Home » Hardware » nVidia Kal-El: quad-core para dispositivos móveis em agosto de 2011

nVidia Kal-El: quad-core para dispositivos móveis em agosto de 2011

nVidia oficializa Kal-El, o sucessor do Tegra 2 com processador quad-core e desempenho de fazer inveja até mesmo CPUs desktop.

9 anos atrás

O impacto do anúncio de hoje da nVidia no MWC foi menor porque, semanas atrás, slides vazados deram informações sobre a vindoura plataforma quad core para dispositivos móveis da empresa, mas de qualquer forma as informações oficiais trazidas e, mais, benchmarks e demonstrações, conseguiram a proeza de um novo “Wow-effect” em cima de informação “velha”.

Principais características do Kal-El.

Principais características do Kal-El.

Conhecido pelo codinome Kal-El, o nome verdadeiro do lendário Superman, o sucessor do Tegra 2, esse ainda raro de se ver em smartphones disponíveis ao público, promete muito. O primeiro processador móvel quad-core do mundo virá acompanhado de uma GPU com doze núcleos, capaz de rodar exibir imagens no que a nVidia chama de “Extreme HD”: 2560×1600. Afinal, parece que teremos Retina Display em tablets

Phil Carmack, vice-presidente da área de negócios móveis da nVidia, conduziu a apresentação de hoje. No palco, Carmack disse que os primeiros tablets com Kal-El, o qual provavelmente será rebatizado quando disponível publicamente para Tegra 3, chegarão ao mercado em agosto. De 2011. Smartphones devem pintar logo em seguida, ainda em tempo para as vendas de Natal. A “janela” do Tegra 2 como plataforma máxima para dispositivos móveis, ao que tudo indica, será bem pequena.

De quanto poder estamos falando? De bastante coisa. O primeiro protótipo funcional do Kal-El chegou apenas doze dias atrás. Com ele, foi possível rodar, em cima do Android, um vídeo em 1440p exibindo conteúdo num monitor de 2560×1600 e num tablet, esse com resolução de 1366×768. Se isso não impressiona, que tal saber que o Kal-El deixa pra trás um Core 2 Duo T7200?

Quanto à bateria, de acordo com o AnandTech, que conversou com alguém da nVidia para obter a informação, o consumo é o mesmo dos atuais Tegra 2. A mágica para manter o mesmo consumo e duração de bateria num sistema cinco vezes mais rápido é, nas palavras do site, oriunda de lições que os engenheiros tiraram do projeto do Tegra 2, além de algumas “incríveis descobertas na arquitetura”.

A nVidia aproveitou o ensejo para demonstrar, também, o roadmap da sua plataforma para dispositivos móveis. Será um processador novo por ano, começando agora. Em 2012, teremos o Wayne, com o dobro de desempenho do Kal-El (Batman > Superman, sempre soube). Em 2013, o Logan chega com um ganho proporcional igual ao da transição Tegra 2—Kal-El, de cinco vezes. Por fim, em 2014 será a vez do Stark, com o dobro de desempenho do Logan.

De tudo isso, só temos uma certeza: o cara que batiza os processadores móveis da nVidia gosta muito de quadrinhos Será cada vez mais difícil acompanhar os lançamentos de smartphones e tablets. Esses saltos gigantescos em desempenho também podem atrapalhar a vida de desenvolvedores, que além das incontáveis versões do Android co-existentes, ainda precisarão se ater às especificações, cada vez mais altas e díspares entre uma geração e outra. A evolução mostra seu preço.

Fontes: Neowin e Blog da nVidia.

Leia mais sobre: , , , , .

relacionados


Comentários