Coréia do Norte avisa que VAI lançar um ataque nuclear contra os EUA. Há defesas?

vlcsnap-00001

A Coréia do Norte, a FEMEN das relações internacionais anda inquieta. Fizeram num mesmo ano um teste nuclear e um lançamento de um ICBM disfarçado de lançador de satélites, e antes que venham dizendo que os malvados americanos estão boicotando o programa espacial pacífico coreano, lembre-se que eles mesmos anunciaram depois do teste que agora os EUA estão ao alcance de seus mísseis, e que poderiam apagar os EUA da face da Terra.

Essa retórica apocalíptica é comum quando a fome aperta e precisam de MAIS doações de alimentos da ONU, mas ultimamente as ameaças estão se tornando mais sérias. A ONU está para votar um aumento de sanções contra o país, justamente por terem continuado a produzir armas nucleares e meios de lançamento, coisa proibida pelo último acordo.

Em resposta a Coréia avisou em um comunicado que não concorda com os exercícios anuais entre as marinhas dos EUA e da Coréia do Sul que se eles continuarem, irão cancelar o Armistício, voltando ao estágio de guerra, tratando os navios das duas nações como “alvos”.

Para piorar, disseram que como os EUA querem iniciar uma guerra nuclear na Ásia, irão se defender realizando um ataque preventivo:

“Agora que os EUA decidiram acender o pavio da guerra nuclear, as Forças Armadas Revolucionárias da Coréia irão exercer o direito de um ataque nuclear preventivo para destruir as fortalezas dos agressores e defender os supremos interesses do país”

Simples assim. Também falam de transformar Seul e Washington em um oceano de fogo, bla bla bla. A questão é: Eles podem?

Sim e não.

Em essência, não devem. Primeiro, se uma bomba coreana cair em território americano, mesmo Porto Rico, em menos de 10 minutos um dos submarinos balísticos classe Ohio na costa da Coréia do Norte lançará um Trident, com 5 ogivas W88, cada uma com 475 quilotons de poder destrutivo.

icbm

Ogivas independentes, parte de um míssil Peacekeeper

O equivalente a 5 meteoros russos vaporizará Pyongyang, e quando esfriar os Marines chegarão para pintar as faixas do maior estacionamento do mundo.

“O míssil pode ser interceptado?”

Depende. Durante a Guerra Fria muita pesquisa foi feita para isso, as idéias chegavam ao ponto de prever detonações nucleares na alta atmosfera para confundir os misseis inimigos, com isso criou-se um jogo de gato-e-rato onde foguetes nucleares eram dotados de diversas contra-medidas, como balões laminados para gerar imagens falsas de radar, geradores de ruído eletrônico e ogivas múltiplas de reentrada (MIRV) que em grande altitude se desprendem, mudando de direção para atingir alvos isolados.

O mais seguro era interceptar o míssil na fase de lançamento. O YAL-1 Airborne Laser era um projeto onde um 747 modificado levaria um laser químico com potência de 1 MW ou mais, e destruiria mísseis na fase de lançamento. Em teoria ele seria capaz de destruir um ICBM decolando a 600 km de distância.

YAL-1

“pew pew pew”

Legal, mas na prática o raio era instável, manter os tanques de substâncias químicas altamente venenosas e reativas era um inferno, e o avião precisaria estar no lugar certo na hora certa, complicado mesmo se os EUA tivessem superioridade aérea na região, o que nem sempre é o caso.

O melhor sistema que os EUA possuem é o Ground-Based Midcourse Defense (GMD), projetado para interceptar os mísseis ainda no espaço. Lançado na administração Clinton, o projeto usa um projétil cinético, ao contrário de um explosivo.

A explicação é simples: Nas velocidades envolvidas explosivos são inúteis. Um ICBM na fase espacial do vôo está se movendo a 7 km/s, ou 25 mil km/h. Se você detonar uma carga de TNT a 1 mm do míssil, ele não será atingido. A velocidade de explosão do TNT é de 6,9 km/s.

Nessas velocidades até um travesseiro da Hello Kitty é mortal para um míssil, o essencial é acertar, e isso demanda muita, muita, muita matemática. E sorte.

400px-MDA_interceptor_on_launch_pad_ift107

Um dos mísseis do GMD

Embora esteja certificado e em uso, o histórico do sistema não é dos melhores. Em 16 testes de interceptação, ele errou 8, e 50% de acerto não é aceitável, quando o número ideal de bombas nucleares explodindo em seu território é zero.

Há ainda uma última linha de defesa, a Marinha dos EUA, provavelmente depois de ler Tom Clancy equipou com mísseis SM-3 seus cruzadores Aegis. Projetados para interceptar ICBMs em fase final de vôo. são guiados ao alvo por radar,  mais próximos por infravermelho.

O sistema é impressionante, como podemos ver no teste bem-sucedido abaixo, mas mesmo nas estatísticas massageadas pelo Departamento de Defesa, conseguiram atingir 5 de 6 alvos. Em condições ideais.

O melhor sistema de defesa antimísseis hoje ainda é o A135 russo, usado no famoso anel em torno de Moscow. Usando da grosseria e praticidade que lhes é peculiar, os (então) soviéticos não se preocuparam com sutilezas. O antimíssil exoatmosférico tem a proposta do GDM americano, de interceptar o ICBM inimigo no espaço, mas ao invés de uma ogiva cinética, ele usa uma bomba nuclear de 10 quilotons.

Como se/quando um ICBM coreano for lançado em direção aos EUA ele será alvejado com tudo que Obama tem nas mangas, as chances de uma interceptação são bem altas, mas a menos que estejam escondendo o jogo e as tecnologias estejam bem mais avançadas do que se imagina, com tudo isso não dá para dormir 100% tranquilo.

A menos que você seja o Kim Jong Un, maluco não tem preocupação.

Relacionados: , , , , , , , , , , , , , , ,

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz e Calcinhas no Espaço.

Compartilhar
  • “A Coréia vai lançar um foguete,
    Cuba tb vai lançar,
    agora eu quero ver…”
    Muito bom post Cardoso, mto bom msm! 🙂

    • Acho que a pior arma que Cuba podem lançar contra os States são os cubanos em jangadas.

    • AndersonCavalcanti

      “…lança, Cuba, lança! Quero ver Cuba lançar!…”

  • Obrigado pelo texto Cardoso, tirou várias das dúvidas que eu tinha sobre o assunto, mas infelizmente isso só fez aumentar minha preocupação.
    Pelo jeito nossa geração nunca esteve tão perto de ver um ataque nuclear e fico por aqui tentando imaginar o inferno que todo planeta pode virar se isso acontecer.
    Acho que esta é uma boa hora para começar a abastecer a Vault 101.

    • Mario Neis

      hauah puxa vida pensei tbm no vault,,, só temos que bolar o kit de reflorestamento.. e o nosso pipBoy seria um google glass.

      agora falando sério, até q demorou pra algo do gênero acontecer, tem um conhecido meu bem idoso que sempre me fala “o mundo precisa de uma nova guerra, toda essa estagnação economica se corrige com guerra” a maioria o toma por parvo… quem conhece um pouco de história, sabe que essa afirmação de bobagem não tem nada…

    • As pessoas estão fazendo piadinhas e não tem noção do perigo real que isso representa. Concordo contigo Dori, eu aqui também fiquei bem apreensivo, aquela paranóia dos anos 80 voltou um pouquinho.

      E sim, ótimo texto e explicou bem o panorama.

      • Mario Neis

        o que mais me preocupa é a última frase do post do cardoso, aquela frase ali não podia ser mais direta e reta. o cara é um maluco, pode ser que amanhã acorde dando um passo atrás ( tomara) como pode ser que amanhã acorde com a macaca e de o tão temerário passo à frente…

      • As pessoas só vão realmente se importar, quando produtos contaminados com radiação começarem a aparecer no camelô e de brinde ganha câncer.

        Uma guerra nuclear, como tantos autores dizem, é diferente da guerra convencional, pelo simples fato da aniquilação. O resultado de guerras nucleares, pode ser jogado em Fallout, que eu ainda acho otimista.

    • OverlordBR

      Pois é, Dori. E eu fico ainda mais preocupado porque os norte-coreanos e seu “supremo líder” são loucos… ou melhor, insanos (louco sou eu).

      A antiga URSS, por mais que ameaçasse os EUA, era conduzida por pessoas inteligentes. Os russos sabiam a real merda de uma guerra nuclear.
      Os chineses também são inteligentes.

      Os EUA, atualmente, parecem ser comandados por pessoas também um pouco sãs.
      Mas, obviamente, retaliarão com força.

      Agora, os norte-coreanos…PQP…

  • TiagoRL

    Tomara que ele lance um míssil em direção aos EUA, o troço exploda sozinho no espaço no meio do caminho (serviria apenas como motivação), os EUA façam uma intervenção na Coréia do Norte, prende aquele bochechudo tranca em Guantanamo e joga a chave fora.

    Um ditador estúpido a menos no mundo; liberdade, democracia e capitalismo para as pessoas daquele país, um novo filme no cinema e no final das contas os EUA são heróis.

    FIM

    • Xultz

      Infelizmente a coisa não é assim tão simples. Quando o muro de Berlim caiu, a situação foi complicada: os alemães do lado comunista conheceram as modernidades do lado capitalista, e queriam ter direito àquilo tudo. O problema era explicar que os alemães do lado capitalista trabalharam, ganharam dinheiro e adquiriram os bens. Colocar isso na cabeça de alguém que passou a vida num regime comunista foi bem complicado, e gerou conflitos. Ok, passou o tempo, hoje todos entenderam a regra do jogo, beleza, a Alemanha unificou.
      E quanto à Coréia do Norte? O que se passa na cabeça da população, que há gerações passam por lavagem cerebral? É muita inocência achar que você vai lá, decapita o ditador, distribui meia dúzia de iPods e todo mundo vai ficar feliz. A população cresceu jurando lealdade ao Líder, então me pergunto por quanto tempo a população se revoltará e formará guerrilhas para vingar a morte do Líder. Como você contém a população, com mão de ferro? Com outra ditadura?
      É uma situação muito, muito delicada. Eu também queria ver a cabeça do Kim, mas eu penso em todo o resto da população.

      • Marcus Nunes

        Baita comentário. Parabéns.

      • Belo comentário Xultz. Além de uma crase muito bem aplicada na 3ª linha e 0% de erros de português, dá até gosto ler.

        • Guest

          Não existe 0% de erro em português! O que existe é uma adequação à norma padrão, outrora denominada “culta”, da língua. Por exemplo, “isso” na quinta linha, deveria ser “isto”, pois faz referência a algo que acabou de ser dito. No seu caso “0” deveria ser “zero”, pois para números pequenos, utiliza-se a forma extendida. É inegável que Xultz escreveu muito bem.

          • Marcio Faria

            Em um país onde sua população é na sua grande maioria analfabeta, onde até pessoas com cursos “superiores” não sabem escrever, qualquer coisa que passe de 75% de acerto já é uma maravilha e, muito além de gramática e observação da norma culta, escrever com nexo, lógica, sequência e objetivo já é o paraíso. Todos estão de parabéns! E perdoem as minhas falhas…também sou brasileiro.

      • Daniel Almeida

        Mas e aí, melhor deixar a população viver para sempre nessa caverna?

        • Xultz

          Essa é uma excelente pergunta, Daniel, e eu realmente não sei a resposta. O que eu sei é que país nenhum, muito menos os EUA, vai gastar um rio de dinheiro com uma invasão porque sente pena dos norte-coreanos. Se for tomada uma medida drástica, com a derrubada do Kim do poder, certamente vai haver um grande derramamento de sangue, e apesar da Coréia do Norte investir 25% do PIB nas forças armadas, sabemos que quase todo sangue que será derramado, será de norte-coreanos. Novamente: e não sei qual é o melhor caminho, só sei que nenhum país se importa.

          • Só vai acontecer alguma coisa se o Kim Jong fizer alguma coisa. Como está não há motivação suficiente para os EUA fazer alguma coisa. Uma guerra é um troço caro e complicado, e tal investimento tem que se pagar.

          • kenji

            Se descobrissem petróleo ou outra commodity cara no território norte-coreano, esta intervenção ocorreria muito rapidamente, e cada ogiva lançada pelos americanos teria a inscrição “liberdade para o povo norte-coreano”.

          • Carlos Magno GA

            Segundo eu li, a Coréia do Norte é bastante rica em recursos naturais para o seu tamanho, bem mais que a Coréia do Sul.

            Ela tem uma quantidade muito grande (novamente, relativo ao seu tamanho) de minério de ferro, carvão, urânio, ouro, chumbo e metais raros.

            Ela também tem um grande potencial hidrelétrico inexplorado, por ser mais barato minerar carvão com mão de obra escrava que construir represas.

          • José Luis Junior Segatto

            Se tivesse uma reserva de petroleo gigante embaixo da coreia do norte o cenário seria bem diferente. (diferente != melhor)

      • Ficou parecendo que na correia do norte e na Alemanha oriental ninguém trabalha o comentário ficou perjorativo , faz a comparação por produtividade e eficiência tanto no setor publico com setor privando

      • TiagoRL

        Realmente não havia pensado nesse ponto, e desconhecia essa questão da Alemanha oriental. Mas ainda assim, o muro teve que cair pra que a mudança ocorresse.

      • “Como você contém a população, com mão de ferro? Com outra ditadura?” Pode ser um caminho, substituir uma inimiga por uma amiga (nem sempre funciona), mas as vezes é melhor do que ficar brincando com fogo. Uma coisa é fato, do jeito que ta não da, um povo sofrendo a minguá sendo massacrado, humilhado, torturado e um maluco (ou vários) com bastante dinheiro e disposição pra fazer merda.

      • Carlos Magno GA

        Mais ou menos, os Norte-Coreanos já não mais estão tão isolados quanto a anos atrás. A fronteira norte, com a China, deixa passar vários produtos, como rádios e CDs que levam aos norte-coreanos um pouco das informações do mundo exterior.

        A Coréia do Sul mantém uma estação de rádio estilo CBN, com informações sobre o que acontece no mundo e, obviamente, críticas ao regime.

        As ajudas humanitárias, dadas principalmente na forma de comida e remédio, tem escrito na embalagem (em coreano) que a procedência do produto é Norte-Americana ou do vizinho ao Sul. Nas distribuições oficiais do governo eles normalmente retiram essas informações, mas é bastante comum o exército desviar o produto antes dele chegar no governo e ser vendido nas feiras-livres sem alteração.

        O que tem quebrado bastante a ilusão propagandeada pelo governo de que a Coréia do Norte é o melhor país do mundo, que o Sul vive em condições bem piores, de joelhos aos americanos, etc. (aquelas coisas que o Hugo Chavez pregava) é o surgimento dos aparelhos de Vídeo CD no país, vindos da China.

        Com os VCDs, os Norte-Coreanos vêem, por meio de novelas e filmes da Coréia do Sul, como é a situação lá. O governo proíbe veementemente o consumo de CDs da Coréia do Sul (traição, lesa-pátria, essas coisas…) e antigamente fazia inspeções após cortar a luz, de modo que a pessoa não pudesse remover o CD do aparelho e serem pegas em flagrante. Agora os aparelhos de vídeo utilizados são do tipo que dá para remover o CD mesmo sem energia.

      • Carlos Magno GA

        “A população cresceu jurando lealdade ao Líder, então me pergunto por quanto tempo a população se revoltará e formará guerrilhas para vingar a morte do Líder. Como você contém a população, com mão de ferro? Com outra ditadura?”

        Isso é bastante estudado pelos Sul-Coreanos, que têm a unificação como inevitável. Haverá grandes problemas, mudanças de estilo de vida, de valores, etc.

        Mas estamos falando de unificar um país semelhante à Somália a um país como o Japão. Todo mundo sabe onde o calo aperta: arriscar a vida defendendo um regime deposto ou aceitar comida de graça?

        Dentro os problemas a serem enfrentados estão, por exemplo, a questão do retardo mental da população Norte-Coreana, causado pela subnutrição pré e pós-natal, que levará muito mais tempo para corrigir que a diferença cultural entre as duas Alemanhas. (se a minha memória não me falha, o retardo mental é presente em 30% dos soldados da C. do Norte)

      • Caro,

        País comunista não é DCA de campus universitário. Os alemães orientais trabalhavam seguindo as determinações do partido comunista, que governavam até em questões de âmbito pessoal. Fazendo um paralelo grosseiro, enquanto os pastores, líderes políticos e policiais reprimiam o rock nos países capitalistas, nos comunistas as letras eram censuradas, shows eram reprimidos e os integrantes eram obrigados a passar por uma avaliação para ver se eles tinham sido “corrompidos” pelos “valores capitalistas”.
        Os bens de consumo eram restritos para poder dar à demanda de uma economia planificada onde o cidadão trabalha para o governo (na verdade para o PC…) e a propriedade privada era no máximo um Tranbant.

