Home » Meio Bit » Internet » Windows 8–Primeiros testes

Windows 8–Primeiros testes

7 anos atrás

screenshot-13

Quem é micreiro das antigas ainda enxerga virtualização com um pé atrás. Não que não seja uma excelente solução, mas não tem o mesmo feeling de rodar um programa numa máquina de verdade. Por isso pensei em fazer testes com o Windows 8 em um HD de reserva, mas durante a apresentação na BUILD semana passada, algo chamou minha atenção: Um netbook de 3 anos atrás rodando (segundo a Microsoft) o Windows 8.

Tenho aqui numa gaveta um netbook, abandonado depois da chegada do iPad. É um Asus eee-PC 1000HA, com Windows 7, 2GB de RAM e 160GB de HD, com processador Atom N270 de 1.6GHz.

Nem de longe um PC poderoso, será que roda o Windows 8? Estamos falando de um computador que foi lançado em Outubro de 2008, praticamente três anos atrás e já nasceu com baixa performance, sendo otimizado para rodar o Windows XP, um sistema operacional lançado em 2001.

Acompanhe passo a passo a saga e descubra se a Microsoft mentiu para todo mundo.

 

 

Parte 1 – Preparando o Windows e o PC

O EeePC estava configurado com o Windows 7. Rodando pesado, mas a preguiça de colocar o XP de volta ou montar um hackintosh falou mais alto. Felizmente eu tinha um HD de notebook dando mole e é trivial trocar o disco do Asus. Quatro parafusos e pronto:

SAM_0003

Removido com cuidado o HD principal, espetado o reserva, agora vamos baixar a imagem ISO do Windows 8, do site oficial da Microsoft. Há três discos disponíveis, mas nos interessa a versão enxuta, de 32 bits e só 2,8GB de tamanho.

Com o arquivo no PC, temos duas opções: Gravar um DVD, usar um leitor externo e instalar a partir dele, ou criar um pendrive bootável. Em honra ao espírito hacker, vamos à segunda opção.

Aqui ocorre uma inversão de valores que mostra que 2012 está chegando: As instruções antigas não funcionam mais no Windows 7, é preciso usar uma série de linhas de comandos esquisitos para fazer um pendrive ou cartão de memória bootáveis.

A salvação veio através do Linux, mais especificamente do Universal USB Installer, um programa que pega um arquivo .ISO, faz umas mandingas e cria um disco bootável.

linuxusb

Cartão MicroSD de 8GB com o disco de instalação pronto, boot apontado para dispositivo externo na BIOS, é hora da verdade:

DSC05903

Boot normal, em seguida… SUCESSO!

DSC05913

Mais alguns cliques aceitando os termos de uso (sem ler, CLARO) e chegamos na tela de configuração. Aqui foi só escolher o HD…

DSC05918

A instalação é toda automática. Após algum tempo, um boot e começa a configuração:

DSC05923

DSC05924

DSC05929

O login, já que forneci uma conta Live, é remoto. É possível, claro fazer o login local, mas é interessante ver que a Nuvem é aposta tão alta que a Microsoft acha viável um computador PRECISAR estar conectado para ser acessado.

Parte 2 – Funciona! (mais ou menos)

Well, depois dessa rápida configuração, eis ele, o Metro:

DSC05936

Mas… algo está errado. Está tudo muito grande. Vamos ao painel de configuração ver o quê está errado:

DSC05937

O Windows 8 não identificou a placa de vídeo. Foi a única peça de hardware que ficou de fora. Tenho uma teoria, mas falaremos dela depois. Agora é hora de verificar se a tradição da Microsoft de aceitar os drivers da versão anterior do Windows ainda se mantém.

Um pulo no site da Asus e achei o driver Windows 7 da placa de vídeo do 1000HA, uma Intel 945 Express. Boa bosta, mesmo pra netbooks.

Instalado o driver (sim, funcionou) um boot de segurança e Eis o Windows 8 em toda sua glória:

DSC05947

Tudo funcionando uma vírgula. A maioria das aplicações Metro não abre, não faz nada. Como assim, Bial? Os programas tradicionais funcionam normalmente, a resolução de 800x600 agora está em 1024x600, o máximo suportado pelo 1000HA.

Máximo esse que é abaixo do mínimo exigido pelo Metro. Em tempos de Retina Display a Microsoft percebeu que uma das queixas dos netbooks era o aperto, a muvuca que a Interface se tornava, quando tentavam apertar um monte de janelas em uma tela menor que 1024x768, mesmo que um iPad.

Será então que meu Asus rodaria Windows 8 mas não o Metro? Vamos ao Google!

Há um macete: Vamos hackear o registro, com o bom e velho regedit.

Procurando a chave "Display1_DownScalingSupported" é só alterar o valor de  "0" para "1". Isso faz com que resoluções acima da máxima suportada pelo display sejam liberadas. O driver espreme, aperta, ensardinha a imagem, mas funcionam. Outro boot, e AGORA SIM!

Parte 3 – As Aplicações

Screenshot-9

Screenshot-10

Screenshot-8

Screenshot-5

O Metro é MUITO elegante, apostando em um novo paradigma: Acredita que as pessoas preferem aplicações mais simples para tarefas singelas, ao invés de um mega-aplicativo monolítico com milhões de funções. Isso não funciona em todas as situações, claro, mas como podemos utilizar programas tradicionais, temos o melhor de dois mundos.

Parte 4 – Performance

A Microsoft disse que o Windows 8, mesmo em sua versão não-otimizada, preview, ocupa bem menos que o Windows 7 em termos de memória e CPU. Vejamos como o sistema está se comportando, depois de recém-instalado:

Screenshot-4

562MB de RAM, 7% de CPU. Impressionante, é a pura verdade.

Nota: Há um grupo de fica de mimimi “depois de instalar antivirus não vai ficar com tanto livre”. Eu posso não ser bom em matemática, mas eu ACHO que se um sistema sem antivirus ocupa 30% a menos de memória do que outro, mesmo com o antivirus ainda teremos um ganho, não?

Mesmo com um chipset de vídeo que é uma piada, memória DDR2 velha e um processador melhor pensado para uma torradeira, o Windows 8 ficou muito, muito ágil. Meu maior problema foi com o mouse, que não foi projetado para a agilidade de uma interface de toque. Muito provavelmente ficaria perfeito com um Logitech Wireless Touchpad, mas mesmo usando o Mobile Mouse, app de iPad que simula um trackpad, já há uma diferença.

Veja a resposta do sistema:

Lembre-se, isso é um netbook que sequer consegue tocar um filme em HD 720p em tela cheia, mas faz scroll e troca de aplicativos melhor que muito tablet Android. Isso com um Windows inteiro rodando pelas costas.

Como estava a memória durante esses testes do vídeo? Quem bom que perguntou:

Screenshot-11

Com 6 aplicações rodando, mais o programa de screenshots, mais o Paint, 1,1GB de RAM, 40% de CPU.

Isso não quer dizer que o Windows 8 faça maravilhas ou mesmo DEVA ser executado em netbooks. Lembre-se, o equipamento aqui SEQUER tem a resolução mínima exigida para o Windows 8 funcionar, e 2GB de RAM em 2011 é uma piada. 4GB custam R$44,00. Qualquer sistema decente hoje deve ser 64Bits e ter 8GB de RAM, o que custaria a fortuna de R$88,00. Não há razão para manter um parque legado sem expansão, dados os custos baixíssimos e o ganho absurdo que se consegue com mais RAM.

Mesmo assim o Windows 8 tem tudo para ser o anti-Vista, fazendo bonito e não exigindo equipamentos top.

Ah sim: A Microsoft falou das maravilhas do boot do Windows 8. Como será que ele se comporta? Testemos, começando a contar na hora em que o POST termina. e parando quando ele pede o login:

20 segundos. Nada mau, considerando que o Windows 7 leva mais de um minuto.

Parte 4 – Conclusão

O grande desafio da Microsoft será convencer os usuários a conviver com duas interfaces. Acho provável que acabemos usando a tradicional quando em ambiente desktop e a Metro quando em ambiente tablet, ou então que assimilemos o conceito de aplicações simples versus complexas.

Como a versão distribuída do Windows 8 ainda é muito preliminar seria injusto falar de bugs, mas há alguns conceitos que precisam ser lapidados. A troca de aplicativos para a versão desktop é confusa, o menu iniciar tradicional está escondido demais, e a busca continua muito inferior ao Spotlight do Mac.

A Microsoft criou um sistema operacional para uma categoria de máquinas que ainda não existe, mas que funciona da forma tradicional, com excelente performance nas máquinas que todo mundo tem. Até o lançamento em algum ponto de 2012 muita coisa pode mudar, mas por enquanto todos os lados estão cobertos, se o Metro for um fracasso total e a Microsoft não ganhar uma fração do mercaod de tablets, não importa, o de desktops continua garantido.

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários