Home » Hardware » A japinha assistente virtual holográfica está sendo "americanizada"

A japinha assistente virtual holográfica está sendo "americanizada"

Empresa americana pega conceito da Gatebox, a cafeteira que traz uma japinha holográfica, e adapta assistente virtual para o público ocidental

09/01/2020 às 9:30

Anos atrás, a empresa japonesa Gatebox apresentou seu próprio conceito de assistente virtual: um dispositivo parecido com uma cafeteira, que projeta hologramas dos assistentes, seguindo a estética dos animes. Eeles interagem com o usuário, sustentando conversas e podem se passar como companhias virtuais, o que foi muito bem recebido no cenário atual japonês, com jovens cada vez mais solitários.

Corta para 2020: uma empresa norte-americana resolveu ocidentalizar a ideia ao seu modo, com uma tecnologia piorada e avatares mais realistas.

Gatebox / Azuma Hikari

A Azuma Hikari da foto acima, a assitente holográfica original da Gatebox tem até página própria e ficha técnica, e pode ser acessada tanto pela "cafeteira" quanto pelo app móvel, é capaz de se conectar com dispositivos de IoT da casa e controla-los, administrar a agenda e lembrar de datas importantes, como o início do relacionamento (leia-se a data em que foi ativada), entre outras coisas, como uma namorada de verdade.

Note que a cafeteira da Gatebox não é exclusiva para homens, há uma série de avatares que o usuário pode usar, inclusive um masculino e até um mecha, afinal, cada um tem seu gosto. E mesmo com um preço nada camarada de ¥ 165 mil, ou R$ 6.129 (cotação de 09/01/2020), o produto tem uma base instalada e foi atualizado com o passar dos anos.

Gatebox / assistente virtual

Os outros avatares da Gatebox. Claro que tem um um samurai de mangá shoujo (para garotas), um mecha e uma empregada vitoriana

Só que por mais que animes façam sucesso deste lado do mundo, a grande maioria dos consumidores ocidentais tem aversão à estética e não vai gastar tanta grana assim num assistente virtual. Talvez por isso a ideia da Keyshare Innovation Group, uma companhia americana que decidiu localizar a pobre Hikari não mire no usuário final, e sim em clientes de grande porte.

A empresa se uniu a uma parceira da Nova Zelândia para refazer o hardware do zero, com sérias restrições orçamentárias: ao invés do aparato holográfico da Gatebox, sua versão da assistente animada é apenas um tablet dentro de um case. E claro, com versões realísticas e mais humanizadas de assistentes.

Keyshare / assistente virtual

Keyshare / assistente virtual

Segundo o site Engadget, a Keyshare aparentemente já tem um contrato firmado, para o qual a assistente feminina será voltada: unidades do tablet engarrafado serão instalados em uma frota de cruzeiros até o fim de 2020, de modo que a personagem aja como uma concierge 24/7, atendendo as necessidades dos passageiros em diversas situações.

Já o avatar masculino, pelo traje esportivo sugere que o acessório será voltado a academias, onde ele assumiria a função de personal trainer, monitorando sua atividade física e mantendo um registro de suas atividades e exercícios realizados.

De qualquer forma, o item possui os mesmos sensores e câmeras que a solução da Gatebox, e a proposta de um hardware mais simples faz sentido para uma companhia que deseja colocar seu produto em ambientes públicos, até para facilitar a manutenção.

Claro, o resultado final é bem menos atraente do que a "casa" da Azuma Hikari, nem tem o mesmo charme de uma japinha que pode puxar conversas baseando-se em sua rotina e gostos pessoais, por mais que alguns achem ser bastante triste um jovem solitário ter uma personagem de anime como "namoradinha".

Com informações: Engadget.

relacionados


Comentários