Sonho de Anti-Ícaro

titan

Hoje não é o meu dia.

Ok, isso é meio óbvio, se você levar em conta que estou caindo em direção a Titã, minha fiel cápsula se desfazendo em plasma, enfrentando uma atmosfera 1,4 vez mais densa que a da Terra. Retrofoguetes? Já eram. Suporte de vida? Zero. O minúsculo reator nuclear que alimenta a Dorothy (não pergunte)? Está perfeito exceto por um buraco no meio feito por um dos meteoritos.

Era para ser um dia comum, talvez no século XXII trabalhar em Titã fosse manchete, mas em 2234 é rotina. Meu trabalho é dar manutenção na rede de satélites de comunicação que mantém a Terra em contato com a Lua mais inflamável do sistema solar.

É sério, literalmente chove gasolina por aqui. Ok, na verdade pouco, chove mais acetileno e metano. Nossa base fica às margens de um lago de metano. Titã é um paraíso e um pesadelo para árabes e seus poços de petróleo e hippies e seus biodigestores.

Mas eu divago. Se esse fosse meu último registro eu pensaria em algo mais nobre, mas agora sei que não vou morrer. Alguns minutos atrás, tinha certeza. Não houve qualquer aviso quando uma revoada de fragmentos de alguma colisão ancestral de asteróides estilhaçaram o satélite. Uma hora ele estava ali, debaixo da minha aparafusadeira, no instante seguinte, nada, só uma nuvem de fragmentos.

Por sorte minha conexão era somente à minha cápsula, coisa que percebi quando senti um puxão no cabo de segurança. Dorothy girava sem controle, o que não era possível. As redundâncias das redundâncias tinham redundâncias.

Chegando perto me lembrei de um velho filme enquanto usava os jatos de manobra do traje para igualar a rotação e segurar na escotilha. Titã girava e eu comecei a ficar com visão de túnel. Agradeci mentalmente aos professores que me fizeram ver os documentários sobre Neil Armstrong e como ele passou pelo exato mesmo problema com a Agena.

titan1

O sistema de navegação estava fora do ar, a energia só nas baterias, alarmes ressoavam no meu capacete e por um momento achei que estava sendo alvejado por aliens: feixes de luz muito intensa preenchiam o interior da cabine. Era o Sol distante entrando por buracos no casco. Buracos em uma nave espacial. Não é preciso ter diploma em engenharia espacial para saber que isso não é bom, e eu tenho. Vários.

Acionei o sistema de navegação manual, algo controverso e não usado em mais de cem anos, mas que os projetistas se recusam a remover das naves. Benditos projetistas. Usei o manche para ativar os jatos de metano pressurizado com hélio e reverti a rotação da nave. Próximo passo, danos.

Depois de alguns minutos mudei minha estratégia e passei a lista somente os sistemas em funcionamento. Não havia muita coisa. Comunicações, só o rádio do traje, de curto alcance. Navegação, como eu disse, já era. Retropropulsores, foram pro espaço, literalmente. Dois dos quatro motores laterais não estavam mais lá. Jatos de manobra ainda funcionavam. E havia o problema da radiação.

A região em volta de Saturno não é muito hospitaleira, a radiação é imensamente maior que a que temos na superfície da Terra, por isso nossas naves são bem protegidas. O problema é que meu fiel reator nuclear, que nunca deu defeito agora estava, como eu disse, com um buraco no meio. Eu tinha menos de 10 minutos para resolver isso, ou morreria de envenenamento por radiação em um ambiente protegido da terceira maior fonte de radiação do Sistema Solar. E não, SilverTape não resolve. É uma das poucas coisas além das capacidades desse objeto mágico.

huygens_s_descent_to_titan_s_surface_fullwidth

Eu tinha que voltar e rápido. Precisava de idéias. A primeira e mais desagradável foi admitir que meus colegas em Titã são muito mais inteligentes do que eu (ao menos coletivamente, mas eu jamais admitiria isso para eles) e poderiam pensar em algo. Eles tinham toda a telemetria até a falha das comunicações.

Puxando alguns cabos conectei o rádio do traje na antena principal, apontei para onde deveria estar o satélite geo, digo titanestacionário mais próximo e sintonizei. Não deu 100% certo, minha velocidade gerava um efeito Doppler considerável, o mesmo problema que quase fez com que fracassasse o pouso da Huygens em 2005. Ou 2050? Nunca lembro.

Consegui captar frases soltas no meio da estática. Eles tentavam me alertar dos problemas que eu já sabia. Vamos lá, caras, eu quero sugestões.

bzzzz**** radiação ****BZZZzzzttt**** reentrada periapse iminen*** bzzzzz velocidade terminal

BINGO!

Titã é um lugar único com características únicas como você encher o tanque do carro com metano que cai do céu e ter que pagar pelo oxigênio (mentira, todos os carros são elétricos, somente um dos engenheiros construiu por conta própria uma moto off-road com motor de combustão. Lisa, aquela louca).

Uma das características únicas é que Titã é grande mas é fofo. Sua massa é de 1,8 vez a da Lua, mas como sua densidade é pequena, a gravidade superficial é só de 0,8 da Lua da Terra. Mas esse não é o ponto.

O ponto é que Titã tem atmosfera, muita atmosfera. Quase tudo nitrogênio, algum metano, hidrogênio pra dar liga e algumas impurezas. E essa atmosfera é densa, 1,45× mais densa que a da Terra. E isso vai salvar minha vida.

Usei meu computador de pulso para calcular a manobra de desaceleração com os propulsores de manobra. Não é preciso muito, Titã tem uma velocidade de escape de 2,6 km/s, na Terra são 11, minha órbita era bem mais lenta que isso. Sequer esgotei os tanques para começar a cair de vez em direção ao solo.

Neste momento feixes de plasma e pedaços do escudo térmico passam pelas escotilhas, já diminuindo, bem mais rápido que na mesma manobra na Terra. Em pouco tempo acionarei os ferrolhos explosivos (obrigado, Apollo I, descansem em paz) e me lançarei aos céus alaranjados, esperando que minha obra-prima de última hora funcione.

Eu explico o motivo desse aparente suicídio: se eu ficar tempo demais dentro da cápsula nem os excelentes médicos da base conseguirão evitar que até os cânceres que desenvolverei nos próximos minutos peguem câncer. A matemática não fecha, eu preciso sair antes. E não tenho paraquedas: os engenheiros conceberam que paraquedas em cápsulas são redundância DEMAIS.

O segredo aqui se chama Velocidade Terminal. Um sujeito chamado Galileu demonstrou dramaticamente que objetos caem com a mesma velocidade independente de sua massa, o que é lindo mas é falso. Isso só acontece na ausência de atmosfera, do contrário a aceleração constante da gravidade é contrabalançada com o aumento de forças aerodinâmicas. Por isso uma folha solta do alto de um prédio não cai na mesma velocidade que um leitão, mas não faça esse experimento, é crueldade e você não tem idéia de quanto nós pagaríamos por uma fatia de bacon em Titã.

Velocidade Terminal de um objeto é calculada como a raiz quadrada de duas vezes a massa multiplicada pela aceleração gravitacional, dividido pela densidade do fluido, multiplicada pela área do objeto e o coeficiente de arrasto e… — coisas diferentes caem em velocidades diferentes quando não estão no vácuo, entendeu?

Na Terra a menos que você seja uma bomba aerodinâmica, dificilmente chegará ao chão a mais de 280 km/h. Não é um grande consolo, muito maior é a mancha vermelha que deixará na paisagem. Mas Titã é diferente.

Temos menos gravidade e mais atmosfera. Estou caindo em uma tigela de melaço. Conferindo pela centésima vez as contas do computador, minha velocidade terminal será de 6,8 m/s ou 24 km/h.

Paraquedistas mimados acham 4,6 m/s muito rápido, mas paraquedistas de combate com equipamento completo chegam a pousar a 8 m/s. 6,8 vai doer mas eu aguento. Isso, claro, é a pior das hipóteses.

Dorothy treme ao meu redor, os alarmes silenciados, só o vento me lembrando que estou caindo. À minha volta um monte de retalhos do isolamento térmico da cabine, metros e metros de Mylar Wylar, Mixlar ou outro daqueles tecidos sintéticos que leigos acham que é ouro mas custa muito mais caro. Passei os últimos minutos cortando esses pedaços e os prendendo a meu traje. Para isso a mágica SilverTape serve.

Valeu, garota. Obrigado me despeço de Dorothy enquanto ejeto a escotilha e me lanço no vazio. Estou a uns 3.000 metros de altitude. Estendo meus braços e pernas, e meu wingsuit improvisado funciona perfeitamente. Dorothy cai como uma pedra, se afastando de mim e levando para longe seu mortal coração radiativo partido. Hell hath no Fury, já dizia Shakespeare.

Minha reserva de oxigênio é ampla, baterias carregadas (obrigado de novo, Dorothy) e o rádio do traje começa a pegar sinais de telemetria. Estou a um quarto de planeta de distância da Base, mas meus colegas nunca estiveram longe. Uma luz no poente chama minha atenção. É um de nossos helicópteros, com suas pás ridiculamente curtas e estrutura ridiculamente frágil, ambos perfeitamente adequados para Titã. Quando será que a estética irá se sobrepor à funcionalidade?

Eu estou caindo com estilo, mais lentamente que em todos os poucos saltos que fiz na Terra, minha maior dúvida é se mirarei em terra ou na água, digo, metano. Decido que em terra é mais calmo para o sistema de suporte de vida do traje. Sorrio ao perceber que um natural e instintivo movimento de corpo me direcionou para a praia. Talvez hoje não seja um dia tão ruim assim.

“Cápsula 4, aqui é Resgate 1, estamos a 4 minutos de sua posição, temos você em nossas câmeras, qual seu status, câmbio?”

Reconheci imediatamente a voz de Lisa, minha amiga e adversária amigável em quase tudo. Estiquei um dos braços, coloquei o outro para trás, meu corpo girou 360 graus, quase tão lentamente quanto os 15 km/h que eu estava caindo.

“Todos os sistemas nominais, vou pousar na praia imediatamente ao norte, próximo ao grande bloco de gelo. E pode me chamar de Supergirl!”

“Valentina, você é insuportável!”

NOTA: todas as informações técnicas são reais, inclusive a velocidade terminal de Titã. Se você sobreviver à reentrada, atingirá o chão a 24 km/h. SEM PARAQUEDAS.

Relacionados: , , , , , ,

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz, Calcinhas no Espaço e Do Tempo Em Que A Pipa do Vovô Subia.

Compartilhar
  • Marks William

    Adorei!
    Quando terá outro?
    Vai ter livro?

    • 1 — valeu
      2 — sempre que o Nick não estiver olhando;
      3 — depende do feedback.

      • FernandoVCaboi

        Um livro com uma história mais longa, ao invés de vários contos, seria muito legal!

        • Se ele fizer um livro, vai virar milionário e vai deixar de escrever em blogs, para desespero de comentaristas lixos.

      • ²He

        FAÇA O LIVRO!
        [Feedback]

      • Fabrício Cabral

        FAÇA O LIVRO! [2]

      • gfg

        FAÇA O LIVRO![3]

      • Paulo Teixeira

        Sendo assim… Ficou legal, mas voce precisa refinar como transmitir a informação ao leitor. A forma como a personagem reage ou narra a situação não ficou natural.
        Ademais, o fato de voce ter mudado o genero de personagem não o torna feminino. Ele reage e pensa como um homem.

