Home » Entretenimento » Disney+ manterá lançamentos semanais de séries fora dos EUA

Disney+ manterá lançamentos semanais de séries fora dos EUA

Disney+ vai liberar episódios de The Mandalorian na Europa semanalmente; estratégia de lançamentos pode variar de acordo com a região

19/02/2020 às 9:30

A decisão de distribuir o conteúdo exclusivo do Disney+ semanalmente será mantida em todas as regiões em que o serviço for lançado. Ao anunciar a chegada da plataforma à Europa, a Disney revelou que os episódios de The Mandalorian serão liberados da mesma forma que nos países da Fase 1, mesmo com a primeira temporada já encerrada.

Segundo a empresa, nem todos os conteúdos serão lançados de forma igual em todo o globo, embora planejem fazê-lo na maioria dos casos.

Disney / tela do Disney+

Sejamos francos, quem queria assistir The Mandalorian e não morava nos países contemplados pela Fase 1 do Disney+ (Estados Unidos, Canadá, Holanda/Países Baixos, Austrália, Nova Zelândia e Porto Rico) deu seu jeito e recorreu à Locadora, e a casa do Mickey sabe muito bem disso; o zelo das primeiras semanas, onde a companhia atrasou o lançamento de itens de merchandising com o Bebê Yoda, para evitar spoilers já passou.

Hoje, todo mundo que se interessa minimamente por Star Wars sabe tudo o que acontece na primeira temporada, logo, era de se imaginar que quando o Disney+ chegar nos países da Fase 2 (Reino Unido, França, Espanha, Itália, Alemanha, Irlanda e um número selecionado de países da Europa ocidental) no dia 24 de março, a companhia liberasse todos os 8 episódios de uma vez.

Ledo engano.

Através da conta britânica do Disney+ no Twitter (respondendo as perguntas dela própria), a gigante do entretenimento esclarece que os episódios de The Mandalorian serão distribuídos na Europa da mesma forma que foi feita nos EUA e outros países, com a liberação de 1 episódio por semana.

Por um lado é compreensível, a Disney quer que o usuário permaneça como assinante pelo maior tempo possível, mas com a Locadora recuperando sua força (cuidado, PDF) por causa da balcanização do streaming, esta não é uma estratégia muito inteligente.

Como o Disney+ só chegará no Brasil em novembro, e as chances da distribuição da série seguir o mesmo método são altas, tudo ficará ainda mais engraçado: além de todo mundo que queria ver já viu, a segunda temporada de The Mandalorian já terá estreado um mês antes nos EUA.

O que nos leva ao outro problema:

Segundo a Disney, o lançamento dos conteúdos originais não será igual em todo o globo, ao menos não sempre. Por padrão, novas temporadas e séries como Falcão e Soldado Invernal, WandaVision e outras estrearão primeiro nos EUA, com a companhia buscando manter uma distribuição sincronizada com outros países.

No entanto, "haverão variações de conteúdo" dependendo da localidade, o que pode significar tanto um atraso no lançamento, quanto a não liberação de certas produções em algumas regiões. Como de praxe, tanto um quanto o outro será resolvido pelo público com uma visita à Locadora.

O mais curioso nessa história é que a Disney, na posição de content provider, poderia aproveitar as benesses da distribuição digital mas ao invés disso, segue se comportando como os produtores de TV dos anos 1950 (o que até faz sentido), praticando coisas como bloqueio de região e distribuição setorizada.

É similar ao que o Yahoo! fez com a 6ª temporada de Community, ou a NBCUniversal com Battlestar Galactica: Blood & Chrome.

NBCUniversal / Battlestar Galactica: Blood & Chrome

BSG: Blood & Chrome, uma série feita para o YouTube... com trava de região

Claro que o usuário adora a comodidade de ter tudo à mão, sem complicações e evitando ser infectado por uma horda de malwares, e se o preço cobrado for justo e o serviço decente, como Gabe Newell defendeu anos atrás, ele pagará com prazer.

Por outro lado, o usuário é impaciente, não gosta de revezar entre serviços e quer tudo ao mesmo tempo agora. A Netflix entendeu que o público não gosta de esperar, a Amazon também, Apple idem, e todas cortam um dobrado para lançar seus conteúdos originais simultaneamente, nos países em que seus serviços de streaming estão disponíveis.

Tudo indica que a Disney não seguirá essa fórmula, preferindo manter a estratégia setorizada tradicional. Neste caso, a resposta do usuário continuará sendo a mesma:

South Park / Cartman / screw you guys, i'm going back to torrent / Disney+

No mais, resta esperar pelo lançamento do Disney+ na Europa no dia 24 de março, para termos uma noção do que nos espera em novembro.

Com informações: io9.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários