Facebook vai inserir ads no meio de vídeos e dividir a grana com produtores de conteúdo

Mark Zuckerberg já deixou bem claro que não só odeia a concorrência na internet como está disposto a aniquila-la. Nos últimos meses ele vem tomando decisões que aproximam o Facebook mais de uma solução completa de navegação e experiência, ao passo de agregar uma série de serviços (vendas, streaming de vídeo e áudio, notícias, produtividade, etc.) de modo a manter o usuário o tempo todo dentro da rede social.

Aos poucos o Facebook está virando um pato: faz um monte de coisas, nenhuma delas perfeitamente mas quebra o galho para a maioria das pessoas.

A questão é que para produtores de conteúdo em geral a plataforma não é lá tão amigável ou rentável quanto o Google por exemplo, entretanto as regras insanas de Mountain View que ela não deixa às claras já fizeram muita gente perder o acesso à plataforma por uma série de contravenções arbitrárias. Zuck sabe disso, mas ainda não existia um plano para a inclusão de vídeos no programa Facebook Advertising. Só que isso vai mudar muito em breve.

Com um acervo enorme que gerou o consumo de 100 milhões de horas/dia em vídeo só em 2016, o Facebook já criou um portfólio invejável seja com transmissões do Live, seja com outras produções. Portanto é hora de faturar: a empresa está estudando um formato de exibição de ads, que já passou por um período de testes no serviço de streaming ao vivo que insere propaganda após o início e será extendido em breve a todo o conteúdo em vídeo, mais precisamente depois dos 20 segundos iniciais. Isso significa que não importa o que você deseje assistir, passado o início você terá que engolir uma propaganda se quiser continuar. A única exigência para a inserção do ad é que a peça tenha no mínimo 90 segundos de duração, os menores não serão monetizados.

É aí que o negócio fica interessante para o produtor de conteúdo: o Facebook pretende embolsar apenas 45% de todo o lucro vindo dos ads dos vídeos, e o restante fica para o uploader. Este é um senhor incentivo tanto para quem já utiliza a rede social para divulgar seus trabalhos quanto para novos interessados. É uma estratégia inclusive para incentivar a migração de plataforma, ou ao menos para que o criador utilize a ferramenta do Facebook ao invés de postar um link para o YouTube. De certa forma ele ganharia duas vezes com o mesmo vídeo, ou se sentirá incentivado a produzir conteúdo exclusivo (o mais provável).

Por outro lado essa estratégia pode significar que o algoritmo de visualização pode e será modificado: atualmente assistir três segundos conta como vídeo já visto, mas no caso dos monetizados é possível que o dinheiro só entre na caixinha após a exibição obrigatória do ad. Resultado: ou o produtor de conteúdo convence o usuário de que assistir o ad é importante ou ele não verá um tostão. E não está claro como ou se extensões como o AdBlock funcionarão nesse caso.

Resta saber como será a reação dos espectadores e dos produtores de conteúdo. Uma coisa é certa: deixar sem monetizar e deixar de incomodar o Google AdSense não é uma opção para Zuck.

Fonte: recode.

Relacionados: , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar
  • Daniel Belini

    Os Adblocker vão se modernizar e suprimir os anúncios, da mesma forma que fazem no Youtube.

    • Ivan

      Que os devs te ouçam.

    • DiMais

      o Facebook já declarou guerra ao bloqueadores de anúncio.. comprando pipocas pra assistir essa briga de gato e rato..

      • Daniel Belini

        Por enquanto os adblockers estão vencendo, uso o Ublock origin e o Fbpurity e não tem propaganda.

      • Julio Verner

        Deve ser a mesma guerra que essa sobre “conteúdo próprio”… Nem desejo sorte, quero é ver pegar fogo! hahaha

  • Inquisidor

    nem face eu tenho, por mim pode por ad até no loguim

  • paulokdvc

    O pato se gabava perante os passaros, peixes e coiote, por saber nadar, correr e voar.

    Logo chegou o caçador, e os passaros voaram, os peixes nadaram e o coiote correu loucamente. E o pato não sabia o que fazer… virou jantar do caçador.

    • jgwasner

      Exceto o Pato da FIESP que virou milionário.

      • Rafael Rodrigues

        Não com meu dinheiro. Esse pato eu não paguei.

  • Manoel Guedes

    Hoje você paga com duas moedas um serviço web, a primeira forma é o dinheiro e a segunda é sua “vida”.
    Agora a pergunta, vale apena “doar” sua informações, ser bombardeado de propaganda pelos serviços do Facebook?

    Tipo, o Google você tem em troca Email, Youtube, Gdrive, Buscador, Mapas, Navegador, Google Music, Google Fotos e etc pelo mesmo valor que o Facebook cobra, não estou defendendo o Google, mas não usaria à rede social dos falsos e propagadores de ódio.

    • Jose X.

      sempre pensei isso também, mas infelizmente para estar atualizado com as fake news tem que ser no “feice” mesmo

      • Rafael Rodrigues

        Ainda consigo não ter, mas é cada dia menos fácil…

  • Josias Rodriguês

    Mas pra quem vai o dinheiro se boa parte desses vídeos publicados no YouTube são rips de criadores de conteúdo do YouTube? Mesmo que a pessoa decida publicar o vídeo na plataforma, não era raro eu ver páginas gigantes upando conteúdo de outras pessoas sem nem dar os créditos.

  • Me parece interessante, eu postaria meus videozinhos também no Facebook se pingasse pelo menos alguns trocadinhos para as próximas compras.

  • Podiam começar melhorando os servidores para que consigam carregar video em 240p pelo menos sem travar.

    Aqui qualquer merdinha de video do facebook é um tempão carregando. Se ligar o botão HD então, esqueça. Jamais carregará.

    Internet de 35mbps, carrega video 1080p liso no Youtube mas video de Tekpix no Facebook é 2 minutos rodando a bolinha de load…

    • Julio Verner

      Facebook e player de video não cabem na mesma frase. Aquilo é lixo para lixos.

  • Rodolfo Bendinelli

    Oba, agora já posso ganhar dinheiro postando no Facebook vídeos chupinhados do Youtube ou de outras páginas!

  • DiMais

    com certeza vão dar um jeito de coibir o uso do AdBlock, a turma do Zuck já disse que fará de tudo para que as propagandas não sejam afetadas pelos bloqueadores..

    • Rafael Rodrigues

      Os estúdios falavam o mesmo sobre os gravadores de CD quando de seu lançamento….

      • DiMais

        os estúdios tinham vontade, não tecnologia.. e continuam até hoje lutando contra qualquer tecnologia que apareça, como o streaming..

    • Julio Verner

      “fará de tudo” menos algo melhor… Se o Google não conseguiu, tu acha que os escravos do Zuck darão conta?

      • DiMais

        não duvido de nada, não sou contra ads que não sejam invasivos mas interrupções grandes ou muita poluição visual numa página sim.
        outro dia vi não lembro onde um algoritmo que mapeava o vídeo para incluir propaganda discreta como se fosse parte do ambiente.

        • Julio Verner

          Assim até eu “deixaria” acontecer, algo no nível dos filmes onde o personagem passeia pela Time Square e aqueles painéis mostram “coca-cola” e etc… Espero que seja algo assim…

          • DiMais

            sim, é isso que (acho) todos querem ads e pode ser assim que o Facebook consiga virar o jogo.. no caso eu lembro de ter visto uma logo da marca ‘Vans’ inserido numa rampa de skate de forma que qualquer um que estivesse vendo o vídeo pensasse que fosse uma arte urbana (pichação)..

  • Por mim poderia enfiar propaganda até no… nos olhos dos usuários.

    Não tenho conta nessa merda.

  • Julio Verner

    Mas mantendo o LIXO de player/programação obviamente… Não consigo ver NADA em formato video nesse Duckbook…

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Locaweb, Cupom de desconto HP, Cupom de desconto Descomplica, Cupom de desconto Nuuvem, Cupom de desconto CVC, Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto World Tennis