Home » Demais assuntos » Honeycomb será o último OS para tablets

Honeycomb será o último OS para tablets

8 anos atrás

IcsA Google tem revelado aos poucos quais serão seus próximos passos em relação ao Android.

O Ice Cream Sandwich é esperado já para o próximo mês e só não sai agora porque, segundo fontes, a empresa está agindo com uma cautela bastante bem-vinda.

As últimas notas dizem que neste momento a maior preocupação está em orientar os desenvolvedores sobre o que deve ser feito para que seus apps rodem sem problemas após a unificação de ambos conceito e plataforma do Android.

O plano é tornar o ICS o único Android a ser desenvolvido daqui para frente, rodando tanto em smartphones quanto tablets. A unificação dos dois projetos é algo bastante esperado por seus usuários e a empresa deverá ser a primeira a oferecer um único OS para ambos os portáteis.

Isso pode trazer um certo alento para alguns pequenos grandes problemas que o Android tem enfrentado nos últimos tempos, em especial questões relacionadas à segurança e justos questionamentos a respeito do pouco critério no escopo geral do desenvolvimento de aplicativos.

O foco principal do ICS é a integração das versões de sistema operacional, embora muitos blogs especializados aleguem que a Google também procurará resolver na medida do possível essas outras questões.

Scott Main, editor sênior do Android Developers Blog da Google alerta para os desenvolvedores que "Se você criou um aplicativo para tablets para o Honeycomb, é importante agora que o seu app faça uma de duas coisas: impeça a instalação em aparelhos com telas menores ou (preferivelmente) dê suporte à telas menores com o mesmo APK".

A partir do próximo mês ou pouco depois, qualquer aparelho capaz de ter suas últimas versões atualizadas passará a rodar o mesmo sistema operacional. Espera-se que os fabricantes e suas versões customizadas ajam rápido e coloquem à disposição novos lançamentos e seus respetivos upgrades, fazendo a sua parte na cena de estabilização do Android.

Já updates para aparelhos atuais, é sempre um mistério. A Motorola era a pior delas, com uma fama notória por tratar seus clientes como lixo (Hello Dext?), enquanto outras seguiam a rima com updates pobres ou inexistentes, como a LG. Mas agora, nas mãos da própria Google, isso será algo a ser observado. A Sony Ericsson até que cuidava bem da maioria da sua linha e deixa muito pouca gente órfã de atualizações.

Um ponto que acho positivo é o facto do Android já ser pensando e desenvolvido na própria Google com uma maior compatibilidade de hardware. Isso torna o trabalho dos fabricantes mais fácil, não tendo que repensar toda uma complexa trama de escolhas de hardware e matéria-prima para lançar um novo aparelho. Costumeiramente, novos dispositivos rodando Android são adicionados de potência e design, mas isso não necessariamente inclui uma escolha especificamente voltada para a compatibilidade.

Enquanto que a Apple precisa de meses (as vezes anos) e de muito hype e segredo para manter a atenção do mercado em seu ciclo bem mais lento de lançamentos, dezenas de Androids das mais variadas marcas pipocam à todo instante por aí. É óbvio que é uma matriz delicada, que imprime discussões na relação quantidade x qualidade. Mas isso é para ser decidido no típico confronto enfre os fanboys. Para o mercado e seus principais atores, no caso do Android mais especificamente, a regra é a estratégia e o marketing primeiro, a defesa depois.

O que já levou alguns fabricantes mais apressadinhos a se adiantarem, tentando empurrar que seus próximos lançamentos já estão prontos para o ICS. É o caso da LG com o LU6200, mas a informação mais concreta é de que o momento agora está voltado para os desenvolvedores de apps primeiro, fabricantes logo em seguida.

Ao menos podemos entender que isso - bem livre e despretensiosamente - possa ser sinal de que a seara de obstáculos relacionados à aplicativos (o grande ouro de qualquer sistema operacional para portáteis) - está sendo tratada com uma prioridade maior pela Google.

Há também um zumzumzum pela rede em que muitos fabricantes alegam estar cheios de novos modelos à espera no novo OS para serem lançados. O que nos parece ser um movimento bastante óbvio, embora bastante hypado, e que no final do dia é de fato a santa trindade para boom nas vendas: 1) update de OS, 2) novas linhas e aparelhos e o bom e velho 3) hype de antecipação.

Fonte: TechRadar

relacionados


Comentários