Mobile
Mobile
Digital Drops Blog de Brinquedo

Gradiente reconhece: “meu iPhone não é tão bom quanto o da Apple, mas compre assim mesmo”

Por em 27 de dezembro de 2012
emApple e Mac Destaque Mercado Mundo Estranho Propaganda & Marketing Publicidade relacionados                   
Mais textos de:

Site | Twitter
  • http://www.facebook.com/people/Renan-Costa-Sousa/1059888025 Renan Costa Sousa

    “Um diferencial que brasileiro adora: 2 chips”

    Isso dói toda vez que eu vejo.

    • Rodrigo Brugnera

      SIM!

      • Carlos Lonardeli

        Não … 2 SIMs!

    • http://fellipec.com Luiz Fellipe Carneiro

      Pior que gostam mesmo é do que vai 4 chips.

    • http://www.facebook.com/people/Marcelo-Eiras/1567301419 Marcelo Eiras

      Só faltou uma tecla especial para ligar a cobrar =D

    • Ruy Acquaviva

      Isso deveria ser visto como uma coisa positiva porque indica que os brasileiros comparam os preços das operadoras e estimulam a concorrência. Se fosse no exterior muitos dos que criticam diriam que isso é uma demonstração de maturidade do consumidor. Mas como é coisa de brasileiro essas mesmas pessoas falam mal. Uma lástima.

      • http://twitter.com/marceloeiras Marcelo Eiras

        No exterior praticamente não celular com mais de 1 simcard.

        • Ruy Acquaviva

          Ah sim… Então o negócio é copiar o exterior. Para que pensar e argumentar não é? Basta ver o que se faz no exterior e copiar de forma acrítica e decerebrada. Mas de qual exterior nós estamos falando mesmo? São países semelhantes ao nosso ou realidades completamente diferentes? Mais fácil só copiar sem passar pela agonia de ter que pensar não é mesmo?

  • http://www.facebook.com/people/Wagner-Felix/661933705 Wagner Felix

    Isso não pode ser oficial… Me recuso a acreditar, akakakkakak.

  • marcosalex

    Não é questão de coitadismo, são focos diferentes. Acho que o ‘tio’ nunca ouviu falar de celulares mid-end ou low-end e acho que qualquer Nokia 1100 é feito pra concorrer com o iPhone.

    Isso sim é um mal exemplo de brasileiro, que adora postar como se soubesse tudo do mundo e ninguém sabe de nada. Que bom que temos mentes ‘iluminadas’ pra nos explicar o quanto essas empresas são imbecis e só nossos blogueiros que conhecem toda a verdade do mundo, por isso estão na Forbes. heheheh

    • http://meiobit.com/author/max_laguna Emanuel Laguna

      Meu caro, eu estava a me referir ao marketing da Gradiente, de ela própria ressaltar o quanto o produto dela seria inferior ao iPhone da Apple. ;-)

      Seria algo parecido a tentar conquistar uma mulher no bar dizendo algo assim: “o cara ali tem um pau maior, mas ao menos sou mais carinhoso!

      Pode até dar certo, mas não deixa de ser um marketing bizarro por falar a verdade.

      • http://www.subeteanimes.com/ Panino Manino

        Nada disso.
        Se você faz um aparelho de entrada, é para concorrer com os outros aparelhos de entrada. O nome é um bom diferencial para chamar atenção para o produto, apenas isso. Atraída a atenção do consumidor é hora de dizer a ele do que se trata e nisso a Gradiente está correta e de parabéns, usou as regras do mercado sem abusar delas. É estranho, incomum, mas é melhor respeitar o consumidor do que tentar pateticamente enganá-lo.
        Para os “entendidos” de tecnologia, esses vão tripudiar, natural. Para todos os outros que são o público alvo, verão nada demais e poderão fazer livremente a sua escolha.

        • Rodrigo Fante

          Pra mim posou de honesta para enganar o consumidor ingênuo que é boazinha, bla bla bla e o cara vai pagar cara em um aparelho ruim.

          Sim, caro, mesmo pensando apenas no hardware e na concorrência do nicho dele, tem aparelho Android melhor custando a mesma coisa ou menos, a única forma de conseguirem se destacar era dando o nome de iphone e foi o que fizeram.

          • http://www.facebook.com/eletrowilson Wilson Machado

            sinceramente por mais que tenham “explicado” que o aparelho deles é inferior tenho certeza que (como diz o cardoso) salsas irão comprar esse aifone achando que é o iphone. com certeza esse vídeo é tipo no pé. se é pra brigar pelo nome, que seja pra vender um produto decente.

      • http://www.facebook.com/cacio.frigerio Cacio Frigerio

        Que visão limitada..

        Se você comparasse desta forma eu aceitaria:

        Você entra num prostíbulo, tem uma bonitinha e com atributos OK por R$300,00 a noite. Você conversando com o cafetão local, ele diz: Olha se quiser uma senhora bem voluptosa e generosa, tem na casa da frente, que é concorrente, mas por R$1.000,00. Quem escolhe é você.

        Agora do jeito que você comparou foi no mínimo de uma extrema inocência.

        Eu queria entender que se a gradiente disser que o telefone dela é tão bom quanto o Iphone iriam ter no mínimo 2 posts sobre o assunto.. como ela disse que é pior; por que REALMENTE é pior, então rendeu apenas um post criticando.

        Como diria o poeta: “Se hay gobierno, soy contra!. Se no hay, tambien soy!”

    • ClaudioLisboa

      Perai, você não acha ridiculo a Gradiente lançar um smartphone de baixo custo, com o mesmo nome do iphone (dane-se as datas do registro, na cabeça do publico o Iphone é da Apple e ponto) e depois se dar ao trabalho de explicar pro publico que só tem boas intenções, inclusive envolvendo o publico na burocracia interna de registro de patentes, que é um saco? Alias, que boas intenções há nisso? Primeiro que a empresa ja chamou a atenção pra si discutindo o direito de uso e batizando um produto novo com um nome já consagrado e que evidentemente seria questionando. A propria empresa assume estar a beira da falencia na epoca da liberação de uso… Seria mais digno batizar seu novo smart com uma proposta original, para provar que está de volta ao mercado com inovações (ou pelo contratar bons publicitários que saibam vender tais ideias ao consumidor alvo) mas a empresa já começa jogando a toalha, dizendo que copiou “sem copiar” até proque seu aparelho é low end (pior).. Os mais velhos, como eu, sabem que na decada de 80 a gradiente produzia excelentes aparelhos de som (ter um som da gradiente era privilégio), e poderia relembrar o publico do seu vitorioso passado… mas não, a empresa optou pela forma de midia mais rapida. O oportunismo não é bom para marca alguma, e lancar um aparelho chamado iphone dual chip é oportunismo.

