Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

A arte nas capas dos jogos do Atari

Por em 23 de setembro de 2013

atari-covers

Atualmente vivemos uma época espetacular quando se trata de games, onde até meros celulares são capazes de nos entregar experiências visuais incríveis, mas quando aquilo que era mostrado na tela não passava de simples formas geométricas, parte da diversão era tentarmos imaginar que aquele quadrado era um valente cavaleiro ou que pontos brilhantes caindo pela tela eram devastadores mísseis.

O que muitos de nós não percebiam ao encarar uma partida de Atari era que parte dessa atmosfera fantástica que criávamos ao jogar era influenciada pelas ilustrações presentes nas capas e cartuchos do videogame e em um artigo imperdível, o site The Verge falou um pouco sobre o trabalho de alguns do principais responsáveis por esta área.

A experiência de jogar não era 100% da experiência. Parte  do que completava o mundo era a arte que invocava esse outro lugar. Eu não estava mais na minha sala de estar; Eu estava em um planeta desolado ou no espaço e isso acontecia muito por causa da arte,” explicou Tim Lapetino, designer que está trabalhando em um livro sobre as artes das capas do Atari.

continue lendo

emCultura Gamer Games Museu

E se o Sonic tivesse sido lançado para o Atari?

Por em 18 de setembro de 2013

Zippy-the-Porcupine

Entre as muitas memórias relacionadas a games que espero nunca perder está a primeira vez que joguei o Sonic the Hedgehog. Sendo na época o único entre meus amigos que possuía uma Mega Drive, ver aquele personagem correndo numa velocidade absurda pela colorida primeira fase era algo inacreditável e devido a grande quantidade de detalhes mostrados na tela, era quase possível sentirmos o vento em nossos rostos.

Idealizado não só para entregar um mascote de peso para a Sega, o jogo também servia para mostrar a capacidade técnica do seu mais poderoso console e embora versões mais simples tenham aparecido no Master System e no Game Gear, será que ele também teria se destacado se tivesse sido lançado alguns anos antes, para o Atari?

Pois se tentar imaginar como um game assim ficaria num console tão limitado é difícil demais para você, uma pessoa conhecida como Sprybug resolveu usar seus conhecimentos para criar um demake chamado Zippy the Porcupine e o resultado pode ser visto no vídeo abaixo.

Embora ainda esteja sendo desenvolvido, o jogo já conta com muitas das características do original, como as moedas para serem coletadas, os loopings e o característico movimento do personagem que o transforma em uma bola, mas o que me deixou triste foi a ausência da inesquecível trilha sonora.

Segundo o desenvolvedor, a meta agora e criar os outros estágios, incluir batalhas contras chefes e várias outras coisas, mas ele admite que não tem muita certeza se haverá ROM suficiente para tanta coisa. Mesmo assim, não deixa de ser um belo trabalho.

continue lendo

emMuseu

Mutant League Football poderá ganhar sucessor via Kickstarter

Por em 17 de setembro de 2013

Mutant-Football-League

Quando criança, um dos meus objetivos era conhecer o maior número possível de games e por isso certa vez acabei dando uma chance a um título pouco conhecido por aqui, o Mutant League Football. Nele fazíamos parte de uma campeonato de futebol americano onde os jogadores eram monstros e depois de passar algumas horas até aprender um pouco das regras do esporte, percebi que se tratava de um título muito divertido.

O jogo até deu origem a uma animação e outros games que recriavam mortais partidas de basquete e hockey, mas só agora, 20 anos após o lançamento do título exclusivo para o Mega Drive, é que uma continuação aparece na mídia, sob o nada criativo nome de Mutant Football League.

Anunciado por Michael Mendheim, o designer chefe do original, esta nova versão deverá trazer animações feitas pela Robomodo, mesma empresa responsável pelo Tony Hawk’s Pro Skater HD e a previsão é que o seu lançamento aconteça em julho de 2015.

Os fãs tem mantido vivo o interesse por este gênero ao longo dos anos e queremos presenteá-los por sua lealdade,” declarou Mendheim. “Criaremos um jogo novo e bastante diferente que prestará homenagem aos clássicos jogos de esporte com monstros e que parodia seus donos, técnicos, anunciantes e tudo o que faz do futebol um grande esporte americano.

Como já se tornou comum em relação aa marcas há muito esquecidas, a maneira escolhida para financiar o título será através do Kickstarter e devido a alguns equívocos acho que eles não obterão sucesso. O problema é que o valor necessário para que o projeto tenha início é de US$ 750 mil e para piorar, apenas versões para IOS, Android e Xbox Live estão previstas, sendo que no console teremos que investir salgados US$ 30 para ter direito a uma cópia.

Tomara que eu esteja errado, mas o fato é que isso me fez pensar em porque a EA abandonou a marca, pois acho que ele poderia fazer sucesso nas plataformas atuais.

emCelulares Microsoft Museu

Designer da Ubisoft usa GIFs para homenagear jogos antigos

Por em 13 de setembro de 2013

Noirlac é um funcionário da Ubisoft cujo nome verdadeiro é desconhecido e que tem dedicado seu tempo (espero que livre) a uma tarefa fantástica, “dar vida” a cenários e personagens de jogos antigos apenas mudando alguns de seus pixels, fazendo com que se pareçam vídeos em loop infinito.

Nesta cruzada desde 2010, a pessoa criou um Tumblr onde existem mais de 10 mil dessas imagens e navegar pelo local é o mesmo que fazer uma viagem no tempo, sob o risco de ficarmos completamente hipnotizados pelas ilustrações que normalmente não possuem mais do que dois ou três frames.

A ideia do/a designers se torna fantástica devido a simplicidade, dando origem a belas imagens como a deste post, tirada do jogo Super R-Type e nos faz perceber a beleza que pode ser encontrada em jogos criados numa época em que os artistas precisavam lidar com as limitações técnicas das máquinas e não tinham os muitos efeitos de hoje em dia.

O único ponto em que Noirlac peca é por não citar os games de onde as imagens foram citadas e caso tenha ficado curioso, saiba que existe outro Tumblr dedicado a corrigir essa pequena, mas importante falha. Porém, talvez o pior de tudo seja olhar essas artes e ficar com uma baita vontade de comprar um tablet só para transformá-lo em porta-retrato digital e deixar exibindo algumas delas o tempo todo.

super-r-type

Fonte: Wired.

emCultura Gamer Museu

Campanha tenta financiar produção do novo River City Ransom

Por em 13 de setembro de 2013

river-city-ransom-underground

Em 1989 o Nintendinho ganhou um jogo que rapidamente conquistou uma legião de fãs, o River City Ransom. Aquele Beat ‘em up da Technos conseguia entregar no modesto console uma experiência em alguns aspectos até superior a o que víamos nos grande nomes do gênero na época, como Double Dragon ou Final Fight, muito graças aos elementos de RPG presentes na produção.

Porém, mesmo com tamanho sucesso a franquia foi ignorada por anos e apesar das várias promessas de uma continuação, eles nunca foram lançadas, cenário que poderá mudar em breve graças a uma campanha no Kickstarter que tentará levantar pelo menos 180 mil dólares canadenses para a criação do River City Ransom: Underground.

Desenvolvido pela Conatus Creative, um pequeno estúdio situado em Ottawa, a expectativa é de que o jogo seja lançado para PC em aproximadamente um ano e caso o valor desejado seja superado com alguma folga, existe a possibilidade de que outras plataformas recebam uma versão.

Segundos os responsável pelo desenvolvimento, a ideia não é implementar novas funcionalidades ou alterar consideravelmente a jogabilidade, já que eles acreditam que o original era bom o suficiente, mas aumentar bastante a duração da campanha principal ao incluir novas lojas, inimigos e fazer com que ele se pareça muito mais “mundo aberto” que o título que vimos no antigo console da Nintendo.

Caso eles cumpram com o prometido, este River City Ransom deverá contar com inimigos com uma inteligência artificial mais apurada, a possibilidade de jogarmos cooperativamente, talvez até através da internet e pelo vídeo abaixo, seus gráficos farão a alegria dos amantes de pixel art.

continue lendo

emComputadores Museu

O Game of Thrones como um jogo 8 bits

Por em 12 de setembro de 2013

game-of-thrones

Uma das primeiras coisas que qualquer pessoa que gosta de games pensa ao assistir alguns episódios da série Game of Thrones é como ela poderia ficar fantástica se transformada em um jogo eletrônico, mas na duas vezes em que isso foi tentado os resultados ficaram longe de agradar.

Então, achando que poderia aproveitar suas habilidades para homenagear a criação de George R. R. Martin, o game designer espanhol Abel Alves resolveu imaginar como seria um jogo de plataforma estrelado por Jon Snow e cia se tivesse sido lançado há 20 anos e o resultado é bastante impressionante.

Com apenas 68 MB, o game pode ser baixado gratuitamente aqui e durante a aventura ainda teremos a oportunidade de controlar outros personagens marcantes, como a bela Daenerys, com o detalhe de que cada um deles possui golpes e características distintas, o que ajuda a levar alguma variação à jogabilidade.

Seja você um fã da franquia ou apenas alguém procurando um jogo para passar o tempo, vale a pena dar uma chance ao Game of Thrones The 8 Bit Game, nem que seja somente para ouvir sua ótima trilha sonora.

continue lendo

emComputadores Museu

Ultima IV ganha versão gratuita para iOS

Por em 11 de setembro de 2013

ultima-iv

Em se tratando de gráficos os jogos da série Ultima não costumam ser elogiados por terem envelhecido muito bem, mas ainda hoje eles são lembrados por sua liberdade e por oferecerem uma experiência que mesmo muitos RPGs mais modernos não conseguem.

Caso você sempre tenha ouvido falar da imersão que eles podem proporcionar, mas nunca tenha tido a oportunidade de testá-los, uma parceria entre a Mythic e a Elite Systems permitiu que esta adaptasse para os dispositivos iOS a versão do Ultima 4: Quest of the Avatar lançada no Commodore 64. Ao fazer o download teremos acesso ainda a uma versão digital de seu manual e um guia oferecido pelo GameFAQs, sem falar em algumas melhorias que a tecnologia nos permite atualmente, como ter o progresso salvo automaticamente ao fecharmos o game.

Para deixar a oferta melhor, o Ultima IV: C64 pode ser obtido gratuitamente através da App Store e felizmente não há pegadinha, como a necessidade de adquirirmos itens através de microtransações. Todo o jogo está disponível sem que tenhamos que gastar um centavo por ele e antes que você santifique a EA pelo presente, ele foi a maneira encontrada pela empresa para divulgar o Ultima Forever, que até tentei jogar, mas que ficou bem ruinzinho no meu iPad 2.

PS: Se preferir jogar no PC, saiba que o Ultima IV está disponível, também de forma gratuita, no GOG.

Fonte: Joystiq.

emCelulares Jogos Museu Portáteis