Home » Ciência » Google Glass na sala de cirurgia? Sim, em Stanford

Google Glass na sala de cirurgia? Sim, em Stanford

Google Glass passará a fazer parte dos instrumentos essenciais do Stanford University Medical School, a fim de ajudar no treinamento de cirurgiões

5 anos atrás

knee-surgery-google-glass-streaming

Dr. Christopher Kaeding, cirurgião ortopédico do Ohio State University Wexner Medical Center utiliza o Google Glass para fazer streaming para outros médicos de cirurgia no joelho em uma mulher de 47 anos, realizada em agosto de 2013

Enquanto alguns torcem o nariz para o Google Glass, outros vem as infinitas possibilidades que o gadget pode trazer não só para compartilhamento de informações, bem como auxílio em situações do dia-a-dia para profissionais de saúde e resgate. Nós já vimos o caso do bombeiro que está programando um app dedicado, bem como o hospital-escola de Boston que utiliza o gadget para acessar prontuários médicos sem ter que tirar os olhos do paciente.

Qual seria o próximo passo? Cirurgia assistida à distância, claro.

O Google fechou uma parceria com a CrowdOptic, uma empresa que conecta e analisa dados de câmeras em prol do desenvolvimento de uma aplicação dedicada ao ambiente médico, e agora alunos de medicina do Stanford University Medical School poderão ter acesso ao Google Glass como mais uma ferramenta em seus estudos de cirurgias torácicas ao lado de bisturis, agulhas, fórceps e etc. O software vai transmitir em tempo real o que um médico está vendo para outro, que terá uma visão de outro ângulo do que está acontecendo; dessa forma, o instrutor verá o ponto de vista do cirurgião em treinamento, possibilitando uma interpretação mais apurada na hora de corrigir um erro que pode ser fatal.

O CEO da CrowdOptic Jon Fisher diz que os médicos vêm o Glass como "um aparelho que mudou o jogo", e espera que a parceria ajude a quebrar paradigmas. Não é para menos, a possibilidade de ver o que outro médico está fazendo e dar conselhos em tempo real é imprescindível em situações onde o menor deslize é a diferença entre uma cirurgia cardíaca bem-sucedida e o óbito.

E sendo justos esta não é a primeira vez que o Google Glass vai para a sala de cirurgia. Em agosto de 2013, o Dr. Christopher Kaeding do Ohio State University Wexner Medical Center realizou uma cirurgia de joelho numa atleta de 47 anos que se machucou num jogo de softball, e utilizou o gadget para transmitir a operação para seus parceiros de profissão.

Fonte: CNet.

relacionados


Comentários