Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

Blizzard libera os clássicos The Lost Vikings e Rock ‘n Roll Racing

Por em 5 de maio de 2014

Rock-n-Roll-Racing

No final do ano passado a Blizzard fez a alegria de muitos fãs ao liberar para PC uma cópia do clássico Blackthorne e para manter parte de sua história viva, a empresa decidiu dar outros dos seus jogos mais cultuados, o The Lost Vikings e o Rock ‘n Roll Racing.

Produzidos em uma época em que o estúdio ainda era conhecido como Silicon & Synapse, tais jogos provavelmente serão um choque para a nova geração que só conhece séries como (World of) Warcraft, Diablo e StarCraft, já que ambos pertence a gêneros muitos diferentes dos que nos acostumamos a ver a empresa produzir.

continue lendo

emComputadores Games Museu

Lutadores secretos do Mortal Kombat II agora podem ser controlados

Por em 2 de maio de 2014

mortal-kombat-2

Em 1993 chegava aos arcades a continuação do Mortal Kombat e além de ter trazido uma série de melhorias, o jogo também contava com uma série de novos segredos. O principal deles provavelmente era a possibilidade de enfrentarmos três lutadores misteriosos, o que só acontecia após a realização de algumas etapas.

Durante muitos anos as pessoas especularam sobre a possibilidade de controlarmos o trio e isso só aconteceu agora, quando um sujeito conhecido como Abystus descobriu uma maneira de jogarmos como Jade, Noob Saibot e Smoke.

continue lendo

emGames Museu

Acabou a lenda! Cartuchos do E.T. foram encontrados

Por em 28 de abril de 2014

et-atari

Durante três décadas a indústria dos games foi assombrada por uma história que, de tão espetacular, acabou sendo considerada por muitos uma lenda urbana e depois de alguns problemas burocráticos e uma enorme dose de incredulidade por parte de algumas pessoas, uma escavação comprovou sua veracidade: o cemitério de cartuchos do E.T. the Extra-Terrestrial realmente existe!

Tendo se tornado o símbolo do colapso da indústria no início da década de 80, quando o mercado estava abarrotado de porcarias, diziam que o jogo havia encalhado de tal forma nas prateleiras que a Atari, para evitar uma vergonha ainda maior, mandou que milhares, possivelmente milhões de cópias fossem enterradas na cidade de Alamogordo, no Novo México.

continue lendo

emCultura Gamer Destaque Destaques Games Museu

Another World poderá ser lançado para consoles e portáteis

Por em 24 de abril de 2014

another-world

Eu costumo dizer que existem dois títulos que me fizeram passar a enxergar os games de forma diferente, o Flashback e o Another World. Curiosamente ambos possuem um estilo parecido, mas o que me chamou a atenção na época era a maneira como eles passavam uma imagem mais artística, especialmente a criação de Eric Chahi.

Pois se a informação do órgão de classificação etária da Alemanha estiver correta, em breve teremos a oportunidade de jogar a aventura de Lester Knight Chaykin novamente, mas dessa vez nos consoles e portáteis.

continue lendo

emGames Microsoft Museu Nintendo Portáteis Sony

A ingrata missão de listar todos os jogos já criados

Por em 23 de abril de 2014

cartridges

Você já parou para pensar em quantos games foram criados? Pois é, são muitos, muitos mesmo, mas um maluco decidiu que queria ter certeza do número exato e resolveu listar todos, TODOS os jogos lançados e o trabalho (ainda em andamento) pode ser visto aqui.

Idealizado por alguém conhecido como Data_Baser, o projeto conta com a colaboração dos usuários do 4chan e o objetivo é abranger todas as plataformas, incluindo aí arcades, consoles e computadores, além de jogos criados para dispositivos móveis e até para navegadores.

Até o momento, a lista conta com mais de 43.800 títulos, mas o número ainda deverá aumentar consideravelmente, já que nomes famosos como Tennis for Two, de 1958 e Spacewar!, de 1962 ainda não aparecem por lá, sem falar em mods bastante populares, como DayZ e Garry’s Mod.

continue lendo

emCultura Gamer Games Museu

Game Boy completa 25 anos hoje e nada mudou: a Nintendo continua líder nos consoles portáteis

Por em 21 de abril de 2014
Laguna_Game_Boy_Tetris

Tetris não foi o 1º jogo no Japão, mas vendeu muito Game Boy (crédito: Engadget)

Dia 28 de abril, próximo domingo, comemoramos os 34 anos da linha Game & Watch mas até 2004, com a chegada do DS, nenhum outro console portátil da Nintendo conseguiu superar o sucesso que foi a linha Game Boy. Há exatos 25 anos, em 21 de abril de 1989, começaria o reinado da Nintendo no setor de consoles portáteis dedicados a jogos: era lançado o Game Boy original no Japão.

Mesmo hoje, com a disseminação de jogos em smartphones e tablets, a japonesa ainda não enfrentou outro forte concorrente no ramo, que hoje está mais para nicho: o Nintendo 3DS, bisneto do Game Boy, lidera as vendas com bastante folga sobre seu concorrente. Se é que podemos chamar o excelente PlayStation Vita de concorrente. Até o PlayStation Portable, pai do PSVita, cujo hardware era uma aberração beneficiada pela pirataria, não vendeu o suficiente para bater o neto do Game Boy (Nintendo DS).

A japonesa conquistou todo um mercado, todo um nicho e permanece líder há 25 anos, mas o começo do reinado Nintendo não foi nada fácil: em 1989, a franquia Game & Watch estava morrendo. Por que comprar um sistema todo para jogar somente um jogo?

O saudoso Gunpei Yokoi, então chefe da divisão de pesquisa e desenvolvimento de hardware Nintendo, começou a pensar num sistema portátil cujos jogos eram vendidos em pequenos cartuchos removíveis.
continue lendo

emArtigo Destaques Jogos Museu Nintendo

Homem joga arcade por 85 horas usando apenas uma ficha

Por em 14 de abril de 2014

Armor-Attack

Para quem nunca jogou em um fliperama, esse conceito pode ser até um pouco absurdo, mas um dos princípios daquelas saudosas máquinas era fazer com que o jogador perdesse suas vidas o mais rápido possível. Isso permitiria uma maior rotatividade entre os jogadores, além de dar mais dinheiro aos seus criadores, afinal, para continuar jogando, teríamos que comprar mais fichas.

Como a maneira mais simples de fazer isso era aumentando a dificuldade dos jogos, ir o mais longe possível utilizando apenas uma ficha acabava se tornando motivo de orgulho entre a molecada, mas para o bem de todos nós, não tivemos que crescer ao lado de John Salter.

continue lendo

emCultura Gamer Games Museu