Meio Bit » Arquivo » Miscelâneas » Passaporte? Boa Sorte! Ainda vivemos no século XIX

Passaporte? Boa Sorte! Ainda vivemos no século XIX

15 anos atrás

Depois de 30 dias de espera, consegui finalmente retirar meu passaporte. Justamente no dia em que a Polícia Federal entra novamente em greve, congelando a entrada de documentos. No website, eles dizem 6 dias úteis, mas isso é apenas uma piada de mau gosto.

Dica: leve uma cadeira de praia, água, café, biscoitos e sanduíches. Leve revistas e uma lanterna, para ler à noite ou um mp3 player. No Rio, você irá dormir do lado de fora, na rua, então, leve guarda-chuva e um agasalho.

A emissão de um documento como esse mostra claramente a face do Brasil. Ao mesmo tempo que estamos investindo em programas como o One Laptop Per Child (OLAP), declaramos imposto de renda via internet e temos um dos sistemas bancários mais informatizados do mundo, ainda demora maisd e 1 mês para conseguir uma mísera carteira de identidade e o mesmo para um passaporte.

O interessante é que, por causa da informatização dos bancos, pagar ao governo é super rápido e fácil. Ter o retorno na qualidade dos serviços é outra estória. Os R$ 90,00 pagos de taxa administrativa lhe dão o direito de pedir o documento, mas não qualidade e muito menos velocidade.

O prédio da Superintendência da Polícia Federal, no Rio de Janeiro, chama a atenção por ser um retrato de 40 anos atrás: armários arquivo, cadeiras desconfortáveis, sujo, no máximo 180 atendimentos por dia, filas desde a madrugada e atendimento lento, muito lento. Se você chega tarde, umas 5 da manhã, conseguirá ser atendido 2 da tarde ou nem mesmo isso.

E não há computadores, em lugar algum. A informatização passa longe, em uma galáxia distante. O protocolo é uma folha impressa cortada com a mão e escrito o seu nome/sobrenome e uma data do mês seguinte.

Estou dizendo, como cidadão, que isso é um absurdo, uma vergonha. É incompetência somada a falta de investimento. E a culpa não é dos policiais federais. Fiquei desanimado ao constatar que as condições de trabalho não mudaram nada desde o meu último passaporte, 10 anos atrás: carimbos, armários-arquivo verdes, em salas caindo aos pedaços, com cadeiras decrépitas, sem material de escritório. Pergunto: isso é o retrato de um país globalizado.

E aos cínicos, não é viagem para Disney que estou falando, mas consultoria, exportação de serviços e software. Ou será que somos bons demais para os dólares e euros que entram no país? Estimular negócios e exportação não é apenas financiamento no BNDES, mas essa miopia de governo após governo é simplesmente incompreensível. Eles dizem que querem um Brasil moderno, exportador, globalizado e conectado. Aí descemos das nuvens e encontramos serviços de qualidade péssima, uma verdadeira merda mesmo.

Sim, só um palavrão para expressar tanta frustração. E quem sabe, em 5 anos, as coisas não tenham mudado?

relacionados


Comentários