A computação pervasiva de cada um

Muito já se falou sobre a tal "computação pervasiva" que nada mais é que a interação transparente homem-máquina ("máquina" no sentido de "dispositivos computacionais") pelo mundo e agora, até ao ponto que a expressão virou hype e precisaram inventar uma nova: "Ubiquitous computing" (ainda sem tradução para o português) que é basicamente a mesma coisa.

Correndo o risco de cair no vulgar de novo, usarei o termo para descrever uma tendência onde a presença da computação é cada vez mais forte e invisível (para os usuários): os avanços da tecnologia nos sistemas de medição.

Trabalho em uma empresa dessa área, e lido com sistemas de última geração a cada momento. Infelizmente quando eu digo "última geração" para os aficcionados por tecnologia corro o risco de causar muitas decepções. O que ocorre é que a tecnologia nesta área (vamos considerar somente a área de medição elétrica) sempre foi muito conservadora. Dos serviços básicos a medição de energia só fica à frente da medição de água em relação à modernidade.

005_tema1bimMas isso não quer dizer que estamos estagnados. Nada disso. Os engenheiros de plantão estão vivendo neste momento o arranque da evolução tecnológica equivalente ao que a TI viu nos anos 90. Campos totalmente fechados estão se abrindo e projetos antes impensáveis estão sendo contratados em pilotos que atingem da cifra dos milhares.

Vou dar alguns exemplos.

Toda a malha elétrica do Brasil encontra-se atualmente conectada, de forma que é impossível dizer, em nível de elétron, se a energia que você consumiu nos últimos 30 segundos com a lâmpada do quarto foi gerada com 1.000 litros de água, 0,5 toneladas de bagaço de cana-de-açúcar, 200 litros de óleo diesel, 800 metros cúbicos de GLP ou 20 miligramas de urânio 235. Várias empresas compram energia gerada do outro lado do país e a regulamentação que põe em ordem a casa manda que a transmissão dos dados metrológicos seja em tempo real ou, no máximo com 24h após o consumo. Como esperar que uma grande fábrica no inteior do Acre cumpra essa lei?

Em um outro exemplo, imagine vários consumidores rurais. Existe uma forma de tarifa de energia especificamente para eles, e mais especificamente para os irrigantes. Como obter os dados de energia consumida (a cada 15 minutos) de um senhor que mora a 600km da capital e tem uma hortinha de 2 hectares?

DSC02917Agora voltemos às grandes cidades e vamos tentar imaginar, somente tentar, como uma concessionária de energia elétrica consegue obter a leitura dos medidores (ou "relógios") de 5 milhões de casas e apartamentos. Como saber quem está pagando em dia e controlar quem está com 2 anos de conta atrasados?

Satélites, frame relays, rádios, modems analógicos, modems celulares… Qualquer tecnologia que seja viável é utilizada. Nem sempre a mais rápida, nem sempre a mais confiável, nem sempre a mais barata, mas sempre a que melhor se adequar à situação.

Existem tecnologias de coletas de dados rurais que transmitem à impressionante taxa de 1 byte a cada 30 minutos (eu falei que era impressionante). Por que utilizar uma coisa tão lenta? Em primeiro lugar porque a comunicação é por PLC (Power Line Communications), que utiliza a própria rede elétrica, sem necessidade de implantar ou alugar um outro canal somente para comunicação. Em segundo porque não existe limite teórico de distância.

Finalmente, em várias grandes cidades do Brasil estão em fase de piloto medidores de eletricidade capazes de dizer seu consumo instantaneamente, além de dar informações que o consumidor nunca imaginou que seria possível. Hoje existem pelo menos 20.000 residências no Brasil (com esse número subindo para acima de 60.000 em 2009) que podem ter seu fornecimento de energia interrompido com dois cliques, ou serem religadas da mesma forma, tudo em 30 segundos. Também é interessante informar que é extremamente difícil conseguir fraudar o consumo nessas residências. Por outro lado, também é extremamente difícil roubar energia das mesmas.

Pois bem, muito foi falado, mas agora uma conclusão é necessária. E a conclusão eu deixo para vocês, com uma pergunta simples: "você sabia disso tudo escrito aí em cima?". Porque é bem provável que não. E já que não, você não sabia, imagine o que mais você, eu, os advogados, os médicos, os engenheiros, os arquitetos, etc. não sabemos à respeito da evolução tecnológica das áreas uns dos outros.

Autor: Gustavo Vasconcelos

"Remember, remember, the 5th of November."

