A inclusão digital chegou na App Store

Adorava ter acesso à App Store americana (da Apple), pois me prevenia de visualizar certos comentários ridículos. Bons aplicativos na App Store brasileira estão aparecendo nas últimas posições das listas (Top Free e Top Paid) pela simples falta de atenção às informações do aplicativo. É o famoso apertar “Aceitar” sem ler os Termos de Uso.

Vou dar exemplos de alguns aplicativos na App Store. Vocês já devem ter ouvido falar dos programas, idiotas, por sinal, chamados Fingerprint Security Pro. Ele custa US$ 1,00 e o detalhe na descrição é esse: For entertainment purposes only. Fica claro o seu objetivo. 14 pessoas votaram e 4 escreveram análises:

Fingerprint Security PRO

O objetivo do programa está explicado no segundo parágrafo. O único (e grave) erro: está em inglês. Deveriam recomendar a tradução de todos os programas para as App Store de outros países. Ou então colocar uma requisito mínimo para se ter um iPod/iPhone: nível básico de inglês.

A lista de horrores continua nos aplicativos gratuitos. O Tradutor Profissional, é baseado no Google Translate, apresenta recurso de voz. As análises feitas pelos usuários beiram ao ridículo:

Tradutor Profissional

O outro é o aplicativo Tivizen, cuja descrição está em inglês, apesar do público ser totalmente português. Mesmo assim, a explicação se encontra na descrição: “To use this program, you need a device called Tivizen” (algo como: “Para usar este programa, você precisa de um equipamento chamado Tivizen). Não vou culpar só os usuários, apesar de uma simples lida evitar todos os problemas ao instalar o aplicativo, que é gratuito.

Tivizen

Outro programa até engraçadinho (e pago) é o Phone Tracker. Seu objetivo falso é mostrar a localização de qualquer celular na face da Terra. Sua descrição real também está em inglês, antes das capturas de tela: “Este aplicativo é para diversão apenas e a privacidade individual é respeitada. Considere como uma pegadinha”.

Phone Tracker

A Solução

Colocar, obrigatoriamente, a descrição no idioma da App Store. Se a App Store for brasileira, colocar em português (do Brasil), se for da Espanha colocar em espanhol e assim por diante. Colocar a possibilidade de reembolso em até dois dias após a compra. E moderar comentários com palavrões — afinal, se a Apple proíbe aplicativos com palavrões, deveria proibir comentários com palavrões.

A Causa

Nada contra a inclusão social. O problema está na inclusão sem a educação. Muitos entram na Internet, com nenhuma educação, as famosas “boas maneiras”, e terminam cometendo barbaridades como as mostradas acima. Começa com comentários idiotas na App Store, depois vem a prática de cyberbullying nas redes sociais e por aí vai…

Facilidade na compra de um iPod

A maioria dos usuários da App Store são donos de iPod touch. No meu caso, versão 2G rodando o iOS 4. A facilidade leva pessoas que antes não poderiam comprar à vista, a comprarem um em 12x (como o meu MacBook que se tivesse em 36x seria ótimo, ou não 😀 ). Mais pessoas comprando, leva ao trecho que citei em no tópico “A Causa”. Infelizmente, o problema da App Store se refere apenas em como é tratada a educação no país. Você pode até sair do Ensino Médio sabendo tudo de matemática, português, geografia, história. Mas, de ética e respeito, nada é garantido.

Relacionados: , , , , ,

Autor: Yeltsin Lima

Estudante de Publicidade e Propaganda, Web Developer, gosta de escrever sobre tecnologia e raramente (agora) sobre ciência. Não sabe escrever biografias, muito menos a própria.

Compartilhar
  • Antes do comentário, uma pequena revisão: Aonde está “Nada contra a inclusão docial.” deveria ser “Nada contra a inclusão Social.” não? 🙂
    .
    Concordo com a ideia de um filtro por palavrões, mas isso é que mata, gente idiota tem no mundo inteiro, o Brasil só concentra a maioria [/ironia?]
    .
    Sinceramente, as pessoas deveria baixar aqueles Stupid Tests antes de comentar na AppStore.
    .
    iPod Touch 3G – 32GB – iOS 4.0

    • @Moisés Robles, #fail pra mim. Coitado dos “docentes” (piadas idiotas). Vou solicitar que alterem 🙂

    • @Moisés Robles, colocar filtro de palavrões não adianta poha nenhuma.

      • @Pryderi, adiantar não adianta mas, se a Apple classifica dicionários como “conteúdo adulto” também deveria considerar os reviews.

      • @Pryderi, geralmente quem é idiota o suficiente pra postar esses lixos não sabe variar poha, merd@ e afins…

  • danieldhdds

    V tem toda razão, acho que antes da inclusão digital a mãe deles deveriam incluir um belo sabão em pedra e alvejante nas bocas sujas e incluir num curso de boas maneiras.
    _______________________________

    cyberbullying. Não sabia que tinha essa esfera no assunto. Q paia. Sou um azarado, além de ser vítima de bullying na escola, semana passa sofri a prática de um termo que nem sabia. 😀

  • Tio Yelstin escreveu:

    A Solução

    “Colocar, obrigatoriamente, a descrição no idioma da App Store. Se a App Store for brasileira, colocar em português (do Brasil), se for da Espanha colocar em espanhol e assim por diante. Colocar a possibilidade de reembolso em até dois dias após a compra. E moderar comentários com palavrões — afinal, se a Apple proíbe aplicativos com palavrões, deveria proibir comentários com palavrões.”

    Claro, eu sou o desenvolvedor do aplicativo e vou escrever uma descrição em francês, porque eu sou obrigado a atender todos os mercados e agradar a todos. /sarcasm

    Also, canso de rir dos reviews do Need for Speed Joystick que, como o próprio nome diz, é só um joystick para ser usado no PC e as pessoas acham que é o jogo em sim e reclamam.

    • Onde se lê “em sim”, leia-se “em si”.

      P.S.: Sentimos sua falta, botão de edição.

    • danieldhdds

      @Lepper, o que será que é mais difícil, pessoas sem educação nenhuma aprendendo outro idioma? ou o desenvolvedor ir num ‘google translate’.

      ______________
      Não tem fluencia no meu ingles e ainda entendo um poko algumas palavras, mas odeio entrar numa loja do brasil e ficar me forçando pra entender as coisas que estão noutro idioma.

      • EU ainda acho que é mais fácil a pessoa não comprar se não sabe o que está comprando. Sem contar que o próprio comprador pode colar o texto no Google Translate, como você sugeriu que o desenvolvedor fizesse para todos os idiomas.

        Abs.

        • danieldhdds

          @Lepper, Sua linha de pensamento está totalmente correta, mas quem realmente quer vender devia ter o mínimo de zelo por aqueles que compram seus produtos.

          Um exemplo é a sacanagem que a msm Apple fez no seu último lançamento, um defeito de proporções irreais, o telefone celular é totalmente dependente do sinal pra funcionar, aí dps ela vem com a desculpa de que os outros smarts tb tem isso e pra piorar o Jobs não reconheceu a falha, simplesmente discartou o problema oferecendo capinhas pro iPhone. Nessa sua visão, o interessado é que devia tomar as devidas providencias pra que o phone funcionasse direito. Aí te pergunto, isso é justo? O cara gasta mó grana e dps tem que gastar mais pra ter akilo que comprou, ou conviver com um erro (que ele comprou) que não cometeu.

          • Amigo, um desenvolvedor americano está pouco se f*dendo pro consumidor brasileiro, ele só quer vender e pronto, não se importa se um cara a 6.000Km de distância não entende a descrição do seu produto. Simplesmente não somos o mercado dele.

            Agora você viaja na maionese e compara essa situação com outra completamente diferente. Quem comprou um iPhone queria um produto que funcionasse e SABIA (ou achava que sabia) o que estava comprando, mas este tem um grave problema. Nesse caso a culpa é do fabricante, que criou um produto com um defeito.

          • @Lepper, no caso, o que tentei falar no final foi: programas bons estão sendo negativados por pessoas com preguiça de entender qual o propósito real do programa, 80% dos casos pq a pessoa não entende o idioma e 20% pq não entende o propósito na primeira vez e na segunda vez já vai comentar dizendo que o programa é uma porcaria.

          • Sim, Yeltsin, eu compreendi, mas a culpa em nenhuma parte é do desenvolvedor, e sim do usuário, ao contrário do que o DaniellsDHLASBUBUIBQOEIFV disse.

          • danieldhdds

            @Lepper, Vc aí em cima que a culpa é nenhuma parte do desenvolvedor do programa, mas é um desleixo dele. Ele quer vender e se preocupa dessa forma, 1 talvez caia e compre o programa, mas esse 1 comenta uma porcaria qualquer e 10 não compram. Agora quem se ferrou foi o Desenvolvedor que não tem culpa na história.

            E tb é culpa da Apple, ela tem ô mó controle sobre o conteúdo dos apps, mas não tem controle nenhum sobre a imagem dela? É meio ilógico isso.

        • @Lepper, olhando do ponto de vista de alguns desenvolvedores, o consumidor que se foda. Olhando do ponto de vista de empreendendores, suporte a os idiomas mais utilizados do mundo, é o mínimo.

          • Mas não é fácil implementar isso.

          • @Lepper, principalmente para quem não tem recursos ainda. Mas, para quem já está ganhando (e os TOP10 pagos da App Store, estão ganhando mais do que eu, com certeza, possuem recursos para investir nos seus próprios aplicativos).

          • Não dá pra dizer o mesmo do criador do xkcd reader, por exemplo.

          • danieldhdds

            @Lepper, é mais fácil implementar isso do que não ter trolls e imbecis acabando com um produto bom.

          • @Yeltsin Lima, isso não é um desenvolvedor, é um code monkey. E isso não é um empreendedor, é um PHB (pointy-haired boss).

      • @danieldhdds, para quantos idiomas deveria ser feita a tradução? Dois, seis, vinte?

        • danieldhdds

          @Kosh, quantos idiomas o google translate tem?

          Eu acho que já tem base o suficiente.

          • Eu não colocaria uma tradução do Google Translate em um trabalho meu. Sinceramente.

          • danieldhdds

            @Lepper, Se vc quiser vender pra mais gente e se importando com elas, VC DEVERIA traduzir.

          • @danieljbdhbflhbhvehkjv, não com o Google Translate.

          • danieldhdds

            @Lepper, Fácil, indique o um belo tradutor instantaneo com uma variedade de idiomas.

          • thE Masterkey Blaster

            @danieljbdhbflhbhvehkjv, você está insinuando que ele deve usar um tradutor automático conhecido por suas falhas para traduzir algo para um idioma que ele não saiba e assim não pode revisar?
            .
            Você não vê o grande risco que ele corre por traduzir algo assim? Pode induzir o usuário ao erro por introduzir má interpretação e talvez, sem saber, diversos vocábulos chulos na apresentação do software. Isso pode causar uma má impressão muito pior.

          • danieldhdds

            @thE Masterkey Blaster, bem vc traduza o que quiser, no idioma que quiser, com o tradutor que quiser, (trolls) eu citei o google tradutor, só citei, não obriguei ngm a usá-lo, vc sabe o que é um exemplo? Isso foi um exemplo. Agora se vc ou Lepper querem bater a kbça na parede por diversão não é problema meu. Só acho que ficaria melhor pra um programa ‘Security PRO’ uma descrição com uma palavra só traduzida, ‘Diversão’, pronto meio mundo portugues sabe que não é um programa sério.

            Agora será que é tão difícil assim meu nome, Blastóide???

          • thE Masterkey Blaster

            @danieldhdds,
            gente boa,
            primeiro desculpe-me pelo nome, foi que eu copiei do Lepper, não foi totalmente intencional. ok?
            .
            segundo, eu sei sim o que é um exemplo.
            Quando eu usei o google translator EU usei um exemplo. Você foi quem não percebeu.
            .
            terceiro, Não dá pra traduzir NADA com confiança pra um idioma que você não conhece sem um tradutor humano, ainda.
            Sendo assim, o desenvolvedor teria que contratar um tradutor e sua idéia de traduzir com um sistema instantâneo e fácil não é válida.
            .
            Visto que a Apple Store não bloqueia a publicação de um app sem descrição no idioma do público alvo, o usuário não devia comprar se não sabe ler a descrição.
            Bom senso.

          • thE Masterkey Blaster

            @danieldhdds,
            a propósito: é um programa como você disse “SECURITY PRO” e não um “Segurança Pro”.
            E pokémon é o Pryderi. não digievolui para isso ainda 😛

      • @danieldhdds, temos 2 bilhões de Chineses no mundo, você acha que todas empresas que lançam apps ficam traduzindo o Inglês para eles?

      • @danieldhdds, O correto seria o desenvolvedor botar a descrição obrigatoriamente em inglês (idioma internacional, que todo mundo DEVE aprender) e depois se preocupar em colocar em sua língua mãe, ou em alguma outra língua que ache conveniente. Só inglês resolve na maioria dos casos. É obrigação SIM do usuário (e de qualquer pessoa que viva deste lado do planeta) saber inglês.

        O usuário manjar um tiquim de interpretação de texto também ajuda. Se ele não cumpre este requisito específico, pode escrever em 216571356416 idiomas diferentes que a anta não vai entender.

        • danieldhdds

          @Fabiane Lima, Vc está corretíssima, se a anta não tiver um pokito de senso não vai adiantar de nada uma infinidade de idiomas, mas, entretanto, todavia, porém, se a pessoa só lança num idioma ela começa a desleixar algumas coisas, deixa de perceber que do outro lado talvez a pessoa não aprendeu o idioma ingles pq simplesmente não entende o idioma, e se ele começa a rotular todos como capazes de aprender e não aprenderam pq são idiotas, ele (desenvolvedor) está sendo tão troll quanto esse exemplos do post.

          • @danieldhdds, mas, entretanto, todavia, porém, acho que você deveria rever seu comentário.

          • danieldhdds

            @Lepper, PQ??? Veja o último comentário ↓↓↓↓ (lá em baixo, não o meu)

          • @danieljblajeblfwbel, desisto.

          • danieldhdds

            @Lepper, desistir?? de que??? Explain your point. É, pq até agora não entendi de ‘que lado da mesa vc está’.

        • kharstagir

          @Fabiane Lima, O que? Eu tenho a obrigação de aprender inglês????????

  • keeg

    Fingerprint *SECURITY PRO* também não combina muito com “For entertainment purposes only”.

    • @keeg, não ajuda #fato. Mas, a leitura rápida da descrição…

  • Ingo

    Gostei da espirituosidade do carinha que comentou sobre o tradutor, com o comentário do “vai se foder”. Muito bom.

    Não ligo nem um pouco de ter palavrões. Afinal, quem não fala no dia a dia? O problema são os idiotas que compram sem ler mesmo. Compram aquele app de raio-x achando que é real.

    E acho que a inteligência de um ser desses não perde muito para aqueles que compraram aquele do rubi, que custava uns mil dólares, só para se acharem, e ainda devem ter deixado comentários do tipo: nossa, adorei.

    • danieldhdds

      @Ingo, eu não falo palavrões.

    • @Ingo, eu não falo em hipótese alguma e acho que quem fala confessa uma tremenda incapacidade de se expressar, além de falta de educação extrema.

  • O artigo parte de um pressuposto errado. Parece que a má-educação deriva de condição social. Não deriva, é generalizado. Trabalho com aborrecentes de classe mérdia/mérdia-alta/alta(ignorância) e são todos iguais, com a mesma grosseria, falta de educação e péssimo modo de se dirigir até entre o círculozinho do que eles chamam de “amizade”, quanto mais com desconhecidos. Larga maioria deles tem iPod, iPhone e o que eu chamo de iDroga (Ai, droga, desliga esta porcaria e presta atenção na aula!). Basta notar o modo miguxês nos comentários retratados. Normalmente, classe mérdia-baixa/baixa/subsolo prefere os mp359788721568.
    .
    “Colocar, obrigatoriamente, a descrição no idioma da App Store. Se a App Store for brasileira, colocar em português (do Brasil), se for da Espanha colocar em espanhol e assim por diante. ”
    .
    Não resolve. Brasileiro não lê manual de instrução nem das TVs, DVD plyers etc, quanto mais de aplicativos. Podem colocar a descrição em português, italiano, latim, proto-indu-europeu que não fará a menor diferença.
    .
    “Você pode até sair do Ensino Médio sabendo tudo de matemática, português, geografia, história. Mas, de ética e respeito, nada é garantido.”
    .
    Pior que nem isso saem sabendo, pois colégio não é feito pra ensinar e sim enfiar os alunos nas faculdades, nem que seja as Uniesquina.

    • Concordo. Eu, por outro lado, estudo com essa gente. Os de classe média brincam com seus MP6,02×10^23 e os de classe média alta brincam com seus iPhones. Entretanto, todos são mal-educados e não sabem escrever, se comportar entre outras faltas de porte em sociedade. Não duvidaria se algum dos meus colegas estivesse com um comentário presente nesses screenshots.

    • @Pryderi, não. Sei que a grosseria não muda de acordo com a classe social (em várias situações, ‘aborrecentes’ de classe média alta são menos educados do que os de classe média baixa). O seu comentário deu a entender que estou considerado pessoas de classe média e de classe baixa como ignorantes, o que não é verdade.

      O que disse foi “Muitos entram na Internet, com nenhuma educação…”. Apesar de citar o fato da Inclusão Social, isso já foi muito discutido em blogs e sites. O problema está no fato de jovens, e eu relevei (mas, não, restringi) aos jovens de classe média-baixa e baixa, por muitos não possuirem acesso à educação de qualidade (e não estou falando de escolas particulares).

      Eu não sou educador e nunca estudei em escola pública. Sempre estudei em escolar particulares e tive um ensino mediano. Conheço alunos de escolas públicas que também tiveram a mesma sorte de estudar em escolas que formam para a “vida” e não somente para vestibular. Mas, essa não é a realidade da maioria. E o governo (todos, não só o de Lula), promovem essa idéia de que a educação vai melhorar com a inclusão digital. E na verdade, deveria ser o contrário!

      Alguns artigos que podem ajudar a entender, o meu ponto de vista:

      1) http://www.paracatu.net/index.php?act=colunas&cid=113
      2) http://edimarramos.wordpress.com/2009/04/03/orkut-lan-house-inclusao-digital/
      3) http://www.rthealien.com/shadowcore/2008/11/12/o-verdadeiro-problema-da-inclusao-digital/

      O reflexo de comentários na App Store demonstram apenas a falta de educação no país. Independentemente no nível social mas, que está sendo elevado pela facilidade das classes C,D e E de se conectar na internet, devido ao fator: inclusão digital.

  • predador00

    incruzão degetar uins ;-;

  • Acho que a solução seria somente aceitar comentários no mesmo idioma da descrição. Se está em inglês, só aceita comentários em inglês.

    Assim evita os brasidiotas a comentarem.

    E concordo que se estivesse em português (pt-BR), mesmo assim 99,9% não iria ler.

    • @Shimatai, essa foi uma solução que eu não pensei. Thumbs UP 🙂

    • @Shimatai, devia ser filtrado por região. usuários brasileiros deveriam ser proibidos. Gamers sabem do que estou falando.

      • @Pryderi, eu já fui discriminado em games por ser brasileiro. Ter que se passar por gringo pra jogar é dose.

  • Yeltsin, o inglês é a língua franca atualmente. Acho que ao invés de obrigar uma loja a traduzir o material que ela vende, a página de venda de cada item deveria fazer como certas caixas de jogos vendidos por aqui e alertar: “o uso deste software requer proficiência em inglês”.

    • Exato. São mais de 225 mil aplicações que teriam suas descrições traduzidas para dezenas de idiomas e o público “médio” não leria, só os hard-users, que geralmente sabem ler textos em inglês.

    • danieldhdds

      @Renan the Geek, agora depois deste sábio comentário entre num carrefour da vida e veja se lá estão as coisas em PT-br ou em ingles e frances.

      Essa ‘desculpa’ de esfarrapado, posso estar até sendo grosseiro, mas se nem 99,99% das pessoas leem o material de apoio (descrição) não é desculpa pra que alguem meta o texto num ‘google tradutor’ da vida.

    • Ticão

      @Renan the Geek, vai ter que explicar o que é “proficiência”.

    • @Renan the Geek, Concordo contigo.

  • Magalz

    “Asseço”

    Sem mais.

  • marcoscs

    alguns pontos:
    1) poha, Boris (yeltsin), não precisa destilar seu preconceito social aqui. Não se trata de inclusão ou exclusão social (que voce espertamente chamou de inclusão ‘digital’), má educação não está restrita a círculos sociais, ela é generalista, permeia todos os círculos sociais. O peão que come sua marmita debaixo da construção sem lavar as mãos é tão mal educado quanto a patricinha que fala em voz alta no telefone sentada na poltrona ao lado da sua no avião. Não é a grana ou a falta dela que influencia a pessoa ser ou não educada, é questão de princípios e isso se ensina em casa, seja em um casebre ou uma mansão.

    2) Não adianta o idioma, podia ser em klingonês que ia dar na mesma, brasileiro não lê manuais, é cultural. Eu, como bom brasileiro, também não leio manuais. Se o cara comprou o aplicativo sem saber direito pra que ele serve, azar o dele, devia deixar de ser burro e se informar melhor, nem que seja via google, mas que essa prática é recorrente, é, e não vai ser a alteraçao do idioma que vai resolver isso.

    3) Voce se importa mesmo com o que os usuários escrevem nos reviews?

    • @marcoscs,

      1) eu comentei em outro comentário lá em cima.
      2) o comentário do danieldhdds reflete um pouco o meu pensamento: “Essa ‘desculpa’ de esfarrapado, posso estar até sendo grosseiro, mas se nem 99,99% das pessoas leem o material de apoio (descrição) não é desculpa pra que alguem meta o texto num ‘google tradutor’ da vida.”
      3) sim. por saber que bons aplicativos recebem 2 estrelinhas, pq os usuários não sabem ler reviews.

  • Rodrigo8

    calma gente isso é só o inicio .. com o tempo piora
    ja receberam aquele email q diz pq pobre nao pode ter camera digital ? kkkk

  • A praga de gafanhotos!

  • Até pelo próprio nível dos comentários é possível ver que as pessoas aí não tem a menor noção de NETiqueta. Exigir que as mesmas leiam qualquer coisa (em inglês, ainda por cima) é algo surreal, dada a capacidade das mesmas.
    É por esse tipo de pessoas que todos os brasileiros levam a fama (nem um pouco injusta) de praga digital.
    E infelizmente a educação online está fortemente ligada com a educação no mundo real. Ou seja, um troll online possivelmente é alguém muito mal-educado nas ruas.

  • Eu tenho um iPod touch e acho que a AppStore devia ter um sistema de teste. Você baixava o app e tinha meia hora desde a primeira execução pra escolher entre comprar ou excluir.
    .
    Sem dor de cabeça com os devs, sem dor de cabeça com os brasileiros que não gostam de ler =)

    • @vegbrasil, também concordo com isso. Por isso que muitos lançam produtos Free com limitações. 🙂

  • gabriel_

    Uma coisa que me dá bastante asco são alguns pseudo intelectuais do meio blogosférico (blogueiros e pessoas que comentam de blogs) que adoram associar qualquer bobagem na internet à inclusão digital e conseqüentemente à inclusão social. Há também a versão que acha que imbecis na internet só há Brasil. Pois vamos a dois exemplos práticos que demonstram como esses pensamentos não passam de grandes mitos preconceituosos:
    ——–
    ——–
    MITO 1: Da classe média baixa e pobre é que vêm as barbaridades da internet
    |
    Como comprovar na prática que é mito:
    |
    Basta procurar comunidades no orkut de artigos de luxo, como certos carros importados, celulares de 2000 reais ou boates de 200 a entrada. Tudo isso acessível apenas pra quem tem muita grana.
    Lá você vai encontrar erros gramaticais escandalosos, palavrões, grosserias gratuitas, preconceito de todos os tipos e tudo mais que muitos acham que só pessoas pobres têm a oferecer.
    ——–
    ——–
    MITO 2: Só brasileiros passam vergonha na internet
    |
    Como comprovar na prática que é mito:
    |
    Leia os comentários em inglês ou espanhol de qualquer vídeo popular no Youtube.
    Lá você vai encontrar erros gramaticais escandalosos, palavrões, grosserias gratuitas, preconceito de todos os tipos e tudo mais que muitos acham que só brasileiros têm a oferecer.

    • gopher

      @gabriel_,
      “certos carros importados, celulares de 2000 reais ou boates de 200 a entrada. ”
      Crediário está aí para os menos afortunados, tudo em 200 prestações a perder de vista, sem juros [pausa para risadas].

      “Só brasileiros passam vergonha na internet”
      Deve ser a porcentagem. Sério, o que estraga, como sempre, é uma meia dúzia, mas esses já são o suficiente para fazer a fama…

      • gabriel_

        “@gabriel_,
        “certos carros importados, celulares de 2000 reais ou boates de 200 a entrada. ”
        Crediário está aí para os menos afortunados, tudo em 200 prestações a perder de vista, sem juros [pausa para risadas].”

        @gopher, não sei se você irônico, mas esse tipo de argumentação é extremamente falaciosa.
        Como bem comentou nosso amigo Pryderi, quem tem menos grana prefere os xinglings, iPhone de 2000 reais é coisa de classe média alta. iPhones a prestação na mão de calsse média baixa são a exceção e não a regra.
        E carros e caminhonetes de 80 mil reais ou mais não exatamente algo que dê pra se pagar a prestação.
        O outro exemplo que eu dei também não se aplica à falácia do “eles compram a prestação”, já que você não vai em boates caras ninguém não possa dar 25,00 em uma dose de uísque, todo sábado.

    • Disse tudo sobre os comentários do Youtube. Canso de ver gente confundindo your/you’re, there/their/they’re e coisas do tipo, além de outros erros.

      • gabriel_

        @Yeltsin Lima, eu tinha lido antes de postar. Não era pra você o meu comentário. Mas já cansei de ver outros blogueiros daqui do Meiobit mostrando suas verves preconceituosas.
        Na verdade, o que me instigou a comentar isso nesse post especificamente foram os comentários do post, com muita gente repetindo esses mitos que eu citei.

    • @gabriel_ disse: “Basta procurar comunidades no orkut de artigos de luxo, como certos carros importados, celulares de 2000 reais ou boates de 200 a entrada. Tudo isso acessível apenas pra quem tem muita grana.”

      Não. Tem muito pobre espírito de porco que comenta nessas comunidades por pura inveja ou simplesmente para trollar.

      Não precisa ter dinheiro pra trollar numa comunidade de “artigos de luxo”. E aposto que a imensa maioria nessas comunidades só tem pose, mas não tem posse.

      • kharstagir

        @Shimatai, Ou seja, na sua visão, se o cara não tem educação é por que não tem posses mesmo e o cara que faz comentários grosseiros ou comete erros escabrosos nessas comunidades de produtos caros é só um pobre invejoso e trollador!!!!

        Claro, claro, nenhum preconceito, só constatação da realidade!!!!

        • @kharstagir, Não é preciso ter dinheiro para ter educação, mas conforme-se com a realidade. A maioria que trolla em comunidades de nicho é por pura inveja ou por ser espírito de porco mesmo (e isso independe de dinheiro… tem rico que trolla também).

  • gopher

    Não é traduzir os programas e sim proibir o acesso aos programas que não tenham a versão no idioma nativo. Resultado? No store br só teria os programa com flag, marcados como sendo em português. Quer ver os programas em inglês? Marque essa opção nas configurações, as salsas nunca passam sequer perto de lá mesmo.

    • @gopher, outra solução interessante. 🙂

    • danieldhdds

      @gopher, é uma solução interessante, MAS não daria certo, pq a store BR não teria nem 0,02% (não conheço a store, estou chutando) e seria mto mais caro pra apple manter uma store que não tem produtos do que disponibilizar um tradutor na hora que o desenvolvedor lançar o app.

  • Quanto mais leio notícias sobre a Apple e o Iphone, mais me apaixono pelo meu humilde W205…

    • danieldhdds

      @Bicows, [2], mas não tenho o W205, me paixono pelo meu velhoSmart N70. 😀

  • juliocesar757

    Cada vez que leio ‘Inclusão Digital’ é batata! Lá vem algum engraçadinho usar a expressão para dizer que só pessoas com certo nível social e econômico pode gozar de certas regalias da vida.

    A falta de educação está em todos os níveis sociais e é mais aguda, do sentido de agressiva, justamente nas classes mais alta.

    Um artigo desse poderia simplesmente falar da falta de educação que reina hoje por parte dos usuários e não da dita ‘Inclusão digital’ .

    • @juliocesar757, Infelizmente, o baixo nível social geralmente está relacionado com a baixa educação dos usuários. Negar isso é fechar os olhos para a realidade.
      E também é uma realidade que o brasileiro normalmente tende a ser um “vândalo digital”, o que colabora para uma pior imagem do nosso povo (não que seja completamente injusta).

      • gabriel_

        Mais um que acredita e alimenta esses dois mitos preconceituosos.

        • @gabriel_, Infelizmente Gabriel, não são mitos. O brasileiro SIM, tem pouca educação quando se trata de meios digitais. Apesar da generalização ser o maior dos pecados, é uma triste realidade. Tanto é que em determinados fóruns usuários brasileiros são proibidos (acho isso um completo absurdo).

          E note que eu não disse que alguém da classe alta não pode ser mal-educado e vice-versa. Apenas disse que GERALMENTE (muitos leem, poucos entendem) o baixo nível social é um dos fatores da péssima educação de alguns.

          Gostaria de coração que fossem mitos, mas não são. Não sei com qual nível tu estás acostumado, mas eu já trabalhei em uma lan-house por 2 anos e posso te garantir que não é um mito tudo que eu disse acima.

          • @coloradors, proibir a entrada de um país, eu também acho absurdo. Inclusive, lembro de um serviço de hospedagem gratuita, que os brasileiros eram proibidos de se cadastrar, pela quantidade imensa de abusos cometidos pelo site. Aí eles resolveram banir brasileiros…

            O que eu posso dizer é: alguém de classe média e alta, comete violência física e psicológica (seja cyberbullying ou agressão física) pelo simples sentimento de impunidade que existe no país (vai dizer que é mentira?). E alguém de classe média baixa ou classe baixa, comete violência física e psicológica pela falta de preparo na escola E principalmente, pelas condições de vida da pessoa e família.

            Se alguém acha que meu texto foi preconceituoso, eu peço desculpas pela forma em que escrevi. Mas, não foi a minha idéia. A inclusão digital está sim, associada, a falta de educação e preparo nas classes C,D,E. Mas, não é limitada e exclusiva as classes C,D,E.

          • @Yeltsin Lima, Obrigado por conseguir transcrever o que eu penso, de uma maneira mais clara.
            Infelizmente algumas pessoas não conseguem interpretar um texto e acabam simplesmente lhe taxando de preconceituoso ou coisa pior.
            E reforçando tua ideia, que fique claro, à qualquer pessoa que pense que se trata de um comentário elisita, os problemas de educação atingem qualquer classe e nacionalidade. É humano isso, infelizmente. A diferença é a forma que a sociedade lida com essas falhas de caráter.

      • @coloradors, acabou de perder a rara e magnificente oportunidade única e utópica de manter os dedos paralisados e não proferir tamanha besteira na propagação de um dos preconceitos mais imbecis de todos os tempos.

        Parabéns, são poucos que desperdiçam oportunidades tão raras. Mas nos forums da web isso é bem comum, em todos os idiomas.

        • @Kosh, Opiniões são opiniões. Se isso é o que tu achas, parabéns. Eu não concordo e ponto.

    • qiqgclub

      @juliocesar757,

      Concordo completamente.

  • David Kwast

    Basta usar um sistema de Karma (para banimento) ou um sistema de ocultação de comentários de usuários que tiveram N votos negativos. Como acontece aqui.

    • @David Kwast, Ia postar exatamente isso.

      Além da qualificação, poderiam existir marcações específicas como “conteúdo inapropriado”, seguido por um detalhamento simples (paradoxal, mas beleza): motivo? Linguagem ofensiva, review incompatível com o prometido pela descrição, app usado incorretamente e coisas do tipo.

      Esses reviews deveriam, após uma moderação (aí sim, já que o filtro limita bem a quantidade deles), ter sua qualificação (número de estrelinhas) desconsiderada da contagem.

      Agora… cá entre nós: é realmente bastante desanimador saber que existem salsas como todas essas desqualificando programas que cumprem o que prometem (seja bom ou ruim, mas cumprem). Mas quem não é salsa e está realmente interessado para para (maldita reforma gramatical) ler a descrição e um ou outro review.

      • @Gui Del Frate, eu pensei nessa idéia de review. Mas, eu também pensei no desenvolvedor marcar como inapropriado os reviews negativos 🙂

        • @Yeltsin Lima, pra falar a verdade de repente é até melhor que APENAS os desenvolvedores façam tal marcação. Existem fanboys pra tudo, até para apps. De repente é melhor ter UM defendendo o seu do que 300 perturbando o sono da Apple com negativos inválidos.

          A idéia é haver uma moderação para os reviews marcados, e não disponibilizar essa marcação imediatamente. Se um review é marcado como inapropriado, é filtrado e colocado numa lista para moderação da Apple. A partir daí é fácil ver se a marcação tem fundamento ou não. Em pouco tempo os desenvolvedores espertalhões (se realmente houver essa cara de pau) aprendem.

        • thE Masterkey Blaster

          @Yeltsin Lima, pode acontecer do bando de trolls positivar todos os reviews negativados… acho que não daria certo sempre…

  • Vou atacar por outro lado e defender um pouco os reclamões. Não sei não mas, colocar aplicativo dizendo que “serve apenas para entretenimento”, “considere como uma pegadinha” e cobrar um dólar por isso me parece truque pra pegar otário. Coloco um aplicativo inútil, cobro o mínimo por isso, quem comprar, comprou. Pagou pouco, o prejuízo não foi grande, em compensação eu vou enchendo meu bolso aos poucos. Ok, não sei se a grana vai pra Apple ou pro desenvolvedor mas dá na mesma, tem alguém embolsando uma grana.

    Por exemplo, não seria mais honesto dizer que o aplicativo serve para localizar seu aparelho em qualquer lugar do que dizer que ele serve para localizar qualquer aparelho? Essa desculpa de que é pra brincar com seu amigo pra mim é fajuta.

    http://macworldbrasil.uol.com.br/noticias/2010/04/06/loja-de-aplicativos-da-apple-desrespeita-a-lei-brasileira-diz-especialista/

    http://macworldbrasil.uol.com.br/noticias/2010/03/18/falso-localizador-engana-brasileiros-e-e-o-programa-mais-baixado-para-iphone/

  • Isso de traduzir a descrição para cada idioma não existe, como já citei, temos 2 bilhões de Chineses, nem por isso as empresas ficam traduzindo tudo par eles.

  • kakaroto_BR

    Síndrome de vira-lata brasileiro? Isso existe em qualquer país civilizado.

  • Lucas

    Confesso que ri muito com o review em que o cara reclamou pq o telefone o mandou se f… hauhuahauhuhauh!

    • danieldhdds

      @Lucas, [2]

    • @Lucas, Essa deveria ir para o S&C.

      “Um absurdo, coloquei para traduzir “vai se f%@&” e coloquei para ele falar. Me mandou me f%@&!”

      ushsuhuashuahssahasusauhas

      • danieldhdds

        @Hawpino, Isso mostra que além do app ser totalmente funcional ele tambem dispõe de um inteligencia artificial, que detecta idiotas instaneamente.

  • Paz e Bem, Comunidade.

    Legal o Post do Lima. Rendeu bastante discussão. E parece que ainda não terminou.

    Depois de ‘passar os olhos’ pelos Comentários digo que a aceitação do Inglês ou Espanhol ou outra como segunda lingua não deve enfraquecer ‘os esforços de “produção e publicação de Conhecimento no velho e bom Português do Brasil. Afinal, a Comunidade Lusófona ( povos que falam o Português ) são em número expressivo. E o Brasil é uma Sociedade Republicana com grande ascendência no Cenário Mundial.

    Também é relevante saber que “qualquer produto” comercializado no Brasil obrigatóriamente tem que ter instruções escritas em letras legíveis no ‘vernáculo’ (língua/idioma) Nacional.O que impõe à lojas virtuais o cumprimento das regras escritas para o comércio de produtos ‘estrangeiros’.

    ( … )

    A linguagem escrita que serve de substrato às relações nas comunidades virtuais tem tanto de ‘erros de ortogtafia, gramática, concordância como tem de “inovação do código línguistico’ que, convenhamos, tende a ser mito mais fonético (semelhante à fala) que aquele usado na escrita em papel. Vejo isso mais como ‘evolução’ que como ‘involução’ (sic).

    A violência, mesmo que verbal, apresentanda nas Redes de Relacionamentos virtuais é condenada e não prevalesce sobre a etiquetra e ‘diplomacia’ nas conversações. Temos meios e motivos não não alimentar os Trols.

    ( … )

    A Aldeia Global não deve ser a homogeinização das Culturas. Línguas devem ser preservadas pois são veículos da diversidade do pensamento humano. Não se pensa em inglês da mesma forma como se pensa em português. Por melhor que seja a tradução sempre se perde detalhes e circunstâncias do “pensamento”>

    desculpe

    continuarei>>>

    • @fernandgoncalves, continuando….

      No Brasil, assim como na Comunidade Lusófona, é forte o movimento em Defesa da Língua Portuguesa. E, a produção científica e tecnológica da Comunidade de Língua Portuguesa precisa ser divulgada e publicada no vernáculo se queremos tornar presente nossa identidade cultural no cenário mundial, inclsive na INTERNET.

      ( … )

      É verdade que ‘ninguém’ gosta de ler manuais técnicos. E tem bons motivos para isso. Letras miudas, textos obscuros e, escrito em idioma estrangeiro. Com certeza quanto esses manuais forem corretamente apresentados aos seus destinátarios haverá maior probabilidade de que os leiam.

      De resto, gente, a Tecnologia é meio de “incluir pessoas” no grupo que usufrui dos bens materiais e imateriais que a Ciência ‘criou/desenvolveu e o Mercado produziu e popularizou. Bens como Alimentos, Vestuário, Moradia; Diversão, Artes, Conhecimento do Universo…

      Até.

      • Romano444, que bom te ver por aqui.

        Ah, só uma dica: pare de escrever substantivos comuns com iniciais maiúsculas.

      • danieldhdds

        @fernandgoncalves, 100% apoiado

  • Vou recomeçar a discussão aqui, caro Danielspiodsnpcdbwpubvpuwb:

    1 – O problema não é com o Google Translate, e sim com qualquer tradutor instantâneo;
    2 – É inviável pro desenvolvedor (não aqueles do top 10, mas outros, que recebem menos) traduzir de maneira decente para todos os idiomas a descrição do seu produto. Sem contar que uma tradução do Google Translate pode acabar com a apresentação do produto, fazendo o consumidor rir;
    3 – Ex.: para 10 idiotas brasileiros que compraram o programa e não entenderam como ele funciona, 150 usuários americanos, por exemplo, compraram o programa e entenderam para que ele funcionava. O desenvolvedor ganhou dinheiro em todas essas compras, tem 150 reviews positivos numa AppStore muito mais “movimentada” e 10 negativos na brasileira. Assim, ele venderá ainda mais na AppStore americana e ainda conseguirá vender para os brasileiros desavisados que não leram os reviews.

    Deu pra entender?

    • danieldhdds

      @Lepper, Ok, Se é bom pra vc (desenvolvedor ou quem coloca seu produto pra venda) pensar num mercado pequeno e não quer se aventurar pra ganhar mais com um mercado diferente.

      O windows, Mac, Linux, CocaCola, Pepsi, todos esses se aventuraram por outros mercados e estão onde estão, não são restritos por seus pensamentos pequenos, ou vc acha que a primeira garrafa de CocaCola rendeu milhoes pros donos, ou o primeiro windows rendeu tanta grana que foi automático a tradução. Pq o google está crescendo exponencialmente? Pq chutou o balde do pensamento pequeno e inventou e reinventou um monte de coisas e começou a traduzir seus apps pra conseguir mais gente (consumidores) ao redor do globo. Será que os donos do google começaram com uma conta bancária de bilhoes (como eles tem hj) pra fazer o que eles fazem???

      Bem, o produto é seu (dos desenvolvedores em geral), vc escolhe se quer ter um trabalho maior na tradução e vender mto ou achar que já trabalhou demais e vender pra um mercado restrito e, consequentemente, ganhar menos do que poderia.

      • arnoanderson

        Caro @daniel3dhs, reveja os screenshots dos comentários feitos pelos brasileiros sobre as aplicações. Não existe um único comentário depreciativo escrito de forma correta, se eles não sabem nem a língua nativa, pra quê traduzir?
        E outra: se o cara não sabe o mínimo de inglês porque diabos ele vai comprar uma App nessa língua? Como o @Lepper falou não somos os clientes-alvo deles, então se você quer aproveitar o que tem de melhor lá o básico do básico da língua inglesa você tem que saber. Não adianta chorar ou se debater, inglês é a língua dos negócios.

        • danieldhdds

          @arnoanderson, então, (desculpe o palavreado) pra M&rd@s alguem compra um produto tecnológico? Pq o iPhone é dependente de uma store? Ele teria que vir completo, ou então, uns 50% dos brasileiros não podiam comprar.

          Se a lingua inglesa é pra negócios nosso queridíssimo Lula, nas suas viagens, deveria falar ingles como um gringo qualquer.

          Esse negócio que o ingles é uma lingua pra negócios é só padrão. E como já comentei (aki) antes nem todo mundo tem a oportunidade/capacidade pra aprender a lingua inglesa. E nem todo mundo tem o foco na tecnologia, como nós geeks, pra eles o iPhone é um super celular e não reconhecem que é um sistema falho, como o problema discutido nesse post.

    • danieldhdds

      @Lepper, em resumo, Eu entendi

  • maresias00

    O tivizen está disponivel em portugues, e segue a lingua definida como padrao pelo usuário.

    esta’ descrito que é necessário o dispositivo.

    • E você acha que aquele pessoal se deu ao menos o trabalho de LER a descrição? Só viram “TV” e “iPhone”e já baixaram.

      • danieldhdds

        @Lepper, quando vc assisti um filme, vc lê toda a sinopse e ‘adendos’ do filme?? Ou lê o título, acha que vai ser um filme bombastico, e assisti?

        • @danieldhdds, se eu não sei do que o filme trata não me dou ao trabalho de ver o filme, assim como não me dou ao trabalho de ler um livro sem saber do que se trata. E olha que as vezes noto que estou sendo guloso ou compulsivo – consumindo mais do que consigo digerir.

          Não consigo nem conceber como esse pessoal ae da sua descrição consegue. Deve ser repugnante.

        • thE Masterkey Blaster

          @danieldhdds, você COMPRA algo sem saber o que é? Só pelo nome?

  • Dei um facepalm tão grande que meu tá nariz sangrando.

    Leiam isso como o sangue da indignação.

  • O que mais me surpreende é que o usuário desse nível se dá ao trabalho e avaliar o produto.

    Yep, e o ipod touch (do modelo mais fuleiro, no less) pago em prestações (ok são duas mas tudo bem). Só não estou satisfeito com a porcaria do itunes

    • @ovtbqr, Ninguém gosta do iTunes…
      .
      Ta sumido hein..

      • @Moisés Robles, não só estou sumido como estou com sono suficiente pra ser incapaz de escrever algo coerente como o texto abaixo deve mostrar, boa noite.

  • O que mais me surpreende é que o usuário desse nível se dá ao trabalho e avaliar o produto.

    Yep, e o ipod touch (do modelo mais fuleiro, no less) pago em prestações (ok são duas mas tudo bem). Já que nem tem 3g aqui ele roda melhor que um iphone pq a bateria dura mais. Só não estou satisfeito com a porcaria do itunes que trava a cada 10 minutos E que eu tive de caçar um itunes gift card pra pegar apps que só estão disponíveis nos usas.

    E inclusão digital é o menor dos problemas. O serviço de baixa qualidade das operadoras, os preços abusivos, a ausência de jogos (sendo que uma grande parte das apps mais vendidas da store brasileira são jogos disfarçados de outra coisa), e a minha preguiça em escrever mais sobre isso neste mesmo parágrafo enquanto desperdiço letras para referênciá-lo
    break;

    “por estar entre os TOPS comprei sem ler a descrição” só não é mais triste do que “por estar entre os TOPS não li para escrever a descrição”

  • Estava com saudades do mb. Uma das coisas que mais gosto é que os comentários tem tanto ou mais conteúdo do que as próprias postagens.
    Sobre o post , não gostei muito da conclusão.
    Nem da polêmica parte em que fala da tal inclusão digital, inclusão social etc.
    Mas os comentários acima já expressam o que penso.. o problema não é apenas social.. é cultural.
    Essa mania que as pessoas tem de não ler e pior ainda.. de escrever absurdos sem nem dominar um mínimo de gramática não é exclusividade das classes mais baixas.
    Já repeti muito do que foi dito e por isso não vou me estender ainda mais.

    • thE Masterkey Blaster

      @kellbonassoli,
      Perfeito Kell! 🙂
      e bem vinda de volta!

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis