Eu não quero saber a sua localização…

Parte da indústria é movida por criar necessidades que, antes dos inventos que as soluciona, não existiam. Esse mantra é conhecido de todos, e vira e mexe uma novidade mostra que, apesar de tentarmos nos blindar contra esses impulsos, nem sempre esse escudo funciona a contento. Quem queria um tablet antes do iPad? Então.

Na Internet, acontece a mesma coisa. Ninguém sentia falta do orkut ou do Facebook antes dos mesmos terem sido criados, da mesma forma que, antes do foursquare explodir, ninguém sentia falta de informar a uma galera todo bendito lugar que ele frequenta. Mas… hey, temos uma falha aqui. Ainda hoje, após várias startups investirem pesado nisso, até o Facebook entrar na onda com o Places e o foursquare ter sido avaliado em US$ 115 milhões, as redes sociais baseadas em localização ainda não se popularizaram.

Um estudo da Forrester Research mostra que o público adepto desses serviços é formato por homens jovens da cidade bastante interessados em tecnologia — ou, para definir numa palavra meio controversa, geeks. Nos Estados Unidos, berço da maioria das “fads” que varrem a Internet, apenas 4% da população já experimentou serviços do tipo. Pior: apenas 1% os usa regularmente, no mínimo uma vez por semana.

Localização.

Localização. (foto por Nico Kaiser)

Recentemente, o foursquare virou notícia por ter atingido a marca de 3 milhões de usuários. O número, per si, chama a atenção, mas é quase nada perto dos 145 milhões de usuários do Twitter, ou do meio bilhão do Facebook.

Apenas dizer aos amigos aonde você está não é o suficiente para atrair usuários, e justamente por isso, startups que se seguram na localização estão investindo em novos incentivos. O foursquare, por exemplo, negocia promoções com estabelcimentos para quem fizer check-ins pelo serviço neles. A mesma tática é usada pela Shopkick, que distribui cupons de desconto para quem usa o serviço em determinadas lojas, como Best Buy e Macy’s.

Será o bastante? É difícil prever, porque, aparentemente, não é a falta de incentivos que afasta as pessoas, mas sim a real necessidade de algo do tipo, somada à privacidade. Richard Sherer, escritor de 65 anos, parece ter resumido bem a questão na reportagem do The New York Times, fonte dessa reflexão:

“Não consigo pensar em ninguém que se importe com o local em que me encontro a cada minuto, com exceção de minha esposa — e isso [aonde estou] ela já sabe. Talvez seja uma coisa de geração. Quando nós, velhos cabeças-dura, partirmos, talvez isso não será mais um problema.”

Sempre tenho o impulso de entrar de cabeça em novas redes sociais e coisas do tipo, mas ainda não fui pego pelas de localização. E você? Responda a enquete, vejamos como anda a situação no Brasil:


Relacionados: , , , , , ,

Autor: Rodrigo Ghedin

Blogger, bacharel em Direito e acadêmico de Sistemas de Informação.

Compartilhar
  • O erro no título foi proposital?

    • @Flavio Freitas, foi não, já corrigi.

      Valeu!

      []’s!

  • bixu.lezadu

    Faltou uma opção na enquete: “Interessante apenas para ocasiões extraordinárias” – na qual acredito me encaixar.

    Acho ridículo esse tipo de aplicativo sendo usado para informar que você simplesmente foi ao supermercado, à lanchonete, ou até mesmo ao banheiro (LOL). Mas há casos e casos – se você vai viajar para uma cidade totalmente fora do seu roteiro “tradicional”, aí sim acredito que elas sejam úteis, principalmente se houver a possibilidade de aviso antecipado.

    Exemplo disto é que recentemente fui para Brasília prestar um concurso público, e tenho diversos conhecidos virtuais morando por lá. Se eu tivesse avisado isso em uma rede social do gênero, acredito que pudesse ter rolado uma espécie de balada ou encontro na ocasião, e todo esse povo teria enfim se conhecido pessoalmente…

    • bixu.lezadu

      Algum problema com meu comentário?

      • thunder_geo

        @bixu.lezadu, parece que vc não é o único “lezadu” aqui… achei seu comentário positivo
        A unica observação é de que se vc usa extraordinariamente, provavelmente seus amigos de Brasilia tbm o usem assim e a balada ia furar!

  • neryluc

    Eu acho o conceito principal desses serviços muito bobo: contar pra todo mundo onde estou, o tempo inteiro. Trazendo para o twitter, raras são as vezes que eu escrevo algo desse tipo, e quando acontece normalmente estou à caminho de algum evento de interesse geral (show, cinema).

    A ideia de premiar o usuário de alguma forma por fazer check-in em determinados estabelecimentos me parece um Ad, uma pequena propaganda remunerada. Não é uma novidade e nem algo legal o bastante para me atrair ao serviço.

    Games baseados em geolocalização me parecem uma implementação mais plausível e divertida desse serviço.

    • criscmaia

      @neryluc, “A ideia de premiar o usuário de alguma forma por fazer check-in em determinados estabelecimentos me parece um Ad, uma pequena propaganda remunerada. Não é uma novidade e nem algo legal o bastante para me atrair ao serviço.”

      Jura que não acha interessante?
      Se você já ia no lugar, provavelmente pra gastar com algo, não compartilharia sua localização pra poder ganhar um desconto ou brindes?

      • neryluc

        @criscmaia, interessante é, mas só isso não salva o serviço. É uma propaganda do estabelecimento, e como emissor do anúncio eu vou ganhar algo em troca (bacana), mas não é suficiente pra manter usuários (ou ao menos não seria para mim). Trazendo novamente ao twitter – serviço que eu mais uso -, seria como esses Retweets promocionais: é legal, eu uso, divulga uma marca, mas só isso não segura o usuário à rede.

        Pessoalmente, fora essa função que eu citei, não vejo muita utilidade nesses serviços. Ou talvez eles “ainda” não sejam tão bacanas, já que a privacidade é um conceito que vem mudando desde do advento da internet, especificamente com suas redes sociais que, tanto crescem.

        • criscmaia

          @neryluc, é? não sei.. na teoria isso funciona muito bem no meu ponto de vista… até me faria escolher uma a outra loja caso eu tivesse voucher, exemplo, McDonalds ou Burguer King… hunn.. tenho 10% de desconto no BK, vou lá então.

  • thiagovrsant

    Rodrigo, coloca mais opções aí nessa enquete. Afinal, não pode ter algo como “uso, mas muito pouco e em situações bem específicas”? Ou ainda “experimentei e acho uma bobagem”?

    Do jeito que está ou o camarada nunca usou ou usa SEMPRE.

    Afinal, eu mesmo uso o latitude em situações bem específicas do tipo, “to num boteco novo, olha aí no latitude e vem pra cá” ou quando numa viagem em vários carros… Nesses casos é bem interessante.

    Abs

    • @thiagovrsant, tens razão, faltavam opções.

      Enquete atualizada!

      []’s!

  • Rickd

    As redes sociais estão se tornando redes antisociais. Se alguem quer saber que lugares eu frequento ou onde estou ligue pro meu cel ou pra minha casa, simples. Agora a pessoa tem que se logar no facebook e saber que eu fiz “check-in” as 21:30 em determinado local. Informação irrelevante, já que ele iria saber depois mesmo.

  • Ninguém quer saber e ninguém quer dizer! Só uma vez ou outra eu usei algo assim pelo Twego, só pra twittar mostrando que estava na praia. Grandes merdas, não é? Só serve pra zoar com quem não mora em cidade de praia ou estava no trabalho aquela hora.

    Dia desses vi no FB de uma colega a entrada em um cardiologista e alguém perguntando se estava tudo bem. Nem dá pra dizer que é invasão de privacidade mas, se reclamam tanto da falta dela no próprio FB por exemplo, quem vai querer dizer que acabou de dar entrada no proctologista?

  • criscmaia

    Meu Latitude do Android está sempre ligado, e apesar de ter compartilhar minha localização somente com 2 pessoas (recíproco) acho muito útil e acho que tende a crescer o uso.

    Não temos uma rotina fixa (casa-trabalho-escola) e talvez por isso acabo usando mais, olho por onde anda meus amigos, se for perto da região que quero algo já dou um “Shout”, ou talvez eles já estão no lugar que combinamos de encontrar e eu não tenho o endereço, então só ver onde eles estão.

    Interessante que pode definir o nível de privacidade entre: compartilhar localização exata -> compartilhar por cidade -> não compartilhar. Podendo ser escolhido qual vai usar pra cada contato.

  • fulvio.longhi

    acho que vc deveria trocar geeks por nerds, ehhehehe. eu acho que esse tipo de produto tem potencial para outros tipos de mercados que ainda nao foram devidamente explorados. Falta alguem competente pra poder fazer esse nicho bombar. E parece que o 4sq é o que esta melhor preparado.

    Imagine se vc fizer o checkin no 4sq em um macdonald’s e ele te mostra uma propaganda de uma promoção do burguer king? acho que tem potencial.

  • Eu acho uma bobagem e também um pouco de loucura nos tempos de hoje você ficar informando onde está a todo momento.

    Mas eu posso estar falando isso pois não tenho um smartphone ou algo do tipo que me permita usar este serviço.

  • omine

    já usei uma ou duas vezes o serviço de localização do google maps.
    mas lembro que da última vez que tentei utilizar, não consegui devido dificuldade em usar o aplicativo. O Aplicativo estava com interface diferente da outras vezes que utilizei por isso tive dificuldade e acabei abandonando pois precisava usar de forma rápida para mostrar minha localização a um amigo.
    Isso porque sou familiarizado com tecnologia.z imagine o público leigo que ainda fica procurando mouse pra mexer no ipad..

  • demiangm

    Eu sempre quis algo que me dissesse onde meus amigos estão. Sabe aqueles dias sem nada pr fazer? Sim posso usar o telefone, mas ele poderia ser usado só para avisar que estava indo encontrar tal amigo. Quando tive essa idéia achei o DodgeBall, na época que tudo era feito por SMS, mas o serviço morreu quando foi comprado pelo o google. Agora tenho a oportunidade de usar o seu irmão, Foursquare, eu só gostaria que todos meus amigos usassem o serviço também.
    Concordo que linkar com o twitter não é totalmente nescessário, mas acho o serviço muito util. Ao contrario do orkut, facebook…

  • Thiago Pacheco

    Já dei unfollow em um cara que tava usando essa m de 4square… odeio esse treco!

  • De fato, não é la grande coisa, mas as vezes é interessante, como em um grande shopping em que você pode encontrar algum amigo, mas…

  • fazedordesite

    Usei uma vez, achei uma bobagem, depois de um tempo tentei dar mais uma chance ao serviço por causa do barulho que os usuários fazem no twitter, continuei achando uma bobagem.

    Pode ser que no futuro mude de opinião, como mudei sobre o twitter, que no inicio achava uma bobagem, mas hoje ainda não vi motivos para usar o serviço.

  • arsbnl

    Acho uma bobagem ficar mostrando o tempo todo onde é que eu estou, talvez em uma situação ou outra possa ser útil, mas pro dia a dia nem pensar. Hmm se essa moda pega prevejo multidões de esposas/maridos/namoradas(os) ciumentos brigando e cobrando coisas do tipo: “Por que você desligou a localização do seu celular???” como fazem hoje em orkuts da vida quando vêem o status “solteiro” no perfil.

  • Tenho uma idéia para isso a uns 8 anos. Ninguém ainda fez, mas irão fazer alguma hora. Será a maior praga, todo mundo vai ter no celular e todo o mercado irá querer investir…
    Quem sabe uma hora eu lance uma startup 🙂

  • lblima.net

    Acho que em algumas situações é interessante. Um exemplo é o Google Buzz integrado ao Google Maps Mobile. Sempre olho antes de sair de casa, vejo no trajeto de casa para o trabalho os buzz publicados e algumas vezes são úteis, como no dia que vi que havia uma batida no caminho que eu pegaria. Eu também procuro publicar buzz pelo google mas mobile quando vejo algo que pode interessar a outras pessoas.

    Só pra reforçar, estou falando apenas do Buzz integrado ao Google Maps Mobile.

  • higoreduardo

    o.O

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Walmart, Cupom de desconto Ricardo Eletro, Cupom de desconto Extra, Cupom de desconto Martins Fontes Paulista, Cupom de desconto Empório da Cerveja