Fotografia
Fotografia
Digital Drops Blog de Brinquedo

Fuji e Panasonic lançam novos equipamentos

Por em 19 de maio de 2015

Semana de lançamentos e coisas interessantes no mundo da fotografia. Panasonic e Fuji colocaram novos modelos no mercado com configurações interessantes tanto para vídeo quanto para fotografia. Tudo bem que nos últimos tempos os lançamentos de câmeras fotográficas são tão emocionantes quanto ir ao dentista (falta de inovação?), mas creio que isso se deve a uma estagnação no desenvolvimento da tecnologia. Grandes passos foram dados e hoje quase todas as marcas estão no mesmo nível. As novas câmeras vão trazendo melhorias de sistemas que já existem, pequenas perfumarias, mas nada de fazer cair o queixo como no começo da Era digital da fotografia.

A Panasonic está mostrando ao público a sua G7, uma câmera construída no sistema micro-quatro-teços (fator de corte em 2x) e que promete ser a companheira ideal tanto para quem quer fazer fotografia quanto vídeos. Aliás, é no vídeo que realmente encontramos novidades nesta câmera. Equipada com um sensor de 16 megapixels de resolução máxima, a G7 pode fazer vídeos em 4K tanto com 30 como com 24 frames por segundo com foco automático em tempo real. A eficácia desse foco automático é o que ainda não conhecemos. Um recurso interessante junto a filmagem é o 4K Foto. É possível extrair um frame da filmagem e transformar em uma foto de 8 megapixels ainda dentro da câmera. São esses recursos de recorte de filme para transformar em foto que muitos apontam como um ponto de convergência entre as duas mídias.

Outros recursos da câmera apontam para uma velocidade ISO máxima de 25.600, modo contínuo em 8 fotos por segundo, face detection, velocidade máxima do obturador em 1/16.000 (caraca), conexão Wi-Fi, modo panorâmico e time lapse, e entrada para microfone externo. Como é padrão em câmeras mirrorless, o equipamento trabalha com um viewfinder eletrônico com 2,36 milhões de pixels e um visor LCD de 3 polegadas articulado com 1,04 milhões de pixels.

A Panasonic G7 deve chegar ao mercado em junho e vai custar US$ 800,00 com lente básica 14-42 mm.

panasonic_G7

Já a Fuji está colocando no mercado a X-T10, uma câmera que tem o objetivo de ser menor, mais leve, mais amigável e mais barata do que a irmã maior, a X-T1. A câmera segue o design clássico adotado pela empresa desde os seus primeiros lançamentos e vem equipada com um sensor APS-C CMOS X-Trans II de 16,3 megapixels e com o processador EXR II. Olhando toda a propaganda da empresa para o equipamento, a grande sacada aqui é trazer uma câmera barata (relativamente) e que seja amigável (fácil de utilizar) para o fotógrafo iniciante. Tanto é que existe uma pequena alavanca escrito Auto junto ao seletor de velocidade do obturador. Ao acionar essa alavanca a câmera entra no modo de Reconhecimento de Cena Avançado onde a câmera escolhe a melhor configuração  com base no que está sendo fotografado.

A câmera possui ISO máximo em 6.400, sistema de foco automático com detecção de fase, modo de disparo contínuo com 8 fotos por segundo, velocidade máxima de obturador em 1/32.000 (caraca II), conexão Wi-Fi e gravação de vídeo em Full HD com foco manual. A câmera possui viewfinder eletrônico OLED com 2,36 milhões de pixels e visor LCD de 3 polegada com 920 mil pixels.

A Fuji X-T10 vai chegar ao mercado em junho com valores de US$ 800,00 (somente o corpo) e de US$ 900,00 com a lente básica 16-50 mm.

fuji_X-T10

emEquipamentos Fotografia

O que acontece quando o LG G4 cai nas mãos de um fotógrafo profissional?

Por em 5 de maio de 2015

g4-manual-mode

A LG está bem empolgada com o G4, seu novo smartphone top de linha. Entre os recursos que a empresa destaca está a câmera principal, que conta com lente de abertura f/1,8 e sensor de 1/26″, componente que por si só permite fotos melhores em ambientes com pouca luz. Somado a um estabilizador óptico de imagens com três eixos faz com que o conjunto seja bem próximo do que vimos no Lumia 1020, que se aproximava muito de uma câmera profissional.

Para provar seu ponto a LG soltou o G4 na mão do fotógrafo profissional Colby Brown, e os resultados são bem interessantes.

continue lendo

emAndroid e Linux Celular Destaques Equipamentos Software

Canon XC 10 — filmagem em 4K com corpo compacto

Por em 8 de abril de 2015

Semana animada para a Canon no que diz respeito ao lançamento de câmeras para gravação de vídeos em 4K. A empresa foi acusada, por parte de todos que trabalham com vídeo profissional, de ter parado no tempo e ainda insistir apenas na gravação em Full HD em seus recentes lançamentos. Em minha opinião, câmeras fotográficas não possuem a obrigação de possuírem filmagem em 4K, mas sabemos que o cliente tem sempre a razão.

Canon_4K

Pensando nessa galera, provavelmente, a Canon mostrou três produtos bem bacanas nessa semana. O primeiro deles, e que seria o mais palpável para as massas, é a nova XC 10, uma câmera de vídeo compacta que faz filmagens em 4K. Quando eu digo compacta não estou brincando. Nenhuma das dimensões do equipamento ultrapassa 5 polegadas. A câmera é equipada com um sensor CMOS de 1 polegada e que grava vídeos em 4K com 12 pontos de alcance dinâmico. Ela também pode capturar fotos com 12 megapixels de resolução máxima. Destaque para a possibilidade de capturar um frame do vídeo e transformar em uma imagem de 8 megapixels na própria câmera.

continue lendo

emEquipamentos Fotografia Vídeo

Instantflex TL 70 — uma volta ao passado

Por em 31 de março de 2015

Se você gosta de fotografia e já chegou perto dos 40 anos, então você viveu a época do filme e pode ter passado pela vontade de ter em casa uma médio formato. E se você gostasse de coisas antigas, então essa médio formato poderia ser uma Rolleiflex ou uma Yashica Mat. Para falar a verdade, esse é um sonho que ainda não consegui realizar.

Instantflex TL70

Mas, se você passou por isso e quer ter o prazer de brincar com um equipamento um pouco mais moderno, então o Instantflex TL 70 pode ser a sua praia. A câmera foi desenvolvida pela Mint, uma empresa que presta serviço de manutenção para câmeras da Polaroid (engenharia reversa?), e trabalha com filmes fotográficos instantâneos, como os Instax Mini produzidos pela Fuji com área total de imagem de 46 × 62 mm.

A câmera é um pouco menor e mais leve do que uma Rolleiflex tradicional, mas isso se explica pelos componentes modernos e que ocupam menos espaço. Ela trabalha com uma lente fixa de 65,4 mm com distância mínima de foco em 48 cm. O equipamento trabalha apenas com configurações automáticas, porém é possível trabalhar com compensações de exposição de +/- 1 EV para influenciar um pouco na captura da imagem. A abertura máxima de diafragma fica em f/5,6; mas existe o modo bokeh onde o diafragma assume a forma de uma estrela de 5 pontas para criar a ilusão do fundo desfocado.

A Instantflex TL70 vai estar disponível ao consumidor em maio e vai custar US$ 324,00 em território americano.

Fonte: Dpreview.

emEquipamentos Fotografia

Nikon D7200 — melhoria na velocidade de processamento

Por em 4 de março de 2015

Nikon_D7200

A Nikon está jogando segundo a premissa de que em time que está ganhando não se mexe e coloca no mercado sua nova reflex intermediária, a D7200. A câmera é a nova representante de uma linha que se mostrou de grande poder desde que foi lançada. Apostando no fotógrafo que quer um equipamento com boa qualidade de imagem, porém necessita de algo resistente que possa, inclusive, ser utilizado no meio profissional, a Nikon apostou na D7000 que foi uma evolução nada natural da pequena D90 (outro campeão de vendas da empresa). Desde esse primeiro lançamento podemos apenas falar coisas boas sobre as câmeras e quem comprou não se arrependeu.

A Nikon D7200 chega com apenas algumas mudanças internas que vão tornar o ato de fotografar um pouco mais rápido. O processador EXPEED 4 garante, segundo a empresa, uma melhora de 30% no processamento da câmera. Melhor processamento se reflete em fotos com menos ruído. A câmera oferece uma velocidade ISO que varia de 100 a 25.600. O que também melhorou nesse modelo foi a ampliação do espaço de armazenamento do buffer interno. A câmera agora pode fazer 6 fotos por segundo no modo contínuo até um total de 18 fotos em RAW 14 bits, 27 em RAW de 12 bits ou 100 fotos em JPEG. Também temos presente na câmera um novo módulo de foco automático com 51 pontos que deve melhorar consideravelmente a velocidade do foco, inclusive em situações de pouca luz. Fechando o pacote de novidades a Nikon decidiu eliminar o filtro low pass do modelo, o que deve garantir melhor nitidez da imagem, mas deve gerar em algumas situações o efeito moiré nas fotos.

O sensor, que alguns especulam ser o mesmo sensor Sony encontrado na Nikon D5300, é um CMOS APS-C com 24,2 megapixels de resolução máxima, que é quase a mesma resolução da câmera antecessora,  Foram adicionados alguns efeitos de edição que podem ser aplicados diretamente na câmera durante o modo live view. A câmera continua gravando vídeos em Full HD (sorry movie makers) com 30, 25 ou 24 frames por segundo. Cabe um pequeno destaque para a conexão Wi-Fi e NFC. A câmera deve chegar ao mercado no começo de abril de 2015 custando US$ 1.200,00 (somente o corpo) ou US$ 1.700,00 com a Nikkor 18-140mm f/3,5-5,6G ED VR.

Minha opinião é que vai vender como água. Essa é a câmera que a maioria dos profissionais em começo de carreira está escolhendo por conta da durabilidade e ótima qualidade de imagem, sem falar que ela pode utilizar todas as lentes produzidas pela Nikon. Ou seja, um dos melhores custo/benefício do mercado fotográfico da atualidade.

Fonte: Dpreview e Petapixel.

emDestaques Equipamentos Fotografia

Konost quer lançar a 1º Rangefinder totalmente digital

Por em 25 de fevereiro de 2015

konost_rangefinder

Vocês já ouviram falar da Konost? Bem, nem eu, mas a empresa apareceu na internet nos últimos meses e se classifica como uma Startup da área de fotografia e traz uma intenção ousada em seu planejamento. Eles dizem que vão lançar as primeiras câmeras rangefinders verdadeiramente digitais do mundo. Opa, mas vocês poderiam dizer que a Leica está nesse mercado desde  a década passada, mas segundo eles a Leica não é uma rangefinder totalmente digital. Assim como as irmãs que se utilizam de filmes fotográficos, as câmeras digitais da Leica ainda mantém o mesmo sistema de foco por telêmetro mecânico, onde tudo funciona com prismas e espelhos.

O que as câmeras da Konost vão fazer é abolir o sistema de prismas, mas manter a mesma metodologia. No local do telêmetro teremos um segundo sensor de imagem que também vai mostrar no visor uma imagem sobreposta. Para acertar o foco da câmera o usuário tem que fazer as duas imagens se unirem. Simples e fácil. A desculpa para o novo sistema é que as câmeras vão ficar mais baratas para serem produzidas e menos onerosas para serem mantidas. Como pensar baixo é para os fracos, a empresa tem em seus planos o lançamento de três câmeras. Teremos uma câmera full frame (20 MP), uma câmera com sensor APS-C (12 MP) e uma compacta com lente fixa e sensor com 1 polegada (10,8 MP).

As duas câmeras com lentes intercambiáveis (que terão encaixe de lentes Leica) serão feitas de alumínio, terão controle manual total e de prioridades, captura em RAW, sensibilidade ISO de 100-6400 e velocidade de obturador entre 1 a 1/4000 s. Já a câmera compacta  será de plástico industrial e fará fotos apenas em JPEG. Não existe previsão de preço ou datas específicas de lançamento. A única indicação é que os modelos Full Frame e com sensor APS-C chegam ao mercado no começo de 2016.
continue lendo

emEquipamentos Fotografia

Nikon D750 Filmmakers Kit — só para os fortes

Por em 11 de fevereiro de 2015

Nikon_Filmmakers

Notícia rápida, mas interessante. A Nikon, aproveitando o lançamento da D810A, também colocou no mercado um mimo que vai ser o sonho de consumo de muita gente. Juntando a popularidade da gravação de vídeos com DSLR com a qualidade de sua nova full frame intermediária, a D750, a Nikon está lançando o Kit Filmmakers para aqueles que quiserem entrar no mercado com grande estilo.

A caixa, muito bem montada, contém uma Nikon D750, as lentes 35mm, 50mm e 85mm (todas f/1,8), duas baterias Lithium-ion, um microfone estéreo e um gravador de vídeo Ninja 2. A D750 é a mais nova câmera full frame intermediária da empresa. Foi anunciada em setembro de 2014 e vem ganhando mercado rapidamente. Alguns dizem que ela veio justamente para pegar o público profissional de vídeo e fotografia e que não pode gastar muito no investimento. As lentes, todas prime, vão oferecer a melhor qualidade de imagem para o seu trabalho. Mesmo que seja um kit voltado para a filmagem, nada impede que seja utilizado para fotografia.
continue lendo

emEquipamentos Fotografia