Panasonic nos mostra as Lumix G2 e G10

Já faz 18 meses que a Panasonic colocou no mercado a primeira câmera fotográfica digital que foi projetada e construída dentro do sistema micro-quatro-terços. A Lumix DMC-G1 causou espanto no mundo e se tornou um sucesso de vendas. Muitos encaravam a nova forma de construir câmeras como sendo o futuro. Uma união entre o mundo das compactas e da qualidade de imagem das câmeras reflex. A novidade ainda é atraente, mas fica complicado sempre inovar em todos os lançamentos. Mesmo assim, empresa acaba de anunciar a sucessora de sua primeira câmera micro-quatro-terços demonstrando que ainda tem munição para muita briga. A Lumix DMC-G2 tem o mesmo corpo de sua antecessora e se mostra baseada na mesma tecnologia de sensor. A novidade fica por conta do monitor LCD de 3 polegadas sensível ao toque e com capacidade giratória.

Pensando bem, é uma grande adição ao sistema. Se notarmos, essa é a primeira vez que uma câmera com lentes intercambiáveis se utiliza do sistema de visor sensível ao toque. E junto a isso temos todo a gama de perfumarias maravilhosas produzidas pela Panasonic. Que fique claro que nunca fui muito fã da qualidade de imagem das câmeras da empresa, mas tenho que dar o braço a torcer para os recursos incríveis encontrados nessas câmeras. Por exemplo, com a Lumix G2 vai ser possível, com apenas um toque no LCD, determinar que o autofocus incida sobre o local tocado e a foto seja feita instantaneamente. Duas funções com apenas um comando. Também é possível, através do toque, determinar uma pessoa ou objeto para a memória do autofocus. Assim, aquela pessoa ou objeto tem prioridade de foco em todas as fotos em que aparecer. Eu já vi isso funcionando e achei uma coisa do demo. A câmera também faz vídeos em alta definição com 720 pixels usando o formato AVCHD, possui um sensor Live MOS de 12,2 megapixels e trabalha se utilizando da potência do novo processador Venus Engine HD II.

O outro anúncio da Panasonic é a Lumix DMC-G10 que também é uma câmera admirável, mas um pouco menos que sua irmã mais poderosa. Temos aqui o mesmo sensor, a mesma carcaça, mas não temos o monitor com inclinação e nem sensível ao toque. São 12,2 megapixels de resolução máxima, capacidade de filmagem com 720 pixels e monitor LCD de 3 polegadas. Ambas as câmeras são compatíveis com todas as lentes Panasonic lançadas na linha micro-quatro-terços, aceitam cartões de memória SDXC e possuem sapata para flash externo.

O bacana é que a Panasonic está colocando no mercado, para fazer parte do kit das duas câmeras, uma nova lente básica. A Lumix G Vario 14-42mm F3.5-5.6 ASPH Mega O.I.S, (equivalente a uma 28-84mm no sistema 35mm), vem com estabilizador de imagem (aliás, uma coisa básica em lentes de kit) e é construída com 12 elementos divididos em 9 grupos, sendo que um dos elementos é de cristal asférico. Fora isso temos um diafragma construído com 7 lâminas e com abertura mínima de f/22. Nada ainda de preços ou datas de lançamento.

panasonic lumix G2

 

Fonte: Dpreview

Autor: Gilson Lorenti

Geógrafo de formação e fotógrafo de coração, comecei a fotografar com 18 anos de idade (antes disso nunca tinha pegado uma câmera na mão). Depois de muito estudo veio a carreira profissional que passou por várias modalidades da fotografia até realmente descobrir o que gosto de fazer. Hoje me dedico ao ensino de fotografia, fotografia Fine Art e Books Fotográficos (gestante, moda, sensual). Tomando emprestado as famosas palavras de Ansel Adams "Quando as fotografias não forem mais suficientes, me contentarei com o silêncio".

Compartilhar