Home » Fotografia » Qual câmera comprar?

Qual câmera comprar?

  Acho que todos já se depararam com essa duvida quando pararam para pensar sobre qual equipamento fotográfico adquirir. Afinal de contas, são centenas de possibilidades das mais diversas cores

11 anos atrás

camera fotografica

Acho que todos já se depararam com essa duvida quando pararam para pensar sobre qual equipamento fotográfico adquirir. Afinal de contas, são centenas de possibilidades das mais diversas cores e preços. Venho recebendo vários e-mails nesse final de ano sobre a questão da escolha de uma câmera fotográfica. Não existe uma resposta mágica para essa questão. Por conta do desenvolvimento tecnológico, quase todas as grandes marcas estão equiparadas quando o assunto são as compactas e ultra-compactas. Porém, nas câmeras mais complexas ainda temos a supremacia das marcas mais tradicionais. Mas, se você está passando por essa dúvida, não vou te dar uma resposta fácil, mas podemos colocar alguns pontos para pensar.

Existem diversas categorias de câmeras. O motivo para isso é que existem diversos objetivos ao se fotografar. Sempre que inicio um curso eu faço essa pergunta. Qual seu objetivo na fotografia? Para muitos não existe objetivo. A câmera é apenas mais um acessório tecnológico. Mas, existe uma parcela que descobriu na fotografia mais uma forma de expressão. Existem fotógrafos que só fazem auto-retratos, outros que gostam de natureza, pessoas, flores, insetos, nuvens, crianças e conheci um maluco que só fazia fotos de ônibus e outro que gostava de tampinhas de garrafa. Somente ao saber o objetivo principal é que se poderá escolher o melhor equipamento.

Depois de definir os objetivos é que poderemos levar em conta as outras características dos equipamentos.

Marca – hoje o mundo da fotografia é muito maior do que há vinte anos atrás. Canon, Fuji, Pentax, Olympus, Kodak e Nikon ainda estão na jogada e possuem uma força gigantesca no mercado. Porém, agora elas possuem a companhia de Sony, Samsung e Panasonic. Como já disse, a tecnologia se encontra em um patamar muito parecido e, se abrirmos uma câmera, vamos encontrar um mosaico de peças produzidas e vendidas entre as companhias. Por isso que digo que marca de equipamento é igual time de futebol. É uma questão de afinidade.

Megapixels – Como já estamos carecas de saber, os megapixels não são tão importantes assim para a qualidade da imagem. Os milhões de pixels que compõem uma imagem são importantes para produzirem impressões com qualidade. Para falar a verdade, existem casos em que a enorme quantidade de megapixels atrapalha a qualidade da imagem. Por muito tempo, a quantidade de pixels foi fator de marketing para atrair o consumidor passando a idéia de que seriam um fator importante na qualidade do equipamento. Nos cursos que ministrei nesse ano de 2008 encontrei várias pessoas que tinham câmeras de 10 megapixels e faziam as fotos em qualidade VGA. Com 8 megapixels é possível fazer uma ampliação de 20x30cm sem necessidade de interpolação. Se a sua necessidade de impressão nunca passa do tamanho básico de 10x15cm, não existe a real preocupação de ter milhões de pixels.

Tamanho do sensor – trabalhado em conjunto com a quantidade de pixels temos o tamanho do sensor. Quanto maior o sensor, maior o pixel e melhor será a captação da luz. Hoje, a maioria das câmeras compactas possuem sensores do mesmo tamanho, mas ainda existem algumas exceções que trazem sensores maiores. Vale apena pesquisar por essa característica quando a questão principal a ser considerada é a qualidade da imagem.

Distância Focal– embora a internet seja uma ótima ferramenta para encontrar informação, ainda existem pessoas que não entendem a diferença entre o zoom ótico e o zoom digital. Na hora de comprar, desconsidere totalmente as informações sobre o zoom digital, pois o mesmo implica em queda da qualidade da imagem. O Zoom ótico consiste em várias lentes dentro do corpo da câmera que ao se distanciarem promovem a aproximação da imagem. É interessante saber as particularidades desse sistema, pois são características que podem influenciar no tipo de foto que você quer fazer. Por exemplo, se a câmera for para uso familiar é interessante que ela seja capaz de fotografar grupos de pessoas. Para isso, deve-se ter uma boa grande angular (28 mm pelo menos). Para fotos de natureza, maiores distâncias focais são necessárias (acima de 200 mm).

Automático ou manual - essa é uma questão a ser levada a serio. Câmeras mais simples e baratas são totalmente automáticas. São as chamadas point and shot. Todas as regulagens são executadas pelo equipamento, restando ao usuário apenas mirar e apertar o botão. Esse tipo de equipamento é ideal para quem não entende nada da parte prática da fotografia e nem está interessado em aprender. Equipamentos com regulagens manuais são mais caros, porém apresentam uma maior gama de possibilidades. Mas, também existe a necessidade de um maior aprendizado para o total domínio do equipamento.

Diafragma – o diafragma é uma íris que controla a entrada de luz pela lente. A medida de sua circunferência é medida por F/stops. Quanto menor o número da medida, maior é a quantidade de luz que pode entrar pela lente. Essa relação inversa pode confundir a cabeça de muita gente, mas é muito útil entender essa relação. Possuir uma câmera com grande abertura de diafragma (em geral um F/2,8) é ideal para quem vai fazer fotos em ambientes com pouca iluminação ou tentar congelar movimentos.

Obturador - O obturador controla a velocidade que a foto é capturada. A velocidade de abertura do obturador é medida por frações de segundo. Velocidade altas são comuns em todos os modelos (em torno de 1/2000 segundos), mas velocidades mais baixas são raras. A maior parte das compactas consegue manter o obturador aberto por 2 segundos, por conta do ruído gerado nas imagens. Existem câmeras que conseguem manter por 10 ou 15 segundos. Essa capacidade é ótima para quem gosta de fazer longas exposições noturnas ou Light Painting.

Perfumarias - Face Detection, Smile Detection e Blink Detectionsão apenas algumas das perfumarias que estão presentes nos equipamentos fotográficos de hoje. Mais do que frescurinhas, algumas dessas ferramentas, como os estabilizadores de imagens e os sistemas de limpeza de sensores, trazem um certo conforto para o usuário e já são praticamente obrigatórios em todas as câmeras. Porém, o importante não é se sua câmera consegue assar um bolo ao mesmo tempo que faz café, e sim a qualidade de imagem, afinal de contas, ela é uma câmera fotográfica.

Onde comprar – existem diversas lojas de confiança espalhadas pelo Brasil. As grandes lojas on-line são uma boa pedida pelas promoções que elas conseguem realizar. Muitas promoções são de conjuntos com a câmera, cartão de memória e baterias recarregáveis. Fora elas, temos as lojas especializadas onde posso indicar a Consigo e a Angel Foto. O Mercado Livre é uma possibilidade de pagar pouco, mas também pode ser uma fonte de grandes dores de cabeça. Compro muito equipamento e acessórios pelo Mercado Livre, mas nem sempre me dei bem. Para quem tem dinheiro para comprar apenas um equipamento e quer ter a certeza que ele vai ter uma durabilidade longa, eu indico uma loja que tenha nota fiscal e possa oferecer a garantia oficial do fabricante no Brasil.

Para que essas dicas sejam mais bem assimiladas, eu acho importante dar uma olhadinha em alguns textos passados como o Mito dos Megapixels, O Mito dos Megapixels II, Zoom ótico e fator de corte nas digitais, Light Painting, Interpolação e em um texto sobre fotometriaque escrevi em meu blog.

Só lembrando que esse texto foi fruto da interação com os leitores do Meio Bit e continuo aberto a sugestões de outros tópicos para melhor esclarecer nossos leitores. Para sábado vou colocar uma pequena seleção de câmeras a disposição no Brasil que seriam uma boa pedida para o Natal.

relacionados


Comentários