Home » Ciência » Intel vai usar Edison para monitorar o sumiço das abelhas

Intel vai usar Edison para monitorar o sumiço das abelhas

Intel fornecerá plataforma Edison para ajudar pesquisadores a monitorarem abelhas, em esforço para entender o que está matando as colônias em todo o globo

4 anos atrás

bee-rfid

Nós enfrentamos um problema e tanto atualmente: por uma série de motivo correlacionados ou não as abelhas, nossas queridas amigas que fazem o mel nosso de cada dia e são responsáveis diretas por boa parte dos alimentos que consumimos estão desaparecendo. Instituições como a Organização de Pesquisa Científica e Industrial da Commonwealth australiana (resumindo, CSIRO) vem desde 2014 monitorando o comportamento desses insetos através de sensores RFID, a fim de determinar sua posição e tentar descobrir o que está acontecendo.

Hoje, a CSIRO e a Intel anunciaram uma parceria que utilizará a tecnologia do Edison, pensada inicialmente para a Internet das Coisas para ajudar a solucionar esse dilema.

Antes de mais nada é preciso entender a gravidade da situação. As abelhas são os principais insetos responsáveis pela polinização, e muitos dos vegetais que consumimos dependem diretamente delas. Não só eles, como também outros que utilizamos como ração e pasto também estão ligados diretamente às abelhas, e uma redução na sua população afetará diretamente a produção de frutas, legumes, verduras, carne, leite e derivados. Para mais explicações assistam o vídeo abaixo:

In a Nutshell – Kurzgesagt — The Death Of Bees Explained – Parasites, Poison and Humans

Voltando: apesar de termos uma série de suspeitos (pesticidas, herbicidas, parasitas, etc.) ainda é um tanto difícil para os cientistas apontarem com exatidão a principal causa do colapso das populações de abelhas em todo o mundo. A CSIRO, como já foi dito antes já realiza monitoramento das populações fixando pequenas etiquetas RFID nas operárias, a fim de monitorar seus costumes. Entre seus parceiros está a Vale, que está monitorando se o uso de pesticidas e as alterações do clima na Amazônia são fatores que levam ao chamado Distúrbio do Colapso de Colônias, ou CCD na sigla em inglês.

A entrada na Intel no programa se dará fornecendo o Breakout Board Kit do Edison para o desenvolvimento de uma plataforma de monitoramento. Os kits serão instalados dentro das colmeias e gravarão o comportamento de cada abelha rastreada. A coleta de dados durará dois anos e segundo as estimativas, espera-se distribuir mil placas em colmeias por todo o globo, permitindo monitorar até 2,5 milhões de abelhas.

CSIRO — Global Initiative for Honey bee Health

O legal é ver que o Edison está servindo ao seu propósito, permitindo que entusiastas deem vida a aplicações diversas. No caso entretanto ele está indo muito além da Internet das Coisas, já que ele foi pensado inicialmente para o desenvolvimento de wearables e servindo como uma importante ferramenta de pesquisa científica. A Intel recentemente deu um upgrade no conjunto, adicionando um chip Atom e transformando o Quark em coprocessador, aumentando ainda mais seu poder de fogo.

Fonte: CSIRO.

Leia mais sobre: , , , , , , .

relacionados


Comentários