Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

Remake de Icewind Dale se torna uma possibilidade

Por em 18 de abril de 2012

dori_ice_16.04.12

Aqueles que gostam de RPGs no estilo do Baldur’s Gate sem dúvida gostaram muito da notícia de que o clássico da BioWare em breve ganhará uma versão remasterizada, mas de acordo com Trent Oster, presidente da Beamdog, estúdio responsável pela volta do jogo, se ele mostrar-se um sucesso comercial, o próximo passo seria dar o mesmo tratamento ao Icewind Dale.

A revelação foi feita através da conta no Twitter do executivo, onde ele também disse que se o jogo for refeito, deverá utilizar todas as classes e kits do Throne of Bhaal, expansão criada para o Baldur’s Gate 2: Shadows of Amn.

Vale lembrar que embora tenha sido produzido pela Black Isle Studios, o Icewind Dale também utilizava o conjunto de regras do Dungeons & Dragons e foi desenvolvido em cima da Infinity Engine, mesma ferramenta que deu vida à franquia da BioWare. Isso tornaria mais fácil o trabalho da Beamdog, que teoricamente não encontraria muitos problemas no remake, já que a estrutura dos jogos é bastante parecida.

Por enquanto teremos que nos contentar com o Baldur’s Gate: Enhanced Edition, previsto para ser lançado durante o nosso inverno, mas como ele não deverá custar mais do que US$ 10, acho que a aceitação será grande e em breve outro clássico do gênero deverá estar disponível.

[via Eurogamer]

emComputadores Museu

Um Castlevania dentro do Minecraft

Por em 13 de abril de 2012

Você pode até não gostar do Minecraft, mas admita, como são legais as recriações feitas pelo pessoal viciado no sandbox idealizado por Markus Persson. É impressionante a habilidade e a paciência de alguns para homenagear algumas de suas marcas preferidas, o que muitas vezes resulta em vídeos muito interessantes, como este abaixo.

Nele podemos ver o fantástico resultado do trabalho de Nick “Nario” Hagman, que dedicou mais de 100 horas de trabalho ou 37 dias seguidos para recriar o memorável Castlevania, bloco por bloco e algo muito legal é que enquanto assistimos o rapaz jogando com uma visão lateral, uma tela menor mostra a jogabilidade em primeira pessoa.

Caso você tenha interesse em jogar esta versão, digamos, 2D 1/2 do game da Konami, ela pode ser adquirida neste link e a skin de Simon Belmont neste aqui. Claro, você não encontrará nesses arquivos a dificuldade do original, nem mesmo os seus inúmeros irritantes inimigos, mas pelo menos servirá para nos lembrar de um dos jogos mais emblemáticos da história e o que pode surgir da dedicação de um fã.

continue lendo

emComputadores Museu Vídeos

The Legend of Dragoon será vendido pela PSN

Por em 12 de abril de 2012

dori_tld_12.04.12

Talvez não seja correto afirmar que o Playstation foi o console com os melhores RPGs da história, porém, o primeiro console da Sony merece um lugar de destaque quando o assunto é esse tipo de jogo e um dos títulos lançados para ele que mais ganhou admiradores foi o The Legend of Dragoon.

Desenvolvido pela própria Sony, o jogo que ocupava espantosos quatro CDs levou quase três anos para ser concluído e foi lançado próximo do ciclo de vida do console, o que acabou fazendo com que muitos não conhecessem aquela que é apontada como uma das mais bonitas criações do PSOne, algo que deixará de ser um problema em breve.

Isso porque a empresa anunciou que a partir de 1º de maio poderemos adquirir o The Legend of Dragoon digitalmente através da PSN e uma boa notícia para aqueles que o achavam muito difícil é que a equipe responsável pela adaptação balanceou algumas áreas, mas nada foi dito em relação ao preço que será cobrado, que desconfio ficará em US$ 9,99.

Infelizmente eu sou um dos que nunca colocou as mãos neste clássico, mas com este lançamento tudo ficará bem mais fácil. Mas e aí, alguém recomenda a compra?

[via Playstation Blog]

emMuseu Sony

Morre fundador da Commodore e ex-dono da Atari

Por em 10 de abril de 2012

dori_jac_10.04.12

O mundo da computação perdeu no último domingo, aos 83 anos, uma de suas figuras mais importantes, Jack Tramiel, fundador da Commodore International. Nascido na Polônia em 1928, o judeu foi mandado com sua família para Auschwitz, sendo transferido depois com seu pai para um campo de concentração perto de Hannover, de onde foi solto após o término da Segunda Guerra e em 1947 acabou migrando para os Estados Unidos.

Lá ele criou uma empresa dedicada ao conserto e venda de máquinas de escrever, que com o tempo passou a comercializar calculadoras e posteriormente computadores. A companhia lançou alguns modelos, mas ganhou notoriedade mesmo com o Commodore 64, que tornou-se o computador pessoal com as melhores vendas da história, com cerca de 17 milhões de unidades vendidas entre 1982 e1994.

Porém, Tramiel foi afastado da sua própria empresa e em 1984 aproveitou a dificuldade encarada pela Atari Inc. após o Crash de 1983 e adquiriu uma divisão da empresa responsável pela criação de jogos, consoles e computadores, rebatizando-a como Atari Corporation.

Tramiel foi responsável por ajudar a popularizar a ideia de que todos poderiam ter um computador em casa, um pioneiro que se não tinha a mesma popularidade de um Steve Jobs, deixa um legado tão importante quanto o do fundador da Apple e como ele dizia, fazendo computadores “para a massa e não para as classes”.

[via Forbes]

emMiscelâneas Museu

A série Double Dragon está voltando

Por em 4 de abril de 2012

dori_ddn_04.04.12

Essa é para o pessoal que assaltava o porquinho da mãe para poder comprar fichas no fliperama ou passava as tardes grudados no seu Nintendinho tentando derrotar os Black Warriors. A Majesco anunciou a produção do Double Dragon: Neon, novo capítulo da série que será lançado através da PSN e da Xbox Live durante o nosso inverno.

O jogo fará uma homenagem à década de 80 (daí o subtítulo Neon), mantendo a boa e velha jogabilidade em duas dimensões, com a progressão acontecendo da esquerda para a direita e está sendo desenvolvido pela Wayforward Technologies, empresa que possui no seu portfólio títulos 2D que foram muito bem recebidos, como o Shantae: Risky’s Revenge e o Contra 4.

A história será muito semelhante a do original, onde os irmãos Billy e Jimmy Lee terão que salvar Marian da gangue comandada pelo vilão Skullmageddon e além das habilidades dos personagens nas artes marciais, encontraremos algumas armas pelos estágios, como tacos de baseball, chicotes e até granadas.

Por essa eu sinceramente não esperava e enquanto o jogo não chega, ficarei torcendo para que sua jogabilidade seja mais fluída que do original e estarei sonhando com o dia em que poderei encarar o jogo ao lado de um amigo, apenas para no final medirmos força e descobrirmos quem ficará com a moçoila.

[via IGN]

emMicrosoft Museu Sony

Remake de Baldur’s Gate não custará mais que US$ 10

Por em 29 de março de 2012

dori_bal_28.03.12

Há poucos dias tivemos a confirmação de que o clássico Baldur’s Gate está sendo refeito, o que já seria motivo para muita alegria, mas a Overhaul Games liberou uma informação que era muito aguardada por várias pessoas, a confirmação de que o remake, além do PC, será lançado também para o iPad.

Saiba também que de acordo com Cameron Tofer, COO da Beamdog que conversou com o pessoal do Kotaku, apesar de o game contar com uma enorme quantidade de conteúdo, oferecendo mais de 80 horas de aventura, seria loucura cobrar mais do que US$ 10 por esta nova versão, o que tornará sua aquisição ótimo negócio, mesmo porque este é o preço cobrado pelo original.

Voltando à versão para o iPad, o IGN teve acesso a uma versão preliminar e disse que todas as novidades do jogo para PC estarão presente, incluindo a atualização gráfica proporcionada por uma versão melhorada da Infinity Engine, a integração com o pacote Tales of the Sword Coast, novas missões e o mais importante, constataram que a conversão está rodando de maneira fluída e com a tela sensível ao toque funcionando muito bem como interface.

Em desenvolvimento pela Overhaul Games, Baldur’s Gate: Enhanced Edition deverá ser lançado ainda este ano para as duas plataformas e a previsão é que sua sequência também receba o mesmo tratamento.

emComputadores Museu Portáteis

Diretor de arte critica Silent Hill HD Collection

Por em 28 de março de 2012

Você já deve ter me visto defendendo o lançamento de coleções com versões remasterizadas jogos da geração passada, mas de vez em quando algumas delas acabam se tornando motivo de críticas e reclamações, como está sendo o caso do Silent Hill HD Collection. Primeiro a coletânea sofreu ataques dos fãs por não trazer as dublagens originais e por ter esquecido o primeiro e o quarto capítulo, mas agora um dos principais indignados com o trabalho feito pela Konami é Masahiro Ito, diretor de arte dos três primeiros títulos da série.

Ao ser questionado sobre o que achava da imagem abaixo, que compara o original ao “remake”, ele respondeu o seguinte pelo Twitter:

As da esquerda são em HD, certo? Está muito pobre. Essa é mesmo a versão lançada, de verdade?

Após receber a resposta de que se tratava da versão final do jogo, Ito mostrou-se surpreso e disse esperar que a Konami lance uma atualização para a compilação, mas então tratou de voltar seus ataques para o Playstation 3.

Acho que esse é um problema do PS3. O PS3 tem um ponto fraco ao usar ‘texturas transparentes’, mas o PS2 não tinha e os SH2/SH3 originais usavam muitas ‘texturas transparentes’. Um exemplo, para o nevoeiro/neblina.

Ao ver as imagens abaixo é fácil entender o motivo da reclamação e por mais que eu estivesse disposto a investir nesse pacote, a análise do pessoal do Destructoid é bastante desanimadora, especialmente quando concluem dizendo que é “incompleto, defeituoso e visualmente piorado, Silent Hill HD Collection é um grande insulto da Konami à série.

dori_shhd_26.03.12

[via Eurogamer]

emMicrosoft Museu Sony