Mobile
Mobile
Digital Drops Blog de Brinquedo

Google anuncia Find My iPhone, só que pra Android

Por em 5 de agosto de 2013

bladerunner

Quando a Apple copiou descaradamente o sistema de notificações do Android um monte de gente reclamou. Usuários de Android indignados com a kibada, e macfags revoltados por serem obrigados a reconhecer que algo no Android presta.

Os usuários racionais adoraram, pois era uma solução elegante e que melhorou muito o iOS.

É o caso do Find My iPhone, serviço da Apple que permite que você acesse remotamente seu celular, envie mensagens, identifique no mapa onde ele está e, em último caso, apague completamente o bicho, evitando que estranhos tenham acesso a seus dados.

O Android não tinha nada parecido, mas agora isso vai mudar. Foi revelado no blog oficial que até o final do mês usuários de Android do 2.2 em diante terão acesso a uma ferramenta com as mesmas características do serviço da Apple.

Não é nada original? Tenho certeza de que o sujeito que teve o Android roubado cheio de fotos da namorada pelada está muito preocupado, e nem vai apagar remotamente a memória do bicho, em respeito à Apple…

emCelular Destaques Google Software

Gradiente tem marca “iphone” bloqueada, que pode ir a leilão. Motivo? Quase um milhão deles [UPDATE]

Por em 24 de abril de 2013

Pague o aluguel! Quer dizer, a dívida!

Vamos ser rápidos para não perder tempo: os links relativos à história inteira estão aqui, aqui, aqui, aqui, aqui e por fim, aqui também.

No capítulo anterior vimos que Apple e Gradiente haviam entrado num acordo para encerrar os processo mútuos que mantinham uma contra a outra na disputa pela marca “iphone”, que a Gradiente registrou há muitos anos atrás e numa jogada esperta, lançou um produto antes de perder o registro e processou a maçã para arrancar dinheiro. Se é certo ou não o que ela fez são outros quinhentos, já que quem detém a marca tem direito a negociá-la.

continue lendo

emApple e Mac Mercado

Final feliz? Apple e Gradiente ensaiam acordo pela marca “iphone”

Por em 11 de março de 2013

Trégua?

Lembram da pendenga Apple vs. Gradiente pela disputa do nome iPhone? O Meio Bit vem cobrindo o caso da “kibada do século” (copyright 2012 Cardoso, all rights reserved) desde o início, e você pode rever o desenrolar dessa pantomina aqui, aqui, aqui, aqui e finalmente aqui também.

Parece que as coisas estão caminhando para o fim, e pelo menos uma das partes envolvidas vai sair lucrando (muito) nessa história: tanto a Apple quanto a IGB Eletrônica (antiga Gradiente) suspenderam ação judicial pela disputa da marca “iphone” por 30 dias, de modo a chegar a uma solução amigável. Ambas assinaram o pedido de trégua no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro no fim de fevereiro.

De acordo com uma fonte ligada ao processo, ambas empresas devem resolver o problema numa negociação extrajudicial, ou seja: a Apple vai desenbolsar uma grana bem alta (troco de pinga pra Cupertino, é verdade, mas a ideia era não pagar um tostão sequer) para continuar usando o nome, tal como fizeram com a Cisco e a Proview anteriormente (a primeira com razão, a segunda foi sacana mesmo).

No fim das contas é triste ver uma empresa outrora importante como a Gradiente, que inclusive foi representante oficial da Nintendo no Brasil, ter se reduzido a uma mera patent troll. Não importa se a patente é antiga ou não, ela não tinha produto nenhum com a marca e lançou o G Gradiente iphone no limiar de perder o registro. Se isso não é ser mal intencionado não sei mais o que é.

Fonte: Veja na Folha.

emApple e Mac Mercado

Segue a novela: Apple quer que INPI invalide registro da marca “iphone” pela Gradiente

Por em 14 de fevereiro de 2013

m1302133

O arranca-rabo entre Apple e Gradiente pela posse da marca “iphone” vem se desenrolando há alguns meses, conforme já foi abordado aqui, aqui, aqui e aqui também. No mais recente ato dessa ópera bufa, a revista do INPI publicada ontem afirmou que o nome pertence à Gradiente, conforme registro solicitado em 2000 e concedido em 2008.

A empresa de Cupertino havia conseguido o registro do nome para uso em artigos de vestuário, calçados e chapelaria (!!!) e tão somente; todas as demais solicitações – mais de dez – foram negadas. Como o INPI não tem poder para impedir a comercialização do iPhone – isso só ocorreria se a Gradiente entrasse com uma ação judicial, mas o mais provável é que ela tente um acordo de licenciamento do nome e ganhar uma graninha – por enquanto fica tudo como está.

Claro, a Apple não vai engolir essa. Segundo a Reuters, a empresa já solicitou ao INPI que anule o registro da marca, se valendo do recurso da “caducidade” – a Gradiente não teria utilizado o nome em nenhum produto durante os cinco anos após a concessão, que expirou em janeiro passado. Se a empresa não conseguir provar que vendeu um G Gradiente iphone que seja dentro desse período, o registro deixa de valer e a Apple não vai dever um centavo sequer.

Procuradas, nenhuma das duas empresas se pronunciou a respeito. Como isso ainda vai longe, resta-nos sentar e assistir os próximos capítulos, com certeza será divertido.

Fontes: CNET e Reuters

emApple e Mac Mercado Mundo Estranho

iPhone 5 à venda na China, e nem é kibe!

Por em 22 de julho de 2012

iphone5

Normalmente kibadores chineses costumam ter a decência de copiar produtos existentes, gerando abominações como walkmans Fony, pilhas Durabell e carros da Fjord, mas agora acho que exageraram.

Não só se “inspiraram” um produto que não existe –o iPhone 5- como o usaram em algo completamente fora de propósito. Pessoalmente acho uma sacanagem, afinal o Android é que tem por tradição nomes de doces e outras baitolagens.

Pelo menos agora se um freetard soltar um “CHUPA APPLE!” macfags poderão responder como na piada: “chupo sim senhor”.

Fonte: WAN

emApple e Mac

Hasbro paga de Megatron e processa Hasbro Asus por usar o nome Transformer

Por em 22 de dezembro de 2011

Meganfox

imagem (quase) meramente apelativa.

Essa coisa de marca registrada é complicada, sempre tem um picareta querendo se dar bem, vida japonês que registra “açaí” ou brasileiro que registra AllStar e Copa 90, com direito a logo e bonequinho igual aos originais.

Nos Áureos Tempos da Reserva de Mercado de Informática a Unitron lançou um clone nacional do Apple II, chamando de Apple e com a logo da maçã mordida. A Microdigital tinha uma linha de softwares para seus computadores TK-85 cujo nome era… “Microsoft”. Sim, a logo era idêntica à original também.

Outros casos são mais complicados, há marcas bem genéricas. A Rede Globo vivia se engalfinhando com os… Biscoitos Globo, uma bolacha (eu adoro uma discórdia) de polvilho vendida nas praias do Rio desde os anos 1370 mais ou menos. Embora os advogados da Globo cerquem por todos os lados o uso prévio mantém os biscoitos no ar.

Quando os produtos são de áreas MUITO distintas em geral pratica-se o viver e deixar viver, mas em outros casos não dá. Vide a Hasbro, empresa de brinquedos japonesa responsável por boa parte de nossas infâncias. Entre outras são detentores dos direitos dos Transformers. um nome que por si só não é em nada único. “Transformador”, isso é genérico.

Problema é que são MUITO associados a tecnologia, então um notebook ou tablet chamado Transformer já ficaria estranho. MESMO ASSIM despertaria direito de dúvida.

Como a Asus obviamente quer ser a vilã da história, ou pretende passar como a empresa mais cara-de-pau da década, decidiram que Asus Transformer era pouco para um tablet, decidiram aumentar o volume da Máquina de Kibagem para 11 e lançaram o…

Asus Transformer Prime.

optimus_prime

Chamar de Asus Transformer, pq o tablet vem com teclado e vira um netbook é até legal, dá pra aceitar, mas chamar de Transformer Prime é forçar a amizade.

Ah sim, tem o pequeno detalhe de Transformers Prime ser uma série de animação licenciada pela Hasbro, lançada em Novembro. De 2010.

Se a moda pega logo teremos Facas Dexter, com o fabricante dizendo que não conhecia o personagem. Aliás, só não teremos porque as Facas Dexter, fabricadas pela Dexter-Russell existem desde 1818 e atendem por Dexter desde 1884.

Fonte: PC

emIndústria

Cala-de-pau master: China kiba um trem inteiro

Por em 27 de julho de 2011

tremkibado

No dia 24 de Julho um trem-bala que ligava Zhuhai a Guangzhou, na China, sofreu um acidente indesculpável. Uma perda de energia ocasionada por um raio, segundo as autoridades (eu acho que foi ráquer, ou labirintite) fez com que uma composição ficasse parada em uma ponte. O trem que vinha atrás não foi avisado, ou não teve tempo de parar e escacetou-se na traseira do outro, derrubando vários vagões de passageiros e matando pelo menos 39 pessoas.

Os fóruns locais estão apinhados de denúncias, as acusações de incompetência, corrupção e má-qualidade dos trens se acumulam.

Não são novidade. O CRH2 é (seria) um trem feito 100% com propriedade intelectual chinesa, orgulho nacional, bla bla bla. Da última vez que falaram isso foi em 2009, quando descobriu-se que o trem 100% chinês havia sido projetado pela Siemens alemã e a Alstom francesa, e que os chineses haviam violado os acordos e estavam exportando os veículos.

A bola da vez é a japonesa Kawasaki, que começou uma parceria com a China, para construção de trens, mas foi expulsa do país. A China disse que tinha know-how para projetar seus próprios trens, bons o suficientes para exportar até pro Japão.

continue lendo

emHardware