        • Homero

          Curioso para saber como “reagiria e pensaria” uma mulher. Para mim, ficou claro que quem está narrando “reage e pensa” como um ENGENHEIRO.

          • Julio da Gaita ✔

            pô @homerocda:disqus agora deixou o amigo de cima se sentindo maxista…rs, mas concordo com você, mas entendo que é uma reação natural, dada ao BR em que vivemos…

          • Paulo Teixeira

            Cada um cada um acha o que quiser. Mas assim sendo cito um trecho onde a teimosia/orgulho parecem tipicamente masculinos: “Precisava de idéias. A primeira e mais desagradável foi admitir que meus colegas em Titã são muito mais inteligentes do que eu (ao menos coletivamente, mas eu jamais admitiria isso para eles) e poderiam pensar em algo”

          • Homero

            E qual seria a diferença entre a teimosia/orgulho masculinos e femininos?

          • Pelo seu exemplo, eu acho que o Cardoso deve ignorar sua sugestão, pois demonstrações de teimosia/orgulho em personagens femininas ABUNDAM na história da literatura. Fica como sugestão para ler/assistir a seguinte lista, “desde os primórdios até hoje em dia…”:
            – A Megera Domada
            – As Ligações Perigosas
            – Orgulho e Preconceito
            – A Humilhação dos Hawthorne
            – E O Vento Levou
            – My Fair Lady
            – A Canção de Gelo e Fogo
            – Jogos Vorazes

            Todas as obras acima apresentam personagens femininas com demonstrações de “orgulho/teimosia” semelhantes as que você citou.

        • ” Ele reage e pensa como um homem”

          U-AU.

          • Paulo Teixeira

            Voce nao queria ouvir a critica? Cabe saber aceitar também floquinho.

            Mauricio de Souza tinha essa problema com a Monica, ele precisou de algum tempo observando a filha para aprender a dar características comportamentais mais condizentes.

          • Estou impressionado. E olha que eu nunca, NUNCA uso a carta do machismo.

          • Paulo Teixeira

            Eu nao fiz qualquer julgamento de valor, se voce acha que ha problemas nisso o problema esta na sua cabeca.
            Disse que seu texto precisa melhorar e no que tange narrativa e comportamento apontei exemplo pratico de quem passou por situacao parecida.

            Se voce quer ser autor e continuar com textos capengas, problema seu.

            Ademais nao precisa se incomodar em responder, bloqueei suas respostas

          • “Ademais nao precisa se incomodar em responder, bloqueei suas respostas” https://uploads.disquscdn.com/images/7f1cda8ab27cdbf5b12b7ec3288d7b23f0029f85644c506160e05d31535afcbb.jpg

      • Joaquim Oliveira

        FAÇA O LIVRO! [3]

      • Me lembrou muito do livro O Marciano de Andy Weir. Compraria com certeza!

      • Zalla

        CC, DO THE F Book

        Joelson

        Vai ter convenção da Frota, vc vem???

      • Guilherme Araujo

        Depende do feedback? Pois eu estou, pela primeira vez fazendo um comentário em portal só pra dizer que, além de ler TODOS os seus textos, ia ser muitíssimo apreciado um livro de contos ou uma história mais longa assim.

      • BassCollection

        FAÇA O LIVRO! [N+1]

      • Zaaboo

        FAÇA O LIVRO. Me senti lendo um trecho de 2061.

      • Rodolfo da Silva Carvalho

        Faça o livro!

      • Maxnoob

        Se fizer eu compro

      • Tom

        MAKE THE BOOK [8]

      • Julio da Gaita ✔

        opa feedback positivo, tava pensando q era reprodução do trecho de um livro e fui seco no final procurando…rs, algo na mesma linha ou parecido pra ler, antes de sair o teu?! compartilha ae ! .)

        • Qualquer coisa de Arthur Clarke (desde que não com co-autor)

          • Julio da Gaita ✔

            tks!

