Fotografia
Fotografia
Digital Drops Blog de Brinquedo

Nikon DF versão Gold

Por em 14 de novembro de 2014

Eu trabalho com equipamentos Canon, mas não tenho vergonha e nem medo de dizer que a câmera mais bonita a venda no mercado atualmente é a Nikon DF. Tudo bem, pode ser um resquício de saudosismo, mas não encontrei ninguém até agora que falasse algo negativo sobre o design da câmera. A parte mais bacana é que a qualidade de imagem do equipamento acompanha a sua belíssima aparência. Embora eu não vislumbrasse pessoas utilizando o equipamento profissionalmente (deveria ser guardada apenas para a fotografia arte, a fotografia moleque), conheço gente fotografando casamentos com ela. o que mostra que a câmera não veio para brincadeiras.

Aproveitando que a moral está em alta, e também voltar a fazer um pouco de rebuliço para turbinar as vendas, a Nikon está lançando uma versão especial da câmera com detalhes feitos em ouro. Isso mesmo, não são apenas partes douradas. É ouro de verdade. Já que o negócio é vender, a versão especial será vendida em duas opções. Você pode comprar apenas o corpo da câmera, onde a tiragem será de 600 unidades, ou pode adquirir o equipamento com a lente 50mm f/1,8 G que será igualmente adornada em ouro. A versão do kit, com a lente 50 mm terá uma tiragem de 1.000 unidades. Para combinar com a nova câmera a Nikon também está lançando um disparador remoto feito de ouro e uma pulseira para combinar com o equipamento (meio fresca esse último item).

nikon_DF_dourada
continue lendo

emÁudio Vídeo Fotografia Equipamentos

MegaMastro — o Kid Bengala dos tripés

Por em 17 de outubro de 2014
narnia 4 301110

Entendidos entenderão.

Fotografia com drones está na moda, mas o que ninguém conta é que um quadcóptero de US$ 200,00 não vai ser jamais capaz de levar uma DSLR. Os equipamentos desse porte custam uma baba, muito além do que um fotógrafo comum pode investir, dado o gasto que já têm com equipamentos. Então, como resolver esse problema? Como conseguir imagens aéreas (ok, do alto) sem gastar uma grande fortuna?

Gastando uma pequena fortuna, US$ 600,00 e comprando um… MegaMastro. 
continue lendo

emÁudio Vídeo Fotografia Equipamentos

Polícia de Dubai vai usar Google Glass para combater o crime

Por em 2 de outubro de 2014

698008421

Deve ser muito legal ser policial em Dubai.

É uma cidade na qual o Twitter já chegou a ser banido, mas a força policial possui sua própria conta oficial na rede.

Suas patrulhas de ruas e estradas são feitas com carros modestos, como o McLaren MP4-12C, ou Lamborghinis, Aston Martins, Mercedes SLS, Bentleys e Ferraris. E Camaros, mas esses nem vale a pena citar, que fica chato.

continue lendo

emÁudio Vídeo Fotografia Computação móvel Destaques Equipamentos Google Planeta Sem Fio Telecom

Panasonic Lumix DMC-CM1 — Smartphone com sensor fotográfico de 1 polegada

Por em 18 de setembro de 2014

Hoje não existe maneira de separar a fotografia de nossos smartphones. Já estamos extremamente acostumados a fazer fotos de todos as situações e de todos os lugares em que nos encontramos e, ao mesmo tempo, já compartilhar com nossos amigos via redes sociais. No começo de toda essa onda, as fotos feitas pelos pequenos aparelhos eram muito ruins. E quando digo ruins, não estou brincando. Tanto que por muito tempo não acreditei que isso pudesse melhorar. Mas, e já mordendo minha língua, o desenvolvimento da tecnologia nos apresentou aparelhos que entregam uma fotografia boa e possível de ser utilizada na maior parte das situações. Apostando nessa nova tendência, algumas empresas vem dedicando uma atenção toda especial ao quesito fotografia em seus smartphones e isso é muito positivo para o consumidor e para o fotógrafo que quer um equipamento leve e com qualidade razoável para seu registro do dia a dia.

Dentro destas características, nada mais justo do que destacar o Panasonic Lumix DMC-CM1 que a empresa japonesa apresentou durante essa semana na Photokina. De um lado ele parece um smartphone tradicional e do outro uma câmera fotográfica compacta. Do ponto de vista do telefone, ele apresenta as características básicas de um celular parrudo da atualidade. Tela com 4,7 polegadas e resolução de 1080 pixels. Ele roda o sistema Android versão 4.4 e tudo funciona com um processador quad-core Qualcomm Snapdragon S801 que tem clock de 2,3 GHz. O aparelho possui uma memória interna de 16 GB, mas é compatível com cartões de memória micro-SD de até 128 GB.

