Home » [none] » Análise: Netgear ReadyNAS Duo

Análise: Netgear ReadyNAS Duo

8 anos e meio atrás

Não me canso de elogiar o pessoal da assessoria de imprensa da Netgear. Vira e mexe entram em contato conosco, oferecendo um brinde ou equipamento para análise, sem contar que são ótimos de viola (piada interna, pessoal).

Desta vez nos enviaram um ReadyNAS Duo.

image_5

Um “Network Attached Storage” (NAS) é um equipamento ligado à rede interna, especializado em armazenar arquivos. Simples assim. Procurando pela internet, encontrei o modelo anterior (HD de 500GB) com preços na faixa dos R$ 1.600,00… será que vale o investimento?

The Good

O ReadyNAS Duo, como o nome indica, tem com duas baias para HDs. A primeira veio preenchida com um HD de 1TB (existem versões com HDs de 500GB, 1TB, 2TB e 4TB, com um ou dois discos já de fábrica). Um saquinho plástico com os parafusos estava na caixa e procurando um pouco, acabei descobrindo que se pode conectar o HD “a quente”.

Um cabo Ethernet, a fonte de alimentação “full range” e um CD de instalação completam o pacote.

image_3

Como é costume da marca, o design é muito bonito. Não chega perto do MS2120, mas está longe de ser “feio”.

image_2

O painel frontal tem um botão “liga/desliga”, um led de atividade, outros dois mostrando o HD ativo, uma porta USB 2.0 e um botão para iniciar a cópia da pasta “backup” para o pendrive frontal, caso não haja nenhuma tarefa agendada.

A tampa tem uma grade, de forma a deixar o ar passar para o resfriamento interno.

image_6

Aberta, dá acesso às baias dos HDs.

image_1

Na traseira está visível a ventoinha, mais duas portas USB 2.0, a porta Gigabit Ethernet, a entrada da fonte de alimentação, um discreto botão de “Reset” e um K-Slot. O conjunto é pesado (mais de dois quilogramas) e tem 22cm x 14cm x10cm.

A instalação não podia ser mais direta: ligar na tomada, conectar no switch e pronto.

Para quem gosta “do jeito mais fácil”, no CD de instalação existe o programa RAIDar. Ele vasculha sua rede e mostra todos os ReadyNAS ligados. Para quem tem mais de um, uma forma simples de identificá-los: o programa tem uma opção para fazer piscar os leds dos HDs.

raidar1

Como se pode notar, esta versão não tem dois HDs, e nem está conectada a um No-Break (o que é possível).

O botão “Browse” abre o Windows Explorer, mostrando as pastas compartilhadas. É possível definir usuários e níveis de acesso, com os arquivos ficando disponíveis na rede Windows, via FTP, HTTP e/ou NFS.

Clicando-se em “Setup”, somos levados à interface de administração, via HTML. A senha é admin/netgear1.

admin1

Na aba “Network”, duas boas surpresas: o ReadyNAS Duo pode operar como servidor WINS e DHCP, o que pode ser uma boa pedida em redes caseiras. Para quem tem rede Gigabit Ethernet, a opção “Jumbo Frame” pode funcionar, acelerando o tráfego de pacotes. Aqui, na boa e velha 802.11b (!), não deu muito certo…

Em “Services”, é possível habilitar o Samba (CIFS), NFS, AFP (Macintosh welcome!), FTP, HTTP, HTTPS e Rsync. Tem para todos os gostos.

Também é possível habilitar os serviços de “streaming”, talvez a parte mais interessante para os usuários domésticos: SqueezeCenter, iTunes Streaming (através do Firefly) e DLNA.

firefly

Uma dica: basta abrir o Windows Explorer com o IP (ou o nome) do ReadyNAS Duo e copiar as músicas para a pasta (duh!) /media/Musica. Elas estarão disponíveis para os clientes DAAP (iTunes, Kalimba, DAAP Media Player para Android e por aí vai).

Outras duas opções interessantes são o cliente Bittorrent (que dispensa comentários) e o “ReadyNAS Remote”: é possível acessar os arquivos do NAS remotamente, sem configuração, apenas baixando um cliente. Muito bacana.

Em “Volumes”, o NAS mostra os HDs e “pendrives” que porventura estejam conectados (formatados em ext2, ext3, FAT32 ou NTFS).  O interessante é que o sistema utilizado é o X-RAID, da Netgear, que permite que, ao adicionar outro HD, o sistema de redundância seja feito automaticamente, nem intervenção do usuário.

Nas outras abas é possível programar backups (com várias opções de fonte/destino), configurar um backup externo (e pago) chamado ReadyNAS Vault, habilitar o suporte a “Time Machine” para o pessoal do Pomar e uma funcionalidade bem pensada para o usuário doméstico: compartilhar uma impressora ligada à porta USB. Simples, mas ajuda muito na hora de montar a rede da vovó. A flexibilidade das opções realmente impressiona.

Na aba System/Alerts é possível configurar o sistema para enviar emails (usando um servidor internou ou externo) com vários alertas:

alerts1

Para um sistema caseiro, está de muito bom tamanho e as opções de compartilhamento de músicas/arquivos/fotos funcionam bem.

The Bad

Para quem pretende usar o ReadyNAS Duo como sistema de backup de informações importantes, a dica óbvia é: compre outro HD e instale. Simples assim. Backup em um HD, não é backup, é fé.

A falta de uma interface em português é um ponto fraco, considerando que o dispositivo se destina a usuários domésticos. A promessa é que, com o início das vendas, no começo do segundo semestre, a documentação já esteja devidamente traduzida.

The Ugly

O pessoal da assessoria de imprensa me avisou que esta versão do ReadyNAS Duo chegará por aqui com um HD de 1TB, custando R$ 1.299,00. É um preço mais camarada que o modelo vendido atualmente por aí (R$ 1.600,00, com HD de 500GB), mas ainda muito salgado para o mercado nacional.

E, para piorar: não conseguimos que a Netgear liberasse um equipamento para sorteio… uma lástima.

Conclusão

Apesar de não ter conseguido testar a velocidade (os micros ligados diretamento ao switch estavam todos ocupados por estes dias), para um dispositivo caseiro isso não é o mais importante.

Depois de usar por uma semana, a combinação de flexibilidade no agendamento de backups, funcionalidades úteis e “addons” (veja mais em http://www.readynas.com/) formam uma ótima combinação. São o verdadeiro diferencial do equipamento.

No entanto, por R$ 1.299,00 eu ainda prefiro um HD externo ligado via USB…

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários