaques Engenharia Hardware Robótica

“Robôs vão nos dominar e usar como pets” — Woz

Por em 29 de junho de 2015 - 64 Comentários

vlcsnap-00001

Nos primórdios da Ficção Científica robôs malvados eram apenas ferramentas, programadas e comandadas por homens malvados. Não tinham vontade própria. Com o tempo foram ganhando mais autonomia, e inteligência artificial vilã se tornou padrão. Filmes como Colossus, séries como Dr Who mostravam máquinas malvadas e implacáveis.

Do outro lado autores como Clarke e Asimov trabalhavam a idéia de robôs neutros, ou malvados com motivo. HAL 9000 estava apenas cumprindo ordens contraditórias. Joshua só queria rodar jogos de guerra, como foi programado pra fazer. 
continue lendo

emDestaque Destaques Miscelâneas Robótica