Compartilhar
  • redebr2818

    Nossa cara que legal ler isso aqui no meiobit, eu como estudante de engenharia elétrica na area de telecom achei MUITO interessante ideias como essas.. Como você disse, uma area que parecia estar estagnada..

    • Olá “redebr”.

      A melhor parte é que os exemplos que eu citei não são idéias. Todos eles são casos reais de tecnologias com as quais trabalho diariamente.

      Você é da elétrica, prepare-se cara. Vai haver um admirável mundo novo lá fora quando você se formar.


      Fly-By-Wire: Viagens e trabalho
      Dicas, histórias e reflexões na sala de embarque

  • cafuin

    Puts, eu tinha ouvido falar em PLC e nunca tinha pensado na aplicação mais óbvia: os próprios Relógios responderem para a concessionária de energia. 😀

    Muito legal isso, belo artigo, algo bem diferente 🙂

    E sua conclusão foi muito boa, talvez com maior divulgação de como funcionam as coisas, ainda que somente uma noção, teríamos menos leis idiotas.

    Enfim, parabéns.

    • [quote=cafuin]E sua conclusão foi muito boa, talvez com maior divulgação de como funcionam as coisas, ainda que somente uma noção, teríamos menos leis idiotas.[/quote]

      Eu sinto, sinto MUITO mesmo não poder dar detalhes mais precisos do funcionamento destes dispositivos. Infelizmente tudo o que posso fazer é dar uma idéia do que eles são e como teoricamente funcionam.

      Acredite, é uma competição selvagem na área. Espionagem industrial não é papo de teoria da conspiração.


      Fly-By-Wire: Viagens e trabalho
      Dicas, histórias e reflexões na sala de embarque

  • voidmain

    :jawdrop: :jawdrop: :jawdrop: :jawdrop:
    Texto muito bem escrito. Parabéns!

  • pedrob7

    Muito legal o texto …. 🙂
    E eu pensso q a intenrt contribui muito para a divulgação sobre tecnologias de áreas especificas ….
    se sabemos pouko tendo aesso a net imagina quando não existia esse meio ….
    falndo em meio ….é uma bela iniciativa a do meio bit q os usuarios mande conteudo …permintindo assim uma maior divulgação das de coisas gerallmente restritas a quem convive com essas mudanças XD

  • Weber

    Muito bom o artigo e excelente conclusão.

    P.S.: Ubiquitous computing tem tradução sim: Computação Ubíqua.

  • bluesball

    Ótimo artigo.
    confesso que nunca tinha parado para pensar neste assunto.

    Continue escrevendo sobre o assunto.

  • Eu sabia.

    O mais legal e que quando eu estava lendo as últimas duas linhas faltou luz por aqui por quase 1 hora e meia… 🙂

    Ehehehehh!

  • EuTambem

    Muito interessante a matéria, Tango, parabéns.

    Obs.: 1 byte a cada 30 min… :jawdrop: :jawdrop: E eu que pensava que a conexão mais lenta fosse o ADSL da Brasil Telecom }:)

    • Você diz isso porque não tem como único meio de acesso o Vivo Zap com cobertura CDMA 1xRTT! (toda hora cai e/ou fica sem sinal!)

      ______________________________________________
      Assinatura?

      Nem pensar, não entenderiam minha letra!

      Minha sorte e que meu Blog não é manuscrito!

  • v1r3d

    Vale também lembrar que sim é possivel roubar energia mesmo com esses medidores, porém, é medida a diferença de energia consumida realmente pela região diretamente nos transformadores(seu bairro ou rua por exemplo) e a que esta sendo registrada nas residências, se passa mais energia pelo transformador que a medida pelos contadores residenciais então tem alguem chupando.
    Isso não tem muito de novidade apenas realmente não é tão divulgado quanto a nova geforce 15xxx nuclear power-up que sai toda semana.

    • Vired,

      Muito boa a sua colocação. Não esperava que alguém refutasse o que eu falei tão cedo, estou impressionado que essa idéia passou pela sua cabeça. Tem certeza que você paga energia na sua casa? 😉

      Mas duas coisas:
      1) Não falei que era impossível, falei que era difícil.
      2) Não, não é possível roubar energia da forma que você comentou. Como eu disse antes, esses dispositivos não somente medem a energia que passa, mas todas as grandezas em todos os sentidos. A totalização da energia é uma forma de fiscalização, mas ela é só o primeiro nível.

      Alguns deles medem a tensão na entrada, a tensão na saída, a corrente de entrada, a corrente de saída, fazem gráficos horários do consumo, acusam quando há desvio nas correntes, indicam nos mostrador e avisam para a central de medição.

      E sim, estou falando de medidores residenciais monofásicos.


      Fly-By-Wire: Viagens e trabalho
      Dicas, histórias e reflexões na sala de embarque

      • v1r3d

        “Tem certeza que você paga energia na sua casa?”
        Uma parte a outra vocês pagam, já que Manaus não está ligada na rede nacional de energia então vocês pagam a diferença para nós.
        Aqui em manaus todos os contadores do centro da cidade já são “digitais” só não tem a parte de enviar os dados pela própria rede elétrica, mas o funcionário da fornecedora de energia faz o “download” das informações por infravermelho quando passa pela frente do contador XD.

        • Manaus? Eu li direito? Um conterrâneo?
          🙂 🙂

          • v1r3d

            ohhh legal 😉

  • Faço direito… n sabia nada disso =)

    —————————————————————

    Se você não é um fanboy click AQUI.

  • danielmb

    Belo artigo cara. BOm variar um pouco de área aqui.
    Permite amplitude, crescimento de toda a comunidade.
    Valeu mesmo

    >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
    Não tenho como assinar, eu não tenho BLOG

  • lcmalanquini

    Legal esse artigo(parabéns), mas agora cá entre nós daria para fazer pelo menos nos locais mais urbanizados um sistema de medição e controle de consumo melhorzinho, pelo menos que fosse totalmente automatizado na parte fora da empresa.

  • fabricamargo

    Bom artigo Tango !

    “Mantra de Ganesh: Vakratunda Mahaakaaya Suryakotee Sama Prabha Nirvighnam kuru mey Deva Sarva kaaryeshu Sarvadaa”

  • Existe algum estudo para implantar energia elétrica pré paga como tem na Inglaterra?
    Basta passar o cartao em um equipamento dentro da sua casa e comprar energia eletrica.
    Quanto sua cota esta acabando o aparelho avisa para voce comprar mais, e nao tem choro, acabou o crédito, corta a energia na hora.

    Yoomp – Rede de Blogs e Blogueiros
    http://www.yoomp.com

    Fazedor de Site
    http://www.fazedordesite.com

    • AntonioOliveira

      [quote=rodrigofante]Existe algum estudo para implantar energia elétrica pré paga como tem na Inglaterra?[/quote]

      Sim, existe esse estudo.
      Porém, ainda está anos-luz de acontecer…

      Trabalho com desenvolvimento de embarcados e estou envolvido com essa “onda” que o Tango falou aí em cima. Desenvolvemos o que chamam de Unidade Remota e Gateway de coleta para medidores de eletricidade e água.

      Tango, parabéns pelo artigo, muito bem escrito.

      • Não está tão a “anos-luz” Antonio. Já existem pilotos de pré-pagamento de energia em Salvador, São Luiz e São Paulo, com uma aceitação muito boa por parte da população. Esses só os que eu conheço. Certamente tem bem mais acontecendo.


        Fly-By-Wire: Viagens e trabalho
        Dicas, histórias e reflexões na sala de embarque

  • laertesss

    Se eu tivesse dinheiro, eu iria fazer uma usina pra mim, iria vender energia pra pequenas industrias e iria ficar ainda mais rico (não que eu seja rico agora né).

    Excelente artigo.

    “Sou analfabeto, não sei assinar.”

  • cwaster

    Legal sua iniciativa Tango.
    Respondendo sua conlusão: como sou da área jurídica e meu TCC foi na área tecnológica, indico o livro da Patricia Peck (Direito Digital) para quem tem interesse em saber um pouco mais sobre as implicações legais (e doutrinarias) do avanço tecnológico. Um livro bem tranquilo e de fácil leitura. Fica aqui a dica e os parabéns mais uma vez pela iniciativa.

    ——————Mané roda!———————–

  • zio

    Os relógios da minha faculdade (UERJ) se comunicam via PLC com a light, ja tem um tempo até. É um conceito interessante e ja tentaram levar pra dentro de escritorios como banda larga, ou seja, tudo ligado na tomada, nada de fios extras, mas essa implementação não tem muito a aparencia de que vai pra frente. Ta mais pra medição apenas 😛

    Quanto a energia do outro lado do país, seria bom se fosse tão real. Na época do apagão, o país tinha energia de sobra, no norte dele. Só faltou infra-estrutura de linhas de transmissão, coisa que não ganha recursos e investimento faz tempo. Eles preferem entrar com projeto de fazer novas industrias, poluidoras…. é brasil né gente.

    Eu não sabia é da regulamentação que “manda que a transmissão dos dados metrológicos seja em tempo real ou, no máximo com 24h após o consumo”, muito interessante mesmo.

    Belo artigo

  • renrutal

    Não querendo ensinar oração ao beato, só especificando para outros:

    Computação pervasiva é transparente no sentido de você não sentir que está interagindo com um computador, ou que algum ponto da sua vida esteja sendo controlado por um. Por exemplo esses relógios inteligentes, para quem não sabe que eles existem.

    Computação ubíqua é uma computação pervasiva, aliás, várias. A diferença está em ubíquo, que significa “está ao mesmo tempo em toda a parte”.

    Diz-se que uma pessoa, numa sociedade usando a computação pervasiva e ubíqua, nunca verá um computador em sua vida, pelo menos não do modo vemos hoje, fisicamente como CPU, teclado, mouse, monitor. Mas ele estará lá, dentro de TVs (ou somente telas), geladeira, máquinas de refrigerante, medidores de água, eletricidade, numa lampada na esquina. Nunca os veremos, mas eles estarão ajudando nossas vidas sem percebemos.

  • Alca Vicius

    Como dizem alguns, a foto da bica d’água é “pic related”?

    Interessante essa matéria, até agora o negócio do PLC só era pra nós “Um mito, teoria da conspiração”.

    Quando vi falar do PLC eu achei que já era quase desconsiderada (ou como um colega exemplificou, “Baixando Torrents com um vizinho usando o liquidificador e o outro uma serra elétrica”), mas assim vamos engatinhando.

    Mas da “empresa da bica”, pode vir disco voador que nada me surpreende (sim, eu sei que os japoneses já lançaram esse último, não, não sei pra que eles tem um ciborgue)

  • leonardofribeiro

    Tango,

    É a primeira vez que comento no meiobit, mas já acompanho o site uns 6 meses, achei muito interessante essa matéria pois trabalho com automação e cada dia mais vejo como a automação tem tornado fácil a vida das empresas e de nós.
    Já tive oportunidade de ver projetos de controle de processos (PLCs[controlador lógico programável], SDCDs, sistemas SDACA) interligados via ethernet sendo monitorados desde o chão de fábrica até as áreas administrativas das empresas. Consigo por exemplo saber se a linha de um forno de recozimento de bobinas está funcionando da minha casa e até verificar se um pressostato está ligado.
    A área de engenharia de automação é muito importante e acho que deveria ser mais comentada no meiobit.

    Leonardo Ribeiro

  • “você sabia disso tudo escrito aí em cima?”
    É por isso que eu leio MeioBit!

  • leafac

    Assisti uma palestra em que Ubiquitous computing foi tratado como Computação Ubíqua. É estranho, verdade, mas funciona bem como tradução do termo.

    __________________

    A abordagem do Leandro na arte de blogar

  • lauas

    Isso me faz lembrar de uma piadinha que circula na internet sobre pedir uma pizza em 2015! Já temos chaves de carro com bafômetro, um agente da companhia de energia elétrica do lado de cá do muro da minha casa…

    Feliz proprietário de um IBM R51e!

  • shimatai

    Eu moro na Baixada Fluminense, no RJ e onde moro já existe esses “medidores inteligentes” que dizem o consumo de cada casa, sem a necessidade do técnico da Light (concessionária de energia da área metropolitana do RJ) ir até a casa conferir no medidor local.

    Com isso reduziram muito a quantidade de ligações clandestinas (gatos), pois o “medidor inteligente” do poste diz quanto ele forneceu de energia para aquela área e se o somatório da energia fornecida a todas as casas não conferir com o fornecido pelo poste, é pq tem gato no meio.


    “Uma pessoa inteligente resolve um problema, um sábio o previne.” Albert Einstein

  • Proxeneta

    [quote]Com isso reduziram muito a quantidade de ligações clandestinas (gatos), pois o “medidor inteligente” do poste diz quanto ele forneceu de energia para aquela área e se o somatório da energia fornecida a todas as casas não conferir com o fornecido pelo poste, é pq tem gato no meio.[/quote]
    assim o brasil não vai mais ter quase 100% da população com energia eletrica

    No mais, estou indo embora

  • Pingback: Tecnologia Star Trek do Dia: NASA testará impressoras 3D na Estação Espacial « Meio Bit()

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Walmart, Cupom de desconto Ricardo Eletro, Cupom de desconto Extra, Cupom de desconto Adidas, Cupom de desconto Submarino, Cupom de desconto Americanas, Cupom de desconto Casas Bahia