Porém, é na parte fotográfica que devemos nos ater mais. O CM1 possui um sensor fotográfico de 20 megapixels de resolução máxima com tamanho de 1 polegada. Pode parecer pouco para quem não entende das especificações da fotografia digital, mas estamos falando de um sensor compatível em tamanho com os das câmeras compactas premium da atualidade e nada mais do que 7 vezes maior do que o sensor dos celulares concorrentes. Só lembrando que em fotografia, quanto maior o sensor, melhor a captação de luz. Junto com o sensor temos uma lente Leica fixa equivalente a uma 28 mm com abertura de diafragma em f/2,8. O CM1 pode fotografar em RAW, grava vídeos em 4K e oferece um modo manual completo para o fotógrafo exigente. O único ponto negativo de toda essa tecnologia é que o telefone ficou com 21 mm de espessura, o que é um pouco mais do que apresenta a concorrência.

O Panasonic Lumix DMC-CM1 não possui data confirmada de lançamento, mas muitos estão apostando que as primeiras unidades devem chegar ao consumidor em alguns países da Europa em novembro por um preço sugerido de US$ 1.160,00.

panasonic_CM1

Fonte: Dpreview.

emÁudio Vídeo Fotografia Destaques Equipamentos Mercado

Samsung NX1 — várias novidades e filmagem em 4K

Por em 16 de setembro de 2014

O mundo gira, e a roda da tecnologia não para. Duas empresas que começaram com o pé esquerdo na fotografia digital, produzindo equipamentos bonitos, mas com baixa qualidade de imagem foram Sony e Samsung. Depois de pouco mais de 10 anos podemos dizer que as duas estão ditando tendências e lançando câmeras que primam pelo avanço tecnológico e qualidade. Aproveitando a Photokina, a Samsung chegou chutando portas e colocou em destaque a sua nova câmera mirrorless, a NX1, com características interessantes para a fotografia e vantagens descomunais para quem quer ter uma câmera barata para executar vídeos com qualidade.

A NX1 já chega mostrando respeito no sensor. Estamos falando de um CMOS BSI APSC-C com 28 megapixels de resolução máxima. A tecnologia BSI (retroiluminado) foi criada para substituir os sensores CCD de câmeras compactas por sensores CMOS, barateando a produção e consumindo menos energia, porém mantendo a qualidade de imagem. Esta é a primeira vez que a tecnologia é utilizada em um sensor de tamanho APS-C. Em teoria deve trazer um grande ganho de qualidade na imagem produzida pela câmera. Outra característica de respeito da câmera é a capacidade de gravar vídeos na resolução 4K. Muitos dizem que o 4K é o futuro, mas temos que encarar que ele já é o presente. Quem produz vídeo profissionalmente já tem que estar pronto para fazer a migração. Outras característica bacanas da câmera são o o view finder eletrônico com 2,36 megapixels, a capacidade de fazer 15 fotos por segundo com foco contínuo, sistema de foco automático híbrido com 205 pontos de detecção cobrindo 90% do quadro, conexão USB 3.0, HDMI (saída de vídeo sem compressão), Bluetooh e Wi-Fi, com a possibilidade de ser controlada remotamente via smartphone.

É uma câmera profissional de vídeo? Não, mas sabemos que pequenas produtoras e diretores independentes se valeram das câmeras reflex que filmam em Full HD para entrarem no mercado de alta definição. Agora é a vez de mergulhar no mundo 4K. A Samsung NX1 chega ao mercado custando US$  1.499,99 (somente o corpo) ou US$ 2.799,99 com a lente 16-50mm f/2-2.8 e um battery grip com uma bateria extra.

samsung_NX_1

Fonte: Dpreview.

emÁudio Vídeo Fotografia Destaque Equipamentos

Canon EOS 7D Mark II – finalmente

Por em 15 de setembro de 2014

Finalmente, depois de uma grande espera, a Canon anunciou o lançamento da EOS 7D mark II, que veio para substituir uma câmera que foi um sucesso de vendas e marcou o inicio de uma categoria de câmeras que não existia na empresa: as câmeras de sensor APS-C voltada para uso profissional. A primeira 7D era um verdadeiro tanque de guerra com corpo resistente e rapidez proporcionada por dois processadores internos. A 7D Mark II segue o mesmo caminho, mas nem tudo são flores no mundo da Canon. Muitos acusam a empresa de ter parado no tempo e ter perdido a supremacia nas câmeras fotográficas e, principalmente naquilo que ela foi a desbravadora, a filmagem em Full HD.

A 7D Mark II chega com um sensor CMOS APS-C de 20 megapixels de resolução máxima (contra 18 da antecessora) e está equipada com a nova tecnologia de foco automático Dual Pixel (que já mostrou a sua eficácia na 70D) e com 65 pontos de foco automático, todos em forma de cruz. Outra característica que foi turbinada foi o modo contínuo que agora pode fazer 10 fotos por segundo. A câmera está equipada com dois processadores Digic 6 que garantem maior velocidade para o equipamento e uma melhora sensível na nitidez das fotos. Do ponto de vista da gravação de vídeo, agora está disponível a gravação em Full HD com 60 fotogramas por segundo (porém com uma maior compressão de dados). A velocidade ISO também foi incrementada, variando agora entre 100 e 16000 (nativo) podendo ser expandido até 51.200. Alguns sites garantem que a relação ruído/ISO está muito parecido com o da 5D mark III.

