Home » Meio Bit » Indústria » Oracle processa Google por causa de Android e Java

Oracle processa Google por causa de Android e Java

8 anos e meio atrás

Em um daqueles documentos assustadores cheios de nomes de advogados a Oracle acionou o Google, acusando-o de violação de patentes relacionadas ao Java.

O texto vai além, aponta que os fabricantes e usuários também estão violando as tais patentes, e que o Android compete com o Java como sistema operacional para dispositivos móveis.

Além das patentes há a questão do Copyright, que é a base por trás das licenças de software, e a Quitanda do Tio Larry não faz por menos:

"Sem consentimento, autorização, aprovação ou licença, o Google conscientemente, propositalmente e ilegalmente copiou, preparou, publicou e distribuiu material com copyright da oracle America, partes e trabalhos derivados. O Android da Google infiringe o Copyright do Java da Oracle America e a Google não está licenciada para isso."

A impressão é que a Oracle não gostou do Android ser todo focado no Java e não estarem ganhando nada em cima disso, mas a Sun também não foi exatamente feliz nessa área. Provavelmente por arrogânciase recusavam a aprender com quem sabe ganhar dinheiro com linguagens, não aprenderam as lições da Borland e da Microsoft e deixaram na mão da "cumunidade" o que seria o grande ganha-pão do pacote, a responsabilidade de criar um workframe matador.

Essa ação é um tiro que atinge o Java como um todo -afinal qualquer um que use a linguagem está vulnerável- e ainda resvala para o Open Source, afinal de contas de que adianta ser licenciado sob GPL, bla bla bla se você pode ser vulnerável por usar uma LINGUAGEM disponibilizada sob a mesma licença?

Em seu blog Miguel de Icaza formula um cenário bem viável da situação.

Tudo tem a ver com licenciamento. Uma velha piada diz que o negócio mais lucrativo que a Sun fez com o Java foi ter processado a Microsoft por US$1,6 bilhões, monetizar a linguagem nunca deu muito certo. De olho no mercado mobile, criaram o Java ME com restrições de licenciamento, restringindo a possibilidade de desenvolvedores criarem versões próprias. Deu certo, saiu muito celular com suporte a JavaME (só não saiu nenhum software decente para JavaME mas isso são outros 500).

Quando o Google criou o Android não quis ficar preso a uma implementação atrelada à Sun, então contornaram as patentes, chegaram a escrever uma VM do zero, a Dalvik somente para não cair nas cláusulas de licenciamento. Problema é que ao contornar as patentes o Google criou um superset do Java, o que vai contra o acordo de uso das (outras) patentes. Aí a Oracle veio e créu!

A abordagem é oposta à da Microsoft, que em seu licenciamento exige um subset mínimo na implementação, permitindo a criação de supersets (daí o Mono). Já a Sun (e por herança forte a Oracle) não quer largar o osso, então nada de criar uma versão do Java com MAIS funcionalidades. Com menos, tudo bem.

Quem alertou contra esse tipo de problema? Quem gritou "Lobo" tantas vezes que não se prestava mais atenção? Nosso paranóico de plantão, mas nas palavras de Henry Kissinger, "paranóicos também têm inimigos". Pois é. Richard Stallman em 2004 já cantou essa pedra do Java.

alan moore

O Google ainda não respondeu, os sites de notícias e blogs em geral ainda estão digerindo a informação, mas as ações do Google E da Oracle estão em queda.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários