Fotografia Profissional — e quando o cliente não gosta das fotos?

Estou no mundo da fotografia profissional desde 2005 e já tive diferentes interações com clientes e diversas experiências (a maioria positiva, mas algumas traumáticas). Sei que as vezes todos temos problemas na execução de um serviço, mas estou cada vez mais vendo uma situação se repetindo nos grupos de fotógrafos nas redes sociais. O fotógrafo fecha o contrato e depois de entregar o serviço o cliente reclama que ficou ruim e que ele não gostou. Acho que todos nós podemos passar por isso e existem algumas situações específicas onde este fato pode acontecer.

Não podemos negar que estamos passando por um período onde a quantidade de profissionais de fotografia disponíveis no mercado é muito grande. Alguns são atraídos pela aparente “facilidade” da fotografia profissional. Outros realmente amam a fotografia e gostariam de transformar algo que lhes é gratificante em uma atividade remunerada. Porém, seja qual for sua motivação, duas coisas não mudam: 1) você, ao entrar no barco, se transforma em um empresário e precisa trabalhar com custos, investimentos, gerenciamento financeiro, controle de qualidade do produto e tudo o mais que acarreta a área administrativa de uma empresa; 2) estudo e qualificação serão constantes e eternos em sua vida. Trabalhar com criatividade não é fácil e se parar de regar esse jardim ele acaba morrendo.

Porém, o que pode levar um cliente a reprovar o seu serviço? Vejamos algumas possibilidades:

1 – o trabalho realmente ficou ruim – cliente contratou o fotógrafo apenas pelo preço e não viu o seu portfólio. Na hora que recebeu as imagens o cliente percebeu a bomba que estava comprando. Ninguém nasce sabendo. Fotógrafos iniciantes precisam trabalhar e treinar para acertar a sua fotografia (podia ser pior, já pensaram como é ser um tatuador iniciante?). Porém é sempre bom ser honesto com o produto que será entregue. Já dizia um velho ditado “nunca venda algo que você não compraria”. Somado a isso temos a velha arrogância dos fotógrafos (que também atinge aos iniciantes) de que eles sabem tudo. Aceite que você não sabe nada e continue estudando (mesmo depois de vários anos).

2 – o cliente te contratou e não viu o seu portfólio antes – ter um portfólio é a obrigação de todo fotógrafo. O cliente tem o direito de ver aquilo o que está comprando. Muitos fecham contrato e não analisam o estilo do fotógrafo e nem a maneira como ele entrega as fotos. No final o cliente acaba não gostando do estilo das imagens e não da qualidade. Pode parecer estranho, mas isso acontece muito. Sempre mostre suas fotos, mesmo que o cliente não exija. Assim você pode evitar esse tipo de mal entendido.

3 – O cliente ganhou as fotos de presente – já caí nessa armadilha algumas vezes e não entro mais nessas histórias. Padrinhos ou parentes contratam o serviço de fotografia para oferecer de presente, mas a pessoa que você vai fotografar nunca viu o seu trabalho. No fim, por ser algo “imposto”, a pessoa acaba não gostando das imagens. Para os fotógrafos eu indico nunca aceitar esse tipo de trabalho. Para os clientes eu indico aceitar o presente desde que exista a possibilidade da escolha do fotógrafo ser sua.

4 – O fotógrafo esqueceu de fotografar algo importante – sim, em um evento (seja ele casamento, aniversário, ou chá de bebê) possui infinitos detalhes que foram planejados com todo o carinho por seu cliente. Esquecer de registrar um desses detalhes, por menor que seja, pode ser motivo para você receber uma avaliação negativa e gerar infinitas cobranças. Então esteja atento e faça um check list antes do evento com seus clientes para determinar tudo o que é importante para eles.

5 – Clientes tentam renegociar o preço depois do evento – pode parecer loucura, mas isso acontece, principalmente com fotógrafos iniciantes. Alguns clientes tentam renegociar o preço do evento (principalmente se você não recebeu tudo antes) dizendo que não gostaram do resultado final. Porém, se você cumpriu seu papel, estudou, mostrou portfólio e o cliente achou que estava bom, então tem que manter firme sua posição. Diga que as fotos estão absolutamente do mesmo nível do portfólio apresentado antes do evento e mostre que tudo foi feito certo de sua parte.

Sempre começo meus cursos dizendo que fotografia não é fácil. É um aprendizado (divertido) para a vida inteira. Se vai se tornar profissional então some a isso educação financeira e empresarial. Lidar com pessoas não é fácil, ainda mais em situações onde o emocional é um fator. Mas, o caminho existe para ser trilhado e ainda existe lugar ao sol para muita gente,

Relacionados: , , , ,

Autor: Gilson Lorenti

Geógrafo de formação e fotógrafo de coração, comecei a fotografar com 18 anos de idade (antes disso nunca tinha pegado uma câmera na mão). Depois de muito estudo veio a carreira profissional que passou por várias modalidades da fotografia até realmente descobrir o que gosto de fazer. Hoje me dedico ao ensino de fotografia, fotografia Fine Art e Books Fotográficos (gestante, moda, sensual). Tomando emprestado as famosas palavras de Ansel Adams "Quando as fotografias não forem mais suficientes, me contentarei com o silêncio".

Compartilhar
  • Christian Oliveira

    Alguns eventos que fotografei “for fun”, claro a pedido, houve comparação com o fotografo pago, o que muito se comenta é que geralmente faço o click inesperado, quase um “bastidores”, mas que geralmente os donos do evento acabam gostando muito, como a maioria dos fotógrafos que cobram pouco sempre estão sozinhos, fica difícil fazer a linha principal com as fotos do roteiro e uma linha mais solta com fotos sem compromisso onde geralmente se consegue aproveitar melhor a composição/luz/expressões.
    Não faço mais isso nem com pedidos, percebi que isso poderia acabar causando algum transtorno, e, para os mais próximos peço para entender melhor o que está sendo oferecido e pedido ao fotógrafo, geralmente se quer a foto “padrão”, mas legal mesmo é dar liberdade ao fotógrafo.

    • Gilson Lorenti Fotografia

      Alguns anos atrás o pessoal vendia a cobertura de eventos baseada no fotojornalismo. Ou seja, mais importância por pegar os momentos da maneira como eles acontecem. Muito poucos ainda batem nessa linha de vendas, pois os clientes ainda pedem as fotos tradicionais posadas. Eu sempre trabalho com mais dois fotógrafos e a minha ordem é que ninguém deve estar no mesmo lugar que eu e fazendo as mesmas fotos que eu. Assim garanto uma cobertura bem completa.

    • Zalla

      Eu pelo contrario adoro fazer esse tipo de pedido, fazer uma cobertura estilo jornalística dos bastidores e também de momentos chaves vc fotografar algo diferente do foco é legal (ninguém fotografa aquela tia chorando, só os pais, noivos, etc).
      Normalmente converso antes com o fotógrafo contratado, explico o que irei fazer, e que não irei concorrer com as fotos dele, nunca tive problemas

  • Pingback: Fotografia Profissional — e quando o cliente não gosta das fotos? | Notícias Legais()

  • Colega de trabalho aqui da produtora tem uma empresa de captação de eventos (casamentos, save-the-date, formaturas), e SEMPRE tentam renegociar antes dos eventos… aposto que o patrão de quem contrata não fica com o dinheiro na mão perguntando “se faz por menos”.

  • Gedson Junior

    Isso mostra pq é tão importante redigir o contratinho kkkkkkkk

  • Pingback: Fotografia Profissional – E quando o cliente não gosta das fotos? | Notícias Legais()

  • Carlos Alexandre Veríssimo

    Tudo bem galera? Estou com uma Câmera Fotográfica – Yashica. Encontrei ela guardada em uma caixa de um tio meu, que ganhou de um amigo e nunca usou. Ele me deu e estou pensando em vender, gostaria de saber se tem algum grupo no facebook, whatsapp ou em algum outro lugar que eu possa postar as fotos para interessados. Obrigado desde já!

  • Naftal Boaventura

    Boa tarde a todos jovens e adultos

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis