Home » Cultura » Spotify planeja limitar severamente seu plano gratuito

Spotify planeja limitar severamente seu plano gratuito

Fontes indicam que Spotify planeja tornar sua modalidade gratuita inviável para forçar usuários pagarem pelo streaming… ou fugirem para a concorrência

4 anos atrás

spotify

E a guerra do streaming continua a todo vapor. A gente sabe que o formato não agrada gravadoras e artistas, neste último caso temos Taylor Swift e Prince mandando o formato às favas a preferindo controlar seu material eles mesmos. No geral eles não gostam do pouco dinheiro que o formato paga, mas são obrigados a engoli-lo devido à queda geral das vendas de música (embora o formato tenha recebido uma lufada de ar fresco recentemente, ainda que com a venda de LPs).

Serviços como o Spotify mantém acordos com a indústria da música, mas em geral os artistas e selos não gostam do ínfimo repasse de grana do formato e querem mais. Assim, uma das formas seria pressionar os canais a trancar o serviço, oferecendo apenas a modalidade paga ou restringir o modo gratuito ao máximo.

O Spotify estaria sendo pressionado para observar essa exigência, e denúncias apontam Cupertino como principal interessada nesse movimento a fim de promover seu Apple Music. E segundo informes parece que a companhia deu ouvidos às exigências.

De acordo com fontes apuradas pelo site Digital Music News as gravadora Universal, Warner e Sony vão renegociar seus contratos em outubro com novas regras, e uma delas seria justamente colocar uma barreira definitiva entre as músicas e os usuários que não desejam abrir a carteira. Os três selos já são acionistas do serviço e recebem uma taxa de US$ 0,007 por execução de música, fora o retorno com ads. Só que dos 60 milhões de assinantes do serviço apenas um terço são pagantes. Portanto, as gravadoras e artistas querem mais dinheiro.

taylor-swift

Taylor Swift, uma das artistas mais descontentes com o formato de streaming

Como ficaria a modalidade gratuita? De acordo com a denúncia ela sofreria restrições como atraso no lançamento de álbuns e mesmo assim, só uma ou duas faixas seriam liberadas gratuitamente daqueles mais recentes ou mais procurados pelos usuários, a fim de força-los a pagar por uma assinatura. A veiculação de ads continuaria, e álbuns menos importantes ou mais antigos seriam liberados com um tempo limite. E claro, nem todos os discos e músicas seriam liberados gratuitamente, mesmo com o passar do tempo.

Em suma, a ideia seria tornar o modo free tão inviável a ponto de obrigar o usuário a fazer a assinatura mensal do Spotify, garantindo mais dinheiro para o serviço e um repasse maior para os donos do conteúdo. Segundo as fontes o CEO Daniel Ek teria sido obrigado a engolir as condições das gravadoras, pois ele não estaria a fim de restringir o modo gratuito.

Oficialmente o Spotify negou todos os rumores recorrentes sobre a limitação do modo free, mas é fato que eles vão e voltam constantemente. Só nos resta esperar os próximos meses e verificar quem está certo nessa história e infelizmente, não duvido que tais restrições se tornem realidade.

Fonte: Digital Music News.

relacionados


Comentários