Home » Cultura » Tidal quer ser um tsunami e não uma marola no mercado de música por streaming

Tidal quer ser um tsunami e não uma marola no mercado de música por streaming

O rapper (e milionário) Jay-Z juntou um super time de artistas para divulgar seu serviço de streaming de músicas Tidal, que chega para enfrentar o poderoso Spotify com armas como formato de áudio em alta definição, curadoria de conteúdo e a proposta de pagar mais royalties aos artistas. Será que vai dar certo? Leia o post no MB Pop.

5 anos atrás

tidal_2

Jay-Z e vários amigos tão (ou mais) famosos do que ele apresentaram com pompa e circunstância o relançamento do Tidal, serviço de streaming de músicas que ele comprou em janeiro da empresa Aspiro por cerca de US$ 55 milhões. Apesar do hype de ser uma verdadeira revolução que irá mudar o mercado, e de ter juntado uma verdadeira seleção de cantores e músicos no seu lançamento, a verdade é que o Tidal vai lutar duro para conquistar um número expressivo de assinantes e mostrar que veio para brigar de igual para igual com seu principal concorrente, o Spotify.

Como armas para isto, o Tidal oferece um catálogo com 25 milhões de músicas disponível em duas versões, uma com qualidade normal por US$ 9,99 e outra em alta definição por US$ 19,99 mensais; mais precisamente no formato FLAC, o mesmo usado pela loja Pono de Neil Young. O grande problema é que não existe nenhuma opção gratuita disponível, ao contrário do Spotify.

Além do formato Lossless, outro argumento de venda são alguns lançamentos exclusivos dentro do Tidal e a curadoria de playlists feitas por artistas, que estão disponíveis nas duas versões. Também é importante lembrar que você quiser assinar o serviço de alta fidelidade, é importante comprar um fone de ouvido ou um equipamento de som que permita aproveitar a qualidade das músicas.

Para os próprios artistas, o diferencial é que o Tidal promete pagar até o dobro dos royalties dos concorrentes, pelo menos na versão Lossless. Segundo relatos, Jay-Z estaria dando alguns milhões de dólares e uma participação na empresa para os grandes artistas que pegarem esta onda com ele, e esta estratégia parece estar dando certo, se levarmos em conta a reunião de ontem em Nova York.

tidal_1

Na apresentação do Tidal, Jay-Z conseguiu reunir um super time com Jack White, Kanye West, Usher, Arcade Fire, Deadmau5, Madonna, Nicki Minaj, Beyonce, Rihanna e os franceses do Daft Punk e seus capacetes, além de Chris Martin do Coldplay e Calvin Harris via Skype, que ficaram assistindo Alicia Keys falar sobre as supostas vantagens do Tidal: “Jimi Hendrix uma vez disse que a música não mente”, disse Alicia Keys na apresentação, antes de citar Nietzsche: “sem música, a vida seria um erro”.

Eu assisti o vídeo inteiro ao vivo e achei tudo meio estranho, a sensação é que era um “We Are The World” no qual os artistas não cantaram, só assinaram um documento. Madonna foi a responsável pelo melhor momento e por vários risos ao se debruçar na cama mesa na sua vez de assinar. Antes de terminar seu discurso inflamado, Alicia lembrou que este é o primeiro serviço de streaming que é uma propriedade de artistas, mas será que isto vai fazer alguma diferença pro consumidor?

Indo ao que interessa, será que o Spotify deve ficar preocupado? Eu sinceramente acho que não, pois quem já tem 15 milhões de clientes pagando mensalmente pode ficar tranquilo com um novo concorrente que começa com poucos assinantes e nem sequer uma versão gratuita. O que pode mudar esta maré são os lançamentos exclusivos feitos só para o Tidal, que no começo não chegaram a chamar tanta atenção. Por enquanto o Tidal não chega a ser uma pulga atrás da orelha, mas os executivos do Spotify certamente estão de olho em todo este movimento.

Além do seu maior rival Spotify, o Tidal também terá que enfrentar a Apple, que ganha muito dinheiro com a venda de álbums na iTunes Store, comprou a Beats Music, tem o iTunes Radio e ainda deve lançar outro serviço de streaming ainda este ano, e tudo que indica, também com uma versão Lossless. Por enquanto, no entanto, o Tidal ainda precisa simplesmente mostrar ao que veio para realmente se tornar o tsunami que Jay-Z gostaria que ele fosse.

Fonte: Consequence of Sound.

Clique abaixo para ver a apresentação para a imprensa.

http://www.youtube.com/watch?v=egShCjfvi9sBeyoncé, Rihanna, Nicki Minaj, Madonna, Usher, Calvin Harris Tidal Press Conference 2015

Atualização: o Tidal compartilhou em sua página no Facebook um vídeo que mostra o (pouco) que tem de exclusivo pra oferecer neste lançamento.

relacionados


Comentários