Home » Filmes e séries » Três anos depois, Google já vendeu mais de 30 milhões de Chromecasts

Três anos depois, Google já vendeu mais de 30 milhões de Chromecasts

Não tem para ninguém: o Chromecast deixa a concorrência comendo poeira com mais de 30 milhões de unidades vendidas desde 2013.

3 anos atrás

chromecast-1st-2nd-generation

Eu fiz minha parte para ajudar nesses números ?

O produto mais popular, acessível e democrático do Google é um sucesso retumbante. Não estou falando do Android e sim do Chromecast, o dongle que transforma qualquer TV em um dispositivo smart com acesso pleno à internet, fornecendo funções para lá de úteis e interessantes.

Três anos após o lançamento da primeira geração, o Google comemora o assombroso número de mais de 30 milhões de unidades vendidas.

A ascensão do dongle do Google é fácil de ser compreendida. O Chromecast é um dispositivo simples que segue a filosofia do “it's just works” da Apple melhor do que a própria: enquanto a Apple TV só conversa com produtos de sua própria família, o pequeno notável de Mountain View se conecta com praticamente qualquer gadget de transmissão de conteúdo, inclusive iPhones e iPads (ele só não espelha a tela dos mesmos, mas aí seria pedir demais). Com uma lista gigantesca de apps compatíveis, você pode assistir filmes e séries na Netflix, consumir os vídeos de seus canais favoritos do YouTube, acompanhar transmissões do Twitch, ouvir música via Spotify e Deezer, até mesmo jogar alguns games.

horizon-chase

Horizon Chase, dos gaúchos da Aquiris Game Studio (vencedores do BIG Festival 2016) é um dos games que ficam incríveis na TV

O outro ponto decisivo para seu sucesso é obviamente o preço. A Apple TV, embora tenha atingido a marca de 25 milhões de unidades vendidas desde 2007 é bem mais cara que o concorrente: a terceira geração custava originalmente US$ 99 e a mais nova encarnação, que incorporou apps, Siri e se tornou um microconsole pleno (o último da Terra) não sai por menos de US$ 149 nos Estados Unidos, sem falar nos valores brasileiros insanos. O Roku, outro concorrente direto custa entre US$ 59,99 e US$ 89,99 (só recentemente a versão Stick chegou ao mercado, por US$ 39,99) e a fireTV da Amazon varia entre US$ 39,99 e US$ 139,99.

O Chromecast chegou ao mercado por ridículos US$ 35 e assim permaneceu em sua segunda geração, mais veloz e poderosa e em sua variação para dispositivos de áudio. Infelizmente o preço inicial de R$ 199 da época de seu lançamento oficial no Brasil em 2014 não permaneceu nos novos modelos, mas paciência; a alta do dólar afetou tudo e todos, sem exceções.

Durante a teleconferência da Alphabet Inc. destinada a discutir os resultados financeiros da companhia no último trimestre, o CEO do Google Sundar Pichai quebrou a tradição de nunca divulgar números concretos, revelando que em três anos de estrada mais de 30 milhões de unidades do Chromecast já foram enviadas às lojas. Ainda que isso não represente um número real de vendas, é fato que devido ao baixo preço é seguro afirmar que a quantidade exata é algo muito próximo disso. Vale lembrar que em maio de 2015 o Google afirmou ter enviado mais de 17 milhões de unidades e no último Google I/O, esse número já havia subido para mais de 25 milhões de Chromecasts. É muita coisa.

Em 2015 o dongle do Google foi o aparelho de streaming mais vendido em todo o mundo, detendo 35% do market share. E isso levando em conta que a Amazon não vende mais o Chromecast como forma de privilegiar sua própria solução. Não deu muito certo e se compararmos com os números de 2014, fica claro que o domínio da gigante das buscas no setor só faz crescer.

O futuro? Concorrentes de empresas pequenas dificilmente conseguirão se manter, o Roku, a fireTV e até mesmo a Apple TV perderão terreno e o Chromecast ocupará cada vez mais espaço por ser um gadget praticamente perfeito: pequeno, portátil, barato (na civilização), recheado de funcionalidades óbvias e secretas (ou nem tanto) e com extenso suporte por parte dos desenvolvedores.

Fonte: recode.

relacionados


Comentários