Home » Meio Bit » Anúncios » WinFS morto?

WinFS morto?

Parece que a Microsoft decretou o fim do WinFS, o revolucionário sistema de arquivos que a empresa pesquisa desde os anos 1990 ( então, sob o nome de "Object File System" ). Inicialmente anunciado como parte do Windows Vista, foi

12 anos e meio atrás

Parece que a Microsoft decretou o fim do WinFS, o revolucionário sistema de arquivos que a empresa pesquisa desde os anos 1990 ( então, sob o nome de "Object File System" ).

Inicialmente anunciado como parte do Windows Vista, foi postergado para um futuro "Service Pack" e, agora, ao que parece, definitivamente morto. Apesar do anúncio indicar que a tecnologia será utilizada em produtos futuros, não há grande confiança da imprensa e de usuários avançados de que isso irá realmente acontecer.

Mas afinal... o que é um "Sistema de Arquivos" e por que o WinFS prometia ser uma revolução?

Um "sistema de arquivos" é uma camada de software que permite aos programas acessarem a informação gravada em dispositivos de armazenamento. Por exemplo: seu cliente de email ( Thunderbird? ) sabe extrair de uma mensagem, os anexos. Mas ele não precisa "saber" como essa informação deve ser gravada no disco. Cabeças, setores... ou mesmo se esse disco está mapeado num dispositivo de rede ou se é um "pendrive". Tudo isso, é tarefa do sistema de arquivos.

E onde estaria a revolução? Na forma como o sistema de arquivos "entende" os dados. O WinFS seria um sistema de arquivos relacional.

Por exemplo: hoje, é fácil procurar por um arquivo com o nome "contatos", certo? Mas imagine que seja necessário procurar a foto de um contato de email com o qual você se comunicou há cinco semanas, onde ele esteja acompanhado do chefe da empresa que te forneceu parafusos no ano passado. Acho que o "Procurar" do windows não faria isso por você...

Até existem programas que permitem coisas similares, mas, estando implementado diretamente no sistema de arquivos, as buscas seriam muito mais rápidas. E isso, sem falar nas outras características bem interessantes.

Talvez esse fato não traga grandes implicações para o usuário final, mas demonstra, novamente, a tática de marketing da Microsoft, anunciando produtos com enorme antecedência e que, nem sempre, "saem do forno".

relacionados


Comentários