Análise do roteador wireless Netgear DG834G

Um amigo precisava compartilhar sua internet ADSL com dois micros em casa, mas estava naquele velho dilema: passar cabos e ter mais velocidade ou comprar placas “wireless” e desfrutar das facilidades de uma vida desprovida de ligações físicas?

A preguiça, digo, comodidade falou mais alto e ele comprou um Netgear DG834G ( R$320,00 no ML ). É um equipamento muito bonito ( as fotos não fazem jus ao design ), compacto, que se liga diretamente à rede ADSL, sem necessitar de um modem externo. Tem quatro portas Ethernet 10/100 e uma antena WiFi, chegando a 54Mb/s.


Minha primeira preocupação era com a troca de arquivos pela rede WiFi. Todos os roteadores “wireless” que passaram pelo escritório e tinham apenas uma antena, foram extremamente ineficientes nesse caso. Mas vamos por partes…

A ligação foi extremamente simples, bastando conectar a rede telefônica e a fonte externa ( um pequeno “eliminador de baterias” ).

O servidor dhcp é habilitado por “default” e logo meu micro já havia conseguido seu endereço. Apontando o navegador para o endereço do “gateway default”, surgiu o pedido de usuário e senha ( por padrão: “admin” e “password” ).

A interface é limpa e auto-explicativa, apesar de não estar traduzida para o português. No canto direito, ainda há uma ajuda, destacada em azul. Tudo muito simples e funcional.

O primeiro ítem do menu, do lado esquerdo superior, é um “wizard” que faz o trabalho inicial de configuração. Em menos de cinco minutos, tudo estava no ar.

O roteador tem funções básicas de “firewall” e VPN, mais que suficientes para o uso doméstico.

Não é possível controlar a potência do transmissor, mas numa casa de quatro quartos, com paredes grossas, foi possível ter um sinal de nível acima da média em todos os cômodos.

Durante os testes, arquivos baixados por FTP ou HTTP vieram sem problemas, na velocidade máxima do link ADSL. No entanto, arquivos Bittorrent e Emule, vieram a velocidades bem abaixo das conseguidas com o Linksys WRT54G. Mas em momento algum o Emule travou o roteador, coisa que costuma acontecer com a minha versão de linux instalada no Linksys.

O tráfego de grandes arquivos entre micros da rede interna ( wireless ) era uma preocupação, como citei inicialmente. E o teste comprovou isso: a maior taxa de transferência foi de 1Mbps, mesmo com o roteador configurado para o modo G ( 54MBps ).

Certamente, não é um equipamento destinado a escritórios ou pequenas empresas, mas com a crescente onda de “home offices”, é um ponto importante a considerar.

Outro teste onde o DG834G decepcionou, foi no de jogos “on line”. Foi impossível terminar uma partida de Gunbound. O aviso de “time out” era comum e, claro, irritante.

É uma boa opção de compra para o usuário doméstico que tem poucas máquinas e quer apenas compartilhar o acesso a sites e downloads.

Seguindo nosso SCP ( Sistema Cardoso de Pontuação ):

Facilidade de Instalação: 9/10
Funcionalidade: 7/10
Documentação: 7/10
Design: 8/10
Performance: 5/10
Média: 7,2

Autor: Marcellus Pereira

Compartilhar