Uma pequena lembrança do peso sobre nossas cabeças

Em uma cena clássica de Futurama a nave Expresso Planeta é arrastada para o fundo do mar. Fry, preocupado pergunta ao Professor Farnsworth quantas atmosferas de pressão ela foi projetada para suportar.

O Professor responde: “Bem, como é uma nave espacial, entre 0 e 1”.

Pode parecer pouco, mas UMA atmosfera é coisa pra caramba. Nós não sentimos, afinal nascemos e evoluímos nesse ambiente. Nosso corpo está em equilíbrio hidrostático com o resto da atmosfera, então a pressão interna é igual à pressão externa. Se não fosse, saberíamos da pior maneira. Na média a pressão exercida sobre uma área de 1 metro quadrado, ao nível do mar é de 10.300Kg. Uma mesa não é esmagada pois embaixo dela (na verdade em toda volta) também tem 10.300Kg contrabalançando o peso de cima.

Mas… e quando não há essa contra-força?

Carros-tanque e vagões industriais têm válvulas anti-vácuo justamente para evitar essas situações, mas algumas raras vezes ou elas falham ou são desligadas para fins de demonstração. Veja aqui um vagão-tanque esvaziado de todo o ar. Temos apenas a estrutura de aço resistindo a uma pressão de mais de 10 toneladas por metro quadrado:

Essa é a pressão de UMA atmosfera. Agora imagine que a cúpula de quartzo do submarino do post anterior resiste a MIL VEZES ISSO.

Nada mal em termos de tecnologia.

Relacionados: ,

Autor: Carlos Cardoso

Entusiasta de tecnologia, tiete de Sagan e Clarke, micreiro, hobbysta de eletrônica pré-pic, analista de sistemas e contínuo high-tech. Cardoso escreve sobre informática desde antes da Internet, tendo publicado mais de 10 livros cobrindo de PDAs e Flash até Linux. Divide seu tempo entre escrever para o MeioBIt e promover seus últimos best-sellers O Buraco da Beatriz, Calcinhas no Espaço e Do Tempo Em Que A Pipa do Vovô Subia.

Compartilhar