      • http://www.facebook.com/profile.php?id=1316217857 Lúcio Wiborg

        Lembrando que os aparelhos da Gradiente na década de 80 eram realmente muito bons, mas geralmente eram cópias de projetos estrangeiros (não faço idéia se licenciadas ou não)…

        • http://www.facebook.com/maxmousee Natan Facchin

          Não sei se todos, mas alguns eram licenciados sim :D

          • ClaudioLisboa

            Lembro de alguns licenciados, inclusive, divulgavam a semelhança como autorizada e “com adaptações” ao consumidor local. .

        • http://www.facebook.com/eletrowilson Wilson Machado

          cópia nada, eram nokia mesmo. eu tinha um Gradiente Concept era o mesmo Nokia 6120. a única coisa que era diferente era o visual e a imagem que aparecia quando ligava ou desligava. no resto era o mesmo aparelho. duvido que não era comprado e remontado ou simplesmente a Nokia já vendia desse jeito pra Gradiente. a CCE por exemplo durante muito tempo vendeu produtos SHARP como se fossem CCE, mas era só desmontar que tava lá na placa do produto o nome SHARP.

          • http://twitter.com/viakenny Arthur V.*

            A Nokia e a Gradiente tinham uma joint-venture, eram sócias na operação brasileira que fazia celulares Nokia com as duas marcas.

      • Ruy Acquaviva

        Nenhuma empresa do mundo deixaria de usar essa marca (ou uma marca tão conhecida quanto essa) se dispusesse do direito de uso. Não se pode criticar a gradiente por aproveitar o registro da marca que é seu por direito e legitimamente, como apelo publicitário. Não estaríamos falando dos celulares dela se não fizesse isso.

        Quanto ao fato da empresa ressaltar que o seu IPHONE não tem nada a ver com o iPhone da Apple, trata-se de uma atitude a ser elogiada pois está esclarecendo o público e evitando confusão quanto ao produto.

  • http://www.facebook.com/murilov Murilo Vieira

    Cara, quanta bobagem numa postagem só. A gradiente está no seu direito, e se formos ver bem, foi a APPLE que COPIOU o nome IPHONE da GRADIENTE! NÃO HÁ NADA DE ERRADO NISSO.

    • Marcelo Q.

      Ela tem o direito do nome, fato. Mas ela não pode negar a realidade dos fatos, né? A Apple já consolidou o nome iPhone no mundo todo, inclusive aqui no Brasil, pode ter certeza que a Gradiente vai capitalizar alguma coisa em cima de um ou outro distraído… não existe NENHUMA justificativa de boa-fé pra Gradiente aparecer 12, 13 anos depois e inocentemente utilizar o seu nome genial num produto que ela mesma reconhece como inferior…

      • http://www.facebook.com/leandro.blanes.9 Leandro Blanes

        Estão esquecendo de considerar que o nome só foi dado a Gradiente em 2008, alias, ninguém está perguntando porque a Apple não questionou a decisão como seria direito dela em 2008 quando o INPI concedeu a marca a Gradiente.

        • http://www.facebook.com/people/Jefferson-Alves/100000068488612 Jefferson Alves

          A Apple não poderia contestar pois o pedido de registro era de 2001, ou seja, a anterioridade é da Gradiente. Se eu tiver um lampejo do futuro e resolver registrar hoje uma marca que só vai ser lançada daqui 10 anos, problema de quem lançou, vai ter de mudar a marca ou me pagar.

    • http://www.facebook.com/people/Caio-Fraga-da-Luz/100000973055003 Caio Fraga da Luz

      Copiar pra mim é olhar uma coisa e tentar reproduzir. A apple não sabia da existência de um iphone da gradiente.

      • http://www.facebook.com/leandro.blanes.9 Leandro Blanes

        Existia um registro de marca solicitado em 2000, como assim a Apple não sabia?

        • Rodrigo Fante

          A Apple sabia antes de lançar o iPhone que com certeza em diversos países esta nomenclatura ia estar reservada/registrada e pagou para ver e continua pagando.

          A Gradiente por sua vez não registrou pensando em sacanear, mas nada me tira da cabeça que seu uso só agora depois do iPhone da Apple estar estabelecido no mercado é puro oportunismo e sacanagem, mesmo eles sendo os donos da marca.

          • Marcelo Q.

            Sim, isso é óbvio, não faz o menor sentido a Gradiente utilizar o nome iPhone só porque “é a dona”. Ela não fez NENHUM investimento nessa marca ao longo da década em cima desse nome, e agora aparece com esse celular “que também é muito bom” e usa o nome trabalhado pela Apple mundialmente. Isso porque tem uma “turma do marketing lá na Gradiente, hein, vai vendo como esse povo trabalha bem…

            Não é nem questão da Gradiente ter ou não o direito sobre o uso do nome, na letra fria da lei me parece que ela tem mesmo esse direito, afinal, deu entrada no processo de registro uns 7 anos antes da Apple sonhar com o iPhone. Agora, é inequívoco que a marca “iPhone” foi plenamente trabalhada e consolidada por causa da Apple.

            Imagino que a Apple não se pronunciou antes porque, lá pelos idos de 2006, 2007, o mercado brasileiro de smartphones não era tão relevante assim, então ela deixou rolar… aliás, não consigo ver tribunal nenhum dando ganho de causa pra Apple, mas consigo ver dando ganho de causa pra clientes induzidos a erro por esse jogo de nomes, entretanto, como é notório que quase ninguém vai entrar com um processo contra a Gradiente pra ganhar algumas merrecas indenizatórias, só quem vai sair perdendo é o consumidor mesmo… e assim um mercado perde sua credibilidade, parabéns a todos os envolvidos.

    • http://gamerslash.com.br Ander Santana

      Por favor me diga que você está sendo sarcástico.

    • http://www.facebook.com/pedronaroga Pedro Cordeiro

      Ela tinha o direito de embargar o lançamento do iPhone, mas preferiu deixar a concorrente lançar o aparelho, fazer a publicidade, mesmo sabendo que isso poderia confundir o consumidor. Agora, 5 anos depois do lançamento do iPhone (da Apple), ela resolve lançar um celular com o mesmo nome. O direito dela deveria ter sido exercido 5 anos atrás, não deveriam ter deixado uma concorrente lançar o aparelho com o mesmo nome.

      • http://www.facebook.com/kadugaspar Kadu Gaspar

        Ela estava falida.

        • http://www.facebook.com/pedronaroga Pedro Cordeiro

          Estar falida é uma justificativa válida para não ter lançado novos aparelhos neste meio tempo, mas não para ter se omitido quando a Apple lançou os iPhones aqui. Eles deveriam ter proibido a Apple de lançar o aparelho com esse nome aqui. É procedimento sumário, quase não tem despesa judicial. E talvez ainda rolasse uma graninha pra Gradiente permitir o uso do nome. O que não vale é esperar esse tempo todo e surgir depois de 5 anos de Apple iPhone querendo reclamar o direito de uso da marca – e de forma não-exclusiva, compartilhando o mercado com seu concorrente de mesmo novo.

          • http://www.facebook.com/people/Jefferson-Alves/100000068488612 Jefferson Alves

            Quase não tem despesa judicial???
            O amigo não tem a minima noção do valor dos honorários de um advogado de patentes, e nem quero pensar só no valor das custas processuais que são pagas para que o processo seja somente recebido e distribuído Quanto a procedimento sumário, nem deveria entrar nesse mérito, mas vou, pois há um grande porem, a marca registrada é Gradiente Iphone e o Apple é só Iphone, logo haveria uma batalha judicial muito cara, pois deveriam ser feitos diversos laudos periciais para provar que haveria confusão entre a população pela similaridade dos nomes. Logo, uma empresa quase falida e em contenção de custos nem sonharia em bancar esse processo.

          • http://www.facebook.com/kadugaspar Kadu Gaspar

            Exato. As coisas não são tão simples quanto pintam.

          • http://www.facebook.com/edney.milhoretto.1 Edney Milhoretto

            Falou e disse!

          • http://www.facebook.com/pedronaroga Pedro Cordeiro

            As marcas não são idênticas, mas são obviamente suficientemente parecidas para causar confusão para o consumidor. Não existe possibilidade de a Apple ganhar um processo desses. Um mandado de segurança deveria ser suficiente para embargar (ou pelo menos atrasar) o lançamento do iPhone. De qualquer forma, sem entrar no mérito jurídico (não sou especialista na área), uma mera notificação extra-judicial (um ‘cease-and-desist’) da Gradiente em cima da Apple talvez tivesse sido suficiente pra Apple não lançar o aparelho com esse nome ou para forçar a Apple a comprar os direitos de uso do nome. E seria suficiente para mostrar que ela não agiu de má fé, que não se omitiu quando a Apple lançou o aparelho.

  • http://twitter.com/roch_br Rochester Oliveira

    po, a fabricante definir seu produto como “muito bom” é dose heim..

  • Marcelo Q.

    “só que não quer que ninguém se confunda”

    É muita bondade para uma empresa só!

  • http://www.facebook.com/people/Diego-Messias-Batista/100002522797622 Diego Messias Batista

    Bem é estranho… Mas pra mim conta como um ponto positivo, ao menos foram honestos ;) !

  • Guilherme Peternelli

    Gostei do vídeo. A empresa foi honesta. :P

    • Bicows

      Muito bom, concordo. Ficaria feio pra Gradiente querer dizer q o produto dela é melhor e dizer q a Apple kibou ela. Honestidade deixa a propaganda estranha de se ver…. Estamos acostumados a ver mentiras nos comerciais todos os dias que qdo alguém fala a verdade tem gente que faz piadinha… infelizmente…

    • http://www.facebook.com/people/Marcelo-Eiras/1567301419 Marcelo Eiras

      Ou o marketing é bom ou é honesto, são coisas mutuamente exclusivas. O máximo que ela vai conseguir com esse vídeo de auto flagelação publicitária é aparecer na midia da pior forma possível.

      Marketing não foi feito para ir para o céu foi feito para vender produtos.

      A Coca Cola não vende Coca Zero dizendo que ela tem gosto de suco de aspartame e sim praticamente dizendo que aquele refrigerante vai fazer você emagrecer.

      As specs do Iphone da Apple são bem inferiores aos de um Galaxy S3, mas você nunca vai a Apple dizendo que seu produto é inferior mas mesmo assim é “muito bom”.

      • Ruy Acquaviva

        O objetivo da Gradiente foi obter publicidade gratuita e só o fato de estarmos falando do seu produto já mostra que foi bem sucedida. O esclarecimento ao público é para evitar acusações de propaganda enganosa ou má fé. Como trata-se de produtos com especificações e nichos de mercado diferentes não vejo essa propaganda como algo contraproducente. A Gradiente não disse que seu produto é ruim, disse que é diferente do iPhone o que é um fato.

        • http://twitter.com/marceloeiras Marcelo Eiras

          Pode até ser positivo pra Gradiente, só que não.
          Podem até falar… Quero ver é comprar um produto que o próprio fabricante fala que é até muito bom.

          • Ruy Acquaviva

            Só não entendo por que você se incomoda tanto com a propaganda da Gradiente. Se der errado para eles somente eles serão afetados. Pior seria divulgarem uma mentira e enganar o consumidor.

      • Eduardo

        Fazer uma comparação entre produtos como S3 e iPhone só pelas suas especifícações técnicas é ridículo, os aparelhos não são feitos apenas de Hardware. O sistema da Apple PODE SER(não estou falando que É) mais flúido, eficiente e mais elegante que o de um Android. É a mesma coisa que acontece com os Mac, você poderia ter um computador com um hardware bem melhor usando um Windows pelo mesmo preço, mas será que é só coincidência que praticamente toda a industria gráfica usa Mac? Não.

      • http://www.facebook.com/maicon.faria.92 Maicon Faria

        só se for em mundo de antas. No meu mundo honestidade e marketing andam juntos.

  • http://www.facebook.com/people/Marcelo-Eiras/1567301419 Marcelo Eiras

    Acho que nunca na historia do marketing uma propaganda desmereceu tanto o próprio produto. Basicamente disseram:Não é a mesma coisa da competente e genial Apple, é apenas uma porcaria com mesmo nome, mas tem 2 chips, um diferencial que pobre adora. Só faltou o caco antibes.

    • http://meiobit.com/author/max_laguna Emanuel Laguna

      Foi isso que eu queria ressaltar com o presente texto! :)

    • Felipe Sikansi

      Não sei porque o preconceito com 2 chips, coisa que realmente o brasileiro adora, visto a quantidade de aparelhos desse tipo no mercado. Além disso, nem todo mundo precisa de um “competente e genial” iPhone da Apple para ser feliz, tem muita gente que gosta de um celular só para fazer ligações, e não precisa necessariamente ser pobre para isso.
      O que a propaganda diz que justamente que eles não copiaram a Apple, que são dois aparelhos para públicos totalmente diferentes.

      • http://www.facebook.com/people/Wagner-Felix/661933705 Wagner Felix

        Mas acho que dava pra falar dos 2 chips sem parecer que a propaganda é uma auto-tiração-de-sarro.

        • http://www.facebook.com/medeiros.leandro Leandro Medeiros

          se tivessemos operadoras de telefonia decentes no Brasil, não precisariamos dessas monstruosidades de 2, 3, 4 chips que vendem tanto por aí!

          • http://www.facebook.com/people/Marcelo-Eiras/1567301419 Marcelo Eiras

            Ter dois chip não tem nada a ver com operadoras. Tem a ver com pobreza mesmo, o povão quer mesmo um com 4 chips para colocar 1 de cada operadora. O problema vai ser o povão pagar 600 reais por um clone chines do Motorola Defy.

          • Ruy Acquaviva

            O povão quer ter celulares com mais de um chip para usar a operadora que oferece menores preços, atitude de consumidor conciente que estimula a concorrência saudável que leva à redução de preços. Criticar essa atitude dizendo que é “coisa de pobre” além de ser arrogante é um exemplo deplorável do conhecido complexo de vira-latas das mentalidades colonizadas.

          • http://twitter.com/marceloeiras Marcelo Eiras

            Desculpe pela minha sinceridade e pela minha aversão a demagogia politicamente correta. Se isso fosse vagamente verdade os celulares high end teriam suporte a múltiplos simcards

          • Ronaldo Klais

            Pessoas com celulares high end estão mais preocupadas com qualquer outra coisa doque com efetuar ligações.

          • Ruy Acquaviva

            Os celulares high-end são vendidos quase sempre através de planos pós-pagos de alto valor e portanto com franquia de alta minutagem. Então a lógica é diferente. Há sim os colonizados que querem demonstrar status gastando muito com celulares, mas não existe coisa mais brega do que isso. Está cheio de gente fútil por aí querendo compensar suas frustrações fazendo-se de ricos, através de demonstrações de status ridículas tais como tentar dizer que não se importa com o que gasta com celulares. Não é coisa de pobre, é coisa de gente ridícula e medíocre. Não digo que é o seu caso. Se for desculpe-me a sinceridade, mas convenhamos, hipocrisia também é ridículo.

      • http://www.facebook.com/people/Marcelo-Eiras/1567301419 Marcelo Eiras

        Então esse sujeito que precisa de um celular só pra fazer ligações vai comprar um dumbphone da nokia por menos de 100 reais ao invés de pagar 600 reais no Iphone da Gradiente.

    • http://www.facebook.com/people/Wagner-Felix/661933705 Wagner Felix

      Pelo nivel dos comentarios e das negativações, acho que pouca gente entendeu isso… Meu, duvidei que fosse oficial, porque é muito tosco…
      “Ó, a comida aqui não é tão boa quando a do Picanha na Tábua, mas até que da pra comer, e tem um diferencial: o tampico é grátis!”

      • http://fellipec.com Luiz Fellipe Carneiro

        Pô! Com Tampico grátis já garantiu diversas Creuzas e Neis comendo seu rango, e botando o que sobrou na quentinha!

    • http://www.facebook.com/leandro.blanes.9 Leandro Blanes

      Entendi… se fosse sua empresa você mentiria dizendo que é tão bom quanto o iPhone… é esse tipo de atitude é mais parecida com a do povo brasileiro mesmo

      • Rodrigo Fante

        Na verdade é parecida com marketing em qualquer país.

        Até quando falam a verdade marketeiros tem um interesse oculto, neste caso posar de boazinha para os consumidores, e está funcionando, o povo é inocente mesmo.

        • http://www.facebook.com/people/Marcelo-Eiras/1567301419 Marcelo Eiras

          Posar de boazinha não vai vender celulares, vai no maximo causar pena nos consumidores. E nimguem vai pagar 600 contos em um celular absoleto por pena da Gradiente ou como premio por sua sinceridade.

          • Rodrigo Fante

            Acredite, vende, não tanto quando um aparelho realmente bom, mas vai vender muito mais do que venderia sem o marketing.

            Se a empresa não tem competência para fazer um aparelho bom, vendendo a preço competitivo, o jeito é apelar mesmo.

      • http://www.facebook.com/people/Marcelo-Eiras/1567301419 Marcelo Eiras

        Não existe essa de marketing brasileiro. Marketing é igual em qualquer país, sua função é promover e vender produtos. Ninguem vende produtos falando bem da concorrência e desmerecendo o próprio produto.

  • Tiago Costa

    “Ao menos os chineses kibam as coisas em silêncio.”

    Onde a Gradiente Kibou algo? A marca É DA Gradiente. Ela faz oque bem entender com a marca DELA! Quanto a ela usar produtos chineses, me diga um a empresa brasileira que não faz isso? Ou vc acredita que a Positivo fabrica seus produtos em terras tupiniquins? A empresa está dando sinais de vida e este é um grande motivo para nós brasileiros comemorarmos.

    Faltou vc dizer também que o Brasil é o país de pobres que comem mortadela e arrotam caviar. Vejo muito semianalfabeto e almofadinhas comprando produtos apple só para dizer que são pessoas modernas.

    • Tiago Costa

      Olha o jeitinho da apple inovar ao criar(??) o tablet, que nem foi “kibado” de 2001: Uma Odisséia no Espaço :

      • AcesLinuX

        Não sou macfag, mas esse do filme 2001 parece mais uma televisão do que um telefone/tablet

        • Tiago Costa

          Vc não acha nem pouco fantástico eles terem criado a essência de um tablet em 69????

          • AcesLinuX

            De fato não acho, pois é sabido que a ciência/industria trabalha justamente para tornar realidade o que hoje é ficção científica.

      • http://www.facebook.com/people/Marcelo-Eiras/1567301419 Marcelo Eiras

        Você esta dizendo que a Apple copiou um produto que existiu apenas num filme de ficção cientifica ou é apenas sarcasmo ?

        • Tiago Costa

          Foi utilizado na defesa da Samsung contra a patente dos cantos arredondados. É lógico que na terra do Tio Sam ela levou a pior e a patente se manteve.

      • OverlordBR

        Pela tua lógica, então o Arthur C. Clarke kibou os tablets e pads da série clássica de Star Trek… afinal, a série começou em 1966, dois anos antes de 2001 ser lançado e já mostrava este tipo de dispositivo nos episódios. ;)
        http://img.trekmovie.com/images/links/ipadd-tos.jpg

        • Tiago Costa

          Essa eu não sabia, mas Arthur C. Clarke tbem escreveu o 2001: uma odisseia no espaço! o filme é baseado no livro dele.

    • Ruy Acquaviva

      Parabéns pelo seu comentário. Concordo plenamente. Acho vergonhosa essa arrogância com que estão criticando o uso de celulares com mais de um chip.

    • http://www.facebook.com/luis.arruda.1000 Luis Arruda

      Cara vc tem toda razão, tem um monte de mané “antenado e moderninho” querendo se exibir de iphone, sendo que a tecnologia embarcada de um S3 é muito superior, e se a marca pertence a Gradiente que ela use, é seu direito. E um salve para o dualchip.

    • X-MAN Silveira

      Concordo plenamente. E em tempo: Nego aí criticando a postura da Gradiente e dizendo “mal de brasileiro”, mas nao é a Apple que usa de uma estratégia de ficar alegando que as ideias “originais” dela sao roubadas da Samsung pra evitar que a mesma venda nos EUA? Pusta postura escrota das empresas internacionais processando pra embargar e diminuir as vendas, ao invés de apenas oferecer um produto melhor e mais competitivo Mas como mesmo lá fora a Apple vende produtos mais caros, ela prefere apenas tentar impedir a concorrência de vender pra continuar furando olho dos consumidores.

      Enquanto isso, uma empresa Brasileira registrou o nome primeiro, e quer ganhar dinheiro com isso, apenas mais uma no meio de todas que fez isso

    • http://twitter.com/viakenny Arthur V.*

      Registrou uma marca que diz que usou mas não usou (o “Gradiente iphone” na verdade foi vendido como “Gradiente G-Wap”).
      E num mundo mais globalizado, vale mais projetar seus próprios produtos do que vender commodities com sua marca.

  • http://www.facebook.com/pedronaroga Pedro Cordeiro

    Se a Gradiente queria usar a marca, deveria ter embargado o lançamento do iPhone no país com esse nome, 5 anos atrás. Por mais que se alegue que não há má fé (o que é discutível, visto que eles permitiram o uso da marca pela Apple), o prejuízo para o consumidor é motivo suficiente, na minha opinião, para proibir o uso da marca pela Gradiente, mesmo ela sendo a proprietária. O povão não sabe a diferença de iPhone 4 pra iPhone 5 e também não vai saber a diferente de iPhone pra iphone. Vão comprar o que for mais barato, vão ser induzidos ao erro.

    Na minha humilde opinião, a Gradiente “renunciou” ao direito de usar a marca quando deixou uma concorrente lançar e manter um celular com este nome por 5 anos no mercado. Ela tinha todo o direito de lançar um celular com este nome, desde que tivesse protestado o lançamento do celular da Apple. Ao invés disso, se omitiram, deixaram que o produto concorrente fosse lançado, se tornasse popular e agora estão vindo utilizar o mesmo nome. Mesmo que não seja a intenção confundir o consumidor, o consumidor VAI se confundir. A Gradiente VAI lucrar com a publicidade conquistada pela Apple.

    Esse é o meu esforço de deixar minha opinião imparcial. Antes que me chamem de macfag, eu uso android. :)

    • http://www.facebook.com/leandro.blanes.9 Leandro Blanes

      Se a Apple queria usar o termo iphone deveria ter entrado com ação pedindo a mudança pelo INPI como é previsto até 6 meses após conceder a marca, a Apple sabia que tinha um iphone, sabia que a marca foi concedida, tinha dinheiro pra entrar com recurso no INPI (enquanto a Gradiente não tinha) e não fez, quem agiu de má fé?

      • http://www.facebook.com/pedronaroga Pedro Cordeiro

        A Apple solicitou o registro no INPI na época do lançamento. Como o pedido havia sido protocolado antes pela Gradiente (e foi aprovado em 2008), vai ser negado (o processo do INPI é muito lento, o pedido ainda está na fase ‘protocolado’). Para alguns setores (como camisetas), a marca iPhone já está registrada no brasil para a Apple, o que indica que o registro foi, de fato, solicitado pela Apple. A Gradiente que não tinha nada que ter esperado quase 6 anos pra criar caso, deveria ter criado caso quando a Apple lançou o aparelho.

  • Xultz

    “Globo e SBT iriam exibir os filmes anteriores no mesmo dia e horário.”
    Na verdade foi um pouco além. Me lembro daquela época: o Silvio Santos ficou um tempão anunciando que ia passar o filme Rambo I, numa segunda-feira. Era engraçado, porque o SBT ficava com uma chamada dizendo “dentro de instantes o filme vai iniciar” mas na verdade ficavam esperando a novela das 8 acabar. Se não me falha a memória, a novela era “Vale Tudo”, um baita sucesso. Daí naquele dia, a Globo passou dois capítulos seguidos da novela. O SBT esperou, esperou, e desistiu de passar o filme, porque tinha ficado muito tarde. Daí adiou o filme prá segunda-feira seguinte. Daí a Globo conseguiu comprar o Rambo II e decidiu passar na segunda seguinte, no mesmo horário do SBT. Mais uma vez o SBT voltou atrás. Ah, anos 80…

    • http://meiobit.com/author/max_laguna Emanuel Laguna

      Obrigado pela informação, meu caro! :)

  • Claito

    Muda de país kra, o país não é bom o suficiente pra vc, vai morar onde vc acha que é melhor.

    • Rodrigo Fante

      Argumento muito bom apresentado, continue assim.

      • Claito

        Quer falar mal da atitude errada da empresa, blz, quer falar mal dos políticos do país (que são um bando de ladrões), blz, agora falar mal do país é uma modinha de quem tem dinheiro que se acha melhor que os outros, se o País não é bom pra vc, mude ou faça ele ser melhor, essa é a minha opinião.

        • Rodrigo Fante

          E você tem todo direito a ela, mesmo que não consiga tecer 2 parágrafos de argumentos para defendê-la.

          Eu acho mais fácil fazer a minha parte, educar quem está próximo de mim, abrir os olhos, conversar, mostrar prós e contras das atitudes tomadas, muita gente que você manda embora por puro comodismo poderia ter um potencial de mudança na nossa cultura maior que o seu se educadas corretamente, se alguém abrisse o olho delas para o que ocorre além do que está na primeira vista.

          • Claito

            Ha entendi. vc deve se achar uma mente brilhosa. Se vc fosse um educador com potencial, não falaria mal do Brasil como falou. Parabéns mestre pelos seus excelentes parágrafos.

  • http://www.facebook.com/chr.oliveira Christian Oliveira

    Dois chips pode até ser muito útil, mas eu ainda prefiro redundância total de operadora e aparelho, se era para não confundir ou não se aproveitar do hipe, usa-se outro nome tipo Gradiente Galaxy, kkk

  • http://www.facebook.com/leonardofariacoelho Leonardo Faria

    se o nome iPhone era dela desde o registro inicial (2000), se ela levou anos se ‘reestruturando’, pq não barrou a Apple logo quando o iPhone chegou pela primeira vez no Brasil? poderia ter feito um acordo, ganhado dinheiro, ou simplesmente proibido.

    quer dizer, esperou 5 anos para a turma da maçã consolidar um nome para depois ir lá e falar que tem o nome e lançar um produto inferior, confundindo o consumidor. não me venham falar que o consumidor não vai se confundir, pois vai sim.

    isso me lembra o lifan 320. é tipo um mini cooper, mas é diferente, pq tem um diferencial que o brasileiro gosta: preço.

  • http://www.facebook.com/thawithdiamonds Thaysa Bretz Pizzolato

    no mínimo arriscado, mas eles querem deixar bem claro qual o público pretendido.

  • http://twitter.com/jaisoncarvalho Jaison

    Não podemos esquecer
    A Apple kibou o nome “Iphone” de um telefone da Cisco, e não contente com isso ela após um tempo mudou o nome do sistema operacional para IOS, mesmo nome de um sistema operacional da Cisco :)

    • Marcelo Eiras

      Na verdade ela simplesmente continuou com suas estrategia de Icoisas , que por acaso batia com o mesmo nome de um produto da Cisco, no caso um fone voip, algo bem de nicho e desconhecido do grande publico. Entrou em acordo com a Cisco e ambos usam o mesmo nome em produtos completamente diferentes sem problemas. É um caso bem diferente da Gradiente que primeiramente quis dar uma de grilheiro de marca e agora quer conquistar os consumidores com um método bizarro, provocando pena em seu público alvo.

      Se a estrategia de marketing da Pepsi já era estranha por sugerir que em caso de falta de Coca Cola as pessoas experimentassem Pespsi, a Gradiente resolveu radicalizar neste sentido.

  • http://twitter.com/APScheffer Ana P. Scheffer

    Trocar o nome, a solução mais adequada. sem precisar explicar-se.

    • http://twitter.com/viakenny Arthur V.*

      E quando o nome já está estabelecido?
      E as pessoas que acham o Galaxy X brasileiro um produto “inferior” ao Galaxy Nexus internacional por ele ser atualizado pela Samsung, e não pelo Google (sem saber que a Samsung também atualiza o GNex em alguns outros países)?

  • http://fellipec.com Luiz Fellipe Carneiro

    Se a Gradiente não pode ou não quis impedir o uso da marca em 2008, quando foi deferido o processo do INPI, isso não é o problema. Existe um negócio chamado “prescrição” que é o prazo em que um crime pode ser julgado. Alguns são de 5 anos, outros de 20, outros não prescrevem nunca.
    Se a Gradiente está dentro do prazo, está tudo certo, e acredito que possa até ser configurada a ma fé da Apple ao lançar o produto no Brasil com o mesmo nome de outro já registrado no país, pelo visto, sem entrar em contato com quem era dono da marca para fazer um acordo e pagar os devidos royalties, ou até mesmo comprar a marca.

    Acho que da pra comparar com aqueles terrenos que ficam vazios por anos e acabam sendo invadidos e virando favela. É bem comum depois de anos, o dono do terreno pedir a reintegração de posse, e então a PM tira o povo do lugar na marra. Ter quem acredite que isso é errado, já que o terreno estava sem utilização e aquelas pessoas estavam morando ali por anos, sem reação (até então) do legítimo dono. Por outro lado há quem diga que é correto uma vez que o dono legítimo é o único com direito sobre aquela propriedade, e não tendo acontecido um processo de usucapião os invasores não tem direito algum sobre a terra.

    Eu estou bem curioso para saber o que vai sair disso tudo, já que uma batalha nos tribunais parece ser inevitável. E esse vídeo, acredito, pesa bastante a favor da Gradiente.

  • http://www.facebook.com/nelson.h.c.nepomuceno Nelson Henrique Corrêa Nepomuc

    Espero que o iphone da Gradiente seja bem mais barato que o da Apple. Nesse caso seria uma vantagem importante para colocar no vídeo. Não é todo mundo que pode gastar sem culpa mais de R$ 1 mil com um celular.

  • http://www.facebook.com/nelson.h.c.nepomuceno Nelson Henrique Corrêa Nepomuc

    Registrar uma marca no Brasil pode sair caro e ser muito demorado. A Gradiente tem o direito de usar a marca no Brasil, não importa o sucesso mundial do produto Apple.

    • Rodrigo Fante

      Legalmente isso é indiscutível, moralmente a coisa muda um pouco e fica mais complicada.

  • http://www.facebook.com/people/Marcelo-Eiras/1567301419 Marcelo Eiras

    Vamos ser realistas, esse “iphone” é um clone chines do motorola defy com etiqueta da Gradiente, devido a isso usa o android 2.3.4 (curiosamente o maximo que o defy consegue via cyanogem). O problema que ele é custa R$600 e o Defy R$500 nas lojas.

    Me assusta ver nas fotos um ícone de Gradiente Store no “iphone” e no tablet da Gradiente.
    .
    Sendo otimista apenas mudaram o icone e o nome, sendo pessimista ela capou a play store da google e criou uma store própria.

    Se o foco é o mercado de baixa renda vai ser difícil, existem 3 tipos de consumidor neste mercado:

    1) o cara que compra um dumbfone nokia apenas para falar.

    2) o cara compra um xing ling de raiz de 200 merreis no camelô

    3) o cara que compra um Iphone da Apple em 36x prestações nas casas bahia e não tem dinheiro nem para um plano de dados.

    Eu sou do tempo que a Gradiente era uma marca respeitada e até exportava produtos para o primeiro mundo, e fez por merecer isso, mas hoje ela é apenas uma etiquetadora de xing ling com um futuro nada animador pela frente.

    Não estamos mais nos anos 80, a Gradiente não é uma marca respeitada a algumas décadas, a grife não vai ajudar. E o pessoal de mid range vai preferir celulares de marca conhecida como motorola e samsung por praticamente o mesmo preço e com hardware e android bem mais avançados.

    Por sinal olhando a loja virtual da Gradiente é difícil imaginar como a Gradiente vai escapar de uma segunda falência. É um festival de produtos xing ling com etiqueta da Gradiente e por um preço bem maior que eles valem.

    E antes que alguém diga que hoje em dia praticamente tudo é feito na China, inclusive o Iphone da Apple, é extremamente diferente usar o trabalho semi escravo chinês para produzir seus produtos a baixo custo como faz a Apple que comprar produtos chineses de qualidade duvidosa e colar a etiqueta em cima como faz a Gradiente.

    Tá certo que o mercado está muito complicado, com empresas que a pouco tempo atrás eram todas poderosas como a Nokia e hoje estão subindo no telhado…Mas para que fazer um comercial que se auto deprecia ?! Qual o sentimento que eles querem causar nos potenciais consumidores ? De pena ? De vergonha alheia?

    Bastava dizer que ele se chamava Iphone, mas era um android o sistema que mais popular da atualidade ponto final. Que tipo de idiota pretende vender um produto dizendo que o outro é muito melhor ? Se não tem nada de positivo para falar do produto é melhor não falar nada.

    Talvez o pessoal do marketing da Gradiente tenha visto a campanha da Pepsi que diz basicamente:

    “se não tiver Coca Cola por favor experimente Pepsi, é pior, mas pode ser que você goste”

    Dai o marketing da Gradiente achou que a auto flagelação mercadológica seja uma boa ideia e uma nova tendência do marketing e propaganda, só que não… Propaganda dessas só servem para virarem chacota em sites humorísticos e criarem vergonha alheia nos outros. Basta ver o video “pode ser” do grupo portas do fundo.

    • http://www.facebook.com/kadugaspar Kadu Gaspar

      Nem a propaganda da Pepsi foi assim. Pelo contrário, foi inteligente. A Pepsi assumiu que todo mundo prefere Coca-Cola mas nem por isso disse que seu produto era pior. Pelo contrário, dizia que beber Pepsi ~pode ser muito bom~.

  • ALberto Bellini

    Eu processava a Apple

  • http://www.facebook.com/thiagoBarbosa48 Thiago Campos Barbosa

    ah mano…a propaganda e explicação foi boa….coitadismo foi a sua interpretação

  • http://www.facebook.com/people/Marcelo-Eiras/1567301419 Marcelo Eiras

    Se a Gradiente não quer que ninguém se confunda achando que está comprando o Iphone da Apple como ela pretende vender um clone chines do motorola defy por R$ 600 ?

  • juliocesar757

    Não estou entendendo onde a Gradiente quer chegar com essa confusão. Espera que a Apple pague alguns milhões para ela tirar o termo iPhone de seus modelos ou tentar enganar o consumidor igual aos produtos chineses que tem por aí como Mike, Rebok, Adibas, etc ou quer mesmo se humilhar dizendo olha, temos um iPhone, mas não é O iPhone da Apple.

  • Ruy Acquaviva

    O Brasil não é apenas o país do coitadismo, dos ativistas políticos bundões, dos gafanhotos digitais e do IPHONE de 2 chips SIM rodando Android. É também o país dos blogueiros arrogantes que falam mal de tudo e de todos achando-se melhores que as demais pessoas.

    Desculpe-me a falta de sutileza, mas mereceu essa.

  • http://www.facebook.com/digaospbr Rodrigo Ribeiro Neto

    Dia 18/12 postei uma opinião sobre o assunto no Facebook – http://on.fb.me/TtUUse

    “Sou, ou pelo menos era, fã da marca Gradiente. Fiquei triste quando fiquei sabendo que ela deixaria de existir há alguns anos, mas também fiquei muito feliz quando soube do seu retorno. Meu primeiro aparelho de som foi um Gradiente, Double Strike, se eu não me engano.
    Porém, essa história do “iphone” da Gradiente é um tremendo tiro no pé da empresa. Tudo bem, eles registraram a marca antes da Apple e, por conta disso, têm todo direito de usá-la no Brasil. Mas, na minha humilde opinião de consumidor, ter o direito não significa que ela deva usar esta marca, não agora, não mais.

    Me parece uma estratégia de marketing falha que, entre outras coisas, pode acabar com o nome da empresa, principalmente nesse momento delicado de reestruturação.

    Então meu recado é:

    Gradiente, se vocês sempre foram sinônimo de inovação no Brasil, esqueçam a marca “iphone”, não é bom, já está vinculado a outra empresa. Você perderam a chance de usar a marca “iphone” antes, usá-la agora é um erro terrível e que pode ser fatal.

    Criem algo diferente, inovador, competitivo no mercado brasileiro e que, principalmente, não nos passe uma sensação de que a Gradiente é uma empresa nacional que produz cópias mal feitas de produtos estrangeiros.”

    Achei que a coisa não poderia ficar pior, mas este vídeo provou o contrário!

  • http://www.facebook.com/maicon.faria.92 Maicon Faria

    se a marca é da Gradiente, é da Gradiente e pronto, acabou. Pode ser cocô em lata, não adianta fanboy nem viralata reclamar.

  • http://twitter.com/f4v3r0 Rafael Favero

    A marca é deles e eles usam se assim desejarem.
    Um vende falando a verdade e o outro falando que é mágico. O otário cai no que achar mais pertinente.

    • http://meiobit.com/author/max_laguna Emanuel Laguna

      Segundo o pessoal do Gizmodo, os iPhones são construídos por elfos. :) :D

  • http://www.facebook.com/eletrowilson Wilson Machado

    tudo bem que a gradiente é dona do nome aifone, mas que esse vídeo é uma bela de uma bosta, ah isso é. fala sério. que porcaria, um vídeo fazendo publicidade pro concorrente.

  • http://www.facebook.com/people/Juliano-De-Souza-Scoponi/100003054075116 Juliano De Souza Scoponi

    “Ao menos os chineses kibam as coisas em silêncio.”

    Típico comentário de “fanboy” preconceituoso, que sai escrevendo sem averiguar a informação direito. A GRADIENTE nao kibou nada, apenas aproveitou de forma legítima uma marca que pertence a ela. Estranha é a atitude da Apple, que deveria procurar a GRADIENTE para negociar um acordo. Recentemente caso semelhante ocorreu com a marca Amazon , e sem alardes a questão foi resolvida. Em 2002 a própria GRADIENTE entrou em acordo com a Sony em relação a marca Playstation, que era da GRADIENTE desde a década de 90 do século passado.

    • http://twitter.com/viakenny Arthur V.*

      Só que o tal “Gradiente iphone” original na verdade se chamava “Gradiente G-Wap”. Procura no Google por ele. É o mesmo aparelho.

  • Rodolfo

    Amigo, a Gradiente DETÉM a marca no Brasil desde 2000, não existe argumento ou jogo de palavras que consiga inverter isso. O que pode-se questionar é o claro oportunismo da empresa, mas no CAPITALISMO isso se chama senso de oportunidade. Não acho que a Apple tenha kibado o nome de sua principal marca, mas sendo ciente do que ela faz lá fora com uma judicialização escrota de seus negócios, não tenho um pingo de pena dela. Complexo de vira-latas tá fora de moda, então vamos analisar os fatos e dar a César o que é de César, não desqualificando automaticamente qualquer empresa nacional ante a um gigante estrangeiro. A Gizmodo trás uma matéria bem mais centrada a respeito do assunto.

  • http://www.facebook.com/ramonfassis Ramon de Assis

    Já ouvi por estes dias: “A Gradiente vai fabricar o Iphone no Brasil, blá, blá, blá… Mais barato… etc… A Apple concedeu os direitos, blá, blá, blá…”. Claro, papo de salsa.

  • Christian_Silva

    A guerra de patentes que a Apple trouxe a níveis ridículos (a ponto de registrar coisas banais) é um verdadeiro perigo para a inovação a médio prazo. Deus me livre no futuro ter que recorrer somente a essa empresa para obter produtos tecnológicos, ainda mais com a política horrível que eles têm com o Brasil. Esse celular da Gradiente é uma porcaria, mas who cares? O que importa mesmo é que quando a pimenta arde no próprio lombo a coisa muda. A sanha da Apple em concentrar esforços no setor jurídico para processar os outros vai diminuir aos poucos e torço eu que eles se preocupem mais em inovar seus próprios produtos.

  • http://twitter.com/GilbertoLucio Gilberto Lucio

    Nossa, velho. Que difícil de entender que essa marca é da Gradiente aqui no Brasil. Que complicado. Se a própria empresa deixou claro que não tem intenção de rivalizar com o IPhone da Apple, e que o seu aparelho é inferior, o que mais vocês tem para dizer? Parem de chupar os testículos do Jobs, até porque, ele já está morto. Na verdade, a Gradiente fez uma coisa “engraçadamente” boa. Juntou o Android, que é superior ao iOS (na minha opinião), a possibilidade de dois SIM cads (que é motivo de economia em ligações para muitos) com o nome iPhone, que é a unica coisa que presta (porque hoje, comparando com os Androids na mesma faixa de preço, só o nome iPhone é forte) no aparelho da Apple.
    E a Gradiente nunca fabricou aparelhos fuleiros…

  • Pingback: Gradiente tem marca “iphone” bloqueada, que pode ir a leilão. Motivo? Quase um milhão deles [UPDATE] « Meio Bit()

  • Pingback: Juiz decide que Gradiente não pode impedir a Apple de utilizar a marca "iphone" no Brasil()

  • Pingback: Phil Spencer, da Microsoft: “a Nintendo não venceu a E3 2014, foi a Sony”()