Home » Hardware » Resenha — Avell G1511 Fox: um notebook gamer compacto

Resenha — Avell G1511 Fox: um notebook gamer compacto

Com boas especificações e e construção bastante compacta, o G1511 Fox da Avell é mais uma opção no mercado de notebooks para o público gamer.

09/11/2018 às 9:30

A Avell, fabricante brasileira de notebooks é conhecida por seus produtos de alta performance e preço elevado, voltados principalmente para os públicos gamer e profissional. Em 2018, porém a empresa resolveu investir em modelos mais modestos, menores e leves, mas sem abrir mão do poder de fogo.

O G1511 Fox é um bom exemplo: embora não exatamente leve (2,5 kg), ele possui uma construção robusta e mesmo com uma GTX 1050 Ti da nVidia, não faz feio.

Avell G1511 Fox visto na diagonal

Com um preço inicial de R$ 5.499,90 à vista, este notebook se aproxima dos modelos gamer de entrada, como o Samsung Odyssey, o Acer Helios 300 e o Dell Inspiron Gaming, com a vantagem de já contar com um processador Intel de oitava geração.

Quais são as vantagens e desvantagens do Avell G1511 Fox? Leia e descubra.

Design

À primeira vista, o G1511 Fox passa uma sensação de construção robusta, como é característico de notebooks gamers. No entanto, ao dar preferência ao plástico ao invés do metal como no G1540 Lite, no uso diário ele parece mais frágil do que deveria ser.

A tela, acondicionada num case de bordas largas (o que é uma pena) balança um pouco conforme você movimenta o hardware, e você tem a nítida impressão de que a tampa vai quebrar, embora isso não aconteça.

Tampa do Avell G1511 Fox, vista de lado

O design segue o padrão gamer, com um recorte angulado e linhas arrojadas na tampa e parte inferior, disposição do botão power, apresentação das saídas de ar e etc. Particularmente eu prefiro um design mais reto e “careta”, mas este notebook não chega a agredir os olhos como muitos do mercado.

Em situações normais, o G1511 Fox pode muito bem se passar por um notebook voltado para trabalho, desde que você mantenha os LEDs do teclado desligados ou utilize uma cor mais discreta.

Portas do Avell G1511 Fox - lado esquerdo

Algo que me agradou bastante foi a grande quantidade de portas: há quatro USB, sendo três Type-A (2.0, 3.0 e 3.1) e uma Type-C 3.1, duas Mini DisplayPort (1.3 e 1.2), um leitor de cartões, uma saída HDMI, uma porta Ethernet Gigabit obrigatória (afinal, é um produto gamer) e entradas para fone de ouvido e microfone.

Como a Avell trabalha com produtos para consumidores mais exigentes, que precisam de conexões a rodo, é sempre bom ter um produto em mãos que oferece muitas opções.

Portas do Avell G1511 Fox - lado direito

No geral, o Avell G1511 Fox não é um produto tão portátil: com um peso de 2,5 kg e uma fonte também nada pequena, ele é um produto que um gamer ou profissional deve pensar duas vezes antes de colocar em sua mochila. Ainda assim, ele é um dos mais compactos do mercado para quem precisa de um hardware potente sempre à mão, visto que notebooks similares da concorrência costumam pesar bem mais.

Tela e hardware

Com 15,6 polegadas e resolução de 1.920 x 1.080 pixels, o display LED do Avell G1511 Fox não é nada além do básico para a sua categoria, o que não chega a ser um problema: embora fosse interessante contar com uma tela 2K, considerando sua faixa de preço inicial não dava para pedir algo além disso.

Tela do Avell G1511 Fox

Graças ao revestimento antirreflexo é possível jogar ou trabalhar mesmo sob luz forte, e por se tratar de um dispositivo voltado para a jogatina nossa de todo dia, a tela possui uma taxa de atualização de 120 Hz e tempo de resposta de 3 ms; assim, dá para apreciar os jogos mais frenéticos sem perda de detalhes e sem apanhar muito online.

O teclado, com layout completo e teclas chiclete segue o padrão americano, e conta com retroiluminação em três partes totalmente customizável e é bastante confortável. Ele possui algumas funções de atalho bastante específicas, que me deixaram um pouco perdido no início.

Por exemplo, demorei para entender que a combinação da tecla Fn com (+) ou (-) são os controles de brilho, e que Fn e (/) chama o Centro de Controle, que oferece diagnóstico do sistema, configuração dos LEDs do teclado e etc.

Claro, não é nada com o que não seja possível se acostumar com o tempo, mas o resultado seria melhor se a Avell tivesse incluído teclas multimídia dedicadas.

Teclado do Avell G1511 Fox

O touchpad possui uma boa construção, com botões um tanto rígidos que oferecem certa resistência mas no uso moderado, isso não chega a ser um problema. A Avell incluiu um leitor de impressões digitais entre eles, o que é uma boa pedida pois ocupa muito pouco espaço.

Para quem prefere proteger seus dados de todas as maneiras possíveis e imagináveis, ter uma camada a mais de segurança é sempre bom.

Touchpad do Avell G1511 Fox, com leitor de impressões digitais entre os botões

O som do G1511 Fox deixa a desejar: os alto-falantes estão posicionados na parte inferior frontal do notebook, e como se não bastante o ajuste máximo é baixo demais para um dispositivo gamer. Por outro lado, ele oferece som espacial e Dolby Atmos para fones de ouvido, assim, para ter uma qualidade de áudio satisfatória, é preciso confiar em periféricos.

Na minha opinião, um notebook gamer precisa ser uma solução em si mesmo e uma falha desse tipo não é algo muito legal.

Desempenho e autonomia

Graças ao processador Intel Core i7-8750H de oitava geração, o G1511 Fox é uma boa máquina para rodar jogos recentes em configurações medianas para altas, já que ele conta com uma GTX 1050 Ti, a atual placa de vídeo de entrada da nVidia.

O modelo testado possuía 16 GB RAM DDR4, um SSD de 256 GB e um SSHD de 1 TB, sendo esta a unidade utilizada para instalar os títulos graças ao espaço disponível. Ao deixar o SSD principal apenas para gerenciar o sistema operacional e programas essenciais, o notebook como um todo voa nas tarefas mundanas. Você pode turbinar ainda mais o desempenho, instalando uma memória Intel Optane de 16 GB para agilizar ainda mais o desempenho geral.

Mas ele é um produto gamer, então vamos aos games.

Botão Power do Avell G1511 Fox

Foram testados vários títulos, que exigem mais e menos hardware, mais e menos recentes e os resultados foram bem consistentes:

  • Battlefield 1 — rodou tranquilo na configuração média, mas manteve uma performance estável no Ultra, em alguns momentos até alcançando os 60 fps;
  • Hollow Knight — executado no máximo, sem nenhum tipo de problema;
  • PlayerUnknown’s Battlegrounds — sem maiores problemas além dos já conhecidos, o título mais mal otimizado do universo. No geral, alguns problemas com a atualização de quadros, mas segurou bem nas configurações altas;
  • Cuphead — rodou liso, sem nenhum tipo de problema;
  • Sid Meyer’s Civilization VI — executado com as configurações máximas, mantendo uma taxa de quadros estável;
  • Hellblade: Senua’s Sacrifice — rodou tranquilo na configuração máxima e com áudio binaural ativado nos fones de ouvido, embora quedas na atualização de quadros tenham sido percebidas.

Em termos gerais, o Avell G1511 Fox é capaz de rodar a maioria dos títulos atuais entre configurações medianas e altas, e até se arrisca em alguns relativamente exigentes no Ultra, mas é importante lembrar que a GTX 1050 Ti é bem mais limitada que outras GPUs mais poderosas da nVidia ou AMD. Em suma, este é um bom notebook gamer para quem não quer gastar muito ou deseja uma segunda máquina portátil.

Agora vamos falar do calcanhar de Aquiles presente todos os notebooks gamers, a bateria. Eu tirei o G1511 Fox da tomada às 9:30 da manhã e o usei moderadamente, com o Chrome mantendo 15 abas abertas, Telegram, Slack, redes sociais, YouTube e streaming de música. Como era de se esperar, às 11:00 ele já acusava 38% de energia restante, mesmo configurado no modo de consumo equilibrado.

Apesar de possuir seis células e 62 Wh, a bateria precisa dar conta de um hardware relativamente parrudo e isso posto, não dá para fazer milagre. Portanto, a regra se mantém: se for trabalhar por um longo período de tempo ou jogar, mantenha-o sempre ligado na tomada.

Conclusão

O Avell G1511 Fox é no fim das contas um bom notebook gamer. Embora tenha uma construção aquém do ideal, seu hardware é relativamente potente e dá conta da maioria dos games que serão lançados nos próximos meses, e possui um preço relativamente atraente.

No entanto, é preciso levar em conta algumas coisinhas.

Parte inferior do Avell G1511 Fox

O modelo de entrada, que custa R$ 5.499,90 à vista (ou R$ 6.111,00 em 12 vezes) vem com 8 GB de RAM e apenas um HD de 1 TB, só que esse preço relativamente competitivo não inclui o sistema operacional. Você terá que adquirir o Windows 10 Home ou Pro à parte, que custam respectivamente R$ 559,99 e R$ 809,99 no site da Microsoft (a Avell oferece ambos nas opções de customização, por R$ 549,00 e R$ 699,00).

A Avell utiliza tal estratégia para reduzir o preço, mas como estamos falando de um dispositivo gamer, não faz sentido oferecer um produto sem Windows ainda mais quando a concorrência pratica valores próximos, com o sistema operacional incluso. Por outro lado, ele é um dos poucos dessa categoria a trazer um processador Intel de oitava geração.

No fim das contas, se você deseja um notebook gamer que rode boa parte dos games recentes, com um hardware recente e não deseja gastar muito, nem se preocupa com a bateria e a performance sonora, talvez o Avell G1511 Fox seja uma boa pedida.

Especificações

  • Processador: Intel Core i7-8750H, hexa-core Coffee Lake com clock de 2,2 GHz, TurboBoost até 4,1 GHz e 9 MB de memória cache;
  • Placa de vídeo: nVidia GeForce GTX 1050 Ti, com 4 GB GDDR5;
  • Memória: de 8 a 32 GB de RAM DDR4 a 2.400 MHz (16 GB no modelo de testes);
  • Armazenamento M.2: SSD de 256 GB (presente no modelo de testes) até 2 TB, ou memória Intel Optane de 16 GB para aceleração do sistema;
  • Armazenamento SATA III: HD de 2 TB, SSD de 480 GB até 2 TB ou SSHD de 1 TB + 8 GB (presente no modelo de testes);
  • Tela: LED retroiluminado de 15,6 polegadas, taxa de atualização de 120 Hz e tempo de resposta de 3 milissegundos;
  • Resolução: 1.920 x 1.080 pixels;
  • Teclado: ABNT, padrão americano e retroiluminação RGB configurável;
  • Câmera: 2 megapixels, captura vídeos em 1080p;
  • Conectividade: Wi-Fi802.11b/g/n/ac, leitor biométrico e Bluetooth 4.0;
  • Portas: HDMI, fone de ouvido, microfone, leitor de cartões, USB-A 3.1, USB-C 3.1, USB 3.0, USB 2.0, Ethernet Gigabit, Mini DisplayPort 1.3 e Mini DisplayPort 1.2;
  • Bateria: seis células e 62 Wh;
  • Dimensões: 37,8 cm x 26,7 cm x 2,6 cm;
  • Peso: 2,5 kg;
  • Sistema operacional: sem sistema, Windows 10 Home (presente no modelo de testes) ou Windows 10 Pro.

Pontos Fortes:

  • tela Full HD de boa qualidade e tempo de resposta;
  • hardware recente, com processador Intel de oitava geração;
  • performance consistente em jogos mais recentes;
  • portas, muitas portas.

Pontos Fracos:

  • construção aquém do esperado para um produto gamer;
  • autonomia da bateria é bem ruim;
  • o som é bem fraquinho;
  • modelo base não tem sistema operacional.

O Meio Bit analisou o G1511 Fox com uma unidade gentilmente cedida pela Avell.


Leia mais sobre: , , .


relacionados


Comentários