Mozilla anuncia Boot to Gecko, novo sistema operacional móvel baseado em web apps

Montagem de um iPad com o logo do Firefox.

Boot to Gecko: OS móvel da Mozilla.

Depois de Apple, Google e Microsoft, agora é a vez da Mozilla apostar em smartphones e tablets. Se a Opera vier com algo parecido, podemos dizer que o futuro dos navegadores passa pelos dispositivos móveis.

A dona do Firefox anunciou que está preparando um sistema operacional móvel, batizado de Boot to Gecko, ou simplesmente B2G — o que me remete a siglas corporativas como B2B, B2C, coisas que, de verdade, tenho sérias dúvidas quanto ao apelo comercial junto aos potenciais consumidores.

Pensado para smartphones e tablets, o B2G tem uma dura missão pela frente: permitir a criação de aplicativos tão bons quanto os nativos, mas que rodem na web. Deixando de lado as diferenças, é como se fosse uma versão para telas sensíveis a toques do Chrome OS, da Google.

Para tanto, Andreas Gal, da Mozilla, disse, no anúncio do sistema, que a fundação pretende criar uma série de APIs open source que permita interagir com os diversos recursos dos celulares modernos, desde coisas básicas como telefonia e SMS, passando por câmera, e chegando até a coisas de vanguarda, como NFC. Tudo com o apoio da comunidade e a aprovação dos órgãos padronizadores, como a W3C.

O B2G usará a fundação do Android para funcionar, mas, também de acordo com a Mozilla, “o mínimo possível”, o que denota que, apesar de compartilhar a mesma base, aplicativos do robozinho verde muito provavelmente não funcionarão no sistema da Mozilla.

A meta é propiciar um ambiente de desenvolvimento para a web, não para o Firefox. Estratégia que, diga-se de passagem, Apple (com o primeiro iPhone) e Palm (webOS) já tentaram, sem o sucesso esperado. Tudo bem que, hoje, a web é diferente, a infraestrutura da Internet é mais robusta e disponível e há um movimento, meio tímido, mas constante, que tenta consolidar a web como plataforma universal — um dos apoiadores, aliás, é o peso-pesado Facebook. Mas será que ela já está madura o suficiente para desprezar aplicativos nativos?

Outra consideração importante diz respeito ao histórico da Mozilla de liberar aplicativos pesados. Há anos o Firefox para desktops sofre com seu “peso”; no Android e Maemo, onde o navegador chegou não faz muito tempo, a reclamação permanece. Se um navegador já demora para inicializar, o que será de um sistema operacional inteiro? Ou rolará uma otimização monstro, ou o B2G pode fracassar antes mesmo do usuário começar a usá-lo de fato…

Com informações do Neowin.

Relacionados: , , ,

Autor: Rodrigo Ghedin

Blogger, bacharel em Direito e acadêmico de Sistemas de Informação.

Compartilhar

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto Frio Peças, Cupom de desconto Mundo da Carabina, Cupom de desconto JBL, Cupom de desconto Costa Cruzeiros, Cupom de desconto Loja do Mecânico, Cupom de desconto Staples