Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

Agora você pode jogar games antigos no Internet Archive

Por em 28 de dezembro de 2013

river-raid-cover

Embora todos nós viciados nessa parada de joguinhos adoram0s ver os lançamentos e as possibilidades que cada nova geração de consoles proporciona, para jogadores com mais de 25 anos nas costas é sempre muito legal parar um pouco, tirar aquele velho videogame de 16 ou mesmo 8 bits do armário e relembrar clássicos de uma época em que as coisas eram mais simples; multiplayer era sinônimo de reunir a galera da escola no fim de semana em casa para se entupir de salgadinhos e Tubaína, você não precisava atualizar o jogo ou o console toda vez que queria se divertir e assoprar a fita resolvia todos os problemas.

Para quem passou dos trinta como eu, muito provavelmente a lembrança de videogames mais antiga é a do Atari 2600. Para essas pessoas o site Internet Archive, considerado a memória vida não só da rede como da tecnologia em geral lançou nesta semana o Console Living Room, uma ENORME coleção de jogos vintage acessíveis pelo navegador, completamente de graça.

O Atari 2600 é o console com o maior número de jogos disponibilizados, sendo mais de 500. Entre os títulos estão clássicos absolutos como Enduro, River Raid, Pitfall, Adventure, Frogger, Space Invaders e Pac-Man, e até mesmo o famigerado jogo adulto Custer’s Revenge foi incluído. Em menor quantidade há jogos de outros quatro consoles, sendo eles ColecoVision, Magnavox Odyssey² (lançado aqui pela Philips como Odyssey já que o primeiro console da história, aquele desenvolvido por Ralph Baer nunca veio para cá oficialmente) e Astrocade, além do Atari 7800, que já era um console de terceira geração. No caso do Odyssey vale a curiosidade de descobrir o game original que foi renomeado aqui como Didi na Mina Encantada, além de entender que Munchkin (que foi chamado no Brasil de Come-Come) não é a bolota amarela da Namco.

Jason Scott, porta-voz da biblioteca virtual disse que o acervo vai se expandir bastante nos próximos meses, além de em breve corrigir o problema em que todos os games não possuem som. Em todo caso é uma excelente pedida para conhecer jogos antigos de forma rápida e o que melhor, de forma totalmente legal.

Fonte: Internet Archive via Mashable.

emCultura Gamer Museu Web Games

Conheça o novo dono da maior coleção de games do mundo

Por em 26 de dezembro de 2013

michael-thomasson-video-game-collection

Como o Dori vira e mexe afirma, o ato de colecionar games às vezes vai muito além da simples vontade de ter tudo de uma determinada franquia ou sistema, ou no caso de muitos verdadeiramente aficionados, simplesmente possuir tudo relacionado à indústria. Eu mesmo ensaio há anos iniciar uma coleção relativa ao Mega Man, mas nunca a coloquei em prática devido restrições orçamentárias e principalmente, de espaço físico.

Por isso eu fiquei verdadeiramente impressionado com o mais novo recordista do Guinness Book. Michael Thomasson, um homem de 43 anos da cidade de Buffalo, Nova York é o dono da maior coleção de videogames do mundo com um acervo de impressionantes 10.607 itens (segundo a publicação), entre inúmeros consoles e sistemas. Mais impressionante é o fato de se tratar de sua TERCEIRA coleção e que desde a contagem oficial ele já expandiu o acervo para 11 mil itens. Ele superou com folga o recordista anterior, que entrou no livro em 2010 com uma coleção de 8.616 jogos.

continue lendo

emCultura Gamer Miscelâneas Museu

Depois do Mega Man, fã modifica Nintendinho em homenagem às Tartarugas Ninja

Por em 24 de dezembro de 2013

nes-special-edition-tmnt

PlatinumFungi é realmente um retro-artista de mão cheia. Como se não bastasse há alguns meses atrás ele ter causado frisson e faniquitos de fãs tanto do NES quanto do Mega Man ao apresentar um console modificado em homenagem ao robozinho azul, ele resolve repetir a dose e apresentar sua mais nova criação: novamente um Nintendinho, porém modificado no tema das Tartarugas Ninja.

continue lendo

emComputadores Museu Nintendo

Primeiro Tomb Raider ganha versão para iOS

Por em 18 de dezembro de 2013

tomb-raider

Se tem uma coisa relacionada a games que acho que nunca esquecerei foi a primeira vez que vi o Tomb Raider rodando em um PlayStation. Estávamos na metade da década de 90 e na época, aquele jogo parecia muito diferente de tudo o que já havíamos visto. Assistir a Lara Croft correndo por aqueles imensos cenários ficou gravado na minha mente e não tenho dúvida de que foi um dos momentos mais incríveis que presenciei ao longo desses anos como gamer.

De lá para cá muita coisa mudou, a própria franquia passou por profundas alterações, inclusive perdendo boa parte da exploração e quebra-cabeças que tanto me agradaram quando joguei aquele clássico, mas se por algum motivo você não jogou o título que deu origem a uma das séries mais bem sucedidas da indústria, saiba que agora poderá faze isso até usando um celular ou tablet.

Disponível através da App Store para os dispositivos com pelo menos o iOS 7.0, o jogo é uma versão idêntica a original e a boa notícia é que para comprá-lo teremos que gastar apenas US$ 0,99, um valor irrisório se considerarmos o tempo que a aventura dura e a quantidade de diversão que ele pode nos proporcionar.

Esta versão é evidentemente mais recomendada para aqueles que fazem questão de ter o game em qualquer lugar, mas devido aos gráficos bastante datados e principalmente, a falta de controles físicos nessas plataformas, ainda acho que a melhor opção para quem quiser conhecer o início da série é o Tomb Raider: Anniversary, remake que manteve a maio parte dos elementos do original e ainda modernizou sua jogabilidade.

Fonte: TouchArcade.

emCelulares Jogos Museu

GOG está dando os três primeiros Fallouts

Por em 12 de dezembro de 2013

fallout

O GOG deu início ao seu período de promoções de fim de ano e além de uma baciada de jogos que serão vendidos por preços bem convidativos, com a lista de descontos mudando diariamente, o serviço de distribuição digital está com uma oferta simplesmente irrecusável.

Primeiro que aqueles que não possuem uma conta por lá, ao cadastrar-se terão direito a 12 títulos gratuitamente, mas o que realmente está chamando a atenção é a loja estar dando cópias do Fallout, Fallout 2 e do Fallout Tactics: Brotherhood of Steel, sem sorteio ou sem pegadinha, basta acessar este link, mandar concluir a “compra” e pronto, os jogos são seus!

É importante dizer que todos os jogos distribuídos pelo GOG são livres de DRM e eles garantem que se o título não rodar na sua máquina, o dinheiro será devolvido e como uma boa parte do que é vendido por lá são games bem antigos, é muito bom saber que poderemos jogar mesmo se estivermos usando as versões mais novas do Windows.

Além disso, os jogos costumam ter bastante material adicional, como papéis de parede, manual, guias e mapas, sem falar na comunidade que se formou em torno do site, sempre disposta a ajudar os outros usuários e muitas vezes ensinando a como ter uma experiência melhor nos títulos, dando os passos para eles rodarem em widescreen, por exemplo.

Por fim, saiba que a partir do ano que vem estes Fallouts deixarão de ser vendidos no GOG, mas desde que você os adicione à sua conta, serão para seus para sempre. Portanto, se você sempre teve vontade de jogá-los, está é sem dúvida a sua melhor oportunidade.

emComputadores Museu

GOG garante estorno caso jogo não funcione

Por em 10 de dezembro de 2013

gog

O maior mérito do pessoal do GOG certamente foi ter nos dado a oportunidade de comprar e jogar alguns títulos para PC que foram lançados há vários anos, sempre adaptados para as versões mais novas do Windows, mas outro ponto em que eles devem ser elogiados é em relação ao suporte ao usuário.

Uma das políticas do serviço é que eles farão o possível para que um determinado jogo rode na sua máquina, mas caso isso não aconteça, agora eles prometem devolver todo o valor pago por aquele game que teima em não funcionar.

Para que tenhamos direito à devolução, a pessoa deverá entrar em contato com o suporte deles em até 30 dias após a compra e se eles não encontrarem uma solução, o estorno será realizado. Além disso, “compras acidentais” também poderão ser devolvidas, desde que o pedido seja feito nos primeiros 14 dias e o título não tenha sido baixado.

O interessante nessa história é que como todos os jogos vendidos por eles são livre de DRM, não há nenhuma garantia de que a pessoa não aproveitará o game em outra máquina e de acordo com uma nota publicada pelo pessoal do GOG, isso mostra a confiança que possuem em seus consumidores. Sei não…

Enfim, essa postura pode até ser considerada normal por algumas pessoas, que dirão que eles não estão fazendo mais do que sua obrigação, mas então eu lembro que o tão adorado Steam não possui algo semelhante e não é raro comprarmos um jogo por lá que não funciona de jeito algum em nossos computadores e pelos relatos que li, raramente a Valve cancela uma compra, mesmo que possam retirar o game de nossa conta rapidamente.

Ponto para o GOG, que novamente deu uma lição de como tratar seus consumidores.

emComputadores Museu

Quer ganhar três jogos de PSOne?

Por em 25 de novembro de 2013

ps-home

Lembra da PlayStation Home? Sim, aquela espécie de Second Life da Sony que nunca pegou, mas que a empresa teima em tentar promover? Pois a alguns dias o serviço recebeu uma área dedicada ao PS4 e quem a visitar poderá ganhar três clássicos do primeiro console deles, o Warhawk, o Twisted Metal e o Destruction Derby.

Disponível já no início da Home, na sala chamada PlayStation 4 Experience temos um Vita em que podemos mexer, mas o grande destaque fica mesmo para a “Quest for Greatness”, um jogo onde deveremos encontrar 13 cartas espalhadas pelo cenário e solucionar alguns simples quebra-cabeças.

Exigindo algo em torno de 10 minutos para ser concluído, a caça ao tesouro ainda conta com alguns trailers e imagens do novo videogame da Sony, mas se você não quiser, nem precisará perder tempo assistindo, mesmo porque já deve ter feito isso no seu computador.

Completada a tarefa, você receberá códigos que darão direito ao download de tais jogos, que vale lembrar, rodarão tanto no PlayStation 3 quanto no Vita e embora eu tenha visto muitas pessoas reclamando que eles não valem o esforço de ter que baixar a Home e se aventurar por ela, fica a critério de cada decidir se este é um bom negócio.

A Sony poderia ter escolhido jogos melhores? Provavelmente, mas na época em que foram lançados eles eram bem divertidos e sejamos sincero, trata-se de brindes e ninguém é obrigado a aceitá-los. Só é bom correr, pois não foi dito até quando a promoção será válida.

Fonte: CVG.

emMuseu Sony