          • Arnoud Arnoud Rodrigues

            Falando nisso, Clarke ficaria orgulhoso deste mini conto.

            FAÇA O LIVRO!

      • Anderson Pontes

        FAÇA O LIVRO

      • Maom

        FAÇA O FILME e coloca a Vendramini como protagonista. Se o filme for um fracasso, vc já vai ter tido sucesso no teste do sofá.
        Lei Rouanet + muito croma key + uma molecada querendo mostrar serviço em cgi e produção e… Bingo! Temos a primeira ficção cientifica brasileira!

        • Gesonel o Mestre dos Disfarces

          terceira, até onde contei, rs!

          • Maom

            Ficção cientifica brasileira? Acho difícil. No máximo devem existir ficções fantásticas tipo viagem no tempo.

          • Gesonel o Mestre dos Disfarces

            No true scotsman?

          • Maom

            Me de exemplo de ficções cientificas brasileiras então. Eu realmente não tenho ciencia de nenhuma.

          • Gesonel o Mestre dos Disfarces

            Depende do critério que você está utilizando.

          • Maom

            Ficção cientifica, uma ficção que reúna elementos científicos e não fantásticos.

          • Gesonel o Mestre dos Disfarces

            Entendi… uma coisa mais hard science, isso mesmo?

          • Maom

            Just science, não precisa ser hard. O que não pode é ser uma mera fantasia futurista, intergalática ou afins. Exemplo, espadas mágicas de luz, o poder da força, seres humanos andando livremente em qualquer espécie de planeta e respirando até mesmo em asteroides. Starwars não é ficção científica.

      • Jean Franco

        7 TEMPORADAS + 1 FILME.

        Digo,
        FAÇA O LIVRO!

      • Já fez o livro?

      • Rafael Mousinho

        FAÇA TRÊS LIVROS!

      • Victor M R Silva

        Faça o livro!

      • sandrosfc

        FAÇA O LIVRO!

      • Richard Gomes Arruda

        Faça o Livro!

      • Faça o livro!
        Make the book!
        Faire le livre!
        Gøre bogen!
        Maak het boek!
        Κάντε το βιβλίο!
        Сделать книгу!

        (Um oferecimento: Google Translate)

      • will

        Faça o livro

  • JuNioR

    Clap, clap, clap, clap… que demais !

  • Hemeterio

    Acabei de ler Terra Imperial, tudo isso e todo esse cenario me pareceu reconfortantemente familiar. E Saturno parece ser mesmo o limite do nosso mar navegavel. Depois dele, Urano, o dobro da distancia. Nada pra ver la. Quando a gente puder chegar em Saturno, ja teremos robos pra fazer o trabalho monotono de explorar o Sistema Solar Exterior. Ou nao, vai que esse metano de Tita nos faca encher o tanque da Heart of Gold X.

    Excelente conto.

    PS: voar voar, cair cair…

  • Victor

    caramba, q historia massa. esse lance de cair em queda livre a 24 km/h é surreal

  • Flávio Simões

    Clap Clap Clap
    Me entreteve tanto quanto a história do Mark Watney

    • Flávio Simões

      Em complemento, esse lance das informações cientificamente corretas é um tesão

  • Emílio B. Pedrollo

    Adorei como na última linha o Cardoso revela o gênero da protagonista só pra esculhambar com a imagem mental que eu tinha de que era um homem fazendo manutenção, tipo esses caras que sobem em postes hoje em dia. Muito bom Cardoso, sempre gosto quando um texto me faz ver através das idéias pre-conceituais que tenho.

    P.S.: por acaso o sobrenome da protagonista é Kerman?

    • tive idéia de mudar só no final mesmo, aí voltei e neutralizei alguns trechos que entregaram o gênero. Tenho certeza que deixei escapar algum.

      • JuNioR

        Seu amador, poderia ter escrito assim: “eu era x únicx tripulante, então pensei…” , sacou?

    • Pode ser a Val. Ou pode ser a Valentina Tereshkova Tataraneta, sei lá.

    • Vocês estão assumindo o gênero da personagem?

    • de fato, ótimo mindfuck depois de tanta informação hahah

    • Vinicius Zucareli

      E você assumindo o gênero da personagem. Valentina pode ser um homem ou mulher, com ou sem genital ia feminina. Não-binario, ou qualquer outra coisa!

      Aliás, você não sabe nem se tratar de humanos. Vai que a gente se matou e deixou a Terra e sua história para baratas super-evoluídas.

      • Maxnoob

        Faz sentido…

    • Tom

      Eu sempre leio como se eu fosse o protagonista então me buguei mesmo kkkk

      • Julio da Gaita ✔

        somos dois, amigo…rs

        • Gatynho™∞

          Semos cinco.

          • Kodos Otros 🚀 🌌 👽

            Semos doze.

          • Finn o humano✓ᵛᵉʳᶦᶠᶦᵉᵈ

            Semos todos um.

  • Hernando Bueno

    Sensacional, adorei!!!

  • Rolando

    Muito legal.

  • Black Bomberman

    Obrigado Cardoso, esse acabou de virar meu artigo favorito. Acho que nunca vi blogueiro melhor.

  • rjesus993

    Ótimo texto, parabéns!

  • Christian Oliveira

    Titã é menina!

  • Ah Cardoso, puta que pariu porque você não escreveu Perdido em Marte, seu puto?
    E a Val vai viver outro dia pra tomar café com a Lisa, Jebediah, Bill e Bob =P

    • Rodolfo da Silva Carvalho

      Infelizmente Bob não está mais entre nós.

  • Kerbal, Gravity, Calcinhas, Perdido em Marte..

    Interestellar (tá parei…)

  • André Rocha

    Por mais dias que o Cardoso fica sem texto e resolve usar um dos contos que estavam na gaveta. Muito bom.

  • Valentina….Samus…..ok parei.
    Esperando pela próxima inspiração do Cardoso.
    Obrigado pela história, foi demais.

  • Marcoscs

    Cardosão nunca decepciona.
    Quer dizer, exceto no dia que eu apostei com um amigo que o Cardoso um dia pegaria a Vendramini, mas enquanto há vida há esperança.

    • Alexandre Salau

      Hoje ele nem fala mais da Vendramini, deve ter recebido alguma ordem judicial proibindo isso, agora ele é fã da Kate Perry.

      • Henrik Chaves

        Aparentemente não o segue no Instagram. =)

  • Ivanney Pessôa Moreira Martins

    Putz, Como sempre Excelente, Parabens.

    So da Raiva uma coisa: tanto livro B… Editado e tanto texto q merecia livro não…

    PS.: gênero, por causa do “amor de Dorothy” tive de reler umas 2-3 vezes. hahahaha Vlw Meu dia jah nao foi tao ruim assim

  • Lucas Timm

    Calcinhas em Titã, por favor. E obrigado por alegrar o meu dia/noite. 🙂

  • Diego

    Sensacional!
    Posta mais!

  • Rafael Alves

    muuuito bom

  • Vini M.

    Eu pagaria por um livro de contos assim, ou uma história mais completa também. Só dizendo. 😉

    • Tem o esquema de doações nos livros anteriores, dá pra fazer por lá.

      • Vini M.

        Já paguei gin tônicas por esses
        Eu quero mais

  • Bruno Santos

    “Dada a realidade do mercado de ficção cientifica e fantasia atual, eu sugiro também que qualquer aspirante a escritor comece com histórias curtas, contos. Hoje me dia eu vejo muitos escritores novos tentando começar de cara com uma novela ou uma trilogia, ou até mesmo com uma série de nove livros. É como começar a escalar de cara pelo Monte Everest. Histórias curtas vão ajuda-lo a aprender seu ofício”. George R.R Martin disse isso ao dar conselhos sobre como ser um bom escritor. Tudo bem que o Cardoso não é nenhum aspirante, mas acho interessante essa tática de lançar primeiramente contos para depois formar uma base para os futuros livros.
    Estou no aguardo, pode escrever sem pressa e com todos os dados técnicos que esperamos.

