Temer sanciona a lei que regulamenta os apps de transporte no Brasil

O presidente Michel Temer sancionou nesta segunda-feira (26) o Projeto de Lei Nº 5.587/16, que estabelece a regulamentação definitiva dos apps de transporte como Uber, Cabify, 99 e outros no Brasil. O texto conforme aprovado pela Câmara dos Deputados foi aprovado e não houve vetos, mantendo as alterações que favorecem parcialmente as startups e os motoristas.

A celeuma entre os aplicativos e os sindicatos dos taxistas, que eram absolutamente contra a regulação é antiga e levou ao texto original da PL, de autoria do deputado Carlos Zarattini (PT-SP) que basicamente inviabilizada a operação de tais atividades no país (costa nos autos que ele foi redigido na sede do Sindicato dos Taxistas de São Paulo, logo…), com uma série de restrições e limitações que favoreciam única e exclusivamente a categoria dos taxistas. Esse texto foi inicialmente aprovado pela Câmara, mas no Senado as exigências mais draconianas foram derrubadas.

Ao voltar para a Câmara, após um grande lobby de ambas as partes (taxistas e apps) chegou-se ao texto final, aprovado na casa e agora sancionado pelo presidente Temer, que estabelece regras mas em tese é flexível o bastante para viabilizar a operação de Uber e cia.

O texto sancionado estabelece o seguinte:

  • os motoristas não têm necessidade de serem os donos dos veículos que conduzem;
  • os veículos não precisam de placa vermelha para circularem, diferindo-os dos táxis;
  • os municípios e o Distrito Federal ficam responsáveis pela regulação dos serviços, assim cada prefeitura e Assembleia Legislativa deverá por conta própria monitorar e fiscalizar o setor, ficando livres para inclusive adotarem regras e taxas próprias;
  • o motorista é obrigado no processo de contratação a apresentar comprovante negativo de antecedentes criminais, desta forma quem já tem passagem pela polícia fica impedido de trabalhar com os apps de transporte.

O motorista será obrigado por Lei a:

  • ter Carteira Nacional de Habilitação (CNH) de categoria B ou superior, com informações claras de que exerce atividade remunerada;
  • conduzir um veículo dentro das exigências de idade máxima e demais características conforme o Código Nacional de Trânsito exige;
  • emitir o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) e transporta-lo;
  • apresentar certidão negativa de antecedentes criminais.

Por fim, os apps de transporte deverão junto aos municípios e ao Distrito Federal:

  • recolher todos os impostos e tributos municipais devidos e observar todas as regras de operação, mesmo as locais;
  • exigir dos motoristas a contratação do Seguro contra Acidentes Pessoais a Passageiros (Seguro APP) e do Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT);
  • exigir que os motoristas se inscrevam como contribuintes individuais no INSS.

As regras podem e irão diferir de uma cidade para outra e os apps deverão observar e cumprir todas elas, sem exceções; em São Paulo, por exemplo o motorista é obrigado a ter registro no CONDUAPP (Cadastro Municipal de Condutores de Aplicativos), conseguido mediante curso de 16 horas e do CSVAPP (Certificado de Segurança do Veículo de Aplicativo), emitido após submeter o carro a uma inspeção. Em ambos os casos Uber, Cabify, 99 e outros são obrigados pela Lei a exigir os registros, do contrário o motorista fica impossibilitado de circular na cidade.

Aqueles que não se enquadrarem dentro das exigências poderão ser processados por transporte ilegal de passageiros.

Em nota, o Uber afirma que o texto sancionado pelo presidente representa uma vitória da categoria:

“O texto aprovado pela Câmara ouviu a voz dos 20 milhões de usuários (…). Em vez de proibir, o texto regulamenta a atividade dos motoristas parceiros e organiza critérios para os aplicativos operarem.”

Já o Cabify considera a versão final do texto da Lei uma solução equilibrada, que atende satisfatoriamente os motoristas de apps:

“O Brasil optou por estar na vanguarda da regulamentação dos serviços de transporte individual de passageiros por aplicativos com a sanção presidencial (…). A Cabify reforça que mantém o diálogo com os Poderes Públicos nas cidades em que atua desde o início das operações para regulamentações municipais.”

A sanção presidencial foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira, colocando a Lei efetivamente em vigor.

Fontes: Agência Estado e Folha de S. Paulo.

Relacionados: , , , , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto Frio Peças, Cupom de desconto Mundo da Carabina, Cupom de desconto JBL, Cupom de desconto Costa Cruzeiros, Cupom de desconto Loja do Mecânico, Cupom de desconto Staples