Facebook Portal faz chamadas com o Messenger e tem suporte a Alexa, mas você confiaria?

O Facebook está entrando no mercado de assistentes pessoais, com o Portal, sua própria versào do Echo Show, um aparelho criado basicamente para fazer chamadas de vídeo pelo Messenger, com suporte a comandos de voz via Alexa. O Portal vem sendo especulado há mais de um ano, e ao contrário do Echo Show ou do Echo Spot, pode fazer chamadas para qualquer usuário do Messenger, não só quem tem o assistente.

Como a privacidade hoje em dia é mais importante do que nunca para os usuários, e o histórico da empresa não ajuda em nada, o Portal tem vários detalhes que foram pensados para tentar deixar os usuários mais tranquilos, mesmo quando estão colocando uma câmera e um microfone do FB em suas casas.

Tampa da câmera do Facebook Portal, novo assistente pessoal com Alexa

O microfone do Portal pode ser desativado com um toque, e ele também conta com uma tampa plástica para a câmera, algo que tenho certeza que foi o próprio Zuck que pediu para incluir, já que ele faz isso há anos. Indo além da tampa e do botão mute, a função Smart Camera usa recursos de AI que rodam no próprio aparelho, e não nos servidores do Facebook, segundo as informações dos próprios. Eles também dizem que a câmera do Portal não usa o reconhecimento facial para identificar seus usuários.

Para enviar seus comandos ao assistente, é preciso chamá-lo pelo nome, falando a frase “Hey Portal.” No site do produto, o Facebook garante que o Portal não vai escutar ou assistir conversas dos usuários, e muito menos gravá-las para a posteridade. Ainda bem, né? É o mínimo que se espera!

Toda a atividade feita no Portal fica gravada no histórico de atividades do Facebook, mas pode ser apagada pelo usuário. A empresa sabe muito bem que um produto como o Portal pode despertar a desconfiança de usuários sobre a privacidade dos seus dados, agora nos resta saber se todos esses recursos e funções do aparelho poderão amenizar esta preocupação dos consumidores.

Pra quem não tiver essa desconfiança com possíveis invasões de privacidade, a promessa do Portal é que ele seja uma nova forma de se comunicar, dando a sensação de estar no mesmo ambiente, segundo o seu vídeo de demonstração. Pra atingir esse nível de interação e intimidade mesmo à distância, ele conta com quatro microfones com cancelamento de ruídos, para destacar apenas a voz das pessoas, reduzindo os barulhos da casa ao redor.

Outro trunfo do Portal é a sua câmera de 12 megapixels, que tem um ângulo de 140º e zoom de 8x. Ela é capaz de fazer o rastreamento das pessoas, e as acompanhar pela sala durante uma chamada. Esse recurso pode ser muito divertido e útil, quando você quer mostrar alguma coisa no vídeo, como sei por experiência própria com o Mavic Air e o meu Osmo Mobile 2. Uma utilidade prática da Smart Camera do Portal, é que quando outra pessoa entra na sala, a câmera se ajusta automaticamente para tentar incluir todo mundo no quadro.

Um recurso que tem potencial tanto pra agradar quanto pra desagradar (muito) a gregos e troianos é o que percebe que o usuário está em casa, e avisa aos seus amigos do Messenger, que poderão ligar pra ele a qualquer momento. Outra coisa que alguns vão adorar, enquanto outros vão achar bem desnecessário, é que o Portal tem suporte a máscaras e outras brincadeiras de realidade aumentada do Facebook.

O Portal pode ser programado para só poder ser usado com um código pin, caso o usuário não queria que outros usem o assistente enquanto ele estiver fora de casa. Deixando a questão de privacidade de lado, pra quem usa o Facebook todo dia, e principalmente o Messenger para chamadas de trabalho, o Portal pode ser uma solução bem interessante. Pra quem não usa, como eu, é algo que simplesmente não faz muito sentido, afinal existem outras opções de assistentes pessoais com tela, como o Echo Show ou outros concorrentes da LG e Lenovo.

Se a pessoa não quiser usar ele para fazer chamadas, e apenas como um portal para a Alexa, ele também conseguiria dar conta do serviço, mas ele tem um grande problema, que é o seu conteúdo. No momento ele tem suporte ao Spotify, Pandora e Food Network, entre outros, mas me parece muito pouco.

A empresa diz que ainda está negociando com possíveis parceiros, mas por enquanto, como bem lembrou a CNBC, o Portal vai sair de fábrica sem suporte a Netflix, HBO Now ou mesmo o YouTube, ou seja, só vai funcionar mesmo pra quem consome todo o seu conteúdo pelo Facebook. Eu não duvido que existam muitas destas pessoas, ou mesmo que ele venha a ser um grande sucesso de vendas, só que eu não sou uma delas, muito pelo contrário.

Um pequeno alento é que ao contrário da concorrência, ele não vai mostrar anúncios, pelo menos não neste primeiro momento, a não ser que eles sejam exibidos por terceiros, mas só a questão dele não ter suporte a nenhum outro serviço de conteúdo, já meio que inviabiliza o produto pra mim, além dele inicialmente só ser vendido nos Estados Unidos. Apesar deles dizerem que não, eu sinceramente não duvido que em um futuro próximo, o Portal passe a mostrar os anúncios do Facebook, principal ganha-pão da empresa.

Facebook Portal

O Portal tem duas versões, uma com tela de 10 polegadas e a outra com tela bem maior, o Portal+ de 15,6 polegadas. A tela do Portal+ pode ser girada para chamadas na vertical ou na horizontal. Os dois estão em pré-venda por US$ 199 pelo Portal e US$ 349 pelo Portal+. Se o Portal é mais barato que o Echo Show e outros concorrentes, o Portal+ tem um valor bem salgado para pagar por algo que só vai tocar vídeos do FB. Os aparelhos serão entregues a partir do mês que vem.

Saiba mais sobre o Portal em seu site no Facebook.

Relacionados: , , , , ,

Autor: Nick Ellis

Nick Ellis é autor do Meio Bit, Digital Drops e Blog de Brinquedo.

Compartilhar