Intel introduz seu primeiro processador Cannon Lake de 10 nanômetros

A Intel teve severos problemas para introduzir a próxima geração de dispositivos com um novo processo de litografia. A linha Cannon Lake, que deveria ter sido introduzida tempos atrás só começará a ser produzida em massa em 2019, o que acabou por forçar a companhia a alterar todo o seu ciclo de produção e se virar como pode com a linha Coffee Lake.

Porém o primeiro chip da família foi introduzido na surdina, através da Lenovo: várias lojas chinesas listaram recentemente o IdeaPad 330, o mas novo notebook da companhia como um dispositivo equipado com o até então misterioso processador Core i3-8121U; ele era reconhecido como um “processador de oitava geração” mas num primeiro momento não dava para saber se era um Coffee Lake (o que era estranho, visto que ele não fora relacionado no último lançamento de processadores para notebooks) ou de fato um Cannon Lake, o que significaria que a Intel já estava começando a desenrolar o novelo dos dez nanômetros.

As dúvidas foram sanadas com a fabricantes enfim revelando oficialmente o processador como de fato sendo o primeiro da nova geração, após publicar os detalhes na página oficial do mesmo.

IdeaPad 330 da Lenovo: equipado com o Core i3-8121U

O Core i3-8121U é um processador voltado para notebooks e ultrabooks de baixa performance e consumo energético, como todos os componentes da família U (Ultra-Low Power): ele é dotado de dois núcleos, quatro threads e clock de 2,2 GHz, podendo chegar a 3,2 GHz via TurboBoost; ele possui 4 MB de cache, TDP de 15 W, um controlador de memória RAM DDR4-2400/LP-DDR4 2400 de dois canais (suporta até 32 GB) e um controlador PCI-Express 3.0 de 16 pistas (contra 12 da geração anterior). O limite teórico de banda, por sua vez subiu de 34,1 GB/s para 41,6 GB/s.

O único porém é a estranha ausência de um chip gráfico integrado, o que forçaria os fabricantes de notebooks a incluírem uma GPU dedicada nos modelos que vierem a ser lançados com tal processador (de fato, o IdeaPad 330 é equipado com uma Radeon RX 540 da AMD). No entanto, é bastante improvável que a Intel opte por tal estratégia daqui por diante e a decisão de não incluir um chip gráfico no Core i3-8121U pode ser uma limitação momentânea nas sua capacidades de produção.

Considerando todos os problemas que a Intel passou até o momento e levando em conta que ainda vai demorar um bocado para a linha Cannon Lake se consolidar, esta parece ser a explicação mais plausível.

Fonte: Ars Technica.

Relacionados: , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Profissional de TI auto-didata, blogueiro que acha que é jornalista e careca por opção. Autor do Meio Bit e Portal Deviante, podcaster/membro fundador/Mestre Ancião do SciCast e host/podcaster do Sala da Justiça.

Compartilhar