Google pretende voltar à China com Play Store censurada

google

O relacionamento das empresas ocidentais com a China nunca foi dos melhores. Embora o país seja comunista no papel e nas atitudes, seu mercado consumidor de tecnologia é um dos que mais cresce no mundo, e as companhias de lá lucram como em qualquer nação capitalista. Só que para quem é de fora, se adequar no País do Meio não é lá muito simples.

Long story short, as empresas tech precisam se adequar às rígidas regras do Partido Comunista, onde não podem comercializar e/ou fornecer acesso a material subversivo/controverso, entre outras picuinhas. Enquanto muita gente pensa “é só não ir para lá” e não ser conivente com os vermelhos, mas como a missão de toda empresa é dar lucro não dá para ignorar os chineses. Assim, todo mundo vai para lá.

O Google também, embora a relação dele com a China seja mais complicada. Como uma gigante do mercado de buscas e por fornecer diversos outros produtos e serviços ela sempre foi um alvo do Escudo Dourado, o nome oficial do Grande Firewall chinês. Em um lampejo de honestidade em 2010 decidiu não mais filtrar os resultados de suas buscas e retirou o time de campo, redirecionando tudo para Hong Kong. O site principal não era acessível normalmente, mas os resultados de busca ainda estavam disponíveis.

Isso até o ano passado, quando o firewall bloqueou tudo às vésperas dos 25 anos do Massacre de Tiananmen. Restou o Gmail, acessível via protocolos IMAP, POP3 e SMTP por um tempo até ele ser finalmente chutado do país. Agora, só por VPN.

Só que Mountain View não é besta. Defender a liberdade é bonito no papel mas não dá dinheiro, e ignorar o mercado chinês em 2015 é praticamente loucura. Assim, segundo o The Information o Google está se preparando para se reunir com o governo local, a fim de discutir meios de reintroduzir alguns de seus serviços; o primeiro é a Play Store, que seria veiculada na China de forma adaptada às regras impostas. Isso significa que a lojinha só traria apps aprovados por Pequim além de não fornecer filmes, livros ou músicas.

Os planos são grandes. O Google pretende voltar a se estabelecer como uma empresa de internet na China, inclusive armazenando dados localmente e andando lado a lado com os censores. O Android Wear também seria lançado oficialmente.

Por que essa mudança? Basicamente dinheiro, sem surpresa: a saída do Google do país promoveu o crescimento de diversas companhias locais, que riparam o Android e abocanharam o mercado. Voltar agora seria um movimento de Mountain View para conter a fragmentação do robozinho, já que muitas das empresas de lá´ inundaram o mercado com smartphones de qualidade duvidosa e que não recebem updates, o que querendo ou não prejudica sua imagem. E sem Android oficial, o volume de ads veiculados diminuiu e o dinheiro no caixa minguou.

Isso é bom para mostrar que discurso é uma coisa bonita, mas na hora de fazer as contas para ganhar dinheiro empresas fazem acordos até com o diabo. Todas elas.

Fonte: The Information (paywall) via Digital Trends.

Relacionados: , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Um cara normal até segunda ordem. Além do MeioBit dou meus pitacos eventuais como podcaster do #Scicast, no Portal Deviante.

Compartilhar

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto Frio Peças, Cupom de desconto Mundo da Carabina, Cupom de desconto JBL, Cupom de desconto Costa Cruzeiros, Cupom de desconto Loja do Mecânico, Cupom de desconto Staples