Games
Games
Digital Drops Blog de Brinquedo

2012 será o Ano do Steam Para Linux no Desktop

Por em 5 de junho de 2012
emAndroid e Linux Linux Open-Source relacionados  
Mais textos de:

Site | Twitter
  • Waldir Leoncio

    Adeus, produtividade.

  • Daniel Fonseca Alves

    O Ubuntu está com a sua loja de aplicativos há um bom tempo e vejo notícias de jogos pagos sendo comprados. Acho que a cultura está mudando, mas principalmente a cultura brasileira de pirataria e gratuito está mudando.

    A Steam também deve estar focando somente as principais distribuições como o Ubuntu e Fedora. Não há motivo para focar em outras.

    No entanto a informação de que será somente no final do ano é uma ducha gelada daquelas de inverno. Mas quem sabe ? Eu ainda não entendo o porquê de investir em desktop linux neste momento do campeonato. Talvez tenha algum motivo secundário. Será um steam para android ? (não estou falando do aplicativo de chat e notícias)

    • hamacker

      Diversificar, não colocar todos os ovos na mesma cesta.
      Se algum dia eles pensarem em desenvolver algum appliance (pc com o sistema deles) provavelmente será com Linux.

      • Daniel Fonseca Alves

        Um console steam talvez ?

    • http://www.facebook.com/chr.oliveira Christian Oliveira

      Com certeza os fatores que estão mudando isso são: formas de pagamento simplificadas e acessiveis também aos brasileiros, queda nos preços e cultura do preço justo, não o preço extorsivo que o brasileiro está acostumado a enfrentar o que acaba empurrando a massa para o consumo dos “genéricos”.

      • http://blog-do-lucho.blogspot.com/ Lucho

        Só toma cuidado ao falar em “preço justo”. Pode ser que, para alguém, venha em mente aquele video idiota e mimimizento do Felipe Neto.

  • Daniel Fonseca Alves

    Go linux go , foi fo#$%!!!! KKKK

  • Thomas Alexander Ewald

    Até parece que todo linuxer só usa o sistema porque é “de grátis”.
    Usamos — rá, me entreguei — porque é o sistema que nos atende de forma melhor.
    A verdade é que os linuxers pagam MAIS quando merecido, como comprova a iniciativa do Humble Bundle.
    Em números absolutos realmente não faz traço nas estatísticas, mas em valores relativos dá para ver que não é como está pintado neste post.
    Cultura do grátis é coisa de usuário Windows que compra jogos Perna-de-pau Edition.
    Concordo que a iniciativa da Valve vai simplificar a vida para os desenvolvedores, unificando a plataforma.
    Estou na torcida para isto vingar e podermos jogar no nosso SO favorito!

  • dougmaitelli

    O MacOS hoje representa mais ou menos 3,5% dos acessos do Steam, Isso dá metade (sim, estou sendo flexível com os números) dos 7,4% que o MacOS teria, no mercado de sistemas operacionais. Uma adesão de 50% é um bom número.

    Como 50%???

    Se 3,5% dos usuários do steam usam MacOS e se 7,4% dos computadores mundiais rodam MacOS não quer dizer que metade dos usuários de Mac usam steam. Afinal etá sendo comparados percentuais que são relativos a valores diferentes.

    Se fosse realmente dessa forma que tu está dizendo, que 50% dos usuários de Mac usam steam, portanto 50% dos 7,4% de computadores no mundo rodando Mac possuem steam. Sendo assim 3,7% dos computadores mundiais estariam rodando Mac e steam oque pode ser igualado aos 3,5% de Macs que rodam steam. Logo a quantidade de computadores com steam teria que ser igual a quantidade mundial de computadores. Há um erro ai. Pois se a quantidade de Macs com steam no mundo é 3,5% e a quantidade Macs no steam é 3,5% logo os 100% do steam seriam os 100% do mundo.

    • http://www.facebook.com/chr.oliveira Christian Oliveira

      Metade dos usuários de MAC são aderentes ao steam, não que os usuários de MAC correspondam a metada dos usuários de STEAM no total de todas as plataformas.

      • dougmaitelli

        Eu não disse em momento algum que usuários MAC correspondem a metade dos usuários STEAM.

    • Rafael Vieira

      Caraca, maluco.
      Vou sair do computador um pouco pq vc deixou meu cérebro saindo fumaça.
      Mais eu entendi e sua lógica tem muito sentido.
      Curti!!!

    • http://contraditorium.com Carlos Cardoso

      A minha conta é perfeitamente aceitável se você ignorar o significado e se restringir aos números puros. 3.5 é mais ou menos metade de 7.4.

      • dougmaitelli

        Suposição:

        Diriamos que existam 1.000.000 de computadores no mundo.
        E diriamos que o STEAM tenha 100.000 usuários.

        7,4% de 1.000.000 = 74.000
        3,5% de 100.000 = 3.500

        Se metade dos usuários MAC usam STEAM então 74.000 / 2 teria q ue ser igual a 3500.

        Mas não é.

        Mesmo assim, ótimo artigo, também não vejo a hora de lançarem o steam pra linux.

        Parabéns,

        • Carlos Magno GA

          Melhorando a citação da estatística então seria que a razão entre o número de usuários de Steam pra Mac em relação a Mac users é metade em relação à mesma razão de usuários para PC.

          Logo se 1% dos usuários de PC usam Steam, 0.5% dos usuários de Mac usam Steam. Dado o tempo de lançamento e quantidade de jogos compatíveis para Mac, é um bom avanço.

    • Diego Rodrigo Tietz

      Puts, que complicado. Mas o que você disse tá certo. Pra quem não quiser ler mais de uma vez pra entender: O argumento (de 50% de adesão do universo Mac) só seria válido se todo mundo (Windows, Mac, Linux, Escamabau) usasse o Steam.

  • http://www.facebook.com/luctimm Lucas Timm

    Conheço muito usuário Linux que só tem Windows no pecê para jogar. E a maioria deles tem Steam…

    • http://www.facebook.com/vitor.felipe.395 Vitor Felipe

      Realmente seria muito útil, minhas jogatinas de l4d2 agradecem!

  • http://twitter.com/marcosrdd Marcos Damasceno

    Afinal todo mundo só usa Windows original.

    • carlosgaucho

      todo mundo que compra notebook sim.. e convenhamos que hj em dia, isso eu diria que é a maioria.

      • hamacker

        Notebooks não são os melhores para jogar por causa da placa de vídeo muito light, a menos que estejamos falando da linha XPS ou Alienware onde a placa de vídeo é apenas um detalhe..

        Sobre gostar da coisa “di gratis”, é cultura mesmo. O cara gasta R$ 1.000,00 numa placa de vídeo que ficará obsoleta em 1 ano, mas não dá R$ 300,00 no Windows Home que usará diariamente.

        • Carlos Magno GA

          Depende do que você joga. Tem muito jogo bom no Steam (Terraria, Mount & Blade, etc.) que não precisa de quase nada pra rodar. Minecraft então é um jogo que foi feito “For Linux” (em termos de filosofia).

          Todo computador hoje em dia (mesmo os notebooks, mas não os netbooks) roda uma penca de jogos no steam: praticamente toda a coleção Indie (exceto talvez Trine), todos os advindos de videogames antigos, GTA, Counter Strike, etc.

          O maior problema que acho de jogar no Notebook não é nem o fator placa de vídeo mas sim o fator conforto/ergonomia: cadeira, mesa e mouse de tamanho decente.

          No carro, sofá, cama, chão, etc., só dá para escrever, assistir vídeo e acessar a internet.

          • http://nada-aqui.posterous.com Marcio Neves Machado

            Ter um notebook gamer é bom para o caso de você querer jogar e não estar em casa. Podem não ser tão portáteis quanto um netbook, mas são “móveis”, e você pode levar para um lugar que sabe que vai ficar bastante tempo e que terá tempo para curtir algum jogo que esteja a fim de jogar

        • http://ceticismo.net André

          Eu comprei um jogo numa promoção do Google Play por 18 centavos. Quando um colega do serviço viu, queria uma forma de eu transferir do meu celular pro dele. DEZOITO centavos e mesmo assim vagabundo não quer pagar. Pessoal faz jailbreak no iWhatever só para pegar app pirata que custa 99 centavos de dólar no iTunes.

          Vemos, portanto, que não é uma questão de 300, mil, 50 milhões ou de dez centavos. Brasileiro, principalmente, não quer gastar nada (a não ser em cervejada. Ninguém reclama disso, por increça que parível)..

  • Wallacy

    Nos Humble Bundle, os usuarios Linux sempre foram os quem mais “pagaram”. Chegando a pagar o dobro dos usuarios Windows por jogos que teoricamente poderiam adquirir de graça por outros meios, ou mesmo pagar o valor minimo de 1c.

    • http://twitter.com/thyagocl Thyago Lopes

      Eu ia citar exatamente isso. Gostei de como o Cardoso citou o fato de que muitos usuários do Steam são usuários Linux não-xiitas (meu caso, inclusive). E minha impressão é de que esse tipo de usuário é maioria, mas por não sairem por aí enchendo o saco dos outros, aparecem menos e a impressão que fica é de que usuário Linux é xiita…

      Tomara que esse port dê muito certo =D

      • Carlos Magno GA

        Mas não se pode negar que existe a cultura do “free beer” no Linux.

        Em um certo programa (cujo maior concorrente custa 5 a 20 vezes mais), os desenvolvedores perguntaram se os usuários queriam versão pra Linux e a comunidade disse que só queria se fosse de graça.

        O Humble Bundle é, de certa forma, os desenvolvedores pedindo doação, o que é bem diferente deles cobrarem 5 USD de cada pessoa.

        • Wallacy

          Não diria uma cultura “free beer”, isso quem diz é o pessoal das outras plataformas, a cultura é Open Source / SL.

          Pelo que conheço, a maioria não se importa nem um pouco em pagar pela aplicação, só se importa com o fato do projeto não ser aberto a comunidade. A maior parte dos programas como o que você citou, também tentam manter o modelo de software proprietario, e no geral os usuarios de linux não simpatizam com isso.

          O problema não é pegar pela aplicação. O Ubuntu vende bastante na central de programas dele, mesmo podendo baixar de qualquer outro reposítorio de forma gratuita, ou mesmo compilar eles mesmo na mão, já que o código está disponivel.

        • Ruy Acquaviva

          Eu acho que quem tem essa “cultura do gratuito” (by Cardoso) ou “cultura free beer” como você diz é a grande maioria dos usuários do Windows.

          Pela minha experiência pessoal um enorme contingente dos usuários de Windows utiliza uma cópia pirata. A coisa só melhorou com o aumento das vendas de micros com Windows OEM pré-instalado. Mas mesmo assim ninguém se preocupa e fazer cópias de segurança da versão instalada e quando precisa formatar o HD simplesmente sapeca uma versão pirata. Muitas vezes isso é feito pelo próprio técnico que formatou a máquina sem nem sequer informar o proprietário do equipamento que ele passou a usar uma versão ilegal.

          Em relação a aplicativos então a coisa é muito pior. A imensa maioria utiliza aplicativos pirata. Mesmo quem tem um Windows OEM regularizado acaba instalando uma cópia pirata do Office. Com os outros programas a situação não é diferente.

          Quando eu aponto a possibilidade de se usar Linux, ou mesmo de se utilizar aplicativos livres como o LibreOffice no próprio Windows para evitar de usar cópias piratas sempre escuto as mesmas desculpas de que o linux seria “difícil” ou que pracisa dos recursos que só existem nos aplicativos proprietários, embora dificilmente alguém aponte especificamente o que seria “difícil” no linux ou qual recurso impressindível o impede de usar um software livre. Quando eu afirmo que é errado utilizar softwares piratas, todo mundo responde como o mesmo argumento, o de que “todo mundo faz”.

          Por isso eu acho que a cultura do gratuito (ou “free beer”) é maior entre os usuários de Windows e pior, apresenta-se de uma forma absolutamente errada, através do uso de pirataria.

    • http://twitter.com/rodrigofante Rodrigo Fante

      Simples, pouca oferta, quando tem se paga mais para tentar mostrar que a plataforma é válida.

      Quando normalizar ter jogos para Linux isso deve mudar.

  • OverlordBR

    Iiiihhh, o Stallmann vai fazer um discurso sobre a privacidade da informação e como o STEAM saberá quais jogos estamos jogando, por quanto tempo e etc.

  • Pedro Neto

    Talvez portar para Linux seria parte do caminho de criar uma SteamBox (imaginação minha).

    • Daniel Fonseca Alves

      Mas isto pode ser exatamente a peça que faltava no quebra cabeça.

  • hamacker

    Citação :
    “NORMALMENTE portar jogos para Linux não é uma boa. Não só pela pouca base instalada, mas pela cultura do gratuito, fenômeno comprovado inúmeras vezes, onde os usuários acham que tudo deve ser de graça, que desenvolvedores que vivem de seu trabalho são mercenários, bla bla bla.”

    Pouca base instalada, talvez sim, mas porque usuários Linux são mão de vaca é balela.
    A maioria que usa Linux são profissionais cuja consciência raramente admite pirataria no Linux ou no Windows. O fato de algo ser gratuito ou livre é uma vantagem desde que não haja uma alternativa paga superior com recursos de que necessite. Eu não troco o K3B pelo Nero, por exemplo. Outro exemplo, mesmo o MSOFFICE sendo portável para Linux via wine (até com setup de instalação automatizado) ninguém dá bola. O LibreOffice pode não ser tão perfeito quanto os admiradores acham que o MSOFFICE é, mas tenho usado a anos e executa bem o seu trabalho.
    Havendo alternativas melhores que as “gratuitas”, o usuários Linux compram, vide sucessos como Humbles Bundles.

  • http://orgulhogeek.net/ Kadu

    “NORMALMENTE portar jogos para Linux não é uma boa. Não só pela pouca base instalada, mas pela cultura do gratuito, fenômeno comprovado inúmeras vezes, onde os usuários acham que tudo deve ser de graça, que desenvolvedores que vivem de seu trabalho são mercenários, bla bla bla.”

    Cardoso, acho que você tá ficando velho, meu caro.
    Milhares de pessoas que são usuárias de Linux só possuem Windows de seus PCs/Notebooks para poder jogar NO STEAM, ou seja, mantemos +20GB de lixo no computador só para jogar.
    Tenho mais de 70 jogos PC, destes, +50 só rodam em Windows. Estão há mais de seis meses sem uso por simples preguiça de entrar no Windows. Todos os jogos foram comprados, seja na antiga loja EA Store, no Steam ou no Direct2Drive, ou até mesmo nos Humble Bundles.

    Diferentemente dos usuários Windows, costumamos valorizar o trabalho do desenvolvedor SE O TRABALHO FOR BOM, pagando pelo produto. Já usuários de Windows, conheço centenas que não compram jogos por achar que as empresas de games já ganham demais por isso e elas lhes devem esse favor.
    Sua propaganda anti-Linux está presa numa época em que existiam poucos apps pagos. Este número está mudando.
    Sugiro estudar o mercado, rever suas ideias e ser coerente, afinal, você, assim como eu, é só um blogueiro, já a Valve não aposta pra perder.

    Abraço

    • http://mygpl.us/peksalvo Pek

      Você não quotou o trecho certo:
      “No caso, há boas chances disso não acontecer, pois com 9 anos de idade o Steam tem um contingente enorme de usuários fiéis, muitos deles usuários não-xiitas de Linux, que entendem a complexidade do sistema econômico onde se troca dinheiro por bens e serviços e que inclusive desejam apoiar desenvolvedores independentes que utilizam o Steam para vender seu e-peixe.”

      • http://orgulhogeek.net/ Kadu

        Verdade, Pek.
        Me prendi ao contexto negativo do artigo.
        Desculpas aos envolvidos.

        • http://twitter.com/jaisoncarvalho Jaison

          Eu gostaria muito que essa ação funcionasse, assim os linuxers vão ter menos desculpas a dar quando perguntarem “o que essa partição ntfs está fazendo ai” :)

  • http://www.facebook.com/people/Bruno-Barbieri/1628396651 Bruno Barbieri

    linux do ponto de vista tecnico é melhor para jogos que o windows… na epoca que eu jogava ut2004 no linux, que rodava nativo, eu entrava no servidor antes de quem tinha RAID 0 no windows, tudo pq no linux o mapa era carregado muito mais rapido que no windows.

    • http://twitter.com/rbicalho Ricardo Bicalho

      Ser melhor tecnicamente em termos de I/O, em um motor como o Unreal, ok. Mas existem outras variáveis em questão. O DirectX hoje facilita muito a vida das produtoras em vários aspectos técnicos.

  • http://nada-aqui.posterous.com Marcio Neves Machado

    Aê, agora poderemos jugar Tux Racer no Steam o/

    Falando sério: isso tudo é muito bonito na teoria, mas se não tiver as desenvolvedoras portando seus jogos para Linux, não vai para frente. E quem inventar de dizer que tudo se resolve com Wine, merece ir para o último círculo do inferno sentar no colo do capeta :P

  • Marlon Quandt

    A Stainless Games está querendo portar o novo Carmageddon: Reincarnation para Linux. Eles garantem que irão fazer isso se atingirem $600.000 no Kickstarter do projeto. Faltam 30 horas e atingiram até agora $551.663.

    • http://www.ubuntubrsc.com/ Julian Fernandes

      Foi confirmado o port hoje (:

  • http://www.facebook.com/people/Aleandre-Da-Silva-Costa/100000014529639 Aleandre Da Silva Costa

    O problema de portar jogos para linux e que a maioria e feita com a tecnologia DirectX, que facilita muito o desenvolvimento. Existe um sistema parecido pra linux o SDL, mas não são compativeis. E desenvolver o mesmo jogo duas vezes e caro pra caramba, dependendo do lucro não faz sentido. No MAC os também não tem DirectX, os jogos são feitos em openGL mesmo, tecnologia compativel com Linux, oque ajuda a ter ao menos um publico maior não windows, com menos trabalho. Apesar de muita gente não concordar, acho que se as produtoras, testassem e apoiassem o wine, teriam muito menos trabalho.

    • http://www.ubuntubrsc.com/ Julian Fernandes

      Pra que apoiar o Wine? Poderiam apoiar o OpenGL, que em inúmeros benchmarks e posts internet afora, é mostrado como superior ao DirectX.

    • Felipe!

      A questão nem é a portabilidade dos jogos windows. E sim o desenvolvimento de um mercado de jogos multiplataforma mais forte. Grande parte desses jogos indies bastante conhecidos hoje mantém versões windowns, linux e mac, e um Steam para linux faciltam pra esse pessoal. Gradualmente acredito que nomes maiores podem surgir…

  • http://www.facebook.com/thiago.cantero Thiago Cantero Mari Monteiro

    Viva o LINUX!

  • Pingback: Engine Unity ganha suporte ao Linux – Meio Bit()

  • http://www.facebook.com/fabiomattes Fabio Mattes

    “NORMALMENTE portar jogos para Linux não é uma boa. Não só pela pouca base instalada, mas pela cultura do gratuito, fenômeno comprovado inúmeras vezes, onde os usuários acham que tudo deve ser de graça, que desenvolvedores que vivem de seu trabalho são mercenários, bla bla bla.”

    Quem fala uma asneira dessas não conhece nada do Open Source e Free Software…

  • Pingback: Valve lança blog sobre o Steam para Linux – Meio Bit()

  • http://www.ultrav.com.br/ Vinícius Figueiredo

    Cardoso precisa se atualizar, mil anos que não leio nada dele e quando leio continua falando sem saber. Essa do usuário de Linux ser mão de vaca, que pensa “que desenvolvedores que vivem de seu trabalho são mercenários, bla bla bla” realmente é bla bla bla mesmo.

  • Pingback: “Steam no Linux é antiético”–Adivinhem qual mala soltou essa… – Meio Bit()

  • Luiz Felipe

    Toda essa droga de discussão e o que isso vai melhorar no jogo? nada! é só a droga do sistema operacional, ele é uma peça que quase faz parte do hardware. O jogo não vai rodar mais suave (o SO quase não faz nada em quesito de jogos, apenas faz forward para a placa de video), não vai ficar com mais qualidade, nem mais divertido, e não vai custar menor, muito provavelmente vai custa mais caro por conta do porte. Conclusão, não traz beneficio algum, exceto alguns usuários de Linux não precisar ter o windows instalado para jogar o jogo. Por isso acredito que faça parte da estratégia de ter um SteamBox como já comentaram, pois senão não faz sentido algum. Será que isso é estratégia para no futuro ter um hardware steam rodando linux customizado para reduzir custo de desenvolvimento, quem sabe.