Home » Internet » Facebook interrompe coleta de dados do WhatsApp em toda a Europa

Facebook interrompe coleta de dados do WhatsApp em toda a Europa

Seguindo determinação da Alemanha e outros países, Facebook deixa de coletar dados do WhatsApp na Europa; prática já havia sido interrompida no Reino Unido.

3 anos atrás

facebook-whatsapp

Não teve colher de chá: o Facebook desagradou meio mundo quando passou a coletar os metadados do WhatsApp com a desculpa de combater o spam e melhorar os algoritmos de publicidade, quando na verdade tais informações são muito mais pessoais do que as pessoas normalmente pensam.

Na semana passada o Reino Unido já havia conseguido que a prática fosse interrompida no país, e agora a rede social muito contrariada fez o mesmo em toda a Europa.

Quem puxou o bonde das reclamações no continente foi, sem muita surpresa a Alemanha. Embora as autoridades da Comissão Europeia sejam bem chatas com qualquer coisa que possa prejudicar seus interesses, foi o país junto com o Reino Unido que começaram a pressionar o Facebook para que parasse de coletar os dados. A empreitada dos britânicos visava o fim da prática apenas em seu território, já os alemães garimparam aliados dentro da União Europeia e em outubro emitiram uma carta assinada por 28 países, condenando as ações da rede social e exigindo o fim da coleta.

Como já explicado antes, os metadados são tudo menos o conteúdo das mensagens que você compartilha: quantas você enviou (para indivíduos ou grupos), para quem e quando, quantas recebeu, onde você esteve, status online, sua lista de contatos, etc. Tais informações, quando bem utilizadas são capazes de traçar um perfil muito detalhado dos usuários sem que o Facebook precise ler uma linha do que você e seus amigos conversam no mensageiro instantâneo (a criptografia ponta a ponta impede isso mas no fim das contas, não faz diferença). Sugestões de amigos mantidos no WhatsApp já estavam pipocando tanto no Facebook quanto no Instagram, e essa é apenas uma das várias formas que os metadados podem ser utilizados.

Tal prática não agradou: agora, além de não mais poder coletar os dados o Facebook terá que explicar às autoridades do Reino Unido, Alemanha e outros países se a coleta de dados representa ou não uma ameaça à privacidade dos usuários. Eis a declaração oficial:

Esperamos continuar nossas conversações detalhadas com o ICO (Information Commissioner’s Office, o escritório de informações da comissão britânica) e outros oficiais de proteção de dados (…) e permanecemos disponíveis para colaborar com suas investigações”.

Pode até ser que o Facebook consiga se safar razoavelmente na Europa, mas as autoridades alemãs não estão dando descanso: foi exigido que a rede social não só parasse com a coleta como deletasse TODAS as informações dos mais de 35 milhões de usuários do WhatsApp no país que já foram capturadas, sem choro nem vela. Em suma, Zuck não vai ter moleza.

E antes que alguém pergunte: sim, o IDEC já estuda uma forma para que o Facebook também pare de coletar os dados do WhatsApp no Brasil, mas encontrou certas dificuldades pelo caminho; esse é inclusive um dos principais argumentos usados para justificar a criação de um agência reguladora de apps no país.

Fonte: Financial Times (paywall).

relacionados


Comentários