IA desenvolvida pela Sony está aprendendo a compor músicas

daft-punk

Nossas IAs estão ficando cada vez mais espertas. Conforme aprendemos mais nós conseguimos desenvolver algoritmos e redes neurais cada vez mais complexas e capazes de realizar tarefas até então exclusivas de humanos, desde escrever contos românticos a jogar Go. Claro que tudo ainda transita em uma área nebulosa, não sabemos se um dia teremos uma SkyNet mas estamos tentando de fato chegar lá, por pura curiosidade científica.

A mais nova empreitada veio da Sony Computer Science Laboratory (CSL), um centro de pesquisas da gigante japonesa. Eles estão desenvolvendo uma nova IA com o único intuito de entrar no ramo da música, já que ela está aprendendo a compor canções (mas não sozinha).

O grupo responsável pelo Flow Machines, ligado ao Sony CSL pesquisa a aplicação da IA na música pelo menos desde 1997, o que deixa claro que o pessoal do laboratório situado em Paris não está para brincadeira. O algoritmo em questão foi alimentado com um grande banco de dados e ensinado a identificar estilos musicais e técnicas, de modo que ele fosse capaz dele próprio compor as músicas de diversos gêneros.

O time conseguiu com que a IA criasse duas canções bem distintas. Daddy’s Car, por exemplo é inspirada nos primeiros álbuns dos Beatles, mas ao contrário do que muita gente pensa este não foi um voo solo do compositor virtual. A Sony comvidou o compositor francês Benoît Carré para escrever a letra da canção, criar os arranjos e produzir a canção. A composição, no entanto é trabalho do Flow Machines.

Embora não seja tão brilhante quanto as primeiras canções do Fab Four, Daddy’s Car é bem agradável de se ouvir. Aperte o play e curta:


Sony CSL-Paris — Daddy’s Car: a song composed by Artificial Intelligence – in the style of the Beatles

O Flow Machines faz uso de um banco de dados com mais de 13 mil partituras de diversos estilos musicais, em sua maioria jazz, pop, musicais da Broadway e acredite se quiser, MPB; o compositor escolhe um estilo, gera uma partitura através do software dedicado FlowComposer e através de outro software, chamado Rechord ele seleciona recortes de áudio de outras canções. O algoritmo monta a canção e o músico (Carré, no caso) dá os retoques.

A segunda canção se chama The Ballad of Mr. Shadow, inspirado em composições de gênios como Irving Berlin, George Gershwin, Duke Ellington e Cole Porter. Particularmente acho que um jazz é algo bem mais complexo do que um pop Beatles-like, e para mim o resultado não foi dos melhores. Mas ainda assim é digno de nota.


Sony CSL-Paris — Mr Shadow: a song composed by Artificial Intelligence

Embora a iniciativa da Sony seja muito legal para entender a capacidade das IAs em realizar tarefas humanas, há quem acabe não vendo o Floe Machines com bons olhos e falo especificamente da indústria musical: um algoritmo capaz de evoluir a ponto de se tornar um compositor completo pode representar uma ameaça aos profissionais, algo absurdo de se pensar mas se levarmos em conta que essa é uma das indústrias mais retrógradas que existem (só perde para a TV), não duvido de futuras reclamações vindas de artistas e gravadoras. Ainda mais com a informação de que o Flow Machines lançará um álbum em 2017 com suas criações.

A Sony não é a única que está misturando redes neurais com a arte do entretenimento: recentemente o Watson, o supercomputador da IBM foi desafiado a produzir um trailer para o suspense sci-fi Morgan; na trama, uma IA foge do controle de seus criadores e começa a tocar o terror. Oportuno, eu diria.

Utilizando aprendizado de máquina, o Watson saiu com isto:


Morgan | IBM Creates First Movie Trailer by AI [HD] | 20th Century FOX

Claro que o resultado vindo de um humano ainda é melhor em todos os casos, mas o ponto é que nossas redes neurais estão ficando mais espertas e rapidamente. Isso permitirá com o tempo diversos usos em pesquisa, entretenimento e/ou aplicações críticas, o que é excelente.

Fonte: Flow Machines.

Relacionados: , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Profissional de TI auto-didata, blogueiro que acha que é jornalista e careca por opção. Autor do Meio Bit e Portal Deviante, podcaster/membro fundador/Mestre Ancião do SciCast e host/podcaster do Sala da Justiça.

Compartilhar

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto Frio Peças, Cupom de desconto Mundo da Carabina, Cupom de desconto JBL, Cupom de desconto Costa Cruzeiros, Cupom de desconto Loja do Mecânico, Cupom de desconto Staples