    • Eduardo Tenório

      Comentário típico de adolescente fã de Mercenários.

    • Ninguém está preocupado com a Coréia do Norte, um país daquele tamanho estaria para sempre jogado à traça do comunismo e no evento de um ataque real a população (que não tem culpa de nada) seria massacrada facilmente. O problema é que geopolítica não é tão simples… Ou dito de maneira mais clara: CHINA.

  • Excelente texto.

    Acho que esse doido da Coréia está blefando. Uma merdinha de país daqueles não possui capacidade para fazer nem metade das coisas que o presidente fala.

    • roadsign

      “Quem não for precavido e fizer pouco dos seus adversários, certamente será dominado por eles.”

  • Adoraria ver a Coreia do Norte inteira atingida por dezenas de bombas nucleares. 🙂

    • Depende de onde. Alvos (edit: estratégicos não) militares? por que não? afinal, é uma guerra, mas se os alvos forem civis, aí é coisa de terrorista.

      • alvo estratégico com armas nucleares ? Átomos amestrados ?

        • Não sei. Você é perito, pode explicar

          • Felipe Antunes

            Cara ele explicou hehhehehe. impossível tornar um ataque nuclear em um ataque cirurgico

          • Mario Neis

            na cabeça dele átomos devem usar o “método cara crachá” hahahaha param em frente ao vivente e decidem “ataco não ataco..”

          • hahahaha, verdade

          • OverlordBR

            Uma bomba suja, apesar de usar explosivos, não poderia ser um tipo de ataque nuclear cirúrgico? 🙂

    • que coisa idiota pra se dizer

      • Mario Neis

        acostume-se não é a primeira vez que ele fala bobagens por essas bandas…

        • Felipe Antunes

          é o Tayler, alguém esperava algo melhor?

          • Esse cara, na época em que frequentava por aqui, tinha outro nome!
            Não to lembrado agora…

    • AndersonCavalcanti

      Pra ver, mesmo, vai ter de estar lá… Divirta-se. Tá precisando.

    • ERIC DRUMOND

      Concordo totalmente. Sem EUA e Israel o mundo se tornaria um caos. Sou a favor da aniquilação da Coreia do Norte e de Países Islâmicos. Muita gente vai ficar contra, pensar que sou babaca, más daqui a 30 anos ou menos, será q a opinião será a mesma?

      G. W. Bush deveria se tornar líder da ONU, pra mim é um dos poucos que tem força de vontade de fazer o certo.

  • Xultz

    Muito legal o texto, mostrando o lado técnico.
    O que eu me pergunto é a respeito da motivação política por trás da coisa. Eu não acredito que o Kim seja tão burro a ponto de achar que tem alguma chance, num conflito entre Coréia contra o resto do mundo. Ficar fazendo ameaça é legal, quem no colegial não arranjou briga e ficou meia hora dizendo “vem que eu te dou porrada”, “não, vem você primeiro”. O Kim sabe que não tem nada a ganhar partindo pro ataque.
    Por outro lado, o que eu realmente não entendo é o que os EUA tem a ganhar com uma suposta invasão à Coréia. Só vejo prejuízo. O máximo que posso imaginar, é o míssil ser interceptado, e um monte de torpedos serem lançados contra navios e submarinos militares, se existirem, prá mostrar ao mundo como eles são fodões e defendem o mundo contra o mal. Afora isso, eu duvido numa investida mais forte. Diferente do Afeganistão, a Coréia do Norte deve ser fonte de mais problemas do que recursos.

    • Mario Neis

      o que eu fico matutando é sobre as progressões, fulano ataca beltrano, siclano ataca fulano por ter atacado beltrano, beltrano revida siclano e o outro entra no jogo… coisas do gênero… isso renderia um bom texto de análise política externa…

    • Jean Franco

      As veze eu acho que o Kim é totalmente insano e partiria pra guerra só pela sua “honra” e é isso o que me preocupa.

  • Hollander

    Na atual situação, se KJU resolver lançar algo, deverá ser contra a Coreia do Sul. As chances de interceptação são menores devido ao tempo de resposta. Também creio que a resposta seria na base de armas convencionais e invasão – estilo Iraque. Para que inviabilizar um território se os EUA podem tomá-lo?

  • A Coreia do Norte está me parecendo aqueles pirralhos pentelhos que ficam incomodando o tempo todo o cara grande da escola (na analogia, os EUA), mesmo ele ignorando o pentelho o máximo possível. Mas perturba tanto, fala que vai pegar, que vai bater, e cutuca tanto, que quando o grandão finalmente dá um tapa na cara dele ele vai correndo para a diretora (i.e., a ONU), chorando e reclamando ‘buááá, ele me bateu. Falei que ele era mau e que implicava comigo’

  • Cardoso sempre surpreendendo com seus conhecimentos Balísticos e Espaciais.

  • marcos.petropolis

    Há muito tempo não comento ( e leio ) textos do Cardoso por conta de seus famosos excessos , para dizer o mínimo.Mas seguindo indicação do camarada Aquino , do Retina Desgastada , que normalmente nos indica textos realmente interessantes , vim parar aqui.E não é que me deparo com algo realmente muito bom, com informações relevantes e com um mínimo de “cardozices” ? Parabéns , e apesar de concordar com o Dori quanto á preocupação , prefiro me manter informado.E se puder dar uma sugestão , gostaria de ver um texto complementar sobre quais seriam as consequências no caso de um iminente ataque de ambas as partes.

    • Com essa atitude seria melhor se não tivesse vindo. Esse comportamento passivo-agressivo infantil não angaria minha simpatia. Se desgosta tanto assim de mim, tchau e bença.

      • O sentimento desse cara é exatamente o mesmo que o meu, meu caro.

        É basicamente o resumo do que tu faz… Erra muitas vezes (e aí as referências a Cardozices, “excessos” e etc…) pra acertar muito bem raramente.

        Não confunda o fato de tu “prestar simpatia” à um leitor com o fato de um leitor “prestar atenção e tornar notável” um dos teus raros momentos de acerto…
        Se for assim, é o clássico caso dos “postes mijando nos cachorros”…

    • Quando eu disse que infelizmente o texto só fez aumentar minha preocupação, nem de longe quis dizer que não quero me manter informado, apenas que ele constatou um temor que eu tinha, de que no caso de um ataque da Coréia não há uma certeza absoluta de que ele poderá ser evitado.

      Inclusive fui em quem pediu tal texto ao Cardoso, após uma breve conversa que tivemos hoje pela manhã no Twitter.

      PS: Querendo ou não você atacou tanto eu quanto o Cardoso. Isso era mesmo necessário?

  • Os americanos ou alguém poderia produzir um vídeo mostrando KJU e os Norte-coreanos falando mal do profeta M e deixando os “Fieis” resolverem a parada. Seria bonito o arranca-rabo.

    • Rodrigo Schauffert

      O assunto é sério, mas ainda não consegui parar de rir com esse comentário.

  • Daniel Almeida

    Muito bom texto, esclarecedor.

  • Excelente o texto, Cardoso.

    Em pleno século XXI, não dá pra acreditar que existe um país que controla até o corte de cabelo das pessoas (literalmente falando). Infelizmente, acho que é só é possível tirar esse safado (e corja) com intervenção militar.

    Tem é que trancar esse Kim Jong Un junto com o Ahmadinejad numa cela pra ver quem vai ser a mulher de quem.

  • Paulo Grabin

    Uma dúvida, onde a China, que aumentou muito seu investimento militar, entraria nessa historia?

    • A China saiu pra comprar cigarro e só volta quando a coisa se resolver. Dessa vez a NOK está sozinha. A votação das sanções no Conselho de Segurança da ONU foi unânime.

      • Hollander

        Tradução do Mandarim para o Português: “Tínhamos respeito pelo seu pai, seu Pirralho!”

  • ERIC DRUMOND

    Saudade da época do G. W. Bush… já teria aniquilado a Coreia do Norte e o Irã…

    • Hmmm, depois que os EUA tomaram dois aviões na fuça na “capital do mundo” e a demora para pegar os culpados, todos viram que o exército e a inteligência americana não são lá essas coisas.

      • ERIC DRUMOND

        Imagine uma situação, atingem o simbolo da prosperidade do seu país, algo que todo mundo admira. Você realmente pensa que algum ser humano normal agiria dessa forma fria? Olha, as vezes eu penso que pra provar meu ponto de vistas as coisas deveriam acontecer, uma boa seria o EUA e Israel perderem pra esses que vcs acreditam ser heróis e digo mais, em seguida o mundo deveria ser dominado por Islamistas ou pelo povo Norte Coreano. Talvez em vcs gostem do mundo assim, brasileiras usando burca suas mães, irmãs, mulheres e filhas sendo humilhadas pelo “livro sagrado do Islamismo”. Ou outra, todas as descobertas cientificas sendo atribuídas aos presidentes norte coreanos. Só usei isso como argumento pq já cansei. o Mundo precisa realmente de uma grande crise.

        Talvez assim um dias as pessoas deem o devido valor ao EUA.

        • Kidjapa

          É, mas uma especia de “democracia muçulmana” que nem existe nos EUA também não seria nada legal por estas bandas. O estilo brasileiro não se adaptaria. E se você gosta tanto dos EUA, vá e seja feliz e pare de reclamar do seu pais.

          • ERIC DRUMOND

            Quando as pessoas acham que se deve parar de reclamar de um país, corrupto, cheio de jogos de interesse é que vejo o quanto o povo brasileiro é fraco. Preferem ignorar os problemas e deixar esses pastores racistas tomarem controle de comissões de direitos humanos, deixar deputados criarem comissão para fiscalizar a internet, que se tiver algum vídeo contra parlamentar ele será retirado. Isso mesmo viva sem reclamar, faça parte da escrotice desse país. Brasil um país de tolos.

          • Kidjapa

            Se tivesse alguma manifestação descente em Brasilia pegava o primeiro avião. Já fiz minha parte onde eu moro nas manifestações, contra o aumento do passe de ônibus (mesmo depois de eu ter adquirido um carro), prefeito corrupto, desvio de verbas publicas e outros. Mas como brasileiro prefere chamar trocentas mil pessoas para uma manifestação da mulher vadia (sei lá o que foi aquilo) e 200~300 contra corrupção. Prefiro ficar quieto e me assegurar no mercado de trabalho, do que me estressar.

            Ai, eu vou recolher trocentas assinaturas para tirar “X” vereador de uma cadeira, para ele escolher uma cidadezinha no fim de algum estado ai e ser reeleito, como acontece bastante aqui no sul.

            Cansei de escutar professor que viveu a época da ditadura reclamar que o jovem hoje não da bola para polica e se sente envergonhado em ter lutado pelo direito deles e nosso, hoje. Para a geração toddynho recolher simples assinaturas.

            http://pt.wikipedia.org/wiki/Marcha_das_Vadias
            http://acritica.uol.com.br/noticias/Baixa-adesao-protestos-corrupcao_0_592140846.html

            o que se pode falar?

          • ERIC DRUMOND

            Esses protestos não adiantam eu admito, reclamo quando vejo algo absurdo, é uma reação biológica más racionalmente eu sei que não adianta, más todos temos que nos indignar com a situação deste país, pois oque mais me revolta é esse povo fraco não faz o que é necessário, guerra civil. O Brasil só irá mudar depois de uma guerra civil, não adianta votar em quem achamos que é menos desonestos, não adianta assinaturas na internet. Quem colocou o Islamistas no lugar deles foram os americanos. Já está passando da hora do povo brasileiro colocar os políticos no lugar deles também. Antes que fale do presidente do Irã, lembre-se que apesar de eu admirar muito o senhor B. Obama, ele não é um presidente da guerra, é um presidente da paz, e o mundo precisa novamente de um líder da guerra, e da atualidade nenhum desempenhou um papel tão grande a favor do capitalismo, da liberdade e da democracia quando o G. W. Bush. Más agora ele deveria retornar como líder mundial, não como presidente dos EUA.

            Agora negar que o EUA é um país infinitamente superior ao Brasil, é o mesmo que negar que a terra é esférica, que amanhã o dia vai nascer de novo e etc, etc, etc… Más acredito que no minimo eu posso querer que aqui um dia seja tão bom ou quase tão bom quanto lá.

          • Kidjapa

            Concordo em partes. Mas achar que um pais, que é todo complexado, que não consegue passar uma década sem invadir algum pais, promove a paz é meio difícil de engolir. Invadir países com uma porrada de tribos em guerra a milênios e achar que vai conseguir criar uma sociedade unida e feliz é coisa de camarão (no sentido de onde a m___a fica). E os EUA não é assim tão soberano sobre o Brasil, os EUA dependem de muita coisa que exportamos.

            E cara, falando serio, tens de ler melhor sobre o Bush, ninguém que diz que é melhor deixar o Protocolo de Quioto de lado deve ser uma pessoa legal. PACIFICAÇÃO no Iraque? Para né. Agora, por que não vão encher o saco da china e seus meios de controle de natalidade?

            Tão bom quanto lá? Beleza, depois não vem reclamar da falta de liberdade.

          • ERIC DRUMOND

            Em primeiro lugar, não é só pq uma pessoa é perfeita para uma situação que ela seja perfeita para as outras. (Protocolo de Quioto como exemplo)

            Quanto a pacificação, a tentativa é sempre valida, ate um ponto que cheguemos a conclusão de que eles não vão se adequar ao mundo, então nem preciso terminar essa frase pois já sabe a conclusão. Más assim é a lei da natureza, o mais fraco tem que dar lugar ao mais forte e melhor, e garanto que ninguém sentirá a falta de Islamistas e Norte Coreanos e outros.

            Quanto a china eu só não citei más é um país que merece atenção “especial” do mundo, pois se ele chegar a dominar, nada de bom pode sair disso.

            Quanto lá ser melhor que aqui, nem adianta mais discutirmos, eu vou mostrar um argumento, vc outro. Más o ponto é que a maior parte dos brasileiros dizem que os americanos são abitolados, eu trabalho com vários, já trabalhei com muitos, más nunca enxerguei eles como abitolados, o que enxergo são os brasileiros vendo o Brasil como lugar perfeito, pra mim isso é ser bitolado, poderia ficar a tarde toda dando razões para ver que o nosso país tem muito mais coisa errada do que certas. Claro que aqui tem coisas boas tb, más são poucas.

            Apenas meu ponto de vista.

          • Kidjapa

            Hoje em dia, provavelmente, ainda acho o Canadá um pais mais sossegado. Obvio Brasil tem sim MILHARES de pontos ruins, mas pelo menos temos nosso SUS (ainda bebezinho, más evoluindo), enquanto nos EUA, quebra-se um dedo, paga-se o c* para pagar, deus o livre se acontecer algo mais grava e seu seguro não cobrir. Mas em compensação, não temos estradas que prestem, serviços descentes de internet, telefonia, sistemas ferroviários (não privatizados), nem mesmo o SUS funciona direito.

            Inevitavelmente é impossível terminar uma discussão como essa. Então fiquemos com o Canadá, pelo menos eles são gentis.

  • Mas se atacar os EUA, não haverá mais a Disney. O Kim Jong Un não ficaria triste?

  • É sempre bom lembrar que os alvos da Coréia do Norte podem não estar no noroeste dos EUA (cerca de 8500 Km). O Japão ainda possui algumas bases americanas. A maior delas com 25.0000 soldados. A distância de Pyongyang até este ponto do Japão é de apenas 1500 Km metade do alcance estimado de um dos mísseis que a Coréia do Norte possui.

  • Anndrey Francys

    Maluco não tem preocupação.

  • opivm

    Excelente artigo.

  • Se essa estratégia dá certo para EUA e Israel, por que não?

  • Governo da Coreia do Norte esquizofrênico.

  • Kidjapa

    Ainda acho, que o EUA tem mais de ficar quietinho se não quiser uma segunda derrota “estilo Vietnam”.

  • Pingback: Coréia do Norte reacende o tema da guerra nuclear « Instigatorium()

  • Li sobre isso no cracked… se juntar com o que o vice ja publicou, será que a gente consegue pensar até em um segundo “Vietnã” ?

    http://www.vice.com/pt_br/read/como-se-preparar-para-uma-invasao-norte-coreana

  • Pingback: Coréia do Norte reacende o tema da guerra nuclear | InstigatoriumInstigatorium()

  • Pingback: Coreia do Norte anuncia lançamento de satélite, EUA entende, I kill you!!! - Deviante()