Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

[1º de abril] Telltale está trabalhando em remake do The Dig

Por em 1 de abril de 2014

the-dig-2001

O anúncio de que a Disney havia comprado a LucasFilm sem dúvida foi um momento bastante traumático para uma legião de fãs da criadora do Star Wars e quando, poucos meses depois, a casa do Mickey revelou que estava encerrando a LucasArts, morria ali o sonho de que alguns ícones dos adventures pudessem ser revividos.

Porém, como nada na indústria de games pode ser considerado permanente, a Disney tratou de nos dar um motivo para voltarmos a sorrir, já que devido a uma parceria com a Telltale Games, em breve teremos a oportunidade de jogar um remake do excelente The Dig.

De acordo com o diretor do jogo, David Bowman, a ideia é fazer com que a nova versão seja a mais fiel possível ao original, mantendo todo o clima de suspense e principalmente, o excelente roteiro. Para isso, a desenvolvedora já acertou para que Steven Spielberg, o criador do conceito que deu origem ao jogo, participe da produção.

continue lendo

emGames Museu

Preparem-se guerreiros, o Gauntlet está voltando!

Por em 17 de março de 2014

gauntlet

Nascida nos Arcades no longínquo ano de 1985, a série Gauntlet passou por uma séries de plataformas, mas desde 2005 estava esquecida. Os fãs não viam a hora de voltar aos perigosos calabouços da franquia e graças a Warner Bros. Interactive Entertainment, isso deverá acontecer durante o nosso inverno.

Com a promessa de que o jogo será totalmente refeito, mas que muitas de suas características serão mantidas, como por exemplo os quatro guerreiros que poderemos controlar e que contam com características distintas, esta nova versão será lançada exclusivamente no Steam, com o seu desenvolvimento ficando a cargo da Arrowhead Game Studios, estúdio que ganhou popularidade graças à série Magicka.

“Para nós da Arrohead, o Gauntlet é um dos mais influentes jogos de nossa infância e é fantástico poder trabalhar com a Warner Bros. Interactive em uma nova versão,” declarou o empolgado CEO da desenvolvedora, Johan Pilestedt. “O Gauntlet é uma das propriedades mais originais e conhecidas dos videogames e estamos buscando criar uma nova abordagem, embora fiel à original, sobre esta obra-prima do multiplayer.”

continue lendo

emComputadores Museu

Empresa revela um belo NES feito de alumínio

Por em 14 de março de 2014

nes-analogue-nt

Aos poucos a Analogue Interactive tem se especializado em relançar antigos consoles com novas caras e depois de terem proposto um Neo Geo feito de madeira, chegou a vez do Nintendinho ser homenageado, mas dessa vez com um corpo de alumínio.

Batizado como Analogue Nt, o videogame será construído com o mesmo material utilizado na fabricação do iMacs, pesando pouco mais de 1,3 kg e de acordo com seus criadores, não reproduzirá os jogos através de emulação, contando ainda com entradas para quatro controles e para os cartuchos americanos e japoneses do console, podendo exibir as imagens com a melhor qualidade possível, já que poderá ser ligado à TV através de uma saída de vídeo componente.

Segundo o proprietário da fabricante, Chris Taber, o NES é o videogame mais icônico de todos os tempos e com mais de 2.000 jogos tendo sido lançados para ele, a ideia com o Analogue Nt é permitir que qualquer pessoa possa aproveitar uma biblioteca tão vasta e que ajudou a moldar toda a indústria.

Sem previsão de lançamento, a expectativa é de que maiores detalhes sejam dados ainda este mês, inclusive com o início da pré-venda, mas levando-se em consideração tudo o que o aparelho trará, desconfio que o seu preço não deverá ser muito atraente.

emMuseu Nintendo

4º Campo Grande Game Show – Com direito a Museu do Videogame

Por em 25 de fevereiro de 2014
telejogo

Snif… eu tive…

De 1 a 16 de Março acontecerá em Campo Grande um raro e muito bem-vindo evento de tecnologia fora do eixo RJ-SP, é o 4º Campo Grande Game Show. Será uma oportunidade para a geração atual visitar o passado, conhecer como seus antepassados se divertiam, em um tempo onde o pixel ainda não havia sido inventado, e a grande disputa não era se a nVidia era melhor que a ATI, e sim se o Atari funcionava melhor alimentado com carvão ou com diesel.

Estarão expostos e jogáveis mais de 200 consoles, entre eles:

  • Magnavox Odyssey
  • Atari Pong
  • Telejogo Philco Ford
  • Nintendo Virtual Boy
  • Vectrex
  • Microvision

Desses eu só tive o Telejogo. Passei incontáveis horas me divertindo com ele, mesmo tendo que usar uma TV vagabunda, pois lá em casa também reinava aquela boçalidade ludita repassada pelo proverbial “amigo do pai” que afirmava categoricamente “videogame estraga televisão”. Não que eu nutra qualquer sentimento mais antagônico, só espero que todos esses que espalhavam essas bobagens estejam ardendo no inferno. #prontofalei.

Videogames não estragam televisão. Videogames melhoram coordenação de cirurgiões e pilotos, videogames auxiliam no tratamento de dislexia e um dia ajudarão a derrotar Xur e a armada Ko-Dan.

Se você mora em Campo Grande, compareça. Além do Museo do Videogame o CGGS terá concurso de cosplay, concerto musical gamer, campeonato de League of Legend, concursos de Just Dance 2014 e várias outras atrações, além de toneladas de consoles pra você brincar.

would you like to know more?

Quando: de 1 a 16 de março de 2014. Das 14 às 20 horas.

Onde: SHOPPING BOSQUE DOS IPÊS . Campo Grande – MS
Rua Cônsul Assaf Trad, 4634 – Novos Estados

Quanto: nada, zero, zica, é digrátis.

Mais Detalhes: visite a página oficial no feice.

emCultura Gamer Entretenimento Museu

Produtor diz que remake do Final Fantasy VII demoraria muito para ser feito

Por em 18 de fevereiro de 2014

final-fantasy-7

Pois é meus amigos, já estamos em 2014 e ainda existe um número considerável de pessoas que esperam por um remake do Final Fantasy VII e caso você seja uma delas, o produtor Yoshinori Kitase concedeu uma entrevista onde voltou a dizer que dificilmente ele será feito.

Posso te dizer honestamente que adoraria fazer isso. Se você simplesmente me perguntar se pessoalmente eu gostaria de fazê-lo, sim, eu gostaria. Não há mentira sobre isso, mas você precisa acreditar quando digo que levaria muito tempo para acontecer.

Para o produtor, existem três fatores que pesam contra o projeto, que é a disponibilidade de pessoas, o orçamento e a motivação pessoal, pois na sua opinião, este seria o maior projeto com o qual já se envolveu, aquilo que ele classificaria como “o trabalho de sua vida”.

Como Kitase acha pouco provável que esses três elementos se alinhem, por enquanto ele prefere não descartar completamente a possibilidade de um dia vermos um novo FF7, mas reforçou que isso não deverá acontecer tão cedo.

Para termos uma ideia do tamanho do problema que o pessoal da Square teria nas mãos, o japonês chegou a dizer que para fazer o remake com a qualidade do Final Fantasy XIII eles demorariam algo entre três ou quatro vezes mais do que precisaram para criar o jogo do Xbox 360 e PlayStation 3, o que me faz pensar no enorme custo de produção e evidentemente, no risco envolvido.

Como a cada declaração de alguém da Square a criação deste jogo parece mais distante, acho que o jeito é nos contentarmos com a versão lançada recentemente para PC ou ainda melhor, mantermos apenas a lembrança de um jogo que marcou época.

Fonte: Eurogamer.

emMuseu

Parece um Mega Drive, mas é o Megatron

Por em 12 de fevereiro de 2014

mega-drive-megatron

Atualmente a Sega pode estar muito mais preocupada em atender os jogadores casuais, mas a empresa japonesa sabe o apelo que o Mega Drive ainda possui, especialmente no Japão, e para lucrar um pouco em cima do console, anunciou uma parceria com a fabricante de brinquedos Takara Tomy que dará origem a um item que qualquer colecionador adoraria ter.

Mesmo sem funcionar como um console real, o Mega Drive que eles venderão na verdade poderá se transformar no Megatron, o temido líder dos Decepticons, já podendo ser apontado como a melhor mistura de universos envolvendo um brinquedo dos Transformers.

Infelizmente nada foi dito sobre o preço, a data de lançamento ou mesmo se o brinquedo será vendido no ocidente, o que acho pouco provável, mas o que muitos realmente gostariam de saber é para que serve a conexão USB localizada no braço direito do robô. Quem sabe não se trata de um emulador com alguns clássicos para serem jogados no PC, não é mesmo?

Devido ao anúncio, a expectativa dos fãs é de que a ideia dê origem a outras fusões entre videogames e Transformers, mas não tem jeito, se o vilão da série foi adaptado no console da Sega, todos querem ver o Super Nintendo virando o Optimus Prime.

Enfim, a missão agora é tentar encontrar uma maneira de importar um Mega Drive Megatron destes, mesmo sabendo que isso poderá nos custar um rim e que basicamente só servirá para ficar decorando uma estante.

Fonte: MCV.

emCultura Gamer Museu

Super Retro Trio, um console que roda jogos de NES, SNES e Mega Drive

Por em 6 de fevereiro de 2014

super-retro-trio

A onda de admiração a jogos antigos parece mesmo ter vindo para ficar e como ter acesso a um console com mais de 20 anos em boas condições não é algo muito simples, algumas empresas estão investindo na criação de aparelhos que nos dão a possibilidade de jogar os games daqueles videogames, com a mais famosa delas sendo a Hyperkin.

Porém, o último modelo desenvolvido por eles, o RetroN 5, tem enfrentado alguns problemas de fabricação e passado por diversos adiamentos e após perceber que existe um mercado a ser explorado, a Innex resolveu se arriscar nesse caminho e anunciou o Super Retro Trio, um videogame que será capaz de rodar jogos do NES, SNES e Mega Drive.

Além de contar com entradas para os cartuchos desses três consoles, o pequeno aparelho também trará entradas para seis controles e caso tenha interesse, você ainda poderá adquirir por US$ 45 o Super Retro Adapter, o que lhe permitirá jogar os títulos do Game Boy Advance.

A previsão é de que o SRT seja lançado já na metade do mês de março e o preço cobrado por ele será de US$ 70, o que nem chega a ser tão caro se considerarmos que no Brasil um Super Nintendo em boas condições pode custar bem mais do que R$ 300 e você ainda teria acesso aos games de outros dois ótimos consoles.

Eu sempre tive interesse em adquirir um desses videogames “tudo-em-um”, mas no caso do Super Retro Trio, o que me desanima é o fato dele não ter saída HDMI ou vídeo componente, sendo limitado a S-Video ou vídeo composto e desta forma não terei uma imagem mais limpa do que a encontrada nos consoles originais, ao contrário do que é prometido pelo RetroN 5.

PS: Será que existe alguma lei que impede que esses aparelhos sejam bonitos?

continue lendo

emMuseu Nintendo