Home » Hardware » NoteSlate: o Kindle dos cadernos universitários?

NoteSlate: o Kindle dos cadernos universitários?

NoteSlate, prometido para junho de 2011, tem tela de eink e promete substituir cadernos para anotações diversas.

9 anos atrás

NoteSlate BASIC: primeiro modelo, lançamento em junho de 2011.

NoteSlate BASIC: primeiro modelo, lançamento em junho de 2011.

Cheira forte a vaporware, mas o site oficial é enfático: os primeiros modelos do NoteSlate saem em junho de 2011. Serão vendidos somente por ele, pela bagatela de US$ 99.

A proposta é ser um tablet, ou melhor, um (literalmente) slate básico, com a única função de receber anotações de forma natural, com o usuário empunhando uma stylus. Para tanto, existe apenas uma cor de "tinta", a princípio branca ou preta. Para dezembro, estão prometidos modelos em azul, vermelho ou verde. Para só-deus-sabe-quando, uma versão com suporte a todas as cores citadas anteriormente.

A tela do NoteSlate tem resolução de 750x1080 pixels, e o tamanho aproximado de uma folha A4 (19x27 cm, 13"). A tecnologia usada é a mesma dos melhores ebooks da praça, o eink, detalhe esse que garante a assombrosa autonomia de 180h. As conexões são, para o porte do gadget, bem servidas: slot para SD card, porta mini USB, saída de áudio de 3,5 mm e plug de energia de 12 volts. Quem quiser pode, sem custo adicional, encomendar um módulo Wi-Fi no ato da compra.

Fisicamente, o NoteSlate segue sua filosofia, sendo bastante simples. A stylus escreve e apaga, e "cola" na tela. Na lousa, temos somente três botões: 1) salvar a tela atual; 2) mostrar a última tela; e 3) apagar a tela atual. Como avançar telas ou abrir uma nova, ainda é uma incógnita.

Pesando apenas 280 gramas e com promessas de expansão via atualizações gratuitas de firmware (OCR, salvamento em PDF, suporte a MP3 e compartilhamento de notas via Wi-Fi), o NoteSlate parece muito bom par ser verdade. Ele se isola do mar de tablets prestes a aparecer no mercado focando numa única atividade, fazendo de tudo para que essa, a de inserir dados numa interface amigável e conhecida, soe apenas... natural.

Caderno de papel: dias contados?

Caderno de papel: dias contados? (Foto por Andy McMillan)

As áreas onde o NoteSlate pode ser empregado são inúmeras. Lendo comentários por aí, a mais comum é a de substituir o caderno universitário no colégio ou universidade. Mas há espaço para mais. A primeira coisa que imaginei foi o de usar o NoteSlate como uma central de informações doméstica, substituindo post-its e recados pendurados na geladeira com ímãs. Sem muito esforço, dá para imaginar outros tantos cenários: artes digitais, anotações em entrevistas/coletivas, substituto de Moleskine etc.

A proposta é excelente, tanto que há quem duvide que o NoteSlate saia das projeções e se torne um produto real. O desafio está lançado, em junho, se tudo correr bem, teremos análises e comentários do produto. E eu torço, sinceramente, para que dê certo. Diferente de tablets e outros formatos que são lançados buscando uma razão de ser, o NoteSlate surge com um propósito bem claro, o de ser para a criação de conteúdo em papel o que o Kindle, da Amazon, foi para o consumo.

Fonte: Gadget Lab.

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários