Você precisa de um PC?

Calma, pessoal. Vou me explicar, antes que alguém já venha me chutando (coisa comum por aqui, ultimamente).

Meu questionamento, sendo mais preciso, é: você precisa de um microcomputador compatível com o conjunto de instruções x86 e que consuma mais de 200W? “Mas é claro, eu preciso rodar jogos!” é a primeira frase que se escuta.

No entanto, imaginem a grande maioria dos usuários, que não “heavy user” nem “early adopter”: a Dona Selma, do RH… a Maria Cristina, da recepção… o Dr. Oswidofrido, adêvogado… que tipo de computador seria suficiente para eles? Um Atom com chipset Intel? Com chipset NVIDIA? Com GPU integrada? Ou um ARM Cortex-A8?

ARM? Para rodar em algo que não seja celular/nettop/video-game? Pois é… para quem ainda tem um pé atrás com “desktops ARM”, reparem o vídeo abaixo:

 

 

Para usuários mais pacientes, há vários outros no Youtube.

Traduzindo: uma placa capaz de rodar GNU/Linux (especialmente a distribuição Ångström, mas com opção de Windows CE para os iniciados), com um processador Texas Instruments OMAP3530 (ARM Cortex-A8) rodando a 600MHz (1200 Dhrystone MIPS), 256MB de Flash, 256MB de RAM, SD Card, USB 2.0, saída de vídeo com capacidade HD (720p) e aceleração 3D, consumindo apenas 2W. Dois Watts.Comentei que custa US$ 159,00?

3309319666_a6d5559a42_o

 

Não ficou satisfeito com a quantidade de RAM? Pois saiba que a Beagle Board foi desenvolvida no tempo livre dos engenheiros da TI e não tem (nem pode) a intenção de concorrer com os caros kits de desenvolvimento da empresa… imaginem esse mesmo processador (ou seu irmão maior, o Cortex-A9 com núcleo duplo) em uma placa-mãe de verdade.

Pausa para o regozijo da comunidade…

Existe uma oportunidade de ouro para a ARM e, especialmente, o GNU/Linux®: apoiar e, de fato, desenvolver software/hardware de qualidade, visando o segmento de mercado que é mais preocupado com o consumo/impacto ambiental que com o poder bruto de processamento. Ecochatos, digo, pessoas ambiental e socialmente responsáveis, além de grande parcela dos usuários “normais” podem esperar mais três ou quatro segundos para usarem o Open Office. E não precisam de um PC rodando Windows e consumindo 200W para isso…

Autor: Marcellus Pereira

Compartilhar