  • Pingback: Sonho de Anti-Ícaro | Portal Hospedagem()

  • Islan Oliveira

    Genial. Às vezes nas minhas infidáveis imaginações, imaginava uma competição de queda livre sem para-quedas em um planeta alienígena, quem diria que isso é possível tão perto daqui.
    Edit: o próximo best-seller vai ser nesse estilo?

  • Thiago

    Se for pensar, foi O dia de mais sorte na vida dela, afinal, uma rajada de meteoritos destruiu o satélite e outra rajada destruiu a cápsula e ela, no meio, passou por um buraco nessa chuva! hehehehe

    Show! Espero mais desses!

  • Leonardo

    so esse trecho já da um filme melhor que muita coisa que sai de Hollywood…
    2 mulheres, 1 motoqueira louca e outra mecânica espacial, TOP ehuaheuaheuaeh

  • Careca Voador

    Sensacional, Cardoso! Obrigado por tirar isso de dentro da sua cabeça e nos presentear. Não guarda, não. Escreve tudo e posta aqui. Nós damos feedback direitinho.

  • Cleverson Biora

    Cardoso parabens otima história, e por favor traga mais textos como este, quem sabe não temos um novo Andy Weir haha.

  • Xultz

    Muito legal o conto, a narrativa lembra bastante a do livro “The Martian”, ficou excelente. Pode começar a escrever o “The Titanian”! 🙂

  • E essa Tardis aí?

  • Vinícius Santos

    sensacional como sempre! Coletânea de contos já!

  • Juliano Teichmann

    Show de bola!

  • Mil farão um texto recheado de fórmulas matemáticas incompreensíveis à tua esquerda, e mil outros irão torturar o Português à tua direita, mas somente Carlos Cardoso nos revelará que podemos cair em Titã sem paraquedas desse jeito tão literário.

    Parabéns, fera.

  • Rodrigo Primon Savazzi

    Valentina Kerman?

  • Zalla

    mais, mais, mais, mais, mais, mais….

  • OzzY

    Aguardando muito novas aventuras de Valentina, Lisa e sua turma do barulho aprontando várias confusões numa lua muito louca.
    Mas sério, ótimo texto, realmente me lembrou a sensação de ler The Martian.
    Esperamos muitos outros contos assim ou quem sabe um livro inteiro.

  • doorspaulo
    • Gesonel o Mestre dos Disfarces

      JAMES! O menino tem vontade de ler, e não temos mais contos!

      • doorspaulo

        Quero mais!

  • Foi o pouso mais distante já realizado no Sistema Solar e o Gizmodo está falando de bonequinhos de tinta em água…

    • Marcogro®

      Nem. Patinhas de gatinhos…

  • Davi

    Achei digno de Asimov. E estou falando sério.
    Escreva mais como esse, Cardoso. É sempre bom ler SciFi de qualidade.

  • Demis Cunha

    Muito bom! Ficção científica que em pouco tempo será fato científico. Não porque exista algo de errado com os dados ou ideias mas simplesmente porque não chegamos lá ainda.

  • Pedro Lira

    “Estiquei um dos braços, coloquei o outro para trás, meu corpo girou 360 graus”

    não seriam 180?
    Ótimo texto!

  • Grecco Morais

    Cara… se não rolasse um filme pelo menos um curtametragem ficaria ótimo com esse conto. E ainda mais revelando apenas no final o genero do personagem principal.

  • Maom

    A melhor parte é saber que ainda existe bacon em 2200 e bolinha.

  • Quando terminei de ler pensei ‘ué, deveria estar no Contraditorium’, mas depois lendo os elogiosos comentários e quantidade deles, entendi a razão. Aqui tem mais público para difundir informações científicas. E isso é ótimo (pun intended)!

  • Allan.’.

    Sensacionais estes textos, que venham mais por aí. Ainda bem que minha curiosidade quanto aos dados fornecidos foi saciada no último paragrafo, já estava pensando nos termos que deveria gogoolear.

  • toshift2

    lembrei do clipe smack my bitch up do prodigy

  • excelente, poderiam criar um livro com vários contos

  • Hyran

    Inspirado no pulo de 500 m do Jimmy ao Mar de Rama? À beira do precipício meridional?

    • Putz, pior que não, mas tem tudo a ver.

    • Arnoud Arnoud Rodrigues

      Ótima lembrança!

  • Isaque Fontinele

    Muito bom. Me senti lendo The Martian novamente.
    Espero ver mais contos como esse por aqui. 🙂

  • Wow. Isso vai ser uma coluna nova frequente do MB?
    PLEASE DO. Em alguns pontos foi ainda melhor que em The Martian.

    • Vai que ele faz igual ao Andy Weir e começa a publicar os capítulos do livro dele como posts aqui no MB. Aí alguém gosta, compila, fala pra ele publicar como eBook e quando nos dermos conta já estaremos vendo Carlos Cardoso nos cinemas.

      Ou não

  • UAU. li ate ao fim e pensei que fosse um trecho de Asimov ou semelhante. Parabéns!

  • João Alves

    Muito bom!

  • Clayton Guerini

    Olha só o Cardoso, já pode roteirizar o Doctor Who. Acredito até que seja a intenção dele, devida a imagem que utilizou la no começo. Talvez seja um sonho secreto.

  • elielcezar

    Quero o livro completo em minha mesa até as 18h

  • Rafael Mousinho

    Muito bom! Assumi desde o início que era um astronauta homem, shame on me.

  • Gedvan Dias

    Excelente! Muito bom mesmo. Parabéns! 🙂

  • Marcos Matias

    Diria que ng liga pra textão, mas o cardoso não merece.

  • Claudio Torres

    Cara, do caralho. Parabéns.

    P.s. Me enganou com o gênero dá protagonista também.

  • Marcogro®

    Maior loucura, fiquei preso na tensão da personagem e a narrativa envolvente me remeteu direto à cena

  • CAPIMLIGANTE

    Porra… Choramos tanto pela ciência no Brasil… E você com uma arma dessas na manga…

  • Arnoud Arnoud Rodrigues

    Só não entendo por que o pessoal fica pedindo filme se temos… LIVROS!

    Faça o livro Cardoso!

  • CogniteTute

    Adorei, genial mesmo! Se me permite um elogio extremo, me lembrou contos do Asimov, especialmente com os dois malucos das histórias de robôs, Powell e Donavan!
    Parabéns, e reforço o pedido por mais, e por um livro de FC.:-)

  • Fabio Dalton

    Gostei da precisão científica, curti a personagem com um problema de foco FODA hahahaah (Um livro com esses conceitos um pouco mais diluidos seria uma boa)

  • Klaus Von Burgo

    Haha, bom demais! Cardoso chutando bundas, como sempre. Nota mil. Tomara que na continuação Valentina e Lisa explorem juntas Titã.

  • Mariano Santos

    Vai virar livro? Eu compraria, namoral.

  • Impavidvs Colossvs

    Do caralho!

  • O (ex)Datilógrafo da AEB

    Faça o livro, se precisar eu bato o rascunho na máquina.

  • Tássio Brunelli

    Cara, eu achei que fosse trecho de algum livro. Amei “The Martian” e essa crônica pareceu uma extensão do mesmo. Cara, ficou do caralho! Não pensaria duas vezes em comprar um livro assim! (de novo)

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis