Instagram vai em breve permitir que os usuários baixem suas fotos e dados

O Instagram já está se alinhando com as alterações de segurança e privacidade que o Facebook deverá introduzir: o app está desenvolvendo uma ferramenta de portabilidade que permitirá ao usuário baixar todas as informações que compartilhou na plataforma, de apps e vídeos a mensagens.

A medida se deu obviamente por conta de toda a polêmica envolvendo o Facebook e a Cambridge Analytica, e neste caso o Instagram não tinha até então meios que permitissem ao usuário saber quantos dados o app armazena. A rede social não lida apenas com fotos de comida e gatos mas também com vídeos, mensagens diretas, respostas em postagens de outros usuários e conteúdo efêmero através do Stories, incluindo transmissões ao vivo (e é bem provável que tais mensagens permaneçam armazenadas mesmo após as 24 horas).

O TechCrunch originalmente levantou a bola de como o Instagram não possui uma ferramenta simples de portabilidade, que permita ao usuário selecionar seus dados e baixa-los quando bem entender e isso vale para tudo, inclusive informações pessoais (vale lembrar que nem todo mundo integra o serviço à conta do Facebook), forçando os usuários a dependerem de soluções de terceiros que convenhamos, possuem sua própria cota de problemas: uma vez que eles exigem os dados de login, as chances de vazamento de dados e coleta dos mesmos por gente mal intencionada aumenta muito.

Ontem, um porta-voz do Instagram respondeu aos questionamentos, dizendo que estão desenvolvendo uma solução própria que permitirá o download de tudo que você já compartilhou em sua conta, sejam fotos, vídeos ou mensagens. As mudanças podem estar bem próximas de serem introduzidas visto que a GDPR, cujas regras o Facebook pretende implementar globalmente entrará em vigou na União Europeia no dia 25 de maio. É provável que tal como a matriz, o Instagram também estenda a novidade a todos os usuários.

O Instagram não especificou quais dados exatamente a ferramenta será capaz de baixar, mas de qualquer forma mais informações deverão ser liberadas conforme a data para a GDPR entrar em vigor se aproximar.

Fonte: TechCrunch.

Relacionados: , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Profissional de TI auto-didata, blogueiro que acha que é jornalista e careca por opção. Autor do Meio Bit e Portal Deviante, podcaster/membro fundador/Mestre Ancião do SciCast e host/podcaster do Sala da Justiça.

Compartilhar