Home » Meio Bit » Destaque » Resenha: Netbook Asus EeePC 1000HA

Resenha: Netbook Asus EeePC 1000HA

9 anos e meio atrás

Se algo de bom surgiu do projeto do OLPC foi a percepção de que havia um mercado para computadores de baixo custo, baixa performance e alta portabilidade. Infelizmente o Mercado às vezes é implacável, destruindo e adaptando conceitos. O mesmo público que propiciou a criação de netbooks como o primeiro Eee PC começou a rejeitar máquinas limitadas, e a exigir se não performance, pelo menos uma ambientação idêntica ao computador que tinham em casa.

O Asus EeePC 1000HA deste artigo é fruto disso tudo. A performance é de um notebook de baixa potência, mas os recursos são melhores do que o desktop de muita gente. O tamanho mesmo ainda é minúsculo, mas bem menos minúsculo do que as primeiras versões. A própria tela de 10 polegadas não dá a impressão de ser pequena. O que não impede de existirem netbooks com tela de 11, 12 e até gente prometendo 13 polegadas.

eee1

 

Tirando da Caixa

O Asus 1000HA vem em uma caixa bem melhor do que a maioria dos notebooks.Minha irmã comprou um Dell e parecia que tinha encomendado bacalhau. Uma caixa de papelão, sem alma. O Eee não é nem de longe um Apple, mas a embalagem é bem mais “comercial”:

eee2

Dentro da caixa, temos:

  • 343 manuais e folhetos
  • CD com drivers
  • O Eee
  • Capa de proteção
  • Bateria
  • Fonte

Só isso. Parece pouco mas ainda assim é muita tralha:

eee3

A bateria é um trambolho de 6 células que promete teóricas 7 horas de autonomia. A Asus conseguiu transformar essa granada de mão em algo útil;a bateria ajuda a elevar a traseira do Eee, colocando-o em um suave ângulo, que facilita a digitação.

A fonte é igualmente pequena. Não faz feio nem diante da fonte do Macbook, e humilha a maioria dos notebooks de verdade. Vejamos uma comparação do tamanho do Eee PC 1000 HA:

eee4

Como podemos ver ele desaparece diante de um maço de cigarros ou um HD normal. Mas e a tela?

eee5

A resolução de 1024x600 é bem mais confortável do que eu imaginava. Sim, fazemos mais scroll, mas não é nenhum horror. A largura acomoda a maioria dos layouts. Há botões de hardware que mudam a resolução para  800x600, 1024x768, 1024x768 comprimida (sem scroll) e os 1024x600 nativos.

O teclado:

eee6

Não é melhor teclado de netbook que já mexi. Essa posição é do insuperável teclado do HP Mini. Mas também não é o pior. Eu tenho ossos largos, então minhas patas de Shrek não se dão bem com teclados pequenos. O do 1000HA está no limite.

Em compensação as funções extras estão muito bem definidas, é possível desativar WIFI, chamar o Task Manager, selecionar monitores e até mudar as características de performance da máquina, só com as funções do teclado.

A acentuação também não é esotérica.US International, como Jeová queria que fosse.

Na parte de conexões, há poucas surpresas. Vamos a uma geral:

eee7 

Na traseira, nada. Não tem jogo. É quase toda tomada pela bateria. A ação terá que ser toda de ladinho:

eee8

No lado esquerdo, temos uma porta de cadeado, uma conexão RJ45 de rede, uma porta USB 2.0 e entradas de microfone/fone de ouvido.

eee9

No lado direito, um leitor de cartão SD(HC), duas portas USB, uma VGA e a conexão de força.

No painel frontal, a webcam de 1,3Megapixels e um array de 2 microfones, para videoconferências.

eee10

Na parte de baixo apenas dois parafusos separam o usuário do HD e da memória. Um chimpanzé treinado trocaria a memória em menos de 1 minuto. Pelo visto a Asus tinha facilidade de acesso em mente. Chupa, Apple, e seus macbooks novos onde até a bateria é interna agora.

O Eee na mão, no colo, na mochila, é muito, muito pequeno. Parece o Laptop da Barbie. Já comparado friamente, não parece pequeno assim. Na espessura, por exemplo, ele perde feio para o Macbook:

eee11

A culpa é da bunda. Sem essa traseira inconveniente, ele seria o fino que satisfaz. Se bem que se ele fosse mais leve e fino, correria o risco de ser levado pelo vento. E não, não estou exagerando.

Performance

eee12        

Sejamos realistas: Um netbook não foi feito para rodar Crysis. A gente só chama o chipset dele de 3D para não magoar a Intel, e os processadores Atom foram projetados pensando em consumo, não em performance. Não dá pra querer performance de um Alienware com preço de banana.

Eu conseguir rodar,com performance jogável, Battlefield 1942 e suas variantes, mas nem me animei a instalar qualquer coisa mais potente. Seria decepcionante E injusto, pois nunca foi essa a finalidade do netbook.

Já no que não exige processador Top e placas de vídeo parrudas, o bichinho funciona muito bem. Navegação, execução de vídeos em Tela Cheia, mesmo acessados via WIFI. O Windows Live Writer também funciona muito bem, e o único gargalo detectado foi o Firefox, rodando aplicações javascript pesadas, como Google Reader. Uma mudança para o Chrome resolveu completamente o problema.

Software

O Eee PC 1000HA vem com uma instalação do Windows XP Home, sem nenhuma grande otimização para netbooks, pronta para usar.O bloatware é reduzido, constando basicamente de uma instalação de testes do Office 2007 e algumas coisas da Norton, devidamente removidas. No pacote vem o Microsoft Works, uma mini-suite Office tão limitada e desatualizada que a interface é idêntica ao OpenOffice.

Também ganha-se um ano grátis do Eee Storage, um serviço online de armazenamento de arquivos, que a Asus tem a cara-de-pau de incluir como capacidade do Netbook, que passa de 160GB de HD para 170GB de armazenamento: 160 no HD, 10 online.

Autonomia

Assim como Steve Jobs tem um campo de distorção da realidade, marketeiros de tecnologia também dispõe de um. Por isso chegam ao cúmulo de colar um adesivo na máquina, dizendo que esta tem até 7 horas de autonomia, em um conceito fictício chamado de All Day Computing. Isso significa que se você não usar WIFI, não acessar rede, não fizer nada que faça o HD girar, colocar o brilho no mínimo, nem sonhar em passar filmes e tentar ao máximo não tocar no teclado, em teoria o computador funcionará por 7 horas seguidas.

Na prática essas 7 horas/marketing se transformam em 4 horas reais, ou mexendo nas configurações de performance, umas 5 horas.

Alguma coisa a Asus aprendeu com a Apple.

Utilidade

Eu estava atrás de um netbook faz tempo. Infelizmente a condição de blogueiro exige que usemos máquinas mais potentes, precisamos editar fotos, montar posts, fazer edição de vídeos, transmissões ao vivo via streaming, e um netbook básico não atende. Nem rodando o Opera, o Chuck Norris dos navegadores, que dizem fazer tudo isso.

Como 1000HA ganhei em autonomia, portabilidade e posso andar mais tranquilo, sem ter que andar pelas ruas com um Macbook na mochila. Até agora o único “problema” detectado é a falta de costume com o teclado, mas como este texto atesta, já está sendo superado, visto que o escrevi todo no netbook.

Conclusão

O Asus Eee PC 1000HA não é um notebook. Nunca tentou ser. Ele é um computador para necessidades específicas, focando em portabilidade. Não é para se tornar seu computador principal, mas para substituí-lo em viagens, ou no sofá. O som é bomo suficiente para encher uma sala, e é muito gostoso ver filmes com ele no peito, ainda mais no inverno,é quentinho. O acabamento é bom, melhor do que qualquer coisa xing-ling que estamos acostumados, embora fique claro que os designers da Asus não arrumariam emprego na Apple.

O 1000HA foi feito para ser pé-de-boi, não tem pretensões de design,não quer ganhar concursos de beleza. Tudo bem, eu também não. Valeu o investimento? Com certeza, encaixou-se certinho entre a minha necessidade e meu orçamento.

 

Dados Técnicos

Modelo: Asus EeePC 1000HA

  • Sistema Operacional: Windows XP Home
  • Memória: 1GB (expandido para 2GB)
  • HD: 160GB
  • Processador: Intel Atom N270
  • Clock:1,6GHz
  • Slot SD(HC)
  • 3 USBs 2.0
  • 1 VGA
  • WIFI 802.11b/g
  • Ethernet 10/100
  • Webcam 1.3Megapixels
  • Bateria de 6 células, 6600mAh, 7 horas/marketing
  • Peso: 1,3Kg
  • Dimensões: 26,67cm x 19,05cm x 3,81cm
  • Preço: US$339,99 ou R$1250,00 no Brasil

relacionados


Comentários