Google Glasses, revolucionário? Pffft.

Que me perdoe o Google, mas aquele brinquedo deles não chega aos pés dessa maravilha tecnológica. Enquanto o protótipo mostrado pelo Sergey mal e porcamente funciona em um olho, o HDVision é estéreo, 3D e com uma promessa que muitos diriam que é boa demais pra ser verdade, e muitos estariam certos: Transformar sua visão em… HD. Isso mesmo, o negócio promete aumentar a definição dos detalhes, melhorando contraste, cores e provavelmente até a frame rate e o antialiasing de seus olhos. Sério, na maior cara-dura dos “perigosos raios ofuscantes” do Sol. Criado provavelmente no final da Década de 1990, essa porcaria custava –na época- US$10,00 (o preço de 19,90 é no modelo compre 1 leve outro grátis). Não exatamente uma fortuna, mas muito mais do que esse Ambervision genérico vale. Agora, o momento mindfuck: Esse troço, com essa promessa absurda, ainda é vendido, no caso pela Amazon, a US$8,50. Esse é só um da enorme lista de produtos que se utilizam de jargão científico para passar credibilidade, focando, claro, em um público que não tem nenhum entendimento do que está ouvindo. Uma área onde isso perdeu completamente o controle são os cosméticos. Os laboratórios mostrados nos comerciais dão inveja aos de Star Trek. Buzzwords são usadas de forma indiscriminada. Xampus com clorofila, uma substância que não tem NENHUMA função biológica para mamíferos, prometem salvar o mundo das cáries. Algum tempo atrás um fabricante exaltava as vantagens de um xampu que continha DNA, quando ironicamente DNA no cabelo é uma das coisas que as mulheres mais reclamam. ~ Não satisfeitos Xampus começaram a anunciar produtos usando… Nanotecnologia. Isso mesmo, algo que ainda é ficção científica, pois a idéia de nanomáquinas é bem diferente de baterias e coberturas de teflon vendidas como Nano, muito menos um… xampu. Claro, ridículo mesmo é que o mercado de xampu é tão dinâmico, as consumidoras exigem tanto as mesmas porcarias embaladas de forma diferente com novas promessas, que nanotecnologia se tornou obsoleta. Tem um tal Keratinology by Seda se vendendo como PICOTECNOLOGIA, “1000x menor que a nano”. Outros termo usado para vender QUALQUER COISA é “quântico”. Existe Dieta Quântica, Massagem Quântica, Terapeuta Quântico, Tarô Quântico (PQP!) e mais uma penca de barbaridades. E não, essa heresia de deturpar nomes não é nem nova. Nos anos 70 a seita maluca que o Tim Maia seguia se chama… Cultura Racional. Então...

Continuar Lendo...
Star Wars: The Old Republic finalmente se tornará gratuito
jul31

Star Wars: The Old Republic finalmente se tornará gratuito

Goste você ou não de MMOs, provavelmente tem acompanhado a saga da Electronic Arts para não admitir que o Star Wars: The Old Republic precisaria se tornar gratuito para ter condições de competir num mercado extremamente difícil, mas a luta finalmente foi perdida. A editora anunciou hoje que durante o outono do hemisfério norte eles permitirão que qualquer pessoa tenha acesso às oito classes presentes no game, podendo evoluir até o nível 50, mas com algumas restrições, como um número limitado de personalizações para os personagens ou a quantidade de missões espaciais que poderão fazer durante a semana  e aqueles que quiserem ter acesso as novas funções que serão implementadas, terão a opção de comprá-las individualmente ou pagar uma mensalidade. Além disso, em agosto o jogo passará a ser vendido por US$ 15 e quem o adquirir desta maneira terá direito a jogar por um mês gratuitamente. De acordo com Matthew Bromberg, gerente da BioWare, o modelo onde os jogadores precisam pagar mensalmente acaba servindo como uma barreira para que novas pessoas entrem para o universo SWTOR, algo que pelo visto eles só foram perceber agora, e o produtor executivo Jeff Hickman declarou que a expectativa deles é não só oferecer novos conteúdos, mas conquistar novos jogadores e assim aumentar a população do game. Agora eu até poderia vir aqui e dizer que desde o seu lançamento eu estava apostando que isso não demoraria a acontecer, mas o The Old Republic se tornar um Free-to-Play era algo tão óbvio que até a Mãe Dináh seria capaz de prever e por isso não me orgulharei da minha capacidade de antever o futuro. Mas e agora, o que você acha da novidade? Já que não precisaremos pagar nada, dará uma chance ao MMO? [via VG247, com dica do...

Continuar Lendo...
“Steam no Linux é antiético”–Adivinhem qual mala soltou essa…
jul31

“Steam no Linux é antiético”–Adivinhem qual mala soltou essa…

Isso mesmo. Richard Stallman, santo-padroeiro do software livre, defensor dos fracos e oprimidos que não querem ser defendidos da opressão que sofrem por parte de seus iPads, XBoxes e PS3s. Enquanto todo mundo comemorava o anúncio de que a Valve estava desenvolvendo uma versão do Steam para Linux, enquanto todo mundo elogiava a notícia de que o Left 4 Dead 2 seria o primeiro jogo portado para a plataforma, ninguém imaginava que algum ectoplasma suíno (© BruxaOD) acharia isso ruim. Pois bem: Stallman não só acha ruim, como explica que ao rodar um jogo do Steam você está abrindo mão de sua liberdade (♫de pé, ó vítimas da fome…♫), mesmo estando em um ambiente Linux, pois o Steam utiliza DRM – Digital Rights Management, para controlar o acesso aos jogos. Não importa para o Stallman que a gente compre jogos no Steam com uma facilidade nunca vista, não importa que milhares de desenvolvedores pequenos tenham sua grande chance ali, não importa que o DRM do Steam seja feito da forma mais correta possível, protegendo os interesses de quem desenvolve, quem vende e quem joga, sem ser chato, intrusivo ou –sendo realista- sequer aparecendo.   Para Stallman o que vale é uma tal liberdade idealizada, na qual teríamos computadores livres, puros, imaculados e sem bosta nenhuma pra rodar neles, claro. E vai mais longe: “Qualquer distro GNU/Linux que vier com software para oferecer esses jogos está ensinando aos usuários que o ponto não é a liberdade” SIIIIIMMM Seu hidrofóbico anacrônico, LIBERDADE é algo que se conquista na Praça Tahir, em Damasco, não um conceito abstrato de burgueses gordos entediados de mimimi pois a Microsoft não colocou player de DVD nativo no Windows (coisa que você resolve em 5s de download). O ponto não é liberdade, o ponto é OPÇÃO, É existir sempre alternativa. Isso regula o mercado. E por falar em alternativa, laro que ele oferece alternativa, no melhor estilo Autocad->FreeCad e Photoshop->Gimp. Stallman sugere que você baixe jogos do FreeGameDev, um fórum com pérolas do quilate de “SuperTux” e “SuperTuxKart”, ou então busque sua diversão na Liberated Pixel Cup, que tem coisas assim: Desculpe, Stallman, mas por mais que eu tenha boas lembranças dos jogos de 1983, eu prefiro que meus games hoje sejam assim: E sou tão inimigo da liberdade que quero que todo mundo do Linux, do Mac, do PS3 e do Amiga tenha acesso a esse tipo de jogo. Dizer “chupa Linux” detonando o cara no Modern Warfare é muito mais digno do que zoar sem o sujeito ter como reagir, pois um xiita barbudo quer manter a plataforma presa aos anos 70. Fonte:...

Continuar Lendo...
Remake do MDK 2 chega ao Steam
jul31

Remake do MDK 2 chega ao Steam

Entre as muitas alegrias que o Dreamcast me deu, estava o MDK 2, título desenvolvido pela BioWare e que além de uma jogabilidade refinada, trazia gráficos belíssimos e um humor poucas vezes visto em jogos eletrônicos. A série nascida nos computadores infelizmente acabou sendo esquecida com o passar dos anos, mas em 2011 a Beamdog decidiu resgatá-la, nascia então uma versão remasterizada do segundo game. Trazendo grandes melhorias tanto nos gráficos quanto na trilha sonora, parecia que o MDK 2 HD faria um razoável sucesso, mas pouco se falou nele e um dos motivos para isso ter acontecido provavelmente deve-se ao fato de que a única maneira de adquirir o jogo seria através da loja virtual da Beamdog, o que felizmente agora faz parte do passado. Se você quiser ter acesso a este belo jogo, agora é possível adquirí-lo pelo Steam pagando US$ 14,99 e se já possui a versão original no serviço de distribuição digital, terá direito a um desconto de 20%. A lamentar apenas a ausência de algumas funções do Steam, como armazenamento dos saves na nuvem ou suporte a troféus. Isso me fez pensar que o jogo acabou abrindo as portas para que o Baldur’s Gate: Enhanced Edition também seja vendido pelo Steam e se antes eu estava na dúvida se compraria ele, agora tenho certeza que valerá a pena esperar um pouco para ver se a Beamdog coloca o remake do RPG na loja da...

Continuar Lendo...
Momento triste: Nokia fecha fábrica e monta último celular no Japão, digo, Finlândia.
jul31

Momento triste: Nokia fecha fábrica e monta último celular no Japão, digo, Finlândia.

Existem poucas empresas que geraram uma legião de fãs como a Nokia. Eles não se apoiam em um líder carismático, nem em um produto único popular e revolucionário. Nunca foram grandes mestres em relação com o consumidor, os Nokias simplesmente apareciam, mas em verdade, simplesmente funcionavam, no sentido Apple da coisa. Na época em que smartphones ainda eram sonho distante de consumo, e quem lançava celular cheio de frescura colocava no mercado produtos buguentos, a linha da Nokia era simples, funcional, chiquitita pero cumplidora. Seus passos rumo à smartphonização dos celulares, mesmo quando questionáveis, como o N-Gage, eram sólidos. Apesar do design esquisito era um Symbian decente e correto. Até o E71 a Nokia brigou muito bem, mas se perdeu com o iPhone, seu sistema operacional, na verdade sua mentalidade corporativa não eram apropriados para o Futuro Touch. O Android, que originalmente era basicamente um Nokia, em conceito, conseguiu se adaptar ao modelo iPhone muito mais rápido, coisa que a lentidão típica das corporações não deixou a Nokia fazer. Agora, com o Plano B do Windows Phone indo devagar, com o Symbian morto-vivo, ações despencando e vendas risíveis, a Nokia está cortando tudo que pode. Querem chegar ao final de 2013 com 1,6 Bilhões de Euros limados da categoria despesas. Isso significa migrar as fábricas finlandesas para a Ásia. Quase todas já foram, a última, na cidade de Salo produziu quarta-feira passada seu último celular. Agora é desligar a linha de montagem, botar as tralhas na porta e fazer um saldão. Não que muita gente vá comprar. Dos 55 mil habitantes da cidade, 780 famílias trabalhavam na fábrica. Ver a derrocada da Nokia está sendo muito mais triste do que a HTC, que todo mundo está se lixando, ou a Palm, cuja própria arrogância foi a causa da morte. Esperemos que não seja o final, mas que a empresa dê a volta por cima, recupere o market share e venda como água. É possível, vide a Apple. Fonte:...

Continuar Lendo...
Empresa francesa espertona tenta registrar logo do Anonymous
jul31

Empresa francesa espertona tenta registrar logo do Anonymous

Existem alguns nomes na Internet que não devem ser tocados, muito menos citados. Que o diga o 4Chan, quando tentou atacar a autora de Crepúsculo. Na prática qualquer coisa coletiva dá aporrinhação, vide a quantidade de ameaças de morte feitas a qualquer um que não despeje elogios ao Luan Santana. Eu mesmo já fui (não riam). (ok,riam) ameaçado de processo por uma fã indignada de… Bob esponja. Fora essas ameaças de teentardados, há os casos legítimos, e algumas vezes a tuba enfurecida TEM razão. Por exemplo o Anonymous, que para o bem ou para o mal é uma força a ser reconhecida. Acho válido você ser contra, a favor ou não estar nem aí, mas o que a Early Flicker, uma empresa francesa fez, é, repito, pura canalhice. Entraram com um pedido de registro de marca no INPI francês, que curiosamente também se chama INPI. Querem registrar a logo E o slogan do Anonymous. Assim, na cara dura, cobrindo roupas, bolsas, acessórios e utilitários de cozinha. TUDO BEM vender camisetas com a logo, todo mundo faz isso, e a própria estrutura de células não-conectadas impede que haja uma loja oficial, e convenhamos a gurizada precisa comprar suas camisetas em algum lugar. Já querer tomar posse da marca, notoriamente não criada pela loja, é de uma canalhice sem tamanho. Anonymous com certeza cairá matando, com toda a fúria irreverente do grupo, tornando essa uma derrota francesa mais previsível que a média. A grande ironia é que farão isso usando máscaras de Guy Fawkes, popularizadas pela brilhante graphic novel V de Vingança, de Alan Moore, devidamente licenciadas e vendidas pela Time-Warner, uma das corporações que eles dizem...

Continuar Lendo...
Criador fala sobre sequência do Dragon’s Dogma
jul31

Criador fala sobre sequência do Dragon’s Dogma

A Capcom parece ter encontrado mesmo outra franquia de sucesso. Durante a divulgação de um relatório financeiro referente ao segundo trimestre deste ano, a companhia revelou que o Dragon’s Dogma ultrapassou a marca de um milhão de cópias vendidas e já podemos esperar que uma continuação surja nos próximos anos. Na verdade o criador do game, Hideaki Itsuno, já falou sobre o que espera para uma sequência, já que o mundo presente no primeiro game continha apenas 2/3 do que ele tinha em mente. Além disso, o game designer afirmou que só pôde aproveitar algo entre 60 e 70% das ideias que tinha em mente e uma das coisas que ele mais gostaria de ter implementado era a possibilidade de criarmos missões, algo que se bem feito provavelmente seria muito elogiado e aumentaria consideravelmente a vida útil do título. Quem me conhece sabe que não sou muito de comprar lançamentos, mas o Dragon’s Dogma foi um jogo que me segurei para não adquirí-lo. Após jogar a sua demo, gostei bastante do que vi e embora as análises não sejam unanimes ao apontá-lo com um grande jogo, seu estilo me agrada e não tenho dúvidas de que assim que tiver oportunidade ele entrará para minha coleção. Só é uma pena que não tenha saído uma versão para PC. [via Official Playstation...

Continuar Lendo...
Laserscan–é alarme falso, mas uma marmotagem que pode até funcionar.
jul31

Laserscan–é alarme falso, mas uma marmotagem que pode até funcionar.

Muitos (muitos!) anos atrás eu ia em encontros do Serra BBS no Shopping Vilarejo em Itaipava, RJ. Jororô, o Sysop, tinha uma lojinha, mas sofria com cheques sem fundo. Um dia resolveu pegar uma fonte de alimentação externa, um drive velho de Apple II, uma câmera fotográfica descartável, e tempo. Colou a lente da câmera descartável na frente do drive, um tijolão brando com a frente preta. Ligou o LED do drive direto na fonte, pendurou o conjunto na parede e colou um cartaz “sorria, você está sendo filmado”.  Os cheques sem fundo pararam como mágica. Como Bruce gosta de dizer, criminosos são covardes, é preciso instigar medo, terror. É verdade, e o LaserScan se baseia nisso.   Alarmes são legais, mas muitas vezes os ladrões entram, fazem a limpa e se mandam, enquanto a empresa de segurança ainda está ligando pro dono da loja, ou decidindo se chama a polícia ou é alerta falso. O que o LaserScan faz é AVISAR que tem alarme na loja, aproveitando décadas de “conhecimento” ganho assistindo filmes de Hollywood. Ao invés de ser mais um sistema de alarme, ele SIMULA um alarme sofisticado, daqueles que para desativar a gente precisa do Tom Cruise descendo do teto (que lugar estranho pra colocar um armário) ou da bunda da Catherine Zeta-Jones. O negócio é ridículo, pra quem tem um mínimo de noção: Lasers visíveis varrendo o ambiente, bips e leds piscando e um painel para que o ladrão, durante o dia veja que o negócio tem localizador, sensor de queda de energia e até link de satélite! Puerra nenhuma, é só uma caixa com LEDs e Lasers de US$1,00 no DealExtreme. Veja o vídeo: Em lojas de segurança vendem câmeras falsas, como a que o Jororô improvisou tantos anos atrás, mas nunca vi nada tão “sofisticado”. Por um tempo esse brinquedo com certeza funcionaria para desestimular ladrões oportunistas. Infelizmente os ladrões no caso são outros. Ao pedir US$295,00 pelo produto, os fabricantes mostram que também estão atrás de dinheiro fácil. Fonte:...

Continuar Lendo...
De forma discreta, Baidu chega ao Brasil
jul31

De forma discreta, Baidu chega ao Brasil

Talvez você não conheça o nome Baidu, mas basta dizer que a empresa é conhecida como o “Google chinês” para sabermos que se trata uma gigante, e ao sabermos que nos últimos dias eles fincaram seus pés no Brasil, chama a tenção o fato de o movimento ter sido feito de forma bastante discreta – talvez até demais. Na verdade rumores de que eles estavam de olho no emergente mercado brasileiro começaram a circular em fevereiro passado, quando a companhia fundada em 2000 estava estudando a abertura de um escritório na cidade de São Paulo, mas só agora o primeiro serviço deles começa a funcionar por aqui e se trata do Hao123. Funcionando como um diretório de links, nele encontramos uma série de sites que podem ser úteis e mostrados de acordo com a região em que estamos e a sua disponibilização provavelmente servirá para que a empresa sinta o terreno e trabalhe na localização de outros serviços. Um detalhe curioso é que como o sistema de busca da Baidu ainda não está funcionando em português, a caixa de pesquisa encontrada no topo do site utiliza o Google para realizar as buscas, algo que precisa ser “corrigido” o quanto antes caso queiram alcançar por aqui números semelhantes ao visto na China, onde são responsáveis por 80% do tráfego de buscas da internet. Mas cá entre nós, eu já ficaria bastante surpreso se eles atingissem um décimo disso  no Brasil. [via The Next...

Continuar Lendo...
Square declara apoio ao Ouya
jul31

Square declara apoio ao Ouya

Depois de termos visto tantos consoles promissores fracassarem miseravelmente, acho que é bastante natural termos uma certa dúvida em relação ao Ouya, mas se os quase seis milhões de dólares arrecadados pelo Kickstarter só servem para mostrar que os gamers querem alguma novidade, aos poucos a iniciativa vem ganhando apoio de outras empresas. Depois de a Robotoki ter anunciado o desenvolvimento de um jogo exclusivo para o novo videogame, chegou a vez da poderosa Square Enix anunciar que lançará o Final Fantasy III para o Ouya, aquele mesmo que pode ser adquirido pelo Google Play ao custo de apenas um rim. O game deverá ser disponibilizado em março do ano que vem, junto com a chegada do aparelho e em uma versão otimizada, com direito a demo, no entanto, o mais importante foi a revelação de que a desenvolvedora pretende levar outros títulos para a plataforma. Acredito que este não seja um jogo que fará alguém comprar o videogame por causa dele, mesmo porque se trata de algo disponível numa infinidade de aparelhos, porém, o anúncio mostra que o Ouya conseguiu chamar a atenção dos grandes estúdios, ou melhor, os grandes estúdios estão percebendo o interesse das pessoas nele e acredito que não demorará até que outras companhias sigam os passos da Square. É importante dizer ainda que nos últimos dias o Ouya fechou uma parceria com o OnLive para a utilização do serviço de streaming de games, então, a falta de jogos hardcore não será um problema, pelo menos não para quem mora em um país atendido por eles. [via Square...

Continuar Lendo...
Página 1 de 2112345Última »