Home » Demais assuntos » Ning acaba com versão grátis; concorrentes disputam órfãos

Ning acaba com versão grátis; concorrentes disputam órfãos

Ning descontinua modelo gratuito, e concorrentes se oferecem para receber órfãos dele.

10 anos atrás

Ning.

Um mês após assumir o cargo de CEO do Ning, um site que permite a qualquer um criar redes sociais, Jason Rosenthal rodou a baiana e promoveu mudanças drásticas por lá. De cara, demitiu 70 funcionários, correspondente a 40% da equipe, e acabou com a modalidade gratuita do Ning.

Num e-mail enviado à equipe (e reproduzido pelo TechCrunch), Rosenthal justifica essa guinada no fato de que 75% do tráfego do Ning provém de clientes premium, ou seja, daqueles que pagam. Assim, o novo foco da empresa é desenvolver melhor os recursos extras, pois os usuários que já usufruem deles estão dispostos a pagar.

O novo foco é sensato, mas deixou quem dependia da versão free do Ning numa situação delicada. Apesar do e-mail do novo CEO referir-se a dois modelos, grátis e pago, na realidade o Ning oferece "módulos" pagos mensalmente. Tem desde suporte (US$ 10), passando por domínio próprio (US$ 5), remoção de anúncios (US$ 25), mais espaço e banda (US$ 10) e a eliminação de links e imagens relacionadas ao Ning (US$ 25). A menos que uma mudança nesse sistema seja implementada, bastará aos usuários da modalidade gratuita assinar um dos serviços premium, provavelmente o mais barato. Ou...

Tentei pensar noutra analogia, mas não me veio nada diferente de urubus aproveitando o momento. Várias redes concorrentes, algumas até com propostas diferentes, ofereceram-se a receber os órfãos do Ning gratuito. GROU.PS, posterous (!?), GrouplyAutomattic (via BuddyPress) já se manifestaram. Em último caso, todos ganham: esses serviços ao receberem mais usuários, e esses, um leque de alternativas gratuitas ao Ning premium.

Mais uma vez, a confiança em serviços na nuvem é posta em xeque. Afinal, hoje foi só a eliminação do plano gratuito, o que já é grave, mas longe de ser algo terrível, como o fim do serviço. Isso sim seria desastroso, e no cenário atual, o que garante aos usuários a segurança de suas contas? Puxando da memória um caso recente, o tr.im fechou as portas de vez sem nenhum suporte aos usuários...

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários