Home » Ciência » Engenharia » NASA vai permitir que empresas construam um puxadinho na ISS

NASA vai permitir que empresas construam um puxadinho na ISS

A Estação Espacial Internacional está com os dias contados. Provavelmente será repassada para empresas privadas, e planejando isso a NASA começa a abrir espaço para propostas de uso das portas de atracação, quem tiver dinheiro poderá fazer seu puxadinho orbital…

2 anos e meio atrás

expansion_progress8

A Estação Espacial Internacional é uma das maiores criações da Humanidade: por 17 anos tem mantido uma presença constante de humanos no espaço. Claro, se colocarmos na horizontal eles estão mais perto da Terra do que Rio de São Paulo, mas espaço é espaço. Se bem que é estranho usar essas cidades como exemplo, acaba lembrando que o Brasil foi o único país que foi expulso do projeto por incompetência e calote.

Projeto que custa bem caro, esse é o problema. O custo estimado total é de US$ 166 bilhões. Só o orçamento da NASA específico para a ISS totaliza mais de US$ 60 bilhões e isso nem leva em conta os 36 vôos de ônibus espaciais que levaram os módulos da estação. Custo de cada vôo: US$ 1,4 bilhão.

A NASA percebeu que manter esse elefante branco no espaço limita o que ela pode fazer, e os próprios russos já disseram que não têm interesse em continuar o projeto além de 2024, e vão cortar um dos três cosmonautas a bordo.

A saída é repassar a estação para operadores privados. Um primeiro passo acabou de ser dado: estão aceitando propostas para uso das portas de atracagem, com direito a módulos e astronautas de empresas particulares. Se as propostas chegarem provavelmente serão tratadas com mais agilidade do que o módulo de testes da Bigelow, que foi atuchado na estação, inflado e fechado, e ficará assim por mais de um ano, quando depois será desprendido e jogado fora.

x33_venturestar_shuttle

X-33, Venture Star e o Space Shuttle, que elas deveriam suceder. A Venture Star era um espaçoplano SSTO — Single Stage To Orbit mas nunca saíram do papel, faltou verba.

Esse excesso de precauções é parte da imagem de que a NASA não faz nada. Partindo do zero chegaram na Lua em 10 anos, agora levam um ano pra descobrir se um balão funciona ou não?

A proposta é abandonar órbita baixa: é comum é trivial, e qualquer um chega lá. Com a verba que sobrará a NASA poderá se concentrar em Marte, mas o risco é que sejam ultrapassados pela concorrência. Convenhamos, um lançamento do SLS, o futuro foguete interplanetário da NASA custará mais de US$ 1 bilhão, Elon Musk tem uma crise de risos cada vez que vê isso.

Quanto ao resto do plano, sendo realista pode ser que não dê certo. Adicionar novos módulos é excelente, mas assim como em um PC, em algum momento seus upgrades dependerão de um núcleo antigo, e manter legado é sempre caro.

A ISS é ótima mas é baseada em tecnologia de 30 anos atrás, nesse meio-tempo aprendemos muito sobre tecnologia espacial, um consórcio de empresas talvez ache mais lucrativo e eficiente começar uma estação espacial do zero, do que atrelar sua tecnologia a padrões 30 anos ultrapassados.

Ainda mais com uma nave da classe Heart of Gold da SpaceX, que custará US$ 200 milhões e é reutilizável tendo mais área útil interna do que toda a Estação Espacial Internacional.

Fonte: The Verge.

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários