Home » Meio Bit » Destaque » Entrevista com Pedro Dias

Entrevista com Pedro Dias

Este artigo deveria ser a parte 2 do Google Search Masters, mas a agenda lotada – tanto minha quanto a do Pedro Dias – responsável por Search Quality para mercados de Língua Portuguesa do Google – acabou fazendo com que precisássemos adiar um pouco a publicação desta entrevista.

10 anos atrás

Este artigo deveria ser a parte 2 do Google Search Masters, mas a agenda lotada – tanto minha quanto a do Pedro Dias – responsável por Search Quality para mercados de Língua Portuguesa do Google – acabou fazendo com que precisássemos adiar um pouco a publicação desta entrevista.

No Google Search Masters, fiz uma pré-entrevista informal com o Pedro, que é um dos profissionais de maior relevância do Google para o nosso mercado. Depois refinamos as perguntas e respostas por email com base nesta conversa – afinal, as respostas literais dele são muito melhores do que a minha interpretação do nosso bate-papo.

Então, com exclusividade para os leitores do Meio Bit, com vocês, Pedro Dias:

pdias

1. Fale um pouco sobre você e sobre seu trabalho no Google.

Em primeiro lugar, quero agradecer o interesse em entrevistar-me. O meu trabalho no Google é primariamente focado em prevenir a presença de spam nos resultados de pesquisa, de modo a que os nossos utilizadores não sejam afectados; ainda este ano, Udi Manber escreveu dois posts que explicam um pouco mais acerca da Equipa de Qualidade os quais podem ser lidos aqui e aqui. No entanto, comunicar com webmasters é também uma parte importante no meu trabalho. Desde há cerca de um ano e meio que iniciámos as comunicações com webmasters, lançámos um Grupo de Ajuda e fizemos alguns posts no Blog da Central do Webmaster, mas também através de conferências, como o Google Search Masters 2008 onde tive a oportunidade de conhecer tantos de vocês, e outras iniciativas, como esta entrevista :).

2. Como você vê o nível de conhecimento de webmasters e blogueiros (as) brasileiros(as) com relação aos produtos e serviços do Google em comparação com outros países?

Frequentemente digo que os Bloggers são uma valiosa geração de comunicadores, eles desempenham um papel importante desde a partilha de informação e expressão de pensamentos, até ao desenvolvimento de novas ideias e conceitos. O Brasil é um dos maiores geradores de conteúdo online com milhares de blogs e páginas pessoais surgindo literalmente a cada momento; isto é uma excelente contribuição para uma comunidade saudável. No entanto é um mercado ainda em desenvolvimento onde o número de blogs promissores e sites com conteúdo acessível é ainda baixo quando comparados com a quantidade de conteúdo de qualidade que permanece menos acessível. Há a necessidade de alargar a comunidade Brasileira online trabalhando para uma maior acessibilidade de conteúdos de qualidade.

3. No Google Search Masters conversamos sobre quantidade e qualidade de conteúdo produzido em língua portuguesa. Fale um pouco sobre isso e sobre o que pode ser feito para melhorar este cenário.

Tal como referi na minha resposta anterior, existe um número relativamente baixo de conteúdos de qualidade acessíveis, há muitos sites que ainda têm muita informação em DOCs, PDFs e outros tipos de documentos menos acessíveis em vez de formatos optimizados para a Internet como HTML. Existe a necessidade de trabalhar para tornar estes conteúdos facilmente acessíveis, que consequentemente contribuirão para um nível mais elevado da partilha de conhecimento.

Gostaria também de ver um maior nível de interacção entre webmasters, muita gente vai ao Grupo de Ajuda, fazem a sua pergunta e uma vez obtida a resposta dificilmente voltarão ao Grupo de novo. Seria formidável se todos tentassem pelo menos responder a uma pergunta de outro membro, partilhando o seu conhecimento. Tenho certeza que há imensas perguntas que a maioria dos leitores desta entrevista poderiam responder muito facilmente — ajudar os outros é uma maneira de aprender mais ainda — isto seria um excelente catalisador para uma comunidade online saudável.

4. Punições: existe muita discussão com relação a este assunto. Em alguns casos, o motivo da punição é claro, em outros não. Por que isso acontece e qual a melhor forma de lidar com esta situação, em ambos os casos?

Uma vez que não vou entrar em especificidades no que respeita a penalizações, gostaria de passar alguns conselhos.

Certifique-se que o seu site é primariamente feito para humanos e não para motores de busca. Se acredita que foi alvo de penalização — por exemplo, se o seu site sofreu uma queda brusca ou desapareceu completamente dos resultados – aqui ficam os 5 primeiros passos que deve considerar:

1. Crie uma conta de Ferramentas para Webmasters — é grátis!
2. Leia as Directrizes de Qualidade do Google;
3. O seu site viola alguma das directrizes?
4. Se sim, modifique o seu site de maneira a que este respeita as Directrizes de Qualidade do Google;
5. Submeta o seu site para reconsideração utilizando a sua conta de Ferramentas para Webmasters.

Após estes passos simples, se ainda não conseguir encontrar uma solução, poderão sempre pedir conselhos á nossa excelente comunidade de webmasters no Grupo de Ajuda.

SEARCHMASTERSL7360A

5. Qual o maior desafio do Google no mercado brasileiro (e de língua portuguesa, em geral), atualmente?

O maior desafio no mercado de língua Portuguesa é, mais uma vez, fazer o esforço extra de tornar todo o conteúdo de qualidade existente facilmente acessível e de partilhar as boas práticas, promover conhecimento e experiência para o resto da web de língua Portuguesa. Gostaríamos de ver em Português uma variedade de conteúdos igual a outros mercados, como por exemplo o Inglês.

6. Conteúdo duplicado: embora isso tenha sido abordado brevemente no evento, este assunto  é muito discutido porque afeta diretamente os rankings.

6.1 Quando é que a reprodução de conteúdo parcial (como citações, por exemplo) é considerado conteúdo duplicado e como lidar com isso?

Conteúdo duplicado tem sido um tópico bastante popular recentemente. Nós devemos sempre considerar qual a intenção, se o conteúdo duplicado pretende ser enganoso e manipular os mecanismos de busca, ou se é uma duplicação não maliciosa e se deve simplesmente ao modo como os websites e motores de busca funcionam.

A maioria dos motores de busca gosta de variedade, e prefere mostrar-lhe dez resultados diferentes numa página de resultados em vez de dez URLs diferentes em que todos têm o mesmo conteúdo.

Conteúdo duplicado pode afectar o seu site de diversas maneiras, mas a menos que você tenha feito duplicação deliberadamente, é pouco provável que resulte em penalização.

Por volta do início de Setembro, a nossa colega Susan Moskwa escreveu um post excelente acerca de desmistificar conteúdo duplicado, artigo que recomendo a leitura e onde a maioria das questões são abordadas e respondidas.

6.2. Qual a melhor forma de lidar com conteúdo duplicado quando se é o autor original?

Estamos constantemente melhorando a identificação de conteúdo duplicado, e percebemos que em muitos casos a culpa não é do webmaster que por vezes é afectado, existe um artigo na Central de Ajuda que recomendo a leitura.

Se foi alvo de cópia, isto simplesmente levará a vários processos com o intuito de determinar a fonte original do conteúdo — algo que o Google consegue fazer muito bem, pois na maioria dos casos o conteúdo original é correctamente identificado, não havendo quaisquer efeitos negativos para o autor do conteúdo.
Além disso, se o seu conteúdo tem um link para a fonte desse conteúdo — o seu blog/site –, mesmo que seja alvo de cópia, o PageRank será sempre atribuído à fonte desse conteúdo.

Um colega de Search Quality escreveu um artigo acerca de conteúdo duplicado causado por copiadores por volta de Junho de 2008, o qual recomendo a leitura vivamente.

6.3. E as redes de blogs que agregam conteúdo de diversos blogs com autorização dos mesmos? São os inícios dos posts (resumos) considerados conteúdo duplicado? Quem perde relevância neste caso e qual a melhor forma de lidar com esta situação?

No caso de agregadores, a melhor prática seria a escolha de não indexar os posts feitos pelos seus membros, mas como sabemos, nem todos seguem esta regra. Mas não se preocupem, como referi, o Google está cada vez melhor em identificar a fonte de conteúdos, e se por um lado o conteúdo agregado pode ser visto como algo original — para o qual a comunidade agregada contribui –, por outro lado nós daremos sempre mais importância á fonte desse conteúdo.

7. Esta vem diretamente do nosso grupo Google Search Masters:

Em 15/09/2008 foi lançado o Blog para Webmasters em espanhol, contando, inclusive, com algumas entrevistas com Matt Cutts. Quando teremos essa novidade em português?

Por enquanto ainda não temos planos para lançar um blog dedicado a webmasters em Português, porém isso passou pelas minhas ideias várias vezes e é algo a ser considerado no futuro. O Matt disse-me que na minha próxima ida a Mountain View — ou ele a Dublin — terá todo o gosto em fazer uma entrevista comigo :).

8. Entendemos por que a venda de links de texto é punida pelo Google. No entanto, o que torna a venda de links diferente da venda de espaço publicitário em outros formatos que não utilizam o “nofollow”?

Qualquer tipo de publicidade deve seguir os mesmos princípios, de ser útil para os utilizadores e de não manipular os motores de busca. Se tem qualquer tipo de publicidade que passe PageRank através de qualquer tipo de links, e se por alguma razão não pode incluir a tag nofollow, recomendamos que esses links sejam redireccionados através de uma página excluída da indexação.

9. Para encerrar, indique as melhores fontes de recursos e informações do Google, para webmasters e bloggers, em língua portuguesa – tanto para desenvolvedores novatos quanto para usuários mais avançados. E se deixamos de perguntar algo que você considere de relevância para desenvolvedores e bloggers no Brasil, por favor faça também menção ao seu conselho/recomendação.

O Blog do Google Brasil e o canal do YouTube do Google Brasil são óptimas referências que devem subscrever, muitos dos recursos em Inglês são publicados em Português através destes canais.

Se ainda pretendem mais informação, recomendo definitivamente uma visita ao Grupo de Ajuda a Webmasters e abrir tópicos de discussão em que estejam interessados, o Grupo não é apenas para perguntas e respostas, mas um local onde webmasters são encorajados a partilhar conhecimento e boas-práticas.

———————

Ao Pedro, muito obrigada pela disponibilidade e gentileza em nos ceder um pouco do seu tempo, partilhando estas informações conosco. Espero que tenham gostado da entrevista e termino com alguns links complementares sobre o evento – não incluídos no artigo anterior.

Vídeos oficiais do evento (incluindo a palestra do Pedro)

Fotos oficiais do evento

Post no Ego Strip (blog do Pedro Dias) sobre o evento



relacionados


Comentários