Para quem acompanha os sites de rumores, esse lançamento da Canon ocupou as manchetes por muitos meses. Muitas especulações sobre as configurações da câmera foram levantada, pois o equipamento demorou muito para ser lançado e todos pensavam que seria algo fenomenal para concorrer com os novos modelos da Nikon e Sony. Infelizmente não é. Trate-se de uma câmera correta e com boa qualidade de imagem (levando em conta a tradição da empresa), mas não é um estouro do ponto de vista tecnológico. Garanto que será uma câmera parruda para o dia a dia profissional, mas ela não mostra vários dos confortos apresentados por câmeras concorrentes. Vai vender bem? Acredito que sim, mas se a Canon não se mover logo para voltar a colocar no mercado inovação tecnológica corre o perigo de perder o bonde da história, assim como a Kodak no início da Era Digital.

A nova Canon EOS 7D Mark II vai estar disponível ao consumidor em novembro e vai custar US$ 1.799,00 (somente o corpo).

EOS_7D_MarkII

 

Fonte: Dpreview

emÁudio Vídeo Fotografia Destaque Equipamentos

Nikon D750 — nova full frame no mercado

Por em 13 de setembro de 2014

Lembram aquela briga (amigável) que existia entre Nikon e Canon? Então, na minha opinião ela não existe mais, pois a Nikon não está dando chance para a Canon brincar também. Nos últimos anos, mesmo cometendo erros básicos (como a história do sensor sujo da D600), a Nikon vem fazendo a lição de casa e lançando câmeras com qualidade e recursos interessantes. Enquanto isso a Canon continua apenas fazendo o básico e, mesmo ainda sendo a líder de mercado, vem perdendo uma fatia considerável de consumidores para a concorrente.

nikon_D750

Aproveitando a aproximação da Photokina (uma das maiores feiras de fotografia do planeta e que vai acontecer entre 16 e 21 de setembro) a Nikon oficializa o que quase todo mundo já sabia, o lançamento de uma nova DSLR full frame. Realmente precisamos de mais uma full frame no mercado? Em minha opinião sim, e que o futuro seja dominado por esse tipo de equipamento, onde todos terão acesso a melhor qualidade de imagem. A nova D750 é um meio termo entre a D610 (full frame de entrada) e a D810 (full frame parruda da empresa). É uma boa saída para quem quer algo mais completo do que a D610 e não possui uma fábrica de HDs para manter a D810 trabalhando de forma contínua (conheço gente que se livrou da câmera justamente pelo problema do armazenamento).

A nova D750 chega com o mesmo processador da D810, o EXPEED 4, o que deve conferir ao equipamento velocidade e grande capacidade de processamento. Junto a isso temos um sensor CMOS de 24 megapixels e com um sistema de foco automático melhorado e com 51 pontos. Junto a isso temos a capacidade de executar 6,5 fotos por segundo e ter uma conexão Wi-Fi (finalmente). O que me chamou a atenção foi um detalhe menos importante, mas interessante. Ela possui um visor LCD articulado, o que é uma mão na roda em algumas situações, principalmente na gravação de vídeos. Aliás, ela herdou de suas irmãs mais velhas o que se tem de melhor na produção de vídeos da Nikon. Ela produz vídeos em Full HD com 60 fotogramas por segundo e controle manual total.

A Nikon D750 já estará disponível em setembro por um preço médio de US$ 2.299,95.

Aproveitando que estamos falando de Nikon, outros dois lançamentos interessantes foram jogados na mesa nesta semana. O primeiro, e mais bacana em minha opinião, é a nova AF-S Nikkor 20mm f/1.8 G ED que funciona tanto para câmeras FX quando as DX. Na verdade a lente vem para atualizar a antiga Nikkor 20mm F/2.8 que não possui motor interno de foco automático e não era possível de ser utilizada nas câmeras mais baratas da empresa. A lente é composta por 13 elementos divididos em 11 grupos. Ela possui revestimento de nano cristal e oferece uma distância mínima de 0,2 m. Uma boa pedida para quem está procurando uma grande angular fixa e com uma boa abertura de diafragma. A lente estará disponível em setembro com um preço de US$ 799,95 (uia, que salgado).

Nikkor_20mm_f1_8

O terceiro lançamento desta semana foi o novo Flash SB 500, que não possui muita potência (número guia 24), mas deve se tornar uma boa opção para quem possui a filmagem com uma atividade paralela a fotografia. Fora a função flash, o SB 500 possui na parte frontal um grupo de iluminadores LED que podem ser utilizados para a gravação de vídeo. Não é o primeiro flash a ser lançado com essa função e fica aqui a dúvida sobre a potência desta iluminação contínua, mas deve ser de boa ajuda em uma emergência.

emÁudio Vídeo Fotografia Destaque Destaques Equipamentos