Home » Hardware » Titan RTX é a GPU mais p*** das galáxias da Nvidia que seu dinheiro pode comprar

Titan RTX é a GPU mais p*** das galáxias da Nvidia que seu dinheiro pode comprar

Nova GPU é a mais potente da Nvidia pros gamers que não sabem mais onde gastar dinheiros infinitos

04/12/2018 às 18:39

A Nvidia apresentou ontem (3) o que será o sonho de consumo de muito gamer, como eu, até o lançamento de uma placa ainda melhor do que essa: a Titan RTX. Esta GPU é dourada, grande, pesada, poderosa e não é feita para rodar o CS em infinitos fps e em resolução 8K, mas sim para melhorar ainda mais o trabalho de inteligência artificial de algumas empresas.

Dá pra jogar, mas não é pra isso

A Titan RTX pode ser sim utilizada como uma GPU extremamente potente e p*** das galáxias (Robôs do Google, eu não escrevi nada de conteúdo impróprio…ok?), mas ela é pouca coisa superior ao ótimo trabalho que a GeForce RTX 2080 Ti já faz – ela só tem o dobro de memória, mas pouca coisa muda além disso.

Colocando lado a lado, a RTX tem 4.608 núcleos CUDA e 576 núcleos Tensor, trabalha em 1.350 MHz e pode chegar em 1.770 MHz em boost, utiliza 24 GB de GDDR6 e trabalha com interface de memória de 384 bits, com 672 GB/s de largura de banda e TDP de 280 W. A RTX 2080 Ti tem 4.352 núcleos CUDA, 544 núcleos Tensor, trabalha na mesma frequência (perdendo só no boost, que cai para 1.545 MHz) e utiliza 11 GB de GDDR6.

A interface de memória vai para 352 bits e a largura de banda é de 616 GB/s, com TDP menor (duh!) e marcado em 250 W. Entendeu? É basicamente a mesma coisa, com mais memória para outras aplicações que não um Battlefield V com reflexos detalhados até na careca do inimigo (a diferença de desempenho entre uma Titan RTX e a 2080 RTX é de 15% a mais pro lado da placa mais cara).

Ambas até utilizam o mesmo chip TU102, que é da arquitetura Turing.

Colocando a linha Quadro, que é realmente focada em mercado corporativo e custa uma pequena fortuna, a nova Titan RTX tem poder semelhante ao que existe na Quadro RTX 600. Dá pra dizer que a nova Titan é focada em um cliente que precisa de muito poder de fogo, mas que não tem objetivo de criar um novo Toy Story ou Star Wars no workstation do escritório.

Inteligência menos cara

Como a ideia não é de animar, o que fica pro pessoal que utiliza as Quadro, a Titan RTX marca 16 teraflops em precisão única, com picos de 130 teraflops para tarefas de aprendizado de máquina, que é o que ensina os robôs que matar humanos não é algo legal, mas que dá pra entender tudo que está em uma foto.

Tudo isso exige muita memória para colocar os pensamentos, quer dizer, as instruções em um local de acesso rápido e é por isso que temos mais do que o dobro de VRAM. Nestes processos, onde a quantidade de tarefas é enorme, quanto mais memória, melhor.

Em tecnês maluco, os núcleos Tensor estão em menor número do que a Titan V que já existe no mercado, mas a Titan RTX consegue ser 20% mais eficiente. Se você precisa de processamento ainda maior, a Nvidia ligou o NVLink que estava desligado na Titan V e é possível ligar duas Titan RTX na mesma máquina – já que, né, você precisa de poder bruto de processamento.

Tudo isso tem um preço e ele já foi maior

Vamos lá, a Titan RTX custa US$ 2,5 mil (mais ou menos R$ 9,7 mil) por GPU e esse valor é menor do que a Titan V, que chegou ao mundo custando US$ 3 mil (que quase passa de R$ 12 mil). Pode parecer caro e é. Não é uma GPU para jogadores PC Master Race, já que você pode comprar, seja lá pra que, duas GeForce RTX 2080 Ti e sobrar US$ 2,00 pra comprar um pacote de doces na